Conecte-se agora

Auxílio Emergencial causa impacto de 5,9% no PIB do Acre

Publicado

em

O impacto do Auxílio Emergencial na economia do Acre será de 5,9% no Produto Interno Bruto (PIB) de 2019 no Estado, segundo um estudo da Universidade Federal do Pernambuco divulgado nesta quarta-feira (12) pelo Ministério da Cidadania.

O impacto calculado para o Acre é o 7o maior do País, mostrando o quanto esse benefício é decisivo para a manutenção do sistema econômico do Estado nestes tempos difíceis de pandemia.

No país o impacto será de 2,5% do PIB de 2019 –duas vezes menos que o Acre.

O efeito médio é ainda mais significativo no Nordeste, onde o benefício representa 6,5% do PIB da região. Os cerca de R$ 250 bilhões previstos para serem investidos pelo Governo Federal no pagamento das cinco parcelas do programa permitem que boa parte das engrenagens da economia sigam em atividade.

“O Auxílio Emergencial tem um impacto significativo, porque tem efeito multiplicador. É um programa de transferência de renda direta para a população, sem vinculação a nenhuma contrapartida que possa vir a atrapalhar a distribuição e chegada dos recursos na ponta. A população pode gastar como bem entender. Então, a gente acredita que há um efeito pulverizado e multiplicador”, aponta o professor da UFPE, Ecio Costa.

Por ser transferência direta de recursos, o programa gera efeitos em todos os segmentos econômicos, num momento em que várias atividades foram paralisadas em função da pandemia do novo coronavírus. “Essa política vai abrangendo todos os setores, a partir da decisão dessas famílias. Elas vão gastar no consumo de alimentos, vestuário, até em eletrodomésticos, vão quitar dívidas e isso termina movimentando a economia em todos os segmentos”, explica Costa.

No Maranhão, o impacto do benefício chegou a 8,6% do PIB, enquanto no Piauí atingiu 7,9%. Em seguida, estão Paraíba (6,7%); Alagoas e Ceará (ambos 6,4%).

Por outro lado, acima da média nacional, apenas Goiás com 2,6% não pertence ao Norte ou Nordeste. Em termos de recursos absolutos, apesar de São Paulo ser quem mais recebe investimentos do Auxílio Emergencial, com um aporte estimado de R$ 29,66 bilhões, quando esse valor é comparado ao tamanho da sua economia, o estado fica na 25ª posição.

Pelos 150 mil pessoas foram atingidas positivamente pelo recurso do Auxílio Emergencial no Acre.

Anúncios

Destaque 6

Acreana surta, joga creme nos peões e é chamada de “piranha”

Publicado

em

Por

Na noite da terça-feira, 29, aconteceu em A Fazenda 12 a formação da terceira roça do reality rural da Record TV, onde Biel, Juliano Ceglia, Rodrigo Moraes e Raissa Barbosa foram os indicados da vez.

Furiosa por ter sido a mais escolhida para estar na berlinda, a vice miss bumbum mostrou sua irritação por meio de um surto, onde jogou creme hidratante em Cartolouco, Biel e Juliano, que estavam no momento no sofá da sede.

Para intervir, Stéfani Bays correu até Raissa e pediu que ela parasse com aquilo, tirando a colega de confinamento em A Fazenda 12 do local.

Em uma ocasião posterior, Juliano Ceglia apareceu nas câmeras do PlayPlus entrando no quarto com muita raiva e chutando a porta. “Eu não vou te bater”, gritou ele, que foi imediatamente cortado pela plataforma.

Enquanto isso, Biel e Cartolouco conversavam sobre o ocorrido na sala. “Jogou coisa na minha cara. Essa piranha. É o sonho da vida dela eu bater nela”, comentou o ex-global, que foi acalmado pelo funkeiro que tem causado horrores por sua forma debochada de se comportar no reality.

Biel também tenta acalmar Juliano e dispara: “Para, fica na sua, por favor”. Mesmo estando na roça e sendo alvejado por Raissa, o cantor parece não está mostrando tanta preocupação assim!

Fonte: TV O FOCO

Continuar lendo

Destaque 6

Candidatos em Rio Branco apostam no forró e axé em jingles

Publicado

em

Os sete candidatos a prefeitura de Rio Branco prometem uma campanha a animada, mesmo com uma série de restrições devido a pandemia de covid-19. Para isso, além da militância os prefeituráveis investiram pesado em músicas para cativar a população e ganhar o voto.

Um dos primeiros que botar o jingle na rua e nas redes sociais, foi o ex-prefeito de Acrelândia, o progressista Tião Bocalom. Com o foco no “meu voto é 11, Bocalom bom prefeito”, a música tem como o ritmo o forró e a aposta de sua coligação para embalar a campanha nas ruas de Rio Branco.

Já o candidato petista Daniel Zen aposta no Forró pé de Serra tradicional, vendendo o “Zen” como algo bom, com a puxada “bota fé e vem com o Zen. Eu vou com Zen pra chamar o amor de novo”. O partido que comandou os rumos do Estado do Acre por 20 anos e a prefeitura da capital por 14 anos aposta nessa pegada leve para motivar a militância vermelha a ir para a rua.

Tendo como frase chave “Minoru sim”, o jingle da campanha tucana aposta num forró misturado com xote. A trilha vem embalando os adesivaços e o atos de campanha desde o último domingo, 17, data que marcou o primeiro dia de campanha do PSDB.

Não muito diferente de seus adversários, o candidato do MDB, Roberto Duarte aposta no jingle em ritmo de forró com uma pegada de maracatu. Com a frase “eu voto 15, meu prefeito é o Duarte”, a militância promete ressuscitar a famosa onda azul que tomou conta das campanhas do extinto MDA na década de 90.

Apostando no Axé misturado com galope nordestino e também em citações que fazem referência a Deus e Jesus, o candidato do PSC, Jamyl Asfury, tem como trecho principal de seu jingle aponta “para prefeito, voto com razão”, além de tirar uma casquinha das mazelas de Rio Branco ao falar dos buracos nas ruas.

Os candidatos Jarbas Soster (Avante) e Socorro Neri (PSB), candidata a reeleição, não apresentaram seus jingles de campanha ainda. A reportagem foi informados que as músicas ainda estão em produção.

O Jingle é um termo inglês cujo significado refere-se à música composta para promover uma marca ou um produto em publicidades de rádio ou televisão. O jingle publicitário é criado para cativar o público.

Continuar lendo

Destaque 6

Escolas privadas do Acre com 13 mil alunos planejam retomar aulas

Publicado

em

Representantes de escolas particulares do Acre planejam retomar as aulas presenciais ainda este ano. As instituições garantem já ter tomado todos os protocolos necessários para receber os alunos. A prioridade, neste momento, são aos estudantes do 3° ano, que vão fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), e alunos com alguma deficiência no aprendizado.

Após seis meses sem aulas presenciais devido à pandemia do novo coronavírus, a retomada vem sendo discutida entre as instituições particulares, o Conselho de Educação e o Comitê do Pacto Acre sem Covid. No total, o Estado possui 40 escolas privadas sindicalizados e 13 mil alunos matriculados.

O objetivo é retornar de forma escalonada, obedecendo os protocolos de segurança, como distanciamento, uso de máscaras e álcool em gel, além de usar apenas 30% da capacidade do público. Em entrevista concedida à Rede Amazônica nessa semana, a presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino Privado do Estado do Acre (SINEPI), Elizabeth Costa, informou que a prioridade é a segurança dos alunos.

“Já fizemos todo um preparo com essas pessoas, professores, colaboradores, para assim que possível retornar. Já temos todas as condições estruturais e físicas para poder fazer isso”, explicou.

Alunos que fazem parte do grupo de risco devem continuar em casa. “O plano de retomada vai ser algo escalonada, de rodízio e a pessoa vai ter a opção de ficar em casa ou vir pra escola. Só penso que a gente tem que dar o direito de opção pras pessoas”, disse a presidente.

Em contrapartida, as escolas da rede pública já anunciaram que a retomada das aulas presenciais deve ocorrer somente em 2021.

Continuar lendo

Destaque 6

Eufórico, Tião Bocalom afirma que a vitória vai ser no 1° turno

Publicado

em

Foto: ac24horas/Sérgio Vale

Em evento que teve a presença de várias lideranças da política acreana, apoiadores e militantes, o Progressistas e o PSD oficializou na noite desta terça-feira, 29, a candidatura de Tião Bocalom como candidato a prefeito de Rio Branco e de Marfisa Galvão, candidata a vice.

O evento ocorreu na sede do Progressistas, na rua Major Ladislau Ferreira, 892, bairro Abraão Alab, próximo ao Colégio Meta.

Animado, Bocalom agradeceu o apoio de todos em sua candidatura e teceu elogios ao pastor Reginaldo Barros e a senadora Mailza Gomes por bancar a sua candidatura.

“Se não tivessem pulso, esse povo não estaria aqui hoje. Vamos juntos! Bestene, Petecão e Reginaldo. Nós temos que ser otimista e é positivo que estamos pensando agora, a vitória é no 1°turno”, afirmou.

Bocalom ironizou às pesquisas que o colocaram em 4° lugar e relembrou às pesquisas de eleições anteriores que colocavam ele perdendo por muitos votos, 2012 e 2010, respectivamente.

Bocalom destacou que ao contrário de Gladson irá valorizar os aliados que estão em sua campanha, caso seja eleito.

“Tantos que lutaram e que se dedicaram e hoje quem está se dando bem é a turma do PT e do PCdoB, isso não vai acontecer com a gente não”, afirmou.

Bocalom afirmou que os vereadores de todos os partidos tem dito que ele vai ganhar no 1° turno.

“Eles vieram falar comigo porque as coisas estão diferentes. Queremos cuidar do povo de Rio Branco, das crianças, da juventude, das idosas e das pessoas que estão trabalhando.

Bocalom destacou que os ramais e o homem do campo serão prioridades.

“A gente quer trabalhar. Queremos comer o arroz do Acre, chega de comer comida de fora! O nosso povo merece respeito! Chega! Nós vamos cuidar dos ramais e é de lá que vem a riqueza. Vamos cuidar da nossa gente”, afirmou.

“Tem que falar de Acrelândia sim Petecão. Quando implantamos o programa de saúde lá, foi por três o melhor do Acre. É só não roubar que o dinheiro dá. Vamos colocar a área da saúde pra trabalhar a noite e quem não quiser é só pedir pra sair”, afirmou.

Em sua fala, o senador Sérgio Petecão (PSD), ficou emocionado com o discurso de Bestene e ironizou os resultados que colocam Bocalom em 4° lugar.

“É a vez de Bocalom. Ele sempre esteve na trincheira com a gente e tem uma coisa que eu não sou é ingrato. Por isso, meus amigos, estou com o Bocalom”, afirmou.

“Não temos dinheiro para comprar pesquisas. Vamos conversar com o povo, e vamos levar o nome de Bocalom aos quatro cantos da cidade. Precisamos de alguém que trate os presidentes de bairro bem. Bocalom é experiente, trabalhador e de bem”, encerrou Petecão.

Em sua fala, Marfisa Galvão, agradeceu o apoio da militância e disse que a juventude está fechada com Bocalom.

“Esse homem merece todo o reconhecimento. Bocalom é um cara que fala a verdade e é trabalhador. Vamos ganhar essa eleição”, afirmou.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas