Conecte-se agora

Virou casa de noca

Publicado

em

FOTO: SÉRGIO VALE

Basta você dar uma volta pela cidade, seja no centro ou nos bairros da periferia que vai ver comércios que não se enquadram na faixa das atividades essenciais, fazendo de contas que estão fechados, aglomerações, muita gente sem máscaras, numa total falta de respeito ao decreto de isolamento do governo e da prefeitura. Sem falar na pressão diária de religiosos evangélicos e de representantes de entidades de classe, que também zombam das recomendações das autoridades da área da Saúde; para eles, tudo está normal. Não existe pandemia. Ninguém foi contaminado pela Covid-19, ninguém morreu pela doença na capital, como se Rio Branco vivesse na Ilha da Fantasia e fora do mundo. Mas se amanhã faltar leito nos hospitais pelo crescimento da pandemia, estes serão os primeiros a atirar pedras no governador Gladson Cameli e na prefeita Socorro Neri os culpando pelo caos no sistema hospitalar. Aqui não se respeita nada. Chegou a um ponto de autoridades da segurança se sentirem no direito de emitirem opiniões palpitando contra a preservação da vida. Os que são contra o isolamento social, não atirem a primeira pedra no governador e na prefeita se a pandemia sair do controle, seus telhados serão de vidro. Transformaram Rio Branco numa Casa de Noca, onde todo mundo manda e ninguém obedece. Somos uma população em que a grande parte não tem responsabilidade coletiva. E ainda se pautam por políticos toscos. Pena!

AFRONTA À AUTORIDADE

A declaração do Comandante da PM, Coronel Ulysses, criticando as medidas tomadas até aqui pelo governo contra a pandemia, foi na verdade uma reprimenda pública ao governador Gladson Cameli, e assim deve ser vista. Ou toma providência ou passará recibo de cordeiro.

SÓ FALTA ISSO

Ou daqui em diante vai ter tudo que é secretário lhe dando carão e não cumprindo ordens.

ABACAXI DA FRONTEIRA

O vice-governador Major Rocha revelou que foi procurado pelo ex-prefeito de Epitaciolândia, André Hassem, manifestando o desejo de se integrar ao seu grupo em Epitaciolândia e indicar o vice na chapa do Delegado Sérgio Lopes (PSDB) a prefeito. A proposta será discutida.

NÃO PASSA POR CIMA

Durante a conversa, André Hassem, manifestou a sua insatisfação no SD da deputada federal Vanda Milani (SD), mas Rocha ressaltou que não vai passar por cima e atropelar o partido. Só admite alongar a conversa caso o André venha se desfiliar do SOLIDARIEDADE.

NÃO É BEM VISTO

A informação que a coluna tem é a de que a entrada André Hassem terá rejeição no diretório municipal de Epitaciolândia, quando o assunto for levado para o debate dentro do partido.

SD ENCOLHENDO

O certo é que os planos do SD de sair da eleição municipal forte em vários municípios vão encolhendo, já perdeu vários quadros importantes. Resultado da deputada federal Vanda Milani (SD) ter declarado que não será mais candidata a prefeita de Rio Branco.

BEM ARTICULADO

O candidato a prefeito de Rio Branco (SD), Luziel Carvalho, é bem articulado e levou a campanha para a rua, mas sobre a sua chance real de integrar o pelotão de elite dos que vão disputar a PMRB, temos que aguardar as rodadas de pesquisas que virão na campanha.

QUERO PAZ

A frase é do vice-governador Major Rocha, sobre o conturbado episódio da sua ida ao PSL. Falou ontem ao BLOG que quer paz, e só entrará caso tenha “carta branca” para efetuar mudanças na executiva. Neste caso, a candidatura de Fernando Zamora (PSL) á PMRB iria para o espaço. O desfecho deve ocorrer esta semana, com a vinda de um representante do PSL.

COMPARADO A PILATOS

No artigo do presidente da FIEAC, José Adriano, sobre os efeitos da pandemia dá uma cutucada no governador Gladson Cameli, o comparando a Pilatos, por ter lavado a mão na condução do processo de abertura e transferido a decisão para a prefeita Socorro Neri.

RELAÇÃO TUMULTUADA

Essa relação entre o governador Gladson e o José Adriano sempre foi conturbada.

OUTRA FACE DO JURUNA

O episódio do fechamento das bancas dos camelôs mostrou a face violenta do vereador Juruna (AVANTE), que até aqui vinha se mostrando uma pessoa cordata e pacífica. Ao prometer mandar “quebrar” as bancas dos camelôs que abrissem as portas, deixou mal a sua imagem

FAÇO JORNALISMO

Sobre a entrevista do ex-senador Jorge Viana (PT) a este BLOG, que balançou o mundo político e as redes sociais: não balizo minhas entrevistas, pelo partido ao qual o entrevistado pertence. No BLOG não tem censura, não coloco palavra na boca de ninguém. Faço jornalismo. E ponto!

NEM ERA PRECISO

Nem era preciso o governador Gladson se disfarçar para ver de perto se o decreto de só funcionar as atividades comerciais essenciais foi burlado. Está tudo aberto na periferia.

PEGANDO MAL

A pandemia está na faixa vermelha, com o aumento dos casos de contaminações e óbitos. Nada sustenta a tese insistente dos Pastores evangélicos de abrir os templos, que são vetores da transmissão da Covid-19, por causa da aglomeração. Se abrir templos fosse a chave para a diminuição da pandemia, estaria na briga pela abertura; mas abrir pode agravar o quadro.

BELO EXEMPLO

E, por favor: não venha com a falsa tese de perseguição religiosa, o caso é de saúde pública, estamos numa pandemia, um fato atípico, que foge à normalidade. Por qual razão os Pastores evangélicos não seguem o belo exemplo da Igreja Católica, que vai pelo o que dita a ciência?

OLHA O EXEMPLO DO ORLEIR, GLADSON!

Acompanhei como jornalista político a chegada do Orleir Cameli ao governo até a sua saída. Iniciou com quase todos os deputados estaduais lhe apoiando e forte base no parlamento federal. Ao longo do mandato foi se afastando dos aliados que o ajudaram na eleição; e dos deputados federais, ficou apenas com o Osmir Lima fiel. O Gladson está abandonando os aliados pelo caminho, e se não corrigir o rumo, pode acabar o mandato, solitário, como o tio Orleir.

NÃO EXISTE

Aprendi nos 40 anos de jornalismo político que toda declaração de quem governa deve ser medida e pesada antes de emitir a fala, para não ter mais perdas do que ganhos. 

NÃO SE GOVERNA COM O “EU” 

Na política não se governa só, não se afasta aliados, porque os aliados relegados podem ser os adversários de amanhã. Veja o Bolsonaro, se elegeu relegando alianças e teve de abrir as portas ao centrão, dando cargos para governar. Não se governa com o “eu”, mas com o “nós.”

COMANDANTES DA CAMPANHA

Jorge Viana, Marcus Alexandre e Raimundo Angelim serão os pensadores e comandantes da campanha do candidato do PT à prefeitura de Rio Branco, o deputado Daniel Zen (PT). Foram, inclusive, os articuladores para que Zen fosse o escolhido para disputar a PMRB.

NÃO FICA IMUNE AO MPF

Secretários que manuseiam recursos públicos podem por conta da pandemia dispensar a licitação na compra de medicamentos e componentes hospitalares, mas fiquem atentos de quem estão comprando, para depois não virarem alvo do Ministério Público Federal.

PORTEIRA ABERTA

Com a aprovação do marco regulatório do saneamento a porteira para a privatização do DEPASA foi aberta. O senador Sérgio Petecão (PSD) foi o único da bancada federal a votar contra, se mirando no exemplo da Energisa, que jogou o valor das contas para as alturas.

O CRIME DA SOCORRO

Pelo que conheço da prefeita Socorro Neri, ela não vai ceder às pressões, às ofensas, ás agressões pessoais, para liberar as atividades comerciais não essenciais com a pandemia da Covid-19 estando numa curva crescente e na faixa vermelha. Seu crime: preservar vidas.

FRASE QUE SE ENCAIXA

Há uma frase que pode ser encaixada nesta situação enfrentada pela prefeita Socorro Neri: – a economia se recupera, vidas perdidas, jamais. O que mais chama a atenção é que muitos que remam contra a ciência são pessoas esclarecidas, mas cujas mentes embotaram pelo lucro.

FORA DE COGITAÇÃO

Não existe a menor possibilidade do prefeito de Sena Madureira, Mazinho Serafim (MDB), ter como a vice da sua chapa a ex-prefeita Toinha Vieira (PSDB). Este é um jogo a não ser jogado.

BRINCANDO DE POLÍTICA

Em Cruzeiro do Sul, os aliados do grupo do Gladson Cameli estão brincando de fazer política. Uma hora o prefeito Ilderlei Cordeiro aventa a possibilidade de não disputar a eleição, na outra hora muda de opinião e mantém seu nome, e assim o tempo vai correndo sem uma solução.

SOMOU NA IMAGEM

A entrada do Márcio Pereira (PROGRESSISTAS) de vice na chapa do candidato a prefeito de Plácido de Castro, Francisco Tavares (MDB), pode não somar votos, mas soma no perfil. Além de ter uma conduta sem nódoas, o Márcio é um bom articulador de campanha.

ATO ÉTICO

O presidente do PSL, Pedro Valério, ao se negar entregar na bandeja a cabeça do candidato a prefeito da capital, Fernando Zamora (PSL), para o vice-governador Major Rocha (PSDB) entrar no partido sem reações, foi antes de tudo ético. E isso não costuma ser comum na política.

CAMINHO NATURAL

Em 2022, a tendência do senador Márcio Bittar (MDB) é entrar no partido no qual o presidente Jair Bolsonaro estiver. Não vai fazer sentido o Márcio ser o coordenador da campanha do Bolsonaro no estado, filiado no MDB. Mesmo porque seria até uma incoerência.

CANDIDATURA MANTIDA

Em Tarauacá, a candidatura da vereadora Janaína Furtado (PROGRESSISTAS) à prefeita está mantida. O problema no município é que o grupo que apoia a candidatura do ex-prefeito Rodrigo Damasceno (PSDB) está unido, e os seus adversários divididos em vários nichos.

FRASE MARCANTE

“Na política do Acre não há mais lugar para os amadores”.  Zamir Teixeira, o “Terrível Zam”, que disputou o Senado pelo Acre, e foi quem primeiro deu sacolão na campanha.

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Leia Também

Mais lidas