Conecte-se agora

Jarbas é o mais rico, Bocalom é milionário, Socorro é a “mais pobre” e Duarte triplica patrimônio em 4 anos

Publicado

em

Os sete candidatos a prefeitura de Rio Branco já protocolaram seus registros no Tribunal Regional Eleitoral do Acre. Diferente de anos anteriores, por causa da pandemia de covid-19, os registros ocorreram de forma online sem o ato ser registrado presencialmente como de costume.

Entre dados pessoais, o que mais chama atenção é a declarações de bens apresentada por cada prefeiturável e o ac24horas resolveu fazer um levantamento minucioso sobre a evolução patrimonial dos candidatos.

De acordo com levantamento, o empresário Jarbas Soster (Avante) é o mais rico de todos os candidatos registrados na disputa da cadeira prefeito pelos próximos 4 anos. Disputando um pleito eleitoral pela primeira vez, Jarbas, que tem 50 anos, tem um patrimônio declarado de cerca de R$ 6,2 milhões. Entre os bens declarados existem vários terrenos, fazendas, carros e participação societária em pelo menos 4 empreendimentos da família Soster.

Outro candidato milionário, é Tião Bocalom (Progressistas). O ex-prefeito de Acrelândia declarou à justiça eleitoral em 2020 que seu patrimônio é de R$ 1,2 milhão. Na lista de bens, existem 12 lotes urbanos avaliados em R$ 240 mil, duas áreas de terra avaliadas em R$ 800 mil, dois carros e uma casa de madeira localizada em Acrelândia. A reportagem comparou a declaração do candidato com o pleito de 2018, onde ele disputou a cadeira de deputado federal obtendo mais de 20 mil votos, mas mesmo assim não foi eleito. Nas eleições passadas, Bocalom ter penas R$ 128 mil de patrimônio, ou seja, teoricamente o os bens dos “novo Boca” cresceu quase dez vezes mais nos últimos dois anos. Numa busca detalhada, comparado os dados das eleições de 2014, onde ele disputou o cargo de governador, ele declarou ter R$ 893 mil em patrimônio, ou seja, em 4 anos, Bocalom “perdeu” quase tudo e logo em seguida recuperou.

Já o deputado Roberto Duarte (MDB), candidato a prefeitura pela MDB, apresentou em 2020 a declaração de bens de pouco mais de R$ 721 mil. O advogado de 43 anos tem uma casa no valor de R$ 400 mil, uma veículo, avaliado em R$ 118 mil, aplicações em investimentos no valor de R$ 100 mil e uma participação societária em um escritório de advocacia, um barco e um motor de popa. Comparando a declaração de Duarte com 2014, quando disputou a cadeira de vereador em Rio Branco, seu patrimônio triplicou pois naquele ano ele declarou a justiça eleitoral ter apenas R$ 225 mil em bens e em 2018, quando se candidatou a deputado estadual, declarou pouco mais de R$ 500 mil.

Outro deputado que também disputa a prefeitura de Rio Branco é Daniel Zen (PT), de 40 anos. Advogado e professor e professor da Universidade Federal declarou ter R$ 993 mil em bens, sendo divididos em dois apartamentos que juntos são avaliados em pouco mais de R$ 730 mil e os demais valores estão espalhados em aplicações financeiras. Em comparação com a declaração de bens da eleição de 2014, Zen teve um acréscimo sem seu patrimônio pois quando foi candidato a deputado estadual declarou ter 645 mil em bens.

O policial federal e pastor evangélico Jamyl Asfury (PSC) é outro que goza de um patrimônio considerável. O engenheiro de 47 anos declarou os seus bens avaliados em R$ 761 mil, sendo divididos em 4 terrenos, carros e aplicações financeiras. Na eleição de 2018, quando disputou uma cadeira para federal, Asfury declarou ter 715 mil e na disputa de 2014, quando foi candidato a deputado estadual declarou ter R$ 661 em patrimônio, apresentando nos últimos 4 anos uma evolução patrimonial modesta.

Já o tucano Minoru Kinpara, de 51 anos, declarou ao TRE Acreano ter patrimônio de R$ 731 mil, mas após uma atualização no sistema divulgaCand, a reportagem constatou a declaração de R$ 417 mil. Oficialmente, o ex-reitor da Ufac declarou ter apenas 50% de uma chácara localizada no Ipê de R$ 339 mil e um terreno no Alphaville de R$ 78 mil. Nas eleições de 2018, quando disputou uma cadeira no senado federal, Minoru declarou ter R$ 850 mil em bens, ou seja, o candidato “ficou mais pobre” em dois anos. Na eleição passada, Kinpara declarou ter 50% de uma casa na chácara Ipê de R$ 600 mil e cinco salas comerciais localizadas no calafate avaliadas em R$ 250 mil.

Candidata a reeleição pelo PSB, a prefeita de Rio Branco, Socorro Neri, 54 anos, pode ser considerada “a mais pobre” entre os prefeituráveis. Ela declarou a justiça eleitoral ter apenas R$ 350 mil em bens, sendo divididos em um carro Corolla modelo 2011 avaliado em R$ 40 mil e sua residência localizada no bairro Morada do Sol avaliada em R$ 310 mil. Em comparação com a declaração de bens das eleições de 2016, quando foi candidata a vice, Neri perdeu R$ 7 mil em patrimônio, pois naquele ano declarou os mesmos bens de hoje, porém com o Corolla valendo R$ 47 mil.

Anúncios

Destaque 4

Ex-prefeito e secretários de Marechal Thaumaturgo terão de devolver mais de R$ 350 mil

Publicado

em

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) condenou o ex-prefeito de Marechal Thaumaturgo, Aldemir Lopes, e dois ex-secretários a devolverem mais de R$ 350 mil aos cofres públicos em razão da falta de comprovação dos serviços realizados por uma terceirizada contratada pela prefeitura. A decisão foi publicada nesta segunda-feira, 19, no Diário Oficial do TCE.

Cada um dos gestores terão de desembolsar de forma solidária à devolução de R$ 202 mil mais multa de 10% sobre o valor a ser devolvido com fundamento no artigo 88 da Lei Complementar 38/1993.

Além disso, Aldemir da Silva Lopes, prefeito à época de Marechal Thaumaturgo, e João Luciano da Costa, ex-secretário municipal de Saúde e Saneamento, foram condenados a devolver de forma voluntária R$ 40 mil aos cofres públicos.

Em outro trecho, a ex-gestora Maria Rosineide de Lima Bezerra, ex-secretária municipal de Educação, Cultura e Desporto e o ex-prefeito Aldemir Lopes terão que devolver a quantia de R$ 148 mil mais uma multa de 10% em cima do valor com fundamento no artigo 88 da Lei Complementar 39/1993.

Continuar lendo

Cotidiano

Polícia Civil captura líder de facção no Bujari e condenado a mais de 16 anos na Capital

Publicado

em

A Polícia Civil, por meio de Agentes da Delegacia de Repressão as Ações Criminosas Organizadas (DRACO), com apoio da CORE e do NECAP, cumpriu dois mandados de busca e apreensão e prendeu nas primeiras horas da manhã desta segunda-feira, 19, dois foragidos da justiça. As prisões ocorreram no Conjunto Habitacional Cidade do Povo e na região da Baixada da Sobral em Rio Branco.

De acordo com informações da polícia, entre os presos estão J. DA S. F., apontado como líder da organização criminosa na cidade de Bujari. O investigado conseguiu se evadir de uma ação realizada naquele município no dia 28 de agosto do corrente. Durante a ação dos policiais na época foi apreendido drogas e armas, comprovando a participação do investigado na pratica de diversos crimes, pelos quais será processado pela justiça do Acre.

Com as provas coletadas na operação, representou-se pela prisão do mesmo pela pratica do tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo e hoje a Polícia Civil logrou êxito em prender o criminoso.

Já o outro que foi preso durante a ação policial, foi J. M. DE O., que possui condenação de 16 anos e 11 meses de reclusão pela prática de roubo, e era investigado pelo Núcleo de Capturas da Polícia Civil. Em posse do criminoso foram encontradas provas que indicam que ele é membro de organização criminosa, dando ensejo a lavratura de auto de prisão em flagrante.

“As ações da Draco vão continuar, estamos trabalhando com muito afinco tirando essas pessoas em conflito com a lei de circulação e trazer uma paz a população do Estado Acre” concluiu o Coordenador da Draco, Delegado Pedro Paulo Buzolin.

Continuar lendo

Cotidiano

Galvez goleia fora de casa e vira vice-lider do grupo 1 do Brasileirão da Série D

Publicado

em

Foto: Manoel Façanha 

Mesmo jogando fora de casa, o atual campeão acreano fez bonito neste domingo, 18, no encerramento do primeiro turno do Campeonato Brasileiro da Série D e conseguiu a sua melhor atuação até agora na competição.

Jogando no município de Ji-Paraná, interior de Rondônia, contra a equipe que leva o mesmo nome da cidade, o Galvez foi superior durante toda a partida, não tomou conhecimento do time da casa e goleou por 4 a 0.

Os gols do Imperador foram marcados por Adriano, Daniego, Felipinho e Weverton, de pênalti. Com o triunfo, o time acreano chegou a vice-liderança no grupo 1 da Série D.

A última rodada do primeiro turno termina nesta segunda, 19, com o jogo adiado entre Bragantino e Rio Branco, em Bragança, interior do Pará. O jogo, que deveria ter acontecido no domingo, foi adiado, já que 17 jogadores do Estrelão precisaram de atendimento médico ao apresentarem sintomas de intoxicação alimentar.

Continuar lendo

Cotidiano

Após intoxicação, zagueiro fica de fora e time do Rio Branco fará jogo na tarde de hoje

Publicado

em

Após o episódio de intoxicação coletiva, os jogadores do Rio Branco foram liberados para a partida que ocorre às 13 horas (horário do Acre) desta segunda-feira, 19, no Estádio Olímpico São Benedito, o Diogão, na cidade de Bragança, interior do Pará. O time ressalta que depois de muitas avaliações médicas e indefinições, finalmente chegou-se a um parecer final: “vamos para o jogo”.

Mesmo a equipe não estando 100%, o time foi liberado pelos médicos nesta manhã desta segunda para a partida. “Até a noite de ontem (18), nove jogadores estavam vetados. Hoje pela manhã, somente o zagueiro Wallinson acabou ficando de fora, ainda sem condições de jogo”, explica o time.

Os jogadores fizeram de tudo para conseguir jogar. “Fizeram todo o tratamento para poderem se recuperar a tempo de jogar. Nenhum queria o adiamento do jogo”.

O jogo poderá ser assistido através do MyCujoo. “Vamos torcer por nossos guerreiros depois de todos os percalços!”, pediu o Estrelão nas redes sociais.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas