Conecte-se agora

Hospital de Mâncio Lima recebe respirador portátil da Secretaria de Saúde

Publicado

em

Com a interiorização da Covid-19 o desafio do governo é desafogar as unidades de saúde que concentram o maior número de pacientes como é o caso de Rio Branco na região do Baixo e Alto Acre e Cruzeiro do Sul que recebe os pacientes do Juruá.

Para que isso aconteça é necessário equipar as unidades de saúde no interior. É o que acontece em Mâncio Lima, onde nesta segunda-feira, 3, o Hospital Dr. Abel Pinheiro recebeu um respirador portátil.

O equipamento serve, caso seja necessário, para a transferência de pacientes com Covid-19 para o Hospital Regional do Juruá, referência no tratamento da doença na região.

A Coordenação Regional de Saúde do Juruá encaminhou esse equipamento para unidades hospitalares de Tarauacá, Feijó, Porto Walter, Marechal Thaumaturgo, Mâncio Lima e para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

A coordenadora da Regional de Saúde do Juruá, Catiana da Silva, disse que toda a regional já recebeu este equipamento que auxilia no atendimento e na transferência de pacientes dos municípios para o Hospital Regional do Juruá.

“Com a entrega para o Hospital Dr. Abel já conseguimos atender praticamente todas as unidades hospitalares com ventilação mecânica para transporte móvel. O governador tem feito um esforço enorme para que em poucos dias possamos disponibilizar o mesmo aparelho para o único município que ainda não atendemos, Rodrigues Alves”, enfatizou.

Além da entrega do respirador, a Coordenadora de Saúde do Juruá, Raquel Batista, aproveitou a visita a Mâncio Lima para vistoriar as obras de reforma e ampliação do hospital que estão em pleno andamento. Vale ressaltar que o bloco B foi totalmente ampliado e deverá ficar pronto nos 30 dias. Após a construção do bloco B iniciará a reforma do bloco A com previsão para término em dezembro.

Anúncios

Cidades

Prefeitura de Xapuri e Iteracre reafirmam parceria para a entrega de títulos definitivos

Publicado

em

O prefeito de Xapuri, Ubiracy Vasconcelos, e o presidente do Instituto de Terras do Acre (Iteracre), Alírio Wanderley Neto, assinaram nesta terça-feira a renovação de um termo de cooperação que foi firmado em 2017 com o objetivo de concluir o processo de regularização fundiária urbana do município que se arrasta há vários anos.

Com a reafirmação do termo de cooperação técnica, a prefeitura e o órgão estadual, que já fez o levantamento cartográfico de toda a cidade, pretendem fazer a entrega dos 150 primeiros títulos nos próximos 120 dias. A previsão é de que as outorgas comecem a ser feitas pelo bairro do Mutirão e se estenda, posteriormente, para todas as regiões da cidade.

“Viemos aqui assinar o termo de renovação da parceria para que a gente possa dar prosseguimento com o Iteracre, que está cuidando disso, e o cartório de Xapuri já está com 150 títulos para que possamos fazer as primeiras entregas. Acreditamos que ainda este ano entregamos a primeira leva. Aí, entregou a primeira o restante é meio que automático”, explicou o prefeito.

Em 2012, o município de Xapuri obteve da Justiça, a partir de uma ação impetrada pela Serventia Extrajudicial da Comarca, a autorização para emitir os títulos definitivos, desde que houvesse um projeto de execução e que não fosse cobrada qualquer taxa ou quantia para emissão, exceto a cobrança referente ao Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU).

O objeto da ação compreende uma área total de 71 hectares, na qual estão situados 1.101 imóveis e mais de 5 mil pessoas. O terreno havia sido doado recentemente pelos representantes do espólio de Jofre Alves Koury ao município de Xapuri e compreende mais de 50% da área urbana, incluindo o local onde está situada sede da Cooperacre, antiga Fundação Chico Mendes.

À época da sentença judicial, o magistrado Luís Gustavo Alcalde Pinto também autorizou o Cartório de Registro de Imóveis do município a proceder com os registros dos documentos em favor dos proprietários dos bens, desde que fosse apresentado o memorial descritivo da área, mapa e a identificação dos respectivos possuidores.

Continuar lendo

Cidades

Governo do Acre monta grupo para gerenciar crise em áreas de Segurança do Estado

Publicado

em

A partir de agora, o governo do Acre vai contar com um setor específico para tratar situações de emergência e que possa gerenciar as crises que requeiram uma resposta rápida e precisa da administração pública. Por meio do Diário Oficial do Estado (DOE) desta terça-feira, 22, o governo regulamenta o seu Gabinete de Gerenciamento de Crise.

De acordo com o decreto, é considerada crise todo incidente ou situação crucial não rotineira, que se manifeste repentinamente e exija uma resposta especial e imediata, em razão da possibilidade de agravamento conjuntural, com grande risco à vida e ao patrimônio, tais como: motins em presídios, motins em Unidades Socioeducativas, roubos com reféns, sequestros, atos de terrorismo e/ou ocorrências envolvendo bombas e explosivos, grave distúrbio civil, ocupação ilegal de terra e/ou conflitos fundiários, bloqueio de estradas, enchentes, tentativas de suicídio, acidentes massivos envolvendo transporte aéreo, rodoviário e/ou fluvial, grandes incêndios, dentre outros desastres naturais e tecnológicos.

O Gabinete Integrado de Gerenciamento de Crises (GIGC) será composto pelo Secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública (SEJUSP,) que vai ser o presidente, Delegado-Geral da Polícia Civil, Comandante-Geral da Polícia Militar, Comandante-Geral do Corpo de Bombeiros Militar, Presidente do Instituto de Administração Penitenciária, Presidente do Instituto Socioeducativo e o Presidente do Departamento Estadual de Trânsito.

De acordo com o decreto, é função do Gabinete Integrado de Gerenciamento de Crises (GIGC) assessorar o Governador do Estado do assuntos relacionados a situações de crise no âmbito da Segurança Pública, aplicar as medidas necessárias para a resolução de crises, com plena autonomia e responsabilidade em todas as deliberações emanadas e resultados obtidos no decorrer de possível evento, manter, em condições de emprego, equipes de gerentes de crises e de negociadores, equipe tática de resgate e equipes de assessoramento especializado (de inteligência, jurídica, psicológica, de comunicação social e de empresas prestadoras de serviço público), para atuarem no evento de acordo com as necessidades observadas, designar, mediante portaria de seu Presidente, um Gerente e, no mínimo, dois Negociadores para atuação no local da ocorrência, transmitindo-lhes todas as orientações e decisões do GIGC, de forma a subsidiar os trabalhos de resposta ao evento crítico e um porta-voz, cuja função será prestar, aos veículos de comunicação, informações sobre a crise e seu gerenciamento.

O documento estabelece que o Gerente de Crise deve ser, obrigatoriamente, Oficial Superior da Polícia Militar ou do Corpo de Bombeiros Militar ou Delegado de Polícia Civil ou Diretor de Unidade Penal e/ou Diretor de Unidade Socioeducativa, com comprovados conhecimentos em “Gerenciamento de Crises”, habilitado por instituições estaduais, nacionais ou internacionais, devidamente cadastrado e selecionado pela SEJUSP.

Já o Negociador deve ser Policial Civil, Militar ou Penal, Bombeiro Militar ou Agente Socioeducativo, com comprovado conhecimento em “Técnicas de Negociação”, habilitado por instituições estaduais, nacionais e/ou Internacionais, devidamente cadastrado e selecionado pela SEJUSP.

O Gerente de Crise de que trata o estabelecerá o seu Posto de Comando (PC) no local do evento crítico, de onde coordenar todas as ações e operações, em trabalho integrado com a equipe de negociadores, reportando-se diretamente ao Presidente do GIGC.

Em se tratando de conflitos agrários ou fundiários, a negociação deverá ser conduzida por representante do Instituto de Terras do Acre – ITERACRE.

As equipes táticas da Polícia Militar, da Polícia Civil, Polícia Penal, do Corpo de Bombeiros Militar e/ou servidores especializados, bem como veículos especiais e/ou aeronaves do Governo do Estado poderão ser requisitados pelo GIGC, para auxiliar nas operações de resgate de reféns e demais ações especializadas, quando tais medidas se mostrarem necessárias ao controle da crise.

O decreto trata ainda de quem deve, preferencialmente, ser chamado dependendo da situação: nos casos de sequestro, em que o cativeiro estiver situado em local desconhecido: integrante de Grupo Especializado da Polícia Civil.

Nas situações de tomada de reféns em local conhecido pelo público, com continuação de outros crimes, bem como nas ocorrências terroristas, ressalvadas as atribuições dos órgãos federais, e nas que envolvam artefatos explosivos: integrante do Batalhão de Operações Especiais (BOPE) da Polícia Militar.

Já em ocorrência de rebelião em unidades prisionais, unidades Socioeducativas, graves distúrbios civis e ocupações ilegais com alto risco potencial: integrante do Batalhão de Operações Especiais – BOPE – da Polícia Militar, ressalvados os casos onde não houver Integrantes do Grupo de Operações Especiais do IAPEN.

Quando houver a ocorrência de desastres naturais, grandes incêndios industriais, vazamentos de produtos perigosos, desabamentos de grandes edificações, enchentes, acidentes massivos envolvendo transportes fluviais e aéreos de grandes proporções: um integrante do Corpo de Bombeiros Militar.

As ações táticas principais de intervenção no ponto crítico obedecerão aos seguintes critérios: nos casos de sequestro, em que o cativeiro estiver situado em local desconhecido, ficam a cargo do Grupo Especializado da Polícia Civil as ações de resgate de reféns; nas situações de tomada de reféns em local conhecido pelo público, com continuação de outros crimes, ficam a cargo da Polícia Militar as ações de resgate de reféns, por intermédio da Companhia de Operações Especiais do Batalhão de Operações Especiais – BOPE – da Polícia Militar.

No caso de ações de controle de tumulto, desinterdição de vias, reintegração de terra e controle de distúrbio civil, caberão à Companhia de Choque do Batalhão de Operações Especiais – CPChoque – BOPE – da Polícia Militar.

O decreto estabelece que nas crises envolvendo tentativa de suicídio, em que o causador esteja de posse de arma branca ou de fogo, ficam a cargo da Companhia de Operações Especiais do Batalhão de Operações Especiais – BOPE – da Polícia Militar as ações de resgate; estando desarmado o causador, a responsabilidade pelas ações táticas de resgate recairá sobre o Corpo de Bombeiros Militar; nos casos de ocorrências típicas de salvamento e combate a incêndio, ficarão a cargo do Corpo de Bombeiros Militar todas as ações táticas principais; as ocorrências terroristas, ressalvadas as atribuições dos órgãos federais, e as que envolvam artefatos explosivos, serão de responsabilidade do Batalhão de Operações Especiais – BOPE – da Polícia Militar.

Continuar lendo

Cidades

Conselho Regional de Contabilidade celebra Dia do Contador com evento digital

Publicado

em

Durante dois dias de programação, 25 e 26, profissionais e estudantes de Contabilidade discutem sobre os avanços e inovações da profissão

O Dia do Contador, comemorado neste 22 de setembro, homenageia a classe composta por cerca de 350 mil profissionais em todo o Brasil, lembrando o dia da criação oficial dos cursos universitários de Ciências Contábeis no país, instituído pelo Decreto-Lei nº 7.988, de 22 de setembro de 1945.

No Acre o Conselho Regional de Contabilidade (CRCAC) representa uma categoria de mais de 1.300 profissionais. Para celebrar a data a instituição se prepara para realizar o “I Summit de Contabilidade do Acre Evolução e Inovação”, nos dias 25 e 26 de setembro.

O evento totalmente online, contará com palestras sobre temas atuais de extrema relevância para os profissionais como “Reforma Tributária e o futuro da contabilidade”, “Avaliação Econômico-financeira e Empresas com Enfoque Gerencial” e painel sobre “Gestão Pública com Ênfase em Controle Externo”.

O primeiro dia de programação, que terá abertura com a participação do presidente do Conselho Federal de Contabilidade (DFC), Zulmir Breda, do presidente do CRCAC Wellington Chaves e os conselheiros, será ministrada a palestra “Hábitos para uma liderança eficaz”, com Rafael Giupponi.

No segundo dia de programação, o responsável em abrir a rodada de palestras é Edgar Madruga, que vai falar da “Reforma Tributária e o futuro da contabilidade”. Madruga é coordenador do MBA em Auditoria Digital e Direito Tributário da BSSP Centro Educacional, do qual é sócio fundador, é pós-graduado em Informática Pericial, especialista em Empreendedorismo Tributário e Inovação Fiscal.

Já o especialista em gestão financeira, Filemon de Oliveira, que vai falar sobre “Avaliação Econômico-financeira e Empresas com Enfoque Gerencial”. Ele é sócio-diretor da Olis Auditores e Consultores Associados, e da Dhesco Consultoria e Treinamento, e professor de pós-graduação na PUC Minas.

O painel sobre “Gestão Pública com Ênfase em Controle Externo”será apresentado pelo contador Amarisio Freitas, Auditor de Controle Externo TCE/AC, Especialista em Gestão Pública com Ênfase em C. Externo.

Intitulado de Summit, que é a definição de ponto mais alto, de maior sucesso, mais importante, o evento se apresenta como um momento da classe discutir os desafios, oportunidades e transformações do mercado contábil mesmo diante da pandemia, que gerou tantas mudanças na vida das pessoas.

Sobre o evento

O I Summit de Contabilidade do Acre – Evolução e Inovação, tem como apoiadores Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas do Estado do Acre (Sescap / AC) e as faculdades: Estácio, Uninorte, Uverse, Unimeta, Unip, Unopar.

O presidente do CRCAC, Wellington Chaves destacou a importância da parceria firmada com todas as instituições de ensino de Ciências Contábeis no Estado, para que os futuros profissionais também participem do evento, defendendo um entrosamento deles com a categoria e com todas as questões relevantes para a classe, a serem tratadas durante o evento.

“Nossa preocupação foi trazer assuntos atuais, de grande importância e relevância, como por exemplo a reforma tributária que está tramitando no Congresso Nacional e o futuro da contabilidade, tudo realizada online tendo em vista o momento da pandemia” destacou o presidente do CRCAC.

Serviço: Toda a programação será transmitida pelo canal do CRCAC no youtube e pelo perfil oficial no instagram (@crcacre). No dia 25 a programação inicia às 19 horas. No dia 26, a partir das 14h.

Continuar lendo

Cidades

Filha de Chico Mendes debate hoje soluções para crise em evento virtual da ONU

Publicado

em

A ativista ambiental Ângela Mendes, filha do líder seringueiro Chico Mendes, será uma das participantes de evento promovido pela Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em formato virtual, que marcará os 75 anos da instituição nesta terça-feira, 22, a partir das 11h45 (horário de Brasília). Para registro e participação, o link é: https://live.sdgactionzone.org/registration.php.

Ângela Mendes fará parte do evento paralelo ao Debate Geral, o SDGAction, que ouvirá líderes comunitários da linha de frente da implementação dos Objetivos para Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Será a primeira vez que a ONU reunirá líderes mundiais durante a pandemia do novo coronavírus em formato virtual em busca de solução para a crise. O debate principal e os eventos paralelos, como o que a acreana Ângela Mendes vai participar, tem o objetivo de destacar ações e soluções para iniciar mudanças necessárias para garantir uma vida saudável, pacífica e próspera para todos neste momento de pandemia e transformações.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas