Conecte-se agora

A ópera-bufa do abraço dos afogados

Publicado

em

Esta briga que saiu do debate político para o campo de agressões pessoais entre a deputada federal Mara Rocha (PSDB) e o governador Gladson Cameli é uma pendenga da qual não sairá um vencedor. Ninguém ganha absolutamente nada. Não adianta ficar açulando. Pelo contrário, ambos perderão. Até porque a troca de acusações vem se dando em meio a uma linguagem destemperada para os cargos que ocupam. Tenho acompanhado as redes sociais e as reações são negativas. E muito negativas!

As relações políticas, quando chegam ao nível de esgarçamento a que chegaram neste confronto, ficam sem volta. A Mara e o Gladson, por bom tempo, vez por outra, andam trocando farpa. Já virou novela de gosto duvidoso, e de previsão de final nada feliz.

Aliança política é como casamento conflituoso, quando não dá certo é melhor ir cada um para o seu lado.

Se o Gladson Cameli tiver lido a obra de Nicolau Maquiavel, “O príncipe,” e se não leu precisa ler, deveria ter aplicado um de seus principais ensinamentos políticos; de que, quem está no poder deve tomar as medidas mais duras de uma vez.

Não era para ter deixado esta briga chegar ao estágio que chegou.

No primeiro confronto sério com a Mara, o Gladson como governador deveria ter apartado a farinha, tirava seu grupo do governo, cada um iria para o seu lado e não se teria hoje esta ladainha.

Alianças políticas não são eternas. Aliás, eternos só os diamantes!

Quanto mais postergar esta medida vai prolongar o desgaste que atinge diretamente ambos. Mente quem disser que este tipo de briga favorece ao governador na opinião pública. Ninguém pense que um será mais prejudicado que o outro, e a continuar a briga vão protagonizar o abraço dos afogados, indo juntos para o fundo.

E esta Ópera-bufa da política só vai acabar quando cada um for tomar o seu rumo, encerrando com a participação da parlamentar no governo.

O que também não será o fim da carreira da Mara. É carismática.

A não ser que o governador Gladson seja masoquista e goste de ficar sofrendo um desgaste desnecessário, ele tem que pôr um fim neste episódio. Sem mais delongas.

SENTAR PARA REFLETIR

O governador Gladson Cameli deveria sentar para refletir sobre a sua situação política. Se observar bem, a aliança que esteve na sua campanha para o governo está ruindo como um castelo de cartas. E ninguém venha dizer que ter aberto este fosso é bom politicamente.

ESQUECER OS FALCÕES

O governador Gladson precisa colocar de lado os falcões que o aconselham de que, ficar indo para o confronto com os que estiveram no seu palanque é um bom caminho. Não tem mais o MDB, o PSDB e nem o PSD, no seu guarda-chuva de apoios. Isso é bom para seu futuro? Não!

SOBRARAM AS FRANJAS

Do conglomerado de partidos que esteve na sua campanha e o ajudou a tirar o PT do poder, só restaram algumas franjas de apoio. Vamos ler o quadro, sem querer agradar: o PT com a FPA ficou 20 anos no poder enquanto esteve unida. No dia que brigou internamente, como na eleição passado para o Senado, perdeu a eleição. O PT levou 20 anos para se desunir, e a aliança que elegeu o Gladson Cameli para o Governo se espatifou em menos de três anos. 

NÃO SE SABE

Não se sabe o que passa pela cabeça do governador Gladson para romper com as aliados que estiveram no seu palanque, na eleição passada. Não consigo entender! Alguém está lhe dando corda errada. Até porque o perfil do Gladson não é o do confronto e nem da intolerância.

DEVERIA OUVIR MAIS

Deveria ouvir mais as vozes conciliadoras do seu governo como a do chefe do gabinete civil, Ribamar Trindade, e da sua secretária de Comunicação, Silvânia Pinheiro. Ouvir mais as cabeças brancas da política, que poderiam lhe dar mais luz. Ruim para ele, isso não ocorrer.

PESQUISA DECIDE

O senador Sérgio Petecão (PSD) disse ontem ao BLOG que referenda uma aliança entre o seu partido e o PROGRESSISTAS, na disputa da prefeitura de Cruzeiro do Sul. Mas que a escolha sobre quem será cabeça da chapa, se o Zequinha (PP) ou o Henrique Afonso (PSD), se dê em uma pesquisa específica entre ambos. Sintetizando: não há ainda o pacote fechado.

NÃO SE IMPORTA

As pesquisas não têm mostrado o prefeito de Epitaciolândia, Tião Flores (PROGRESSISTAS), em boa colocação. Mas isso parece não lhe incomodar, está convicto de que vai ganhar a eleição. A sua tese de que o Gladson retiraria candidaturas para deixar apenas a dele, não ocorreu.

TIRO NO ESCURO

Aliás, não só o prefeito Tião Flores, mas os demais que foram para o PROGRESSISTAS certos que o governador Gladson iria os ajudar materialmente com a máquina, deram um tiro no escuro, jamais esperavam acontecer o que aconteceu: o governador ter se afastado do PP.

COMO FUMAÇA DE CIGARRO

Ninguém que vai disputar a eleição; ou quem está no poder, não fique fazendo a leitura que os resultados de pesquisas são perenes. A validade de uma pesquisa é como a fumaça de cigarro, se esvai no momento seguinte. E pesquisa não elege ninguém, o que elege é a campanha.

NÃO FAÇAM ESSA CONTA

Ninguém faça a conta de ter o MDB como aliado, seja no segundo turno em Rio Branco, seja em 2022 na disputa do Governo e do Senado, sem conversar com o presidente do MDB, deputado federal Flaviano Melo. Falo do que conheço como a palma da minha mão.

É QUEM COMANDA

Não entro no mérito do seu desempenho à frente do MDB, mas é sim a sua liderança maior.

MERCADORIA FORA DA PRATELEIRA

Prometer que vai levar o MDB para alguma aliança em 2022 sem ouvir o Velho Lobo Flaviano Melo, é o mesmo que oferecer ao cliente uma mercadoria que não existe na prateleira.

 SÓ OBSERVANDO

“Estou só olhando o que está acontecendo, não sei aonde vão chegar”. Senador Petecão (PSD). 

MULHER NA DISPUTA

Entre as mulheres que vão disputar uma vaga para a Câmara Municipal de Rio Branco está a professora Sirlene Luz (MDB), que leciona na rede estadual de ensino. É bom ver cada vez mais  mulheres buscando espaços na política. E, só se conquista mandato disputando eleição.

EQUILIBRADA

A campanha para a PMRB não começou para se ter um referencial mais preciso, mas os números internos de partidos que tenho visto até aqui, apontam para uma disputa equilibrada, com três nomes praticamente em empate técnico e um quarto não muito distante. Como as pesquisas não foram registradas não podemos publicar os percentuais.

AGUARDAR A BIG DATA

Vamos aguardar a pesquisa do instituto “BIG DATA” da RECORD, que deve ser divulgada nos primeiros dias do próximo mês. Em cima dos números, dará para fazer algumas avaliações, já que deverá ser registrada na justiça eleitoral.

POUCO DIVULGADO

A gestão da prefeita Socorro Neri tem um trabalho que não teve a divulgação que merecia, pela sua amplitude social: o que leva medicamentos e assistência na casa dos que precisam de atendimento especial e não podem se locomover. Venhamos e convenhamos: bela ação.

HOMEM FORTE

O delegado Emylson Farias é um cara de sorte, mesmo tendo sido candidato a vice-governador na chapa derrotada do candidato Marcus Alexandre (PT), ainda assim todo o seu grupo de confiança é quem dá hoje as cartas na Secretaria de Segurança. O que é a política, né?

 ARTICULADOR NATO

Pode-se não gostar da linha ideológica do senador Márcio Bittar (MDB), por ser um bolsonarista extremado, mas ninguém pode lhe tirar o mérito de ser um hábil articulador, em Brasília, emplacando a Relatoria do Orçamento da União e cotado para presidência do Senado.

TODO O DIREITO

O deputado Nicolau Junior (PROGRESSISTAS) tem todo o direito de lutar para que o seu partido tenha candidato próprio a prefeito de Cruzeiro do Sul, porque se ele não brigar pelo partido o adversário não vai brigar. Se, ele vai eleger seu candidato a prefeito e mais embaixo.

NÃO É FÁCIL

Em qualquer cenário, não será fácil bater hoje a candidatura do Fagner Sales (MDB) a prefeito.

A PARADA SERIA DURA

Se todos os candidatos a prefeito de Feijó deixassem os seus egos de lado e se unissem em torno de uma candidatura a parada seria dura para a reeleição do prefeito Kiefer (PP). A oposição com quatro candidatos espalha os votos, e pode levar um vareio nas urnas.

FATO COMPLICADOR

Três prefeitos vão ter sérios problemas por conta de projetos de engenharia. Aguardem!

FRASE MARCANTE

“As pessoas que falam muito mentem sempre, porque acabam esgotando seu estoque de verdades”. Millôr Fernandes, jornalista e escritor.

