Conecte-se agora

Mâncio Lima está há quase 15 anos com redução nos casos de malária

Publicado

em

A cidade de Mâncio Lima comemora os bons resultados da secretaria de saúde no combate da malária – doença infecciosa transmitida por mosquitos e causada pelo parasita Plasmodium. Em 13 anos, o município conseguiu reduzir drasticamente o número de moradores acometidos pela doença. Em 2007, mais da metade da população foi infectada pela malária. Em 2017, uma média de 800 pessoas foi contaminada mensalmente, já em 2020 esse número caiu para menos de 200 casos, configurando o menor número em quase 15 anos.

Proporcionalmente, Mâncio Lima foi campeão de malária no Brasil no ano de 2007. Entre os casos, houve uma proporção de ocorrência relativamente alta na zona urbana. Este ano, há um percentual de ao menos 600 pessoas estão deixando de adoecer por conta da malária durante o ano. “Isso só está sendo possível graças ao comprometimento da gestão para redução desses números e melhoria da qualidade de vida da população. Novos agentes foram contratados, a frota de veículos foi ampliada, mosquiteiros foram instalados, casas foram borrifadas, educação em saúde foi melhorada”, explica o Gerente de Endemias da cidade, Francisco Melo.

Segundo Melo, hoje há diagnóstico e tratamento garantido por parte da prefeitura aos moradores. “Tudo isso nos deixa feliz porque, imagina se tivesse havido aumento dos casos neste período em que estamos voltados ao combate da pandemia do novo coronavírus?”, questiona.

Para o prefeito de Mâncio Lima, Isaac Lima, a limpeza intensa da cidade, como os mutirões nos bairros, tem contribuído para a redução dos casos, tanto de malária como de dengue. Para o gestor, sem os investimentos da gestão e sem o apoio da população o município estaria vivendo um pico alto da doença. “Desde que assumimos nossa meta tem sido garantir uma qualidade de vida melhor para nossa população. E qualidade de vida começa com ações de saúde como as de combate de malária, dengue e outras doenças típicas dessa região”, garante.

O gestor ressalta que tem realizado constantemente os mutirões de limpeza em todos os bairros. “Os agentes de endemias têm intensificado as visitas domiciliares a fim de identificar e eliminar os focos de reprodução do mosquito. Fico feliz em estarmos comemorando bons resultados frente a esse momento difícil que estamos vivendo”, destaca Isaac.

Foi o cenário de 2007 que levou pesquisadores do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da Universidade de São Paulo (USP) a desenvolverem um projeto na cidade. O objetivo era entender a ocorrência da malária na região e fornecer instrumentos para combater a doença. Os pesquisadores desenvolveram ainda modelos matemáticos de transmissão de malária, em colaboração com o grupo da Escola de Medicina Tropical de Liverpool, na Inglaterra. A ideia era predizer qual o impacto esperado de diferentes medidas de controle em uma comunidade como Mâncio Lima.

“A malária é uma doença endêmica da região amazônica e com a continuidade dos trabalhos poderemos ter a eliminação desta doença. Sem ações pontuais, sem os estudos que foram realizados, o apoio do Ministério da Saúde e da equipe Estadual de Saúde, sem o empenho e dedicação da nossa equipe nós poderíamos estar vivendo uma realidade bem pior, mas, se descuidarmos, a malária pode voltar”, salienta o secretário municipal de Saúde, Ajucilene Gonçalves Mota.

De acordo com a Saúde de Mâncio Lima, com a redução dos casos de dengue e malária, a qualidade de vida das pessoas melhorou e também houve menos prejuízos socioeconômicos. “Pois menos trabalhadores adoeceram, menos pessoas estão sendo internadas correndo risco de pegarem outras doenças. Assim, se tivéssemos tendo alta incidência da malária como em anos anteriores, nesse período de pandemia da Covido-19, Mâncio estaria vivendo um verdadeiro estado de calamidade em saúde pública”, ressalta Mota.

As medidas de proteção individual são as formas mais efetivas de prevenção, considerando-se que ainda não existe uma vacina disponível contra a malária. Essas medidas têm como objetivo principal impedir ou reduzir a possibilidade do contato homem-mosquito transmissor. Em áreas de transmissão é considerado comportamento de risco frequentar locais próximos a criadouros naturais de mosquitos, como beira de rio, açudes ou áreas alagadas no final da tarde até o amanhecer, pois nesses horários há um maior número de mosquitos transmissores de malária circulando.

É importante também diminuir ao mínimo possível a extensão das áreas descobertas do corpo com o uso de calças e camisas de mangas compridas. Além disso, as partes descobertas do corpo devem estar sempre protegidas por repelentes que também devem ser aplicados sobre as roupas. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), todo ano, cerca de 430 mil pessoas morrem por causa da malária. Entre elas, 70% são crianças com menos de cinco anos de idade.

A transmissão natural da doença se dá pela picada de mosquitos do gênero Anopheles infectados com o Plasmodium, dos quais há quatro espécies principais: Plasmodium falciparum, Plasmodium malariae, Plasmodium vivax e Plasmodium ovale. Estes mosquitos também são conhecidos por anofelinos, dentre outros nomes.

Anúncios

Na rede

Secretário de Cruzeiro do Sul precisa de plasma para tratamento de Covid-19

Publicado

em

O secretário adjunto de Saúde de Cruzeiro do Sul Roberto Holanda, internado em uma UTI do INTO, em Rio Branco, está sendo tratado com plasma de pacientes curados da Covid-19 e a família faz pedido para que sejam feitas novas doações.

Os pacientes curados de Covid-19 com sangue tipo O+ devem fazer as doações no Hemoacre, em Rio Branco, ou no Hemonúcleo de Cruzeiro do Sul.

Só podem doar as pessoas que já tiveram Covid-19 e estão sem sintomas há pelo menos 14 dias.

Holanda, que chegou a ter 80 % dos pulmões comprometidos pelo coronavírus, foi transferido de Cruzeiro do Sul para Rio Branco na madrugada do último domingo, 2. Ele já foi coordenador de Saúde da Regional do Juruá e atualmente responde pela Secretaria de Saúde de Cruzeiro do Sul.

Continuar lendo

Na rede

TRE marca julgamento de Ilderlei para a próxima semana

Publicado

em

Está mercada para às 13 horas do próximo dia 10 de agosto a sessão virtual do julgamento do recurso do prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, contra a cassação do mandato, determinada pelo juiz Erick Farhat em julho de 2019. Farhat, juiz eleitoral substituto da 4ª Zona de Cruzeiro do Sul, cassou o mandato de Ilderlei, que recorreu da decisão, no exercício do cargo. Agora, caberá ao pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) confirmar ou negar a cassação.

A acusação é de corrupção eleitoral pela tentativa de compra de votos e desistência da candidatura do candidato a vereador Clebisson Silva Freire, do PSDB, durante as eleições de 2016. Toda a ação contou com a presença do então prefeito Vagner Sales, que estava no local e segundo os autos, teria ofertado R$5 mil mais dois empregos para o então candidato a vereador tucano.

O episódio, na sede da secretaria de Assistência Social, reuniu os dois candidatos a prefeito de Cruzeiro do Sul no pleito de novembro deste ano. Ilderlei Cordeiro chegou ao local acompanhando de Fagner Sales, filho de Vagner. Ilderelei repete que confia em Deus e na justiça e espera levar o mandato até o final. “Eu só passei pelo local e o próprio pretenso candidato confirmou isso. Não tentei comprar ninguém”.

Sessão virtual

A sessão será virtual e poderá ser acompanhada por meio da rede mundial de computadores, no canal do TRE-AC no YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCufTvCKIKUESDGMTpg6NTKQ. Segundo a juíza Mirla Regina, as sustentações orais, se cabíveis, devem ocorrer por videoconferência, por meio da plataforma Zoom Video Communications.

Está habilitado a realizar sustentação oral por videoconferência o advogado devidamente constituído no processo, obedecidas, quanto à sua habilitação, as mesmas normas aplicáveis à sustentação oral realizada em sessão presencial. O pedido de sustentação oral deverá ser formulado até 24 (vinte e quatro) horas do início da sessão, por meio de petição eletrônica, nos próprios autos do processo a ser julgado, ou, sendo o processo ainda físico, por envio ao e-mail informado pela secretaria do Tribunal.

Nos bastidores do processo, as informações são de que os advogados do prefeito Ilderlei Cordeiro teriam tentado ao máximo protelar o julgamento. Já a defesa de Vagner Sales, mesmo ele sendo acusado de compra de votos, tem feito de tudo para acelerar o julgamento do Pleno do TRE.

Continuar lendo

Na rede

Vence o prazo e Gol não retoma voos para Cruzeiro do Sul mesmo com decisão judicial

Publicado

em

No último dia 27 de julho, o juiz Erik da Fonseca Farhat, determinou a retomada dos voos da Gol Linhas Aéreas para Cruzeiro do Sul a partir de hoje, 5 de agosto, sujeita a multa de R$ 300 mil em caso de descumprimento. Mas, o site da empresa, neste dia 5, data marcada pela justiça acreana, segue sem disponibilidade de voos para a segunda maior cidade do Acre. A possibilidade de marcação de voo é só para novembro.

A supervisora da Gol no Acre e Rondônia, identificada como Rosângela, avisou ao presidente do Conselho Municipal de Turismo de Cruzeiro do Sul, Cristiano Falcão, que mesmo ciente da decisão judicial e do valor da muita diária, a empresa não retomaria os voos para Cruzeiro do Sul em agosto. Ele diz que os empresários do setor esperam o pior: “É consenso aqui entre os donos de agência que a Gol quer ir nos acostumando e em meados de outubro anunciar a retirada dos voos de forma definitiva”, conta Falcão.

A empresa interrompeu os voos para a segunda maior cidade do Acre no final de março. Atualmente, para sair de Cruzeiro do Sul, mesmo as pessoas doentes, a única opção é pela BR-364 em carro próprio, ônibus ou lotação até Rio Branco e da capital pegar voos para o restante do Brasil.

O promotor de justiça, Iverson Bueno, que fez o pedido de retorno da Gol na justiça acreana e o juiz Erick Farhat, devem se pronunciar sobre o caso. A assessoria de comunicação da Gol Linhas Aéreas disse que a Gol não comenta decisões judiciais.

Continuar lendo

Na rede

Cruzeiro do Sul continua sem testes rápidos de Covid-19

Publicado

em

Desde o início de junho, Cruzeiro do Sul está sem teste rápido para exame de Covid-19, sem medicamentos do kit de combate à doença e agora também sem remédios para o tratamento de hipertensão e diabetes.

Com relação aos exames, a secretária de Saúde de Cruzeiro do Sul, Juliana Pereira, diz que o processo licitatório para a contratação de laboratório que fará sorologia do coronavírus está em fase final. “Em breve vamos publicar o processo licitatório”, explica.

Quanto aos medicamentos do kit Covid-19, ela diz que os municípios acreanos estão tentando uma compra conjunta de grande quantidade dos itens. Já sobre os remédios da Central de Medicamentos para atender pacientes hipertensos e diabéticos, a secretária relata que a compra foi suspensa após a Operação Off-Label, da Polícia Federal, que investiga a empresa que fornecia medicamentos para a prefeitura de Cruzeiro do Sul.

“Para colaborar com a investigação, suspendemos junto à empresa investigada e estamos fazendo licitação para voltar a fornecer os remédios, como vínhamos fazendo há 3 anos para hipertensos e diabéticos”, conclui a secretária.

A Operação da PF, desencadeada no dia 3 de junho deste ano, investiga o desvio de recursos. Cruzeiro do Sul está com 2.785 casos de Covid-19. 55 pacientes estão internados no Hospital se Campanha, sendo 7 na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas