Conecte-se agora

Enfim, a democracia!

Na quarta feira, 26, três dia após as eleições do segundo turno, Sebastião Viana concordou em receber os jornalistas Roberto Vaz, Marcos Venícios, Luciano Tavares e Ray Melo para um entrevista de temas livres, como há muito tempo os temidos “Homens de Preto” tentavam. Durante quase duas horas o governador falou de temas polêmicos, admitiu ter corrupção no governo e fez uma revelação surpreendente: a Operação G-7 foi uma armação tão bem tramada, que nasceu numa mesa de uma pizzaria e se estendeu até a igreja católica, onde ele foi coagido por desembargador, embriagado, em plena missa. A entrevista teve temas tão reveladores e inéditos que resolvemos fazer uma série que começou neste domingoe e se estenderá até a próxima quinta feira, 6.

Homens de preto2_in

Um dia o governador Sebastião Viana (PT), entre tantos outros adjetivos, classificou ac24horas como site de garagem. E por se sentir incomodado com o noticiário crítico ao seu governo, chegou a dizer ao repórter Luciano Tavares, que solicitava uma entrevista com ele, que “para vocês do ac24horas nem sanduiche frio eu levo na cadeia”. Mas se ele usava de tom áspero para diminuir o trabalho do principal jornal do Acre que por mostrar apenas um pouquinho dos desmandos de seu governo (que muito deles nem o próprio Sebastião sabe), nossos repórteres também não deixaram barato (e nem em paz), os petistas que estiveram no poder nos últimos 10 anos. As críticas baseadas em denúncia, foram desde comida com larvas distribuídas na rede pública de saúde (um único caso até hoje não esclarecido devidamente), recebimento de dinheiro para campanha de empresas e pessoas de conduta duvidosa entre outros.

Mas uma coisa deve ficar bem claro: durante este período em que o governo se negou a prestar esclarecimentos a sociedade nas denuncias feitas por ac24horas, jamais ousou processar o veículo de comunicação ou bateu em sua porta pedindo trégua. O mesmo, claro, fizemos nós. Desde a sua criação ac24horas sempre esteve a margem do poder, excluído de mídias governamentais, que de direito teria, e não se curvou diante das graves ameaças feitas pelos puxa-sacos do poder.

Sebastião Viana, apesar de não gostar, encarou as denúncias como o preço do cargo que ocupa.

E se você não sabe, ac24horas é o único veiculo de comunicação do Acre que tem um repórter setorista na área de governo. Luciano Tavares diariamente acompanha as atividades governamentais e as relata com a mais pura simplicidade e verdade. Isso mostra que nossa intenção não é só olhar as coisas negativas da administração. Nós também vemos ações positivas, apesar de ele próprio (o governo) não ter competência de saber divulga-las a população.

Se o governo erra, não é problema nosso. Se falta transparência na coisa pública, nós alertamos e cabe ao gestor maior admitir a falha. Não somos donos da verdade e reconhecemos que nem tudo que o governo petista faz é ruim.

Um diálogo foi aberto e o governador resolveu convidar os jornalistas de ac24horas para uma conversa franca. Uma entrevista com temas livres, na qual aceitou fazer um RAIO-X do seu governo. Não exigiu nada, apenas que o jornal pautasse pela verdade [nem precisava pedir], que ele mesmo faz questão de esclarecer, pois se considera injustiçado por este site em algumas denúncias feitas. “Poderia aqui acrescentar pelo menos quinhentas (risos), mais o que importa é o Acre e que o fazemos para desenvolve-lo e melhorar a vida de todos”, fez questão de registrar.

A entrevista EXCLUSIVA aconteceu no gabinete onde o governador Sebastião Viana recebe aliados, convidados e até desafetos, como é o nosso caso. Entre tantas declarações, Sebastião diz que Frente Popular edificou o Acre nos últimos 16 anos e que empréstimos não são dividas, mas sim investimento.

Tião raio-x ABRE

ac24horas – Governador, são 16 anos de governo da Frente Popular, imagino que cada governador que assume o comando do Estado, quer deixar a administração com a sua cara, colocando o estilo Sebastião Viana de governar. O que o senhor destaca de positivo nestes últimos 4 anos e as dificuldades enfrentadas nesta jornada?

Sebastião Viana – Quando eu ganhei a eleição de 2010, que foi muito difícil, nos estávamos num momento de questionamento, o governo era muito bom do ponto de vista técnico, mas havia uma distância com os movimentos sociais e nesse período eu tinha um mandato (de senador) inserido no Estado, o exemplo foi a vitória no vale do Juruá, que demonstrou a minha presença e aquela eleição me trouxe uma certeza absoluta, a aproximação imediata do governo com a sociedade. O primeiro grande desafio meu era esse e o resultado e a busca foi a realização de mais de 480 viagens aos municípios do Acre, durante esses anos que estou a frente do governo. Com isso eu encontrei as melhores respostas para algumas coisas que o governo tinha e o reconhecimento dos melhores acertos e a oportunidade de redesenhar todo o projeto de Estado que nós já estamos edificando há 16 anos e agora vamos para os 20 anos, como um fenômeno da política brasileira que só o Acre e São Paulo conseguiram.

Neste momento dialoguei com todos os setores e tomei decisões com base em reuniões técnicas e de governo, com os movimentos populares, e o resultado foi bom. Não abri mão de reconhecer nada que estava sendo executado com muita qualidade, como por exemplo o Asas da Florestânia, que é uma das coisas premiadas mundialmente, os avanços na educação, política de infraestrutura, entre outros desafios que incluímos.

Vou dar alguns exemplos, o Acre tinha R$ 96 milhões de transferências salariais para os servidores públicos em 1998 e no ano passado conseguimos transferir R$ 1.8 bilhão, olha essa evolução do trabalhador. Neste governo, nos fortalecemos os servidores em R$ 135 milhões, pode procurar Brasil a fora, proporcionalmente, para saber quem fez isso, ai vem o equilíbrio fiscal do Acre, quando o Jorge Viana assumiu o governo, o Acre devia R$ 1,4 de receita própria, hoje deve R$ 0,69 para cada R$ 1 de receita própria e isso vem se consolidando ao longo dos anos. O governo alcançou a plataforma de investimentos de R$ 3 bilhões, em outros tempos não existiam investimentos nesta proporção através de programa de infraestrutura, programa de industrialização, consolidação das ações de saúde, educação e de produção da agro industrialização dentro do Estado, incorporando desafios que são do nosso tempo.

A redução da mortalidade infantil continuada está na faixa de 14 e coloca o Acre como um dos seis Estados com os menores índices de mortalidade infantil para mil nascidos. A violência, tão propalada e tão cobrada com razão da sociedade que se sentir segura, nós somos o décimo nono Estado menos violento. Hoje o nosso indicador é menor do que 2009 na taxa de homicídios. Somos a segunda menor taxa da região nesse quesito e reconhecemos de peito aberto os desafios de um sociedade intranquila e insegura e que precisa de mais políticas de segurança. Na área de saúde nós somos o único Estado do Brasil que não existe filas de doentes, de macas nos corredores dos hospitais e não tem fila de doentes jogados no chão. Quando se coloca uma imagem, como eu vi, a poucos semanas, você tem uma saída do centro cirúrgico ou a migração de uma enfermaria para outra, que é normal de alguns momentos o paciente numa área de migração, mas você não encontra em lugar nenhum do Brasil. O Acre é o primeiro a fazer o transplante de fígado na Amazônia, faz transplante de rim, córnea…um Estado que fez mais mais de 30 mil cirurgias de catarata, um Estado que está entregando mais de 5 mil próteses auditivas. 99% das doenças cardíacas eram tratadas fora do Estado e hoje são tratadas, 90% delas, pelo Estado. Nós fazemos aqui cirurgia de peito aberto, nós fazamos aqui troca de próteses valvulares, marca-passos entre outros. Então se isso não é um avanço, se não é um ambiente positivo no Estado e você olha as politicas que a gente ver nos outros Estados, a gente não ver isso.

Nenhum Estado brasileiro construiu mil tanques de piscicultura, nós tivemos mais de 4 mil nesse nossos tempo de governo. Você tem o Acre da Industrialização, da suinocultura, da piscicultura, a criação do serviço de Call Center que está todo vapor. Em dezembro estaremos abrindo 2.500 vagas e até março mais, totalizando 5 mil vagas para os jovens trabalharem e também teremos 74 mil jovens formados no Pronatec, somos o Estado que mais avançamos na formação de línguas, inglês, francês, espanhol e italiano e isso será expandido não só na capital, mas também no interior. Somos o segundo Estado que mais ofertava vagas no ensino universitário, sendo o primeiro a construir um centro de matemática, filosofia e ciência. Então o Acre tem muito a mostrar. Isso foi a nossa fortaleza, a verdade e a responsabilidade com o ambiente de prosperidade. Isso me dá a legitimidade de defender o que está feito e assegurar grande esperança para o futuro,

Tião feliz13

ac24horas – Governador, nos debates seus adversários queriam culpar o senhor de um suposto rombo previdenciário, o senhor poderia explicar essa história?

Sebastião Viana – Eu recomendo a leitura de um artigo do professor Anchieta (Diretor-presidente do Acreprevidência), onde ele mostra a ignorância. Ignorância não é ofensa, é o ato de ignorar, desconhecer, e foi o que os adversários mais usaram na campanha, sem ter noção do que é equilíbrio atuarial, déficit atuarial e tratam o debate desta forma. Todos os documentos que tratam da questão previdenciária do Acre dizem: divida projetada para o déficit autorial do governo, ou seja, nós temos o ano de 2048 para organizar e resolver todo o problema de divida projetada. A divida previdenciária do Acre ocorre desde que nos tornamos Estado e ela segue o curso até o último dia que o Acre for Estado. Ano que vem nos vamos ter uma divida consolidada para mais 75 anos, para se resolver esse problema e ter o déficit zero, isso é o chamado equilíbrio atuarial que qualquer economista, qualquer pessoa estudiosa de contas públicas vai entender isso. O Ministério da Previdência Social diz que o Acre é um dos Estado com maior responsabilidade e melhor controle de seu déficit atuarial no Brasil. Por exemplo, hoje nós arrecadamos mensalmente de 20 milhões e temos uma divida mensal de R$ 32 milhões, então temos uma déficit de R$ 10 milhões. Outra coisa, São Paulo tem um déficit mensal de R$ 1 bilhão e isso precisa ser esclarecido. Minas Gerais tem o déficit projeto de mais de R$ 370 bilhões, não é o que Minas deve hoje, mas é que os funcionários da História de Minas e os que virão, com mais seus dependentes, estão gerando para que o ano de 2048 consolide seu ajuste previdenciário. Eu não entendo como os meus adversários não pedem um economista, especialista em contas públicas, para ensiná-los. Ninguém ganha voto com mentira, nós agimos com responsabilidade. Quando você olha a previdência, o primeiro Estado Brasil uma política para constituir ativos como todo seu bem material, estabelecido por florestas públicas, estrutura física do governo, consolidada para que isso se incorpore ao patrimônio, que seja acolhido pela Caixa Economica Federal, pelo Bradesco , Banco Regional de Brasília, uma negociação feita com o Ministério da Previdência que incorpora esse bem material numa negociação de bens de futuro e isso vai todos os meses abatendo as dividas nossas que até o ano de 2035 nós teremos que ter avançado nela e até o ano de 2049 nós teremos que ter uma solução para o caso. É inacreditável como transformam uma divida de R$ 10 milhões por mês numa divida de quase R$ 8 bilhões pela mais absoluta ignorância.

ac24horas – O governo de Sebastião Viana foi o que mais contraiu empréstimo?

Sebastião Viana – O nosso governo deve hoje menos que ele devia em 1999. Você trabalha com receita corrente liquida com divida projetada e esse é o programa de ajuste fiscal do governo federal, que foi assinado no ano de 2000. Veja bem, no ano de 2000, o Acre devia R$ 1.4 para cada R$ 1.0 gerado em receita liquida, mas hoje o Acre deve R$ 0,69 para cada R$ 1.0 real gerado. Qual é a maior divida que você tem em relação a receita de corrente liquida? A dos Estados Unidos, depois você vai pra Bélgica que chega a duas vezes e meia ao Produto Interno Bruto, ou seja, o Acre ainda tem sobrar na receita liquida.

tião_soloac24horas – E aquela história que cada acreano nasce devendo R$ 4 mil?

Sebastião Viana – É uma loucura. O meu governo foi o que mais fez investimento. Você não pode chamar ivestimento de divida. Quando você aumenta a receita em quase um R$ 1 bilhão por ano, você não pode dizer que o investimento feito é um gerador de déficit. Ele é um gerador de receita e é isso que nós estamos trabalhando. Investimos em saneamento básico mais de R$ 1 bilhão, nós estamos para cada R$ 1 investido, economizados R$ 4 em saúde. É uma regra da Organização Mundial de Saúde (OMS). Quando nós estamos colocando os municípios do Acre com distribuição de água sendo ofertada para a população, nós não estamos fazendo divida, mas sim investimento. Quando estamos fazendo habitação, o maior problema da região norte, nós estamos gerando qualidade de vida. Nós fomos o governo que mais captou recursos para investimentos e eu estou aberto a sempre debater isso.

A primeira-dama sambando
na Marquês de Sapucaí

“E da escola de samba da minha esposa, vocês não vão perguntar?”, questionou Sebastião Viana durante a entrevista. O caso foi especulado e repercutido na imprensa local e nacional, quando a primeira-dama Marlúcia Cândida foi flagrada desfilando na Marquês de Sapucaí, enquanto o Acre sofria com a cheia dos rios.

Mais uma vez, o governador usou o espaço da entrevista para tentar desqualificar seus adversários. “As informações que tenho é que Márcio Bittar estava em Nova York, enquanto eu e minha esposa trabalhávamos. Aquele episódio não atrapalhou em nada, o trabalho de atendimento aos desabrigados”, disse.

Viana informa que sua esposa foi representar o Estado, numa homenagem da escola de samba Vila Isabel. “Ela foi representar o Acre, por um dia e meio, com passagem paga pelo bolso dela. Este foi um ato de absoluta honra. Todo o trabalho para os flagelados, ela fez durante 60 dias, neste mesmo período”.

Na época, o governador relata que foi diversas vezes à Brasília, em busca de recursos para atender os desabrigados, “mas isso não virou notícia. Fomos vítimas de um ato de injustiça e perversidade”. No mesmo ano, Jorge Viana também foi fotografado em um camarote na Marquês de Sapucaí.

Qual a maior injustiça que o senhor considera
que ac24horas cometeu contra sua gestão?

A última pergunta da entrevista com o governador Sebastião Viana, ficou reservada ao diretor-geral de ac24horas, Roberto Vaz. O jornal publicou diversas denúncias de irregularidades cometidas por gestores na administração do governador petista, colocando o jornal como o principal adversário do governo.

Na presença dos principais assessores de Viana, o jornalista Roberto Vaz perguntou: “governador, diante de tantas denúncias realizadas por ac24horas, o senhor gostaria que o jornal se retratasse de alguma notícia que seja considerada uma injustiça com sua administração?”.

“Eu poderia citar pelo mesmo umas 500. Mas, eu precisaria de muito tempo para isso. Mas, como Deus me deu o dom do perdão, não é arrogância, viu. Deus me diz: não tenha raiva de ninguém, ame as pessoas, viva bem com elas, construa um mundo de paz, vou dizer que não quero lembrar de nenhuma”, diz Viana.

Tião explica

Prometendo se colocar à disposição para apresentar a versão do governo nas matérias que tragam denúncias de sua administração, Viana foi enfático: “de mim, não tem nada contra as denúncias. Não vou cobrar, não vou pedir nada, acho que assim é a vida, né? A gente deve trabalhar assim, faz parte. Só quero a verdade e a oportunidade de me defender das calúnias e difamações que muitas vezes acabam virando manchete nos jornais”, finalizou.

botao_voltar

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required