Anúncios

Acre

Acre registra 151 novos casos e 1 óbito pela Covi-19 nesta quarta

Publicado

em

Foto: Júnior Aguiar – Secom 

O boletim divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), divulgado nesta quarta-feira, 23, informa o registro de 151 novos casos da Covid-19. O total desde o início da pandemia chega a 27.397 pessoas infectadas.

O Acre, até o momento, registra 70.062 notificações de contaminação pela doença, sendo que 42.650 casos foram descartados. Ainda, 15 testes de RT-PCR seguem aguardando análise pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Acre (Lacen) e pelo Centro de Infectologia Charles Mérieux. Pelo menos 24.562 pessoas já receberam alta médica da doença, enquanto 73 seguem hospitalizadas.

Mais 1 óbito foi registrado nesta quarta-feira, 23, sendo um homem de 54 anos: R.N.S., morador de Rio Branco, faleceu no dia 29 de agosto, no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia do Acre (Into-AC), fazendo com que o número oficial de mortos pela doença suba para 652 em todo o estado.

Continuar lendo

Acre

Deputados pedem que MP investigue o cartão Avancard

Publicado

em

Na sede do Ministério Público do Acre (MPAC), os deputados Edvaldo Magalhães (PCdoB) e Fagner Calegário (Sem Partido) pediram nesta quarta-feira, 22, à promotora de Justiça Alessandra Garcia Marques, da Promotoria Especializada de Defesa do Consumidor, uma investigação acerca da burla da margem consignável de 35% e a criação do cartão Avancard, que tem juros de 5,5% ao mês.

O ofício entregue pelos deputados à promotora, destaca que o governo do Estado publicou um decreto que cria um percentual de 15% a mais do que já prevê a lei dos consignáveis, que estabelece 35% para a concessão de empréstimos, ou seja, o salários dos servidores podem ficar comprometidos em até 50%.

Em sua rede social, Edvaldo afirmou que os servidores não podem continuar a serem extorquidos, com juros altíssimos do cartão Avancard.

Em outro trecho do documento, os deputados pedem uma investigação para apurar todo o processo de contratação das empresas FênixSoft e Prover Promoção de Vendas. As duas têm como sócios-proprietários Alberto Rodrigues da Silva e Albérico Rodrigues da Silva.

“Ficou claro que os juros cobrados pelo cartão Avancard, em específico, são acima dos praticados no mercado financeiro, ultrapassando os 5%. Também há relatos de servidores públicos de supressão de margem para forçar estes a aderirem ao Avancard”, afirmou Magalhães.

Continuar lendo

Acre

Luiz Gonzaga quer debate sobre preço na carne bovina na Aleac

Publicado

em

O absurdo preço da carne bovina do Acre deve ser motivo de debate na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac).

A proposta é do deputado estadual Luiz Gonzaga (PSDB). O parlamentar apresentou na quarta-feira, 22, um requerimento para a realização de um debate com a Comissão Agrária, de Fomento Agropecuária, Indústria e Comércio e Tecnologia e Meio Ambiente.

O parlamentar salientou que o alta do preço e saída de animais para fora do Acre justificam o debate. “Precisamos trazer essa discussão para o parlamento. É inadmissível que o acreano pague tão caro por um quilo de carne que é produzido aqui no estado. Segundo denúncias do Sindicato das Indústrias de Frigoríficos e Matadouros do Acre, o gado que sai há três ano do estado era para está morrendo nos frigoríficos e chegando até a mesa das pessoas. Precisamos discutir alternativas”, afirma Gonzaga.

Continuar lendo

Acre

Vice-presidente Mourão chega a Funtac e conhece o Cigma

Publicado

em

Recepcionado e acompanhado pelo governador Gladson Cameli, o Vice-presidente da República e também presidente do Conselho Nacional da Amazônia, Hamilton Mourão, cumpre agenda da Funtac na manhã desta quarta-feira, 23.

O principal compromisso é conhecer o Centro Integrado de Geoprocessamento e Monitoramento Ambiental (Cigma), criado pelo governo do Acre para integrar as informações e dados que norteiam as ações das equipes de fiscalização e combate aos ilícitos ambientais em campo.

Com suporte tecnológico, ferramentas geoespaciais e técnicos capacitados, o Cigma oferece informações qualificadas para direcionar as estratégias de políticas do governo. O centro é coordenado pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) e conta com a parceria do Instituto de Meio Ambiente (Imac), o Instituto de Terras (Iteracre), o Instituto de Mudanças Climáticas (IMC) e a Fundação de Tecnologia do Acre (Funtac).

Durante a visita e explicações sobre o Cigma, a imprensa não teve acesso. Gladson e Mourão são aguardados para uma entrevista coletiva.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2020 ac24Horas.com - Todos os direitos reservados.