Conecte-se agora

Os efeitos do Auxílio Emergencial no mercado de trabalho e na renda da população do Acre 

Publicado

em

O IBGE lançou no dia 24/6 os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios para apresentar os efeitos da pandemia no mercado de trabalho e na renda da população -PNAD COVID-19 MENSAL, referente ao mês de maio, a menos de três meses da implementação da política do Auxílio Emergencial – AE. O objetivo da pesquisa é produzir mensalmente informações necessárias à elaboração de políticas públicas de apoio econômico aos diferentes agentes, durante a crise sanitária. O Auxílio Emergencial é destinado aos trabalhadores informais, microempreendedores individuais – MEI, autônomos e desempregados. Nosso objetivo no artigo de hoje é descrever e analisar os dados do Acre na referida pesquisa.

A PNAD COVID-19 MENSAL do IBGE revela que, dos 231 mil domicílios existentes no Acre, 50,4% (mais de 116 mil) foram beneficiados, em maio, com o AE. Em termos populacionais, dos 882 mil habitantes do estado, quase 444 mil pessoas, residem em domicílios onde pelo menos um morador recebeu o benefício. Pelos nossos cálculos, no total, baseado nos dados da pesquisa, no mês, foram repassados para os acreanos contemplados, mais de R$ 105 milhões, distribuídos principalmente para aqueles que estão nos estratos de renda mais baixos da população. No mês, a média do rendimento proveniente do auxílio emergencial, daqueles que receberam o auxílio no estado, foi de R$ 906,16, por domicílio.

Geralmente, as variações nos rendimentos do trabalho são captadas pelas diferenças entre as médias da renda efetivamente recebida e da renda habitualmente recebida. Para o Acre, os dados da PNAD COVID-19 de maio, revelaram que os rendimentos médios efetivamente recebidos pelos acreanos foram de R$ 1.672,80, enquanto que os rendimentos médios habitualmente recebidos eram de R$ 1.872,76, ou seja, os rendimentos efetivos representaram somente 89% dos rendimentos habituais, uma perda de 11% no mês. Para termos uma noção do que isso representa, os dados da PNAD Contínua trimestral do Acre, do segundo trimestre de 2019, trimestre que engloba o mês de maio, a renda média efetiva representava 101% da renda média habitual, praticamente iguais, sinalizando um quadro de normalidade no mesmo período do ano passado.

O distanciamento social provocado pela pandemia de Covid-19 deixou no Acre 25 mil trabalhadores sem remuneração. Isso correspondeu no mês a 35,7% das pessoas que estavam afastadas de seus trabalhos e a 9,7% de toda a população ocupada do estado, que totalizava 258 mil pessoas. Além do mais, no mês de maio, haviam 350 mil pessoas fora da força de trabalho no Acre, dos quais 46,3% não procuraram trabalho, mas gostariam de trabalhar, e 36,2% não procuraram trabalho, principalmente devido à pandemia ou porque faltava trabalho, mas também gostariam de trabalhar. Era do conhecimento público que havia uma parcela da população afastada do trabalho, o que a pesquisa nos trouxe foi que mais de 25 mil delas estão sem rendimentos. São pessoas que estão sendo consideradas na força de trabalho, mas estão com salários suspensos. Isso não é favorável e tem efeitos na massa de rendimentos gerada, aliada a outros indicadores, está estimada numa queda de mais de R$ 50 milhões no mês. 

Outro dado importante é que, ao somarmos a população fora da força de trabalho que gostaria de trabalhar, mas que não procurou trabalho (162 mil), com a população desocupada (38 mil), temos 200 mil pessoas pressionando o mercado de trabalho. E mais, 127 mil pessoas responderam que o motivo de não ter procurado trabalho ou foi a pandemia ou foi a falta de trabalho na localidade.

Em um outro estudo, publicado através de notícia, no dia 04/7, pelo ac24horas, mostra os resultados de uma avaliação da renda básica emergencial, realizada pelos economistas Ecio Costa (UFPE) e Marcelo Freire (SDEC-PE) que projetaram que o fluxo da soma das parcelas pagas e previstas do Auxílio Emergencial, pode trazer um impacto positivo de 5,86% no Produto Interno Bruto (PIB) do Acre. 

São inegáveis os benefícios do Auxílio Emergencial para a economia acreana. A boa notícia é que o governo federal autorizou a prorrogação do Auxílio Emergencial em mais duas parcelas de R$ 600, que foi oficialmente decretada no Diário Oficial da União do último dia 30 de junho. As parcelas da prorrogação serão divididas, com pagamentos entre o início e o final do mês, de forma que sejam quatro parcelas e não mais uma em cada mês, como anteriormente. Outra boa notícia veio do governo local, a imprensa publicou no dia 5/7 que o governador Gladson Cameli declarou que nos próximos dias deverá anunciar um grande plano na área social às famílias de baixa renda para ajudar as pessoas a enfrentar a crise instaurada pelo novo coronavírus. Segundo o governo, o plano vai beneficiar mais de 100 mil famílias em todo o Estado, num auxílio que deverá ser entre R$ 90 a R$ 120 reais. 

Os dados comprovam aquilo que temos incessantemente defendido em artigos anteriores. Manter a renda de famílias vulneráveis diante da pandemia é evitar quedas ainda mais proeminentes na atividade econômica e maior deterioração das contas públicas.  Com o Auxílio Emergencial muitas famílias aumentaram a sua capacidade de consumo o que garantiu um consumo básico que viabilizou a demanda por bens e serviços, permitindo aos produtores e comerciantes a manutenção das operações dos negócios e do emprego.


Orlando Sabino escreve às quintas-feiras no ac24horas.

Anúncios

Cotidiano

Gerente, açougueiro e vendedor: veja as 21 vagas do SINE desta quarta-feira

Publicado

em

Continuar lendo

Cotidiano

Prefeitura de Rio Branco realiza atividade do Dia Mundial de Luta contra HIV

Publicado

em

Continuar lendo

Acre 01

Após decisão liminar, TCE marca posse de Ribamar Trindade para quinta-feira (3)

Publicado

em

Continuar lendo

Cotidiano

Justiça do Acre negou oito pedidos de revalidação de diploma de medicina

Publicado

em

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Leia Também

Mais lidas