Conecte-se agora

Apenas 5,1% dos acreanos fizeram teste contra Covid-19 até julho

Publicado

em

Segundo o IBGE, 5,1% da população fizeram exame contra Covid-19 no Acre no mês de julho. Desses, 2,2% testaram positivo. O estudo foi divulgado nesta quinta-feira (20).

A Unidade da Federação com o maior percentual de testes realizados foi o Distrito Federal, com 16,7% de exames realizados.

Em seguida vem o Amapá, com 11,0%, e Piauí (10,5%). Por outro lado, Pernambuco registrou o menor percentual (4,1%), seguido por Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul (os três com 4,5%).

Considerando o tipo do teste, das 13,3 milhões de pessoas que fizeram algum teste, 4,7 milhões de pessoas fizeram o SWAB e 25,5% testou positivo; 6,4 milhões fizeram o teste rápido com coleta de sangue através do furo no dedo e 15,9% testou positivo; enquanto 4,0 milhões fizeram o teste de coleta de sangue através da veia no braço, sendo 24,6% com Covid confirmada.

Quanto maior o nível de escolaridade, maior foi o percentual de pessoas que fez algum teste. Entre as pessoas sem instrução ao fundamental incompleto, 3,1% e, entre aqueles com superior completo ou pós-graduação, 14,2%.

E quanto maior a classe de rendimento domiciliar per capita, maior o percentual de pessoas que realizaram algum teste para Covid-19, chegando a 14,2% para as pessoas pertencentes ao décimo mais elevado, e abaixo de 4,0% nos dois primeiros décimos.

O contingente de pessoas que apresentaram sintomas gripais caiu entre maio e julho, saindo de 3,9% para 2,0% – o segundo mais alto do país em julho, igualando-se com Amapá e perdendo para Roraima, onde 2,3% declararam ter sentido algum sintoma de síndrome gripal.

Anúncios

Acre

Duarte ataca Minoru: “deixem as máscaras para a pandemia”

Publicado

em

O candidato à prefeitura de Rio Branco pelo MDB, Roberto Duarte, usou novamente as redes sociais nesta segunda-feira, 21, para atacar o também candidato a prefeito Minoru Kinpara (PSDB). Não é a primeira vez que Duarte usa sua campanha para criticar o posicionamento político e ideológico do adversário.

Durante um vídeo, o advogado e deputado estadual diz que não adianta Minoru “mostrar uma nova face”. “Pois ele [Minoru] esteve à frente do PT e da Rede nesses últimos anos. Deixem as máscaras para a pandemia”, exclamou.

O emedebista reclama também que a população paga o preço por um modelo “enganoso” de gestão, que segundo ele, Kinpara fez parte. “Que se perpetuou no poder ao longo dos últimos 20 anos no nosso estado. Passadas duas décadas sendo governados por gestões esquerdistas, todos sentimos na pele que não deu certo”.

Para Duarte, a “esquerda acendeu um sonho de que a vida melhoraria com a florestania e isso foi uma ilusão ao povo do Acre. O atual candidato a prefeito do PSDB defendeu a florestania durante mais de 20 anos e hoje pousa no ninho tucano achando que mudou seus princípios. A gente precisa saber onde ele está, para onde ele vai e quais são os princípios ideológicos. É aquela história: troca de time toda hora”, concluiu.

Durante a convenção partidária que oficializou o nome de Minoru como candidato a prefeito de Rio Branco pelo PSDB, o ex-reitor da Universidade Federal do Acre (Ufac) garantiu que não se preocupa com críticas proferidas pelos concorrentes e que seus únicos problemas hoje são “os problemas de Rio Branco”.

Continuar lendo

Acre

Tarauacá passa dos 2 mil casos de infecção pelo coronavírus

Publicado

em

O município de Tarauacá, situado na regional Tarauacá/Envira, passou dos 2 mil casos de contaminação pelo novo coronavírus nesse final de semana. A cidade está agora com 2.025 exames que deram positivo para Covid-19, se tornando o terceiro município com mais casos confirmados da doença no Acre, até o momento.

Rio Branco e Cruzeiro do Sul seguem na frente em número de exames positivos, com 10.404 e 3.381, respectivamente. Nesse domingo, 20, o Acre 27.079 casos em todos os municípios e chegou a 449 óbitos por conta do vírus.

O Acre, até o momento, registra 69.101 notificações de contaminação pelo novo coronavírus, sendo que 41.976 casos foram descartados. Ainda, 46 testes de RT-PCR seguem aguardando análise pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Acre (Lacen) e pelo Centro de Infectologia Charles Mérieux. Pelo menos 24.298 pessoas já receberam alta médica da doença, enquanto 80 seguem hospitalizadas.

Continuar lendo

Acre

Governo pensa em criar uma TV Educativa no Acre, diz secretário

Publicado

em

O Governo do Acre quer criar um ´TV Educativa´ no âmbito do Sistema Público de Comunicação. O projeto será apresentado em outubro ao ministro das Comunicações, Fábio Faria.

O anúncio dessa proposta foi feito nesta segunda-feira (21) pelo secretário de Estado da Educação, Mauro Cruz, em entrevista à Radio Aldeia FM.

O trabalho desenvolvido para educação à distância nesta pandemia acendeu a ideia, que visa ampliar os processos educacionais no Estado do Acre.

Continuar lendo

Acre

Acre segue com aulas suspensas e prevê retorno apenas em 2021

Publicado

em

Mesmo com indícios de queda nas curvas de mortes e casos por Covid-19, o retorno presencial das aulas nas escolas públicas do Acre segue sem previsão exata. Ao que tudo indica, a volta às aulas no Estado não deve ocorrer em 2020. O processo

de reabertura econômica e flexibilização do isolamento devido à diminuição da pandemia da Covid-19 pode contemplar as escolas somente em 2021.

No último dia 2 de setembro, o grupo do Pacto Acre sem Covid anunciou a atualização do enquadramento das regiões do estado, mantendo o conjunto delas na Bandeira Amarela, nível de Atenção. Segundo o governo do estado, a decisão se deveu ao avanço da infraestrutura de atendimento, com 90 leitos de unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e 352 clínicos para covid-19. No caso dos leitos de UTI, a taxa de ocupação está em 44%, enquanto os outros estão em 42%.

Na Bandeira Amarela, fica autorizada a reabertura de bares, restaurantes, pizzarias, lanchonetes e sorveterias, com metade das mesas; além de teatros, cinemas e cultos religiosos, com 30% da capacidade. O funcionamento está autorizado desde que asseguradas medidas sanitárias específicas, como uso de máscara e disponibilização de álcool gel, dentre outras. Bares não podem ter música ao vivo.

Até o momento a maioria dos estados segue sem aulas presenciais. As atividades pedagógicas presenciais reiniciaram primeiramente no estado do Amazonas, em agosto. Lá, a preocupação agora é com o monitoramento dos profissionais de educação e alunos, que vem ensejando uma disputa judicial entre professores e o governo estadual. A contenda também ocorre no Rio de Janeiro, em relação às aulas na rede privada.

No Rio Grande do Sul o calendário iniciou em setembro pela educação infantil, com previsão de término para novembro. No Pará, o governo autorizou aulas presenciais nas regiões classificadas nas bandeiras Amarela, Verde e Azul.

Rondônia adiou o início das aulas até o dia 3 de novembro. O Rio Grande do Norte suspendeu as aulas até o fim do ano. Em outros estados não há definição de data de retorno. Estão neste grupo Distrito Federal, Goiás, Pernambuco, Ceará, Alagoas, Maranhão, Bahia, Paraná, Mato Grosso, Acre e Roraima.

Contudo, em alguns estados foi decretado o retorno das atividades pedagógicas remotas. O governo de Mato Grosso havia determinado a volta nessa modalidade para a educação básica no início de agosto, mesma situação do Amapá. No estado, as aulas em casa foram permitidas também para os alunos da Universidade Estadual (Ueap).

No Tocantins, o ensino remoto foi definido para os alunos do ensino fundamental da rede estadual no dia 10 de setembro. Em Alagoas, a retomada por meio de aulas remotas ocorreu no dia 17 de setembro. Em Minas Gerais, foi autorizado o retorno das aulas práticas dos cursos de saúde apenas, que passaram a ser consideradas serviço essencial.

No Rio de Janeiro, a volta às aulas na rede particular está em disputa judicial, enquanto a região metropolitana teve piora nos indicadores de risco para covid-19 e pode retroceder na classificação.

Bandeira Amarela

Também ficam autorizados os serviços essenciais, como serviços médicos (mediante agendamento), indústria em geral, empresas em cadeias produtivas de gêneros de primeira necessidade (como alimentos, medicamentos, limpeza, água, gás e combustíveis), supermercados, transporte em rios, restaurantes e oficinas em rodovias, lavanderias, borracharias, call centers, bancos e lotéricas, construção civil, hotéis, motéis e serviços de telecomunicações.

Podem abrir também aqueles já autorizados na Bandeira Laranja, como oficinas, comércio varejista e lojas de móveis, eletrodomésticos, informática e materiais de construção, com restrição a 30% da capacidade, além de bares, distribuidoras e restaurantes no sistema delivery e drive thru.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas