Conecte-se agora

Dicionário elege “lockdown” como a palavra do ano

Publicado

em

Palavra foi usada mais de 250 mil vezes em 2020

O dicionário Collins elegeu o termo “lockdown” como a palavra do ano de 2020. A palavra em inglês também foi adotada no Brasil e pode ser traduzida por “confinamento”. A equipe do dicionário registrou mais de 250 mil usos do termo neste ano, enquanto que em anos anteriores não passava de quatro mil.

Lockdown significa a medida mais restritiva adotada para limitar a disseminação do novo coronavírus, incluindo a restrição de circulação de pessoas e de fechamento de comércios e serviços.

“A língua reflete o mundo ao nosso redor e 2020 foi dominado pela pandemia global. Escolhemos ‘lockdown’ como a palavra do ano porque resume uma experiência compartilhada por bilhões de pessoas que tiveram que restringir seu cotidiano para deter o vírus”, disse a equipe em comunicado.

Ainda em nota, o dicionário afirmou que escolheu lockdown como Palavra do Ano porque “é uma experiência unificadora para bilhões de pessoas em todo o mundo, que tiveram, coletivamente, de desempenhar sua parte no combate à disseminação da Covid-19“.

No ano passado, o dicionário Collins escolheu não uma “palavra do ano”, mas, sim, uma “expressão”: “greve pelo clima”.

Diferença entre lockdown, isolamento social e quarentena

Lockdown: o termo faz referência à medida mais drástica, que proíbe a abertura de comércio e circulação de pessoas nas ruas, exceto em caso de emergência. Normalmente, essa medida é tomada quando isolamento e distanciamento não são respeitados, assim, as autoridades aplicam o lockdown para evitar aglomerações. 

Isolamento social: trata-se da recomendação médica para as pessoas que tiveram contato com alguém infectado ou para quem está aguardando o resultado de testes que confirmem ou neguem a contaminação pelo vírus. O isolamento pode ser vertical, só quem pertence ao grupo de risco fica em casa, e o horizontal, quando inclui todos que podem ficar em casa.

Quarentena: essa é uma medida imposta pelas autoridades, na qual todos os estabelecimentos considerados não essenciais são fechados. Na quarentena o intuito é diminuir o trânsito de pessoas e, consequentemente, reduzir o número de casos de transmissão do novo coronavírus. A medida tende a ser implementada por 40 dias, daí o nome, que podem ser estendidos caso o ritmo de contaminações continue alto.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Anúncios

Extra Total

Agentes da PF recebem denúncia e prendem homem no Comitê de Campanha de Tião Bocalom

Publicado

em

Agentes da Polícia Federal estiveram na manhã deste domingo, 29, na Sede do Comitê de campanha do candidato a prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom, localizada no Rua São Paulo, no bairro Bosque, próximo ao Parque da Maternidade.

Eles informaram a reportagem do ac24horas que receberam uma denuncia de que uma pessoa estaria supostamente distribuindo santinhos e adesivando carros. Essa pessoa foi identificada pelos federais e foi encaminhada a Sede da Polícia Federal. Os policiais estavam acompanhados de membros do MP Eleitoral.

O advogado Pedro Diego, que faz parte da campanha, afirmou a reportagem que a denúncia que a PF recebeu é improcedente , mas a imagens que estão em poder do MP Eleitoral mostrariam o homem identificado como Anderson adesivando um dos carros localizados na Sede do Comitê.

Veja o vídeo:

 

Continuar lendo

Acre 01

Gladson não descarta Socorro em seu governo, mas acredita que ela continuará na prefeitura

Publicado

em

O governador Gladson Cameli (Progressistas), ao acompanhar a atual prefeita e candidata à reeleição pelo PSB, Socorro Neri na manhã deste domingo, 29, durante a votação, não descartou que Neri possa ingressar no seu governo, caso seja derrotada pelo Progressista, Tião Bocalom.

Cameli afirmou ao ser questionado se Socorro Neri teria uma vaga em seu governo, caso ela perca as eleições, que ela deve ter sim uma posição no governo, mas que não acredita que ela irá precisar.

“A coisa que eu mais quero é ela do meu lado. Eu não tratei de nenhum assunto sobre isso com ela, mas a partir das 17 horas, vou chamar ela pra ir pra Brasília comigo pra ver o que a gente consegue fazer sobre a pandemia da Covid-19. É uma ótima ideia, mas eu acho que num vai, porque ela vai ter uma prefeitura para cuidar por mais quatro anos”, destacou Cameli.

Cameli (Progressistas) salientou a importância de todos os rio-branquenses irem às urnas neste domingo (29).

“É importante votar. Cada homem e cada mulher devem cumprir o seu dever. Quem seja o vencedor fica a recomendação que as eleições têm demonstrado a vontade popular e o que a população espera. Irei trabalhar com todos”, destacou.

Na coletiva antes da votação, Neri criticou os apoios de Bocalom e afirmou que os seus adversários querem usar a Prefeitura como trampolim para as eleições de 2022.

“Eles [população] saberão reconhecer o que vem sendo feito e darão a oportunidade de fazer muito mais nos próximos quatro anos. A prefeitura tem uma importância extraordinária e não pode ser usada como trampolim pelos adversários. Não podemos permitir que Rio Branco tenha retrocesso. Estamos vendo essa ânsia de poder, desse ajuntamento das velhas figuras agora tentando colocar as mãos na Prefeitura de Rio Branco”, criticou Neri.

 

Continuar lendo

Acre 01

Bocalom votou na Baixada da Sobral afirmando que terá grande vitória no 2º turno

Publicado

em

Foto: Sérgio Vale/ac24horas

O candidato do Progressistas (PP), Tião Bocalom, chegou à escola  Serafim da Silva Salgado, na Baixada da Sobral, por volta das 9 horas da manhã, onde votou na seção 233.

Bocalom chegou à seção acompanhado da sua candidata a vice-prefeita, Marfisa Galvão (PSD), da senadora Mailza Gomes (PP) e do deputado estadual José Bestene (PP).

Na hora do voto, Bocalom chegou a puxar Marfisa para a cabine de votação, mas foi contido pelos mesários. Após votar, o candidato falou a uma multidão de jornalista que cobriam o momento.

“Cravamos o 11 aqui, agora, e temos certeza de que a população, em sua grande maioria, vai cravar o 11 e à noite, se Deus quiser, teremos uma grande festa”, disse.

Perguntado se a expectativa realmente era de confirmação da vitória, ele afirmou que o resultado do primeiro turno é uma demonstração da vontade do eleitor pela mudança.

“Basta ver o resultado do primeiro turno. E a alegria, a empolgação e a vontade da mudança continuou nesse segundo turno. Então, não tenho dúvida nenhuma de que termos uma grande vitória”.

Sobre o tema pandemia, Bocalom disse que o TRE administrou bem a situação no processo eleitoral, garantindo que as eleições ocorressem sem nenhum problema.

O candidato também fez um apelo para que o eleitor compareça às urnas, diante da possibilidade de o índice elevado de abstenção no primeiro turno ser ainda maior no segundo.

Bocalom foi o candidato mais votado no primeiro turno das eleições em Rio Branco, com  87.987 votos, 49,58% do total válido. A sua adversária neste segundo turno, Socorro Neri (PSB), alcançou 40.250 votos, 22,68% do total validado pelo TRE.

Continuar lendo

Acre

Apoiando Neri, Sinhasique diz que “o povo quer pessoas comprometidas”

Publicado

em

A secretária de empreendedorismo e turismo, Eliane Sinhasique, em entrevista ao ac24horas na manhã deste domingo, 29, defendeu o apoio de Gladson Cameli a Socorro Neri (PSB), durante a votação do 2º turno.

Segundo Eliane, os aliados de Gladson não têm moral para criticar Cameli por apoiar Socorro, que foi eleita com o apoio do PT, pois todos já participaram direta ou indiretamente dos governos petistas. Eliane revelou que Gladson decidiu apoiar Socorro Neri devido ao trabalho conjunto dos dois no combate ao novo coronavírus.

“Ninguém nesse estado tem moral para falar de petismo ou petista porque todo mundo em algum momento fez aliança com o PT. O próprio Bocalom e o senador Sérgio Petecão já participaram de governos do PT. O povo quer realmente alguém que trabalhe. O povo não tá ligado pra essa coisa de esquerda ou direita. O povo quer pessoas comprometidas e foi isso que o Gladson viu na Socorro Neri nessa pandemia, que juntos evitaram um caos no sistema de saúde”, afirmou.

Em relação ao resultado da eleição deste domingo, Eliane Sinhasique argumentou que independente do resultado não acredita que irá interferir em 2022 em uma possível candidatura à reeleição de Cameli.

“O resultado dessa eleição não interfere em 2022. Gladson já superou a marca de 65% do que foi prometido no plano de governo e fez dois hospitais que não estavam previstos. Agora é trabalhar firme e forte para que em 2022, as pessoas vejam que ele é um governador eficiente como está sendo”, destacou.

Ouça a entrevista:

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas