Conecte-se agora

A aposta do PT 

Publicado

em

Fica no campo da teoria da conspiração a hipótese de que o PT de última hora pode vir com a candidatura do ex-senador Jorge Viana (PT) ou a do ex-prefeito Raimundo Angelim (PT), na disputa da prefeitura de Rio Branco. Jorge tem a cabeça no Senado, em 2022, e Angelim já descartou uma candidatura. Acreditar numa dessas alternativas é crer numa nota de 300 reais. O PT já definiu oficialmente que vai para a briga pela PMRB com o deputado Daniel Zen (PT), que é uma das gratas revelações do partido na Assembléia Legislativa. O Zen é quadro extremamente qualificado, já foi gestor público, e se comunica bem. Como é que o eleitorado vai se comportar com uma candidatura petista, isso só poderá ser respondido quando estivermos no auge da campanha. O PT continua a ter um nicho na capital. Se este nicho será capaz de levar a candidatura petista ao segundo turno, isso é lá com os eleitores e com as urnas. A aposta do PT será mesmo o deputado Daniel Zen (PT). Não alimentam outras alternativas.

FORA DE PAUTA

O vice-governador Major Rocha ficou ontem de receber o secretário de Segurança, Coronel Paulo Cézar, para lhe dizer que não o procure quando for para tratar de assuntos da pasta. As mexidas no órgão pelo governador Gladson colocando petistas, o deixou descompromissado.

CONVERSA A TRÊS

Depois da conversa entre o senador Sérgio Petecão (PSD), o vice-governador Major Rocha (PSL), e o presidente do PSDB, Correinha, sobre uma aliança política, considerada por eles, como “muito boa”, a próxima meta é pôr na roda o deputado federal Flaviano Melo (MDB).

FECHAMENTO PARA O SEGUNDO TURNO

O desfecho deve ser um compromisso para que todos estejam juntos no segundo turno.

DISCUSSÃO AMPLA

Os debates sobre a aliança entre os dirigentes do PSL-PSDB-PSD-MDB não devem ficar restritas apenas à eleição deste ano, mas também abranger as disputas do Governo e Senado, em 2022.

SEM CANDIDATO

Com a morte ontem do prefeito de Rodrigues Alves, Sebastião Correia (MDB), que disputaria a reeleição, o partido ficou sem sua melhor peça para tentar manter a prefeitura do município.

FALSA PREMISSA

Não tem mais faixa, laranja, amarela, branca, está fora de controle na cidade, com tudo aberto, aglomerações, pessoas sem máscaras, não adianta se ficar com a falsa premissa que existem decretos, com regulamentos sobre a pandemia da Covid-19, pois, ninguém segue.

APENAS ENFEITE

A comissão da Covid-19 virou apenas uma peça decorativa, cuja única serventia é soltar boletins sobre números de contaminados e registros de óbitos. O governo e a prefeitura perderam por completo o controle da situação. É só andar na cidade para constatar.

CENTRAL DE BOATOS

Ontem, circulava o boato que o PT poderia mudar a sua chapa para Jorge Viana a prefeito e Angelim de vice. A outra versão era a de Angelim para prefeito e Daniel Zen de vice. As duas hipóteses foram desmentidas pelo presidente do PT, Cesário Braga. “Vamos de Zen”, garantiu.

CABEÇA NO SENADO

Quando me ligaram dando a informação da articulação que dava o Jorge Viana (PT) como o candidato a prefeito nem levei a sério, apenas chequei por checar. Conhecendo o JV como eu conheço, sei que a sua cabeça está muito além da PMRB, a sua meta é tentar voltar ao Senado.

FUTURO DO GLADSON

A discussão agora passou ser a permanência do governador Gladson Cameli no PROGRESSISTAS ou não. A candidatura do Tião Bocalom (PROGRESSISTAS) a prefeito da capital, que não lhe é simpática, parece ter tomado um contorno definitivo dentro do partido.

NÃO CAUSARÁ SURPRESA

Por conta dessa situação, não causará surpresa se o governador Gladson optar por se afastar do partido. Seria uma situação incômoda apoiar a Socorro Neri, com ele no PROGRESSISTAS.

NÃO É SUA PRAIA

O Gladson errou quando colocou o ex-deputado Moisés Diniz (PROGRESSISTAS) para tentar articular a adesão do partido à candidatura da prefeita Socorro Neri. Nada contra o Moisés, recém egresso do PCdoB, adversário na campanha, seu nome não foi deglutido no partido.

NAVEGANDO BEM

O candidato a prefeito de Rio Branco, Jarbas Soster (AVANTE), vem navegando bem nas redes sociais. Dono de um discurso contundente contra o PT, Soster vai qualificar o debate político.

NADA MAIS DEMOCRÁTICO

Nada é mais democrático do que cada partido ter o seu candidato a prefeito. Ponto final.

DIREITO DE ESCOLHA

Coloco também na área do normal o Gladson escolher a prefeita Socorro Neri para apoiar. Pode não ser lógico para os aliados da campanha, mas cada qual vota e apoia quem quiser.

ASSUNTO DAS REDES

A contratação do ex-goleiro do Flamengo, Bruno, pelo Rio Branco Futebol Clube, virou a discussão do momento nas redes sociais, com opiniões divididas. A se saber se direção do clube vai manter a decisão ante a enxurrada de ataques e até a perda de patrocínios.

NINGUÉM MAIS ESCORREGADIO

Ninguém mais escorregadio e hábil para se mexer nos bastidores do que o deputado Luiz Tchê (PDT). Indicou o vice do Marcus Alexandre (PT); veio o governo Gladson e virou seu líder na ALEAC, e é apontado hoje como “homem forte” do governo na área da segurança pública.

SEGUE COM O GLADSON

O deputado federal Alan Rick (DEM), que foi bem votado na capital, e se relaciona bem no meio evangélico, deverá apoiar na capital o candidato em cujo palanque o governador estiver.

QUASE CERTO

Na eleição para a prefeitura de Rio Branco apenas um ponto pode ser considerado como quase certo, o de que, dificilmente, um dos candidatos ganhará no primeiro turno. A eleição terá dez candidatos, e entre estes, quatro com boa densidade eleitoral, o que embolará o jogo.

DIFÍCIL DE APONTAR

E, antes da campanha estar no seu auge, também, difícil, se apontar os dois favoritos.

DOIS ERROS

Entre muitos, o PT cometeu um erro, que acabou com o seu principal capital eleitoral: a unidade. Ao lançar dois candidatos a senador provocou uma cisão, que acabou numa campanha de intrigas entre os candidatos Ney Amorim e Jorge Viana, e espatifou o partido.

NÃO PODIA DAR CERTO

Ter dois candidatos ao Senado do partido poderia até dar certo se o governo fosse bem avaliado. Jamais, num governo de baixa avaliação popular. Na reta final o Ney Amorim se viu abandonado, partiu para o tudo ou nada, se aliou à oposição, não ganhou, mas levou o PT e o Jorge Viana junto com ele na balsa. Não tinha como o Marcus Alexandre ser eleito governador.

AGORA É CAÇAR COM GATO

O PT vai agora sentir o sabor de disputar uma eleição majoritária sem a máquina estatal, sem empregos pra dar aos antigos aliados da FPA – que sumiram todos, e sem o discurso do novo.

SOBROU PARA QUEM COMPROU

Quando chegou a notícia de um suposto problema conjugal entre o candidato a prefeito de Tarauacá, Rodrigo Damasceno (PSD), e sua esposa, optei por não colocar. Acabaram por se entender e, em uma postagem, a sua esposa ainda atacou quem divulgou a situação.

NÃO DEVERIA SER CANDIDATO

Agora, se ela acha mesmo como postou que, a política é suja, devia convencer o marido Rodrigo Damasceno a não disputar mais um mandato para a prefeitura de Tarauacá. É a lógica.

FRASE MARCANTE

“A agulha veste os outros e vive nua.” Ditado árabe.

Anúncios

Blog do Crica

Uma campanha sem favorito 

Publicado

em

Dentro da lógica da estrutura que cada um terá na campanha, e até mesmo por não serem novatos em eleição, no chamado pelotão de largada teremos quatro nomes fortes disputando a prefeitura de Rio Branco, entre os onze que já se manifestaram como postulantes ao cargo de prefeito. Um é a prefeita Socorro Neri (PSB), que tem ao seu favor uma boa gestão e o apoio do governador Gladson Cameli. Outro o Tião Bocalom (PROGRESSISTAS), com um eleitorado cativo, que disputou campanhas majoritárias com a cara e a coragem, por pouco não se elegeu governador, e desta feita tem aliados fortes na capital, como o senador Sérgio Petecão (PSD) e o deputado José Bestene (PROGRESSISTAS). O MDB virá com o deputado Roberto Duarte (MDB), o mais votado para a Assembléia Legislativa, em Rio Branco. E o professor Minoru Kinpara (MDB), que teve excelente votação para o Senado num partido nanico,  neste cenário está num partido estruturado e ancorado no apoio dos irmãos, deputada federal Mara Rocha (PSD) e o vice-governador Major Rocha (PSL). Seria fazer uma ilação apontar um dos quatros com lugar cativo no segundo turno. A campanha para valer começará na segunda metade de setembro, quando estarão definidas as chapas com os seus vices nas convenções municipais. Não tem amador nesta disputa. Esta é uma eleição que poderá ser decidida por detalhes. Não creio em nenhuma zebra fora destes quatro nomes.

EMBORA EXISTAM

Muito embora em campanhas políticas vez por outra as zebras costumam mostrar as caras.

MUITO NATURAL

O senador Petecão (PSD) disse ontem ao BLOG que, caso só um candidato do PSD-MDB-PSDB-PSL chegue ao segundo turno na disputa da prefeitura da capital, uma união entre quem não for para o turno final é tão natural, que não precisa nem ser combinado entre suas lideranças.

NÃO AGRESSÃO

Um pacto de não agressão durante a campanha foi firmado entre os líderes destas siglas.

ESTAVA DEFINIDA

Para o senador Sérgio Petecão (PSD) a candidatura do Tião Bocalom (PROGRESSISTAS) a prefeito de Rio Branco estava definida, mesmo antes do Gladson Cameli se afastar da sigla.

VEM FLECHADA

Corre uma investigação acerca dos números da Covid-19, no Acre. Vem flechada a caminho.

CABEÇA POR CABEÇA

Pesquisa feita por um dos institutos  mais respeitados do estado, para consumo interno do poder, mostrou três candidatos cabeça com cabeça disputando a PMRB.

A EMPATIA DECIDE

Numa disputa majoritária um leque de apoio ajuda muito, mas não é decisivo para eleger um candidato. O que decide na verdade, é a empatia que o candidato conseguirá com o eleitor.

AVISO AOS NAVEGANTES

Ninguém se entusiasme com pesquisa eleitoral neste momento, sem a campanha ter começado, porque boa parte da população não conhece ainda nem os nomes dos candidatos.

NÃO EMPLACOU

Quem não emplacou no PROGRESSISTAS foi o ex-deputado Ney Amorim. Foi lembrado no ardor das discussões como candidato à PMRB, depois a vice, e não conseguiu se viabilizar.

PEDRA CANTADA

Comentário de um experiente político de Cruzeiro do Sul ao BLOG: – caso a cassação do prefeito Ilderlei Cordeiro seja mantida na sessão do TRE-AC da próxima segunda-feira, e for mantido no cargo, mesmo sem puder ser candidato, vai impor o nome do Tio Rudiley Estrela.

NÃO NECESSARIAMENTE

Como o Gladson Cameli se afastou do PROGRESSISTAS, não necessariamente terá que apoiar um candidato que for lançado pelo partido para disputar a prefeitura de Cruzeiro do Sul.

JUSTIÇA É JUSTIÇA

Ninguém sabe o que passa pela cabeça de um magistrado de uma corte da justiça, mas pelo que tenho ouvido de advogados da área eleitoral, a cassação do Ilderlei Cordeiro é provável.

CARGA PESADA

Passou da hora de privatizar o DEPASA, uma carga pesada que o governo carrega nos ombros.

O JOGO SERÁ BRUTO

A campanha para a prefeitura da capital será dolorida para os candidatos. Com o fim da importância da imprensa escrita, que tinha uma pauta mais ética, o campo de batalha será nas redes sociais, onde ninguém tem o controle de ninguém. O Facebook é uma terra sem dono. 

PAUTA DE CAMPANHA

O governador Gladson e a prefeita Socorro tiveram a primeira reunião de pauta de campanha.

PRAZO CORRENDO

Até agora não foi escolhido o nome do vice na chapa da prefeita Socorro Neri, mas o prazo está correndo, a escolha terá de ocorrer até 31 deste mês, quando se iniciam as convenções.

DADO NOVO

O PCdoB tem um dado novo na mesa. Com a oficialização do apoio do Gladson Cameli à candidatura da prefeita Socorro Neri, se optar por lhe apoiar, terá o governador de aliado.

PARA CHAMAR DE SUA

Virou moda, cada grupo que tem um candidato a prefeito, monta uma enquete para chamar de sua, manipula os dados e joga nas redes sociais, para induzir falsamente a opinião pública.

GOLPE NA LAVA JATO

Impressionante! Quando se vê ministros da côrte mais alta do país tomando posições que podem implicar no enfraquecimento da lava jato, é de se lembrar a célebre frase do estadista francês De Gaulle: “o Brasil não é um país sério”. E fazem isso sem nenhum pudor.

VIROU RELIGIÃO

O senador Márcio Bittar (MDB) comenta sempre que vai trabalhar para ser o coordenador da candidatura do presidente Jair Bolsonaro, no Acre. O bolsonarismo virou religião para o Bittar.

ÍDOLO DE CABECEIRA

O ídolo de cabeceira do senador Márcio Bittar (MDB) é o ministro da Economia, Paulo Guedes.

MULHERES CHEGANDO

Pelo menos oito mulheres da lista de candidatas a vereadora de Rio Branco são muito competitivas. Seja porque já são vereadoras, ou porque terão boa estrutura de campanha.

NOMES NO FOCO

O PCdoB vai focar em reeleger o vereador Eduardo Farias (PCdoB) e o PT, na reeleição do vereador Rodrigo Forneck (PT). Diga-se: ambos cumprem mandatos participativos.

CAMPANHA NA RUA

Pele movimentação das notícias nas redes sociais os candidatos a prefeito de Rio Branco, Minoru Kinpara (PSDB), Tião Bocalom (PROGRESSISTAS) e Roberto Duarte (MDB), já estão no mundo pedindo votos e amarrando apoios. Esta campanha será uma das mais renhidas.

 MOVIMENTAÇÃO BRECADA

A pandemia brecou a participação presencial do presidente do MDB, deputado federal Flaviano Melo, nas articulações da pré-campanha à prefeitura da capital. Isolado na sua chácara, Flaviano deu carta branca ao candidato à PMRB, Roberto Duarte, para fazer alianças.

PESQUISAS MONITORAM

Flaviano Melo monitora o quadro de cada candidatura do MDB a prefeito nos municípios, através de pesquisas periódicas. Flaviano, sabe ler, como poucos, pesquisas nas entrelinhas.

COMENTÁRIO ABALIZADO

O que torna o presidente Jair Bolsonaro como apto a disputar a reeleição, não é a faixa de 30% que tem no eleitorado, mas por não ter aqui um adversário forte. O comentário, com o qual concordo, foi feito ontem na GLOBO NEWS, pela jornalista Eliane Catanhêde. 

FRASE MARCANTE

“A grande vaia é mil vezes mais forte, mais poderosa, mais nobre do que a grande apoteose. Os admiradores corrompem”.  Nelson Rodrigues, jornalista e dramaturgo.  

Continuar lendo

Blog do Crica

Gladson fica sem partido, mas apoia Socorro Neri 

Publicado

em

O filme teve o seu roteiro antecipado ontem por este BLOG, em primeira mão, e foi cumprido em todas as cenas ao pé da letra: foi o governador Gladson Cameli chegar a Rio Branco e anunciar que estava fora por tempo indeterminado do PROGRESSISTAS, e que não se filiaria ao PSDB, deixando este assunto para depois da eleição. E que vai apoiar a candidatura da prefeita Socorro Neri sem partido, mas trabalhando para trazer siglas aliadas à sua composição política. Para fugir de um desgaste que era inevitável se tentasse detonar a candidatura do professor Minoru Kinpara (PSDB), a decisão tomada foi perfeita. Já tinha tido no PROGRESSISTAS um confronto desnecessário, ao tentar impor ao partido um apoio à prefeita Socorro Neri e fazer do ex-deputado Ney Amorim (PROGRESSISTAS) o vice da chapa. Ficou então como o BLOG publicou ontem: o PROGRESSISTAS vai de Tião Bocalom a prefeito, e o PSDB de Minoru Kinpara. E fim da confusão. E o Gladson, sem partido, apoiando a Socorro a mais um mandato. Ponto.

SAIU DO VULCÃO

Um ponto é muito benéfico nesta confusão toda: o Gladson foi tirado do centro do vulcão, do disse e não disse, jogou no lixo uma pauta negativa à sua imagem, e pode agora num clima de paz traçar as metas para apoiar quem bem entender em todos os municípios para prefeito.

FUGINDO DO TOM

O que aconteceu no PROGRESSISTAS e no PSDB estava fugindo do perfil do governador, que é o de não se meter em confusão, de não agredir adversário político, estava entrando em discussões que não o levariam a lugar nenhum. Agora é cada qual no seu quadrado político.

REAÇÃO EM CADEIA

Como toda a ação motiva uma reação, ficou acordado entre seus dirigentes que no segundo turno, será formada uma frente partidária para derrotar a prefeita Socorro Neri, caso ela passe do primeiro turno.  A aliança seria formada pelo PSDB-MDB-PSL-PSD-PROGRESSISTAS. O candidato de um destes partidos que for ao segundo turno, teria o apoio dos demais.

UM ALERTA DURO

Por conta desta nova configuração de forças tudo é possível em 20220. O deputado José Bestene (PROGRESSISTAS) foi textual ontem no programa do Itaan Arruda, na TV-GAZETA, que por conta do apoio à prefeita Socorro Neri, o senador Sérgio Petecão (PSD), pode repensar a sua decisão de só disputar o governo se o Gladson não concorrer, e acabar saindo candidato ao governo em 2022, dentro de uma nova formatação política. 

FORA DE TEMPO

Perguntei ontem ao senador Petecão (PSD) sobre a hipótese de por conta deste novo quadro de composição de forças, ser candidato irreversível em 2022. Prudente, não quis comentar, disse que está apenas focado em levar o Tião Bocalom (PROGRESSISTAS) ao segundo turno. 

MÃE DE TODAS AS DISPUTAS

Pelo caldo de cultura que se formou entre os seus aliados com a decisão final do governador Gladson em oficializar o apoio à candidatura da prefeita Socorro Neri, a previsão que se tem é de se terá uma verdadeira guerra no segundo turno, uma espécie de mãe de todas as disputas.

FORTE CANDIDATA

Em qualquer cenário, seja no primeiro ou no segundo turno, a prefeita Socorro será competitiva e uma forte candidata. Tem a seu favor não fazer uma gestão medíocre. 

TENDEM ACOMPANHAR

Há uma tendência de que, dos partidos que estiveram no seu palanque na última eleição, o governador Gladson  levará para apoiar a Socorro Neri, o DEM do deputado federal Alan Rick; e, o SOLIDARIEDADE, da deputada federal Vanda Milani, sem candidatos próprios à PMRB.

A DERROTA DOS FALCÕES

A decisão tomada ontem pelo governador Gladson Cameli de não brigar mais para ficar no PROGRESSISTAS, e nem para entrar no PSDB, foi uma derrota dos falcões do seu governo, que foram seus conselheiros para brigar com o PROGRESSISTAS e queriam vê-lo bisar no PSDB.

VITÓRIA DA CONCILIAÇÃO

A invertida na conduta política de desgaste em cima de desgaste do governo no episódio do PROGRESSISTAS e agora do PSDB, aconteceu com o retorno do Ribamar Trindade à chefia do gabinete civil, como conciliador por natureza, Ribamar convenceu o Gladson a sair do furacão.

SEM BASE CIENTÍFICA

Tenho por linha do BLOG não publicar nenhum tipo de enquete sobre candidaturas a prefeito. Primeiro por este tipo de coleta de informações não ter base científica, e segundo, porque é manipulável. Basta um candidato arregimentar um monte de seguidores e mandar votar nele.

VELHO BOCA SOLTO

Quem mais deve ter comemorado a decisão do governador Gladson é o Tião Bocalom (PROGRESSISTAS), que agora pode tocar a sua candidatura com a vice Marfisa Galvão (PSD), sem um sobressalto que o seu nome poderia ser retirado a qualquer momento do quadro.

FOCO NA ANTÔNIA LÚCIA

Conversei ontem com o “Velho Lobo”- deputado federal Flaviano Melo (MDB), acerca das  alianças do MDB  para disputar a prefeitura da capital. Um dos caminhos é convencer a ex-deputada federal Antônia Lúcia e seu grupo, a indicar o vice do deputado Roberto Duarte (MDB). Sobre a decisão do Gladson em apoiar a Socorro, citou: “Não entendi! Vamos à luta.”

ÚNICA CHAPA

A única chapa que está completa para disputar a prefeitura da capital é a da coligação PSD-PROGRESSISTAS, que tem Tião Bocalom a prefeito e Marfisa Galvão como sua vice. Minoru Kinpara (PSDB), Roberto Duarte (MDB) e Socorro Neri (PSB) não têm ainda os seus vices.

TEORIZAR NÃO RESOLVE

O ex-prefeito Marcus Alexandre continua longe do jogo político, mesmo sendo uma das maiores lideranças do PT. Almoçar, tomar um vinho na casa do ex-senador Jorge Viana, ficar teorizando sobre a lua cheia, não resolve o problema do PT. Tem que pegar seu candidato à PMRB, deputado Daniel Zen, e ir para a rua. Afinal, goza da simpatia de parte da população.

EM CONSTRUÇÃO

Perguntei ontem ao presidente do PT, Cesário Braga, quem seria o vice do candidato a prefeito Daniel Zen (PT) e, a resposta foi inócua: “estamos em construção”. Espera as alianças.

NADA COMO UM DIA ATRÁS DO OUTRO

Quando coloquei neste espaço de que nem o ex-governador Binho, nem o ex-senador Jorge Viana e, tampouco, o ex-prefeito Angelim, não seriam candidatos à PMRB, a direção do PT se espinhou. Confirmado o que o BLOG colocou a respeito.  Nada como um dia atrás do outro.

DATA MARCADA

O julgamento do recurso do prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, contra a cassação do seu mandato está marcado para o próximo dia 10. Se o TRE-AC decidir pela manutenção da sua cassação, morre a sua candidatura à reeleição e terá que procurar um nome para apoiar.

SEM NOME FORTE

A questão básica é que no seu partido, o PROGRESSISTAS, fora o próprio Ilderlei Cordeiro e o deputado Nicolau Júnior – este não quer ir para a disputa – não tem outro nome com a mesma densidade eleitoral de ambos para disputar com chance a prefeitura de Cruzeiro do Sul.

FOCADA NA SAÚDE

Em meio a esta pandemia a senadora Mailza Gomes (PROGRESSISTAS) já alocou através de suas emendas parlamentares mais de R$ 31 milhões para os sistemas de saúde dos municípios. E tem apenas um ano e meio de mandato. Tem conseguido dar boa visibilidade às suas ações.

SEJA O QUE DEUS QUISER

Não sei em cima de quais critérios a comissão da SESACRE resolveu liberar todas as atividades comerciais. Aliás, este “fechamento” vinha sendo uma grande falácia, porque nem a prefeitura e nem o governo adotaram um fiscalização rígida para evitar burla às proibições dos decretos.

POUCOS SEGUIRAM

A verdade é que, poucos, muitos poucos comerciantes, seguiram à risca o fechamento de algumas atividades comerciais, bastava se andar pela cidade, principalmente, na periferia que tudo estava aberto. O poder público não usou a força coercitiva e virou uma farra de cabaré.

LUGAR CATIVO

O senador Márcio Bittar (MDB) conquistou um lugar cativo na CNN, quando se trata de defender pautas conservadores para a região amazônica, tidas como o terror pela esquerda. Ontem, Bittar voltou a dar uma entrevista e no seu estilo, e se saiu bem, sem desconforto.

PARA NÃO TER PROBLEMAS

Uma medida que o governador Gladson vai ter que tomar se não quiser ter problemas com o seu secretariado durante o período eleitoral é fazer uma reunião com todos é determinar que, o que for flagrado usando o poder para beneficiar candidato será demitido. 

NA MESMA LINHA

Este mesmo tipo de atitude a prefeita Socorro Neri adotou na PMRB, na campanha passada para o governo. É um tipo de determinação que, no mínimo, inibe o crime eleitoral.

FRASE MARCANTE

“O puxa saco aplaude, o idiota vaia, o sensato se cala, o sábio só ouve e se retira” Saul Bezerra.

Continuar lendo

Blog do Crica

Gladson deve ficar sem partido e apoiar Socorro Neri

Publicado

em

A posição acima é a endossada pelos principais assessores do governador Gladson Cameli,  capitaneada pelo chefe do gabinete civil, Ribamar Trindade, que reassumiu o cargo. A proposta deverá ser levada para aval do governador. O seu objetivo, explicam, é tirar de vez e o mais rápido possível o Gladson de uma nova pauta negativa no PSDB, como a que viveu recentemente no PROGRESSISTAS. Mesmo sem partido o governador poderá montar um arco de alianças em torno da candidatura da prefeita Socorro Neri a mais um mandato, o que lhe garantiria um bom tempo de televisão. Gladson ficou retornou na noite de ontem ao estado, e as ponderações que lhe serão feitas pelos seus assessores é a de que, ele faça este anúncio nesta semana. Sairia do PROGRESSISTAS e de imediato e não se filiaria a nenhum partido, tendo tempo de sobra para escolher por qual sigla disputará a sua reeleição em 2022.

DECISÃO AMADURECIDA

O chefe do gabinete civil, Ribamar Trindade, disse ao BLOG na última segunda-feira que o governador Gladson apoiar a candidatura da prefeita Socorro Neri a mais um mandato é uma decisão amadurecida. E na sua concepção, a aliança política será vitoriosa na disputa da PMRB.

BRINCANDO DE POLÍTICA

Não sei quem foi o tosco ligado ao governo que passou aos sites uma carta do presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, que não diz nada com nada, não tem garantia jurídica, afirmando que, caso o governador Gladson entre no PSDB terá voz na sucessão municipal.

DEPOIS RECLAMAM

Fornecem matéria à imprensa e depois reclamam quando a imprensa publica e comenta. No jornalismo não se pode brigar com a notícia. Rio Branco é uma cidade de muros baixos.

VALIDADE VENCIDA

Até o senador Márcio Bittar (MDB) entrou na história. Sobre a foto, na qual aparece na matéria, junto com o governador Dória, o Gladson Cameli, e o presidente Bruno Guimarães, Bittar mandou uma postagem ao Vice-governador Major Rocha citando ser esta foto antiga.

É PRECISO DESENHAR?

Para chegar dizendo que a Socorro Neri seria a candidata do PSDB teria que haver uma intervenção da nacional, o que seria derrubado na justiça porque a executiva municipal é eleita. E terminaria numa disputa bem mais belicosa do que foi no PP. É preciso desenhar?

CANDIDATURA CONSOLIDADA

O advogado Maria Paiva, que preside o diretório municipal do PSDB foi textual ontem ao BLOG, ao dizer que, a candidatura do Minoru está consolidada num debate que levou um ano e não será retirada. Também dá como zero a hipótese do Minoru vir a ser vice da Socorro Neri.

OPÇÃO EM ABERTO

A única opção que deixa em aberto é a do Gladson Cameli entrar no PSDB para apoiar a candidatura da do professor Minoru Kinpara a prefeito, e que neste caso seria bem recebido. Ou seja: teria de abandonar a idéia de apoiar a candidatura da prefeita Socorro. Não o fará.

IMPRESSÃO QUE PASSA

A impressão que está passando é a de que devem existir assessores do governador Gladson o incentivando a entrar no PSDB dando um chute na porta, criar uma confusão, ao invés de lhe conduzir por caminhos que fujam da discórdia e poupem a sua figura do desgaste político.

SEM OUTRO HORIZONTE

No cenário da sucessão municipal na capital, no campo dos partidos que apoiaram o Gladson ao governo, não vejo outro horizonte que não tenha as candidaturas à PMRB do Tião Bocalom (PROGRESSISTAS), do Roberto Duarte (MDB) e do Minoru Kinpara (PSDB). É o que se mostra.

 NÃO DESISTE DA LUTA

Ninguém mais do que o deputado federal Alan Rick (DEM) tem lutado nos ministérios da Saúde e Educação para que sejam marcadas datas do exame de mérito REVALIDA, para que os médicos formados no exterior possam fazer a prova de aferimento, pegar o CRM é trabalhar. 

COBRA DIRETO

O Alan Rick agora está cobrando do MEC que divulgue as datas para as provas do REVALIDA. Acabaria com um impasse: quem fosse aprovado pegaria o seu CRM e entrava no mercado de trabalho. Os reprovados iriam estudar para tentar passar no próximo exame. Fim de papo. 

ÚLTIMA TENTATIVA

O deputado José Bestene (PROGRESSISTAS) agendou uma conversa entre ele, o senador Sérgio Petecão (PSD) e o governador Gladson Cameli, quando fará a última tentativa de mantê-lo no PROGRESSISTAS, e apoiar a candidatura a prefeito do Tião Bocalom (PROGRESSISTAS) á PMRB.

JÁ DANÇOU

Acho que o Zeca Bestene, nesta dançou: o Gladson Cameli não quer apoiar o Bocalom. Ponto.

GOSTEI DE SER PREFEITO

O prefeito de Sena Madureira, Mazinho Serafim (MDB), foi enfático ontem na sua entrevista ao site O estado do Acre, do jornalista Brana, quando perguntado, por qual razão queria ser prefeito novamente: “gosto de ser prefeito para ajudar”. Disputa a reeleição como favorito. 

PINTA DE VEREADOR

Ontem, na reunião dos candidatos do PSD a vereador por Rio Branco, na residência do senador  Petecão (PSD), o orador mais inflamado foi o candidato Zé Buchim,  parecia um vereador na tribuna. O Zé Buchim é uma das pessoas mais generosas que conheço. E de boa qualificação.

USAR A PERÍCIA

Se o Zé Buchim tiver a mesma perícia de pescar votos como tem que de fisgar Jatuaranas no Igarapé São Sebastião, está feito na eleição. Não é Hilário Castro?

 NÃO SEI RESPONDER

Tudo que publico na coluna é baseado em declarações de lideranças políticas. Não me perguntem qual vai ser mesmo a decisão final do Gladson Cameli, que não saberei responder. As decisões do Gladson são por impulso do momento, fica difícil fazer alguma previsão.

 FALTA COM A VERDADE

Quem disser que conhece politicamente o Gladson está faltando com a verdade.

CONTAS DO GLORIOSO

Uma das lideranças do Glorioso do Dr. Ulysses Guimarães, o MDB, comentou ontem que, dos atuais candidatos a prefeito do partido acha que pelo menos seis têm ampla chance de vitória, e podendo emplacar mais dois, o que totalizam oito prefeitos eleitos. A conferir a previsão.

JURANDO COM FIGA

O senador Márcio Bittar (MDB) jura que não foca uma candidatura a 2022 para o governo. Há quem diga que faz esta jura com as mãos fazendo figas. Tucanos acreditam que nesta manobra de levar o Gladson para o partido tem o DNA do Bittar. Se eu duvido? Nem um pouco.

NEM UM CENTAVO FURADO

E não aposto um centavo furado contra o Bittar estar no partido do Bolsonaro, em 2022.

APOSTAS CORRENDO

Enquanto seu lobo não vem, as apostas estão correndo no meio político sobre qual será mesmo o futuro do governador Gladson. Fosse na Loteca, eu marcaria triplo.

ESPERANDO ADVERSÁRIO

Até agora o grupo palaciano não definiu quem vai apoiar para prefeito de Cruzeiro do Sul. E em meio a esta indefinição, o candidato Vagner Sales (MDB) vai consolidando a dianteira nas pesquisas. E nas pesquisas não entram nem os redutos mais fortes dos Sales, o Alto Juruá.

MAIS UM

Chegam a 11 os candidatos a prefeito de Rio Branco, com a decisão do CIDADANIA em ter candidato próprio à PMRB. Será o Bacharel em Direito e policial civil, Leandro Costa.

BATEU RECORDE

Não me lembro de nenhuma outra eleição para a prefeitura da capital que tivesse tantos candidatos disputando. Por um lado é bom, porque amplia o leque de escolha do eleitor.

FRASE MARCANTE

“A política tem a sua fonte na perversidade e não na grandeza do espírito humano”. Voltaire.

 

Continuar lendo

Acre

Ninguém me ama…

Publicado

em

O deputado Roberto Duarte (MDB) enfrenta um dilema com a sua candidatura a prefeito de Rio Branco. Chegamos ao mês em que vão se iniciar as convenções municipais para a oficialização dos nomes a prefeito da capital, e não conseguiu um partido para compor uma aliança. Nem com as siglas da esquerda e nem com as siglas com as quais o seu partido, o MDB, esteve coligado na última eleição para o governo. Foi o deputado estadual mais votado na capital. Mas isso foi num cenário de eleições proporcionais, numa eleição majoritária, o quadro é completamente diferente. Ninguém é candidato a prefeito de si mesmo. Ter aliados é de fundamental importância, porque isso significa ter mais aspirantes a vereadores nos bairros pedindo votos para o candidato majoritário.  Sem falar no aumento do tempo de televisão no horário eleitoral. E não dá para vislumbrar muitos horizontes para uma parceria. Quase todos os partidos terão candidatos próprios à PMRB. E o MDB está naquela velha canção de fossa… Ninguém me ama/ninguém me quer/ ninguém me chama/de meu amor…

VIROU PESADELO

Deixem de sonhar! O Gladson não vai continuar filiado ao partido PROGRESSISTAS. E sonhar que possa a vir apoiar a candidatura do Tião Bocalom (PROGRESSISTAS) a prefeito de Rio Branco, não é mais sonho, virou pesadelo. Por um motivo bem simples: ele não quer. E, isso é um direito dele. Se é ou não lógico, já é outra discussão. E isso tem de ser respeitado. Estamos numa democracia. E, ponto final!

LEITURA ACERTADA

 O senador Sérgio Petecão (PSD) tem feito uma leitura pragmática do cenário político da capital. Diz que, se o governador quer apoiar a prefeita Socorro Neri a mais um mandato, tudo bem, ele tem este direito. “O Gladson vai com a Socorro, e nós vamos com o Velho Boca, sem nenhuma briga”, comenta de forma prática o senador. Isso também me parece página virada.

CAFÉ NO BULE

 O Gladson não quer apoiar o Bocalom, e por sua vez o PROGRESSISTAS não retira a candidatura do Velho Boca. E qual o problema nisso? Nenhum! Depois que acabou o bipartidarismo, o natural é que cada partido tenha o seu candidato majoritário próprio. Nem o Gladson estará cometendo uma heresia e tampouco a aliança que sustenta a candidatura do Bocalom. E vamos deixar para o eleitor decidir. É na eleição que se vê quem tem café no bule.   

OLHO DO FURACÃO

O governador Gladson Cameli retorna hoje à noite a Rio Branco. Se tiver um pouco de bom senso conduzirá a eleição municipal desligado de partido. Tentar entrar no PSDB é colocar fogueira no seu colo, é fake news que será bem recebido, vai para o olho do furacão.

TAMBÉM É FAKE NEWS

E também é fake news esta idéia sem nexo de que a direção nacional do PSDB entregará o partido em suas mãos, para escolher o candidato a prefeito da capital que bem entender. Para isso teria que haver intervenção na executiva municipal, e acabaria numa confusão judicial.

APOSTEM NESTA HIPÓTESE

Pelo que tenho ouvido de lideranças do MDB, PSD e PSDB, se só um destes partidos chegar ao segundo turno, irão todos se juntar numa aliança política. Podem apostar forte nesta hipótese.

DEDUÇÃO LÓGICA

Caso o PT não chegue ao segundo turno da eleição na capital, não deve apoiar nenhuma candidatura com viés bolsonarista ou que seja governista. E neste pacote se incluem Minoru Kinpara, Tião Bocalom e Socorro Neri.  Um candidato que os petistas poderiam apoiar sem problema seria a candidatura do Roberto Duarte (MDB). É o que ouço de vários petistas. 

PROJETO IMPORTANTE

Tive um amigo que morreu em Manaus após ter o seu pescoço ferido profundamente por uma linha com cerol. E na época não existia a chamada “linha chilena”, com um cerol mais cortante. Por isso, importante o projeto do vereador Marcos Luz (MDB) proibindo o uso desta linha.

MEDIDA ACERTADA

Foi uma medida acertada da comissão que decidiu pelo não retorno das aulas em setembro, num momento progressivo de casos da Covid-19 e de óbitos, notadamente, na capital. O que está ficando meio escuro é a SESACRE manter a capital na chamada “faixa laranja”, quando a pandemia continua numa crescente. No mapa da grande imprensa o Acre está no vermelho.

DEPOIS RECLAMAM DO MP

Depois reclamam quando o MPE e o MPF entram com questionamentos sobre estes critérios.

FORÇARAM NA MARRA

Os Pastores evangélicos impuseram mesmo ao estado uma virada de mesa, tirando as atividades religiosas, da faixa amarela para a faixa laranja, sem nenhuma base científica, apenas na ameaça de não votarem com os candidatos do governo a prefeito nesta eleição.

JEITINHO ACREANO

Existe o chamado “jeitinho brasileiro”, e aqui nós temos o chamado “jeitinho acreano”. Se é para burlar com a metodologia da comissão da Covid-19, então libera para todo mundo. Não se fique mais nesta hipocrisia de agir sob pressão política, numa seara que é da saúde pública. 

NÃO CABE MAIS

A hipótese do candidato do PSDB, Minoru Kinpara, ser vice da prefeita Socorro Neri está fora de esquadro. O Minoru já disse que não aceita, e tem o apoio partidário para disputar a PMRB. É outra discussão que não cabe mais, porque os seus projetos políticos são antagônicos.

PREGO BATIDO

Conversei ontem com figuras importantes do governo, e todas com a afirmação de que o apoio do Gladson a mais um mandato da prefeita Socorro Neri é assunto decidido na Côrte. E também defendem que, o governador toque a candidatura dela sem filiação partidária.

MAIS COMPETITIVA

Com o apoio do Gladson, a candidatura da prefeita Socorro Neri dobrará de competitividade.

NÃO PODE MAIS RETARDAR

Uma coisa é certa: enquanto o Gladson não anunciar sua decisão de forma oficial, numa coletiva à imprensa, mais seu nome vai ficar num desgastante disse e não disse. O rumo que vai tomar tem de ser anunciado agora, a lembrar: chegou o mês das convenções municipais. 

CIDADE LUZ

Depois os problemas para fechar a licitação, enfim vai começar o projeto da prefeitura de Rio Branco de iluminar a cidade toda à luz de led. Além de dar um melhor visual, o importante é que a prefeita Socorro Neri diminuirá os gastos do município com a energia elétrica.

QUESTÃO JUDICIAL

Não emito juízo de valor sobre a prisão do ex-presidente do DEPASA, Tião Fonseca, e da sua mulher, porque é um fato que ainda nem virou processo, está na fase de inquérito policial.

MOSTRAR O PROJETO

Tenho acompanhado algumas declarações políticas do ex-senador Jorge Viana (PT). Mas não notei agora nenhum discurso novo que não seja o do saudosismo do poder. O que se quer saber, é o que o seu partido pensa para colocar em prática caso ganhe a prefeitura da capital.

SE QUISEREM GANHAR

Volto a repetir no BLOG que, caso a oposição queira derrotar o prefeito de Feijó, Kiefer, terá que deixar o ego de lado e se unirem numa candidatura. O Kiefer não é a última bolacha do pacote, mas está no poder, e isso tem uma influência numa eleição num município pequeno.

PASSARÃO PELA MAILZA

Todas as coligações do PROGRESSISTAS para as prefeituras dos municípios passarão por uma discussão com a presidente do partido, senadora Mailza Gomes. Com a saída dada como certa do governador Gladson Cameli, ela passa ser o maior nome político do partido no estado.

PALANQUE ECLÉTICO

O prefeito de Sena Madureira, Mazinho Serafim (MDB), conseguiu montar uma aliança partidária eclética, que tem no pacote até partidos de esquerda como o PT e o PCdoB. O Mazinho sabe se mexer bem nos bastidores, por isso sua chance de reeleição é grande.

 NÃO CONSEGUE MEXER

Por mais que a GLOBO se esforce nos seus noticiários no ataque direto ao presidente Jair Bolsonaro, as pesquisas mostram que não conseguiu até aqui atingir a faixa do seu eleitorado. A crítica na imprensa quando é sistemática, acaba deixando o criticado como uma vítima,

E OLHE QUE FEZ CAGADAS!

E olhe que o presidente Jair Bolsonaro e os seus filhos, já fizeram um monte de cagada.

LEVAM VANTAGEM

Pelo menos seis vereadores têm uma chance muito grande de voltar à Câmara Municipal de Rio Branco, por dois motivos: terão estrutura de campanha sólida, e base eleitoral de outras eleições. Isso os deixa em hipotética vantagem. Mas eleição costuma causar muitas surpresas.

SEM MEL E NEM CABAÇA

Boa fonte de Rodrigues Alves informou ao BLOG que, com a morte do prefeito Sebastião Correia, o MDB ficou sem um nome à altura para disputar aquela prefeitura. O vice Jailson Amorim (PROS), que assumiu o mandato, passou a ser uma candidatura forte. O Burica (PT), não se sabe se passará na peneira jurídica. E ainda tem no cenário o professor Ralph Luís Fernandes (PSDB), que tem seu nome focado em várias ações sociais. O resto é com as urnas. 

FRASE MARCANTE

“A maior felicidade que uma pessoa pode possuir é a de ver, sem inveja, a felicidade alheia”. Bossuet.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Leia Também

Mais lidas