Conecte-se agora

Fecham-se as cortinas do circo dos horrores

Publicado

em

O decreto de isolamento baixado em conjunto pelo governo e prefeitura da capital, restringindo as atividades comerciais apenas aos setores essenciais, está chegando ao seu final de maneira melancólica. A sua eficácia ficou muito abaixo do que dela se esperava. E nessa Ópera-Bufa de circo mambembe, com atores caricatos; temos que botar no picadeiro principal a grande maioria da população, que não esteve nem aí, as aglomerações continuaram, com os comércios que foram atingidos pelos decretos abertos descaradamente, igrejas evangélicas continuando com seus cultos, enfim, o isolamento foi uma grande farsa encenada pela maioria do povo e entidades. E os dirigentes das entidades comerciais, na maior cara lisa ficaram fazendo carreatas, e choramingando que o estado estava quebrando os comerciantes, que o desemprego estava aumentando. Desemprego aumentando? Vão catar coquinhos! Antes da pandemia o estado sempre esteve com a taça de campeão do desemprego. Somos um estado com uma população que em sua grande parte vive da bolsa família. E só agora estes senhores descobriram que, no Acre existe pobre e desemprego? Só acordaram porque mexeu nos seus bolsos? Contem outra piada! O interesse dos senhores na abertura foi pessoal. E o governo e a prefeitura da capital também têm que estar como atores principais no picadeiro deste circo dos horrores. Qual foi a fiscalização do estado e da prefeitura para fechar os comércios que estavam abertos ilegalmente? Vamos jogar claro, sem chiliques, a fiscalização foi quase zero! Agora, antes da pandemia, quando era para multar motoristas, tanto o RBTRANS como o DETRAN estavam todos os dias nos cantos das ruas de caderneta na mão metendo multa. E tome multa! Perderam a valentia na pandemia. Por isso, é a mais pura demagogia se ficar gritando se rasgando e pedindo que o governo e a prefeitura abram o comércio. Abrir o quê, se nunca o decreto de isolamento social foi cumprido? O resultado é se chegando aos 11 mil casos de contaminações pela Covid-19, 300 mortes, e a pandemia no vermelho. E com tendência de aumentar mais. Não venham com balelas infantis de “protocolo da saúde”. Vão brincar de ciranda/cirandinha. Não se seguiu o decreto, vai se seguir protocolo? Respeitável público! Fechem-se as cortinas! O decreto expirou, e finda o último ato do circo dos horrores.

PARA NÃO FALAR

E para não dizer que não falei de flores é para se elogiar a posição da Igreja Católica, através do padre Massimo Lombardi e do Bispo Dom Joaquín Pertinez, que foram firmes na defesa que a população cumprisse com rigor o isolamento social. Mas, foram  vozes no deserto.

PREOCUPAÇÃO PERTINENTE

A preocupação externada pelo governador Gladson em comprar equipamentos, pagar adiantado, e depois não receber, é pertinente. É o seu CPF que está em jogo. Se comprar, pagar; e o material não vier, a PF vai bater na sua porta como em outros governos.

NÃO É DINHEIRO E NEM GESTÃO

Chegue a criticar. Mas, fui convencido que o dinheiro está na conta, liberado, mas pela pandemia crescente faltam equipamentos para a pronta entrega. E tem uma legião de infectados pela Covid-19 que não pode esperar. É uma situação que chega ao desespero.

HISTÓRIA MAL CONTADA

Uma grande bobagem falar que o prefeito Mazinho Serafim pediu a saída de um Delegado de Polícia de Sena Madureira. Primeiro, que não foi verdade. Não se remove Delegado porque prefeito quer, começa por aí. O que se quis foi atingir politicamente o prefeito Mazinho.

PERDA DE TEMPO

Para quem conhece pesquisas internas feitas para consumo de partidos que disputam a prefeitura de Sena Madureira, que não foram reveladas mostram que para derrotar o prefeito Mazinho, o pólo da pirâmide terá que se inverter. E a última pesquisa revelada mostrou isso.

NÃO DERROTA

Não é criando factoides que os adversários vão impedir a reeleição do prefeito Mazinho.

MESMO BESTEIROL

Lembro que a defesa para a construção da estrada de saída pelo Pacífico passando por Assis Brasil foi cantada em prosa e verso pelo PT como a redenção econômica do Acre. Foi feita e nada mudou no quadro de miséria econômica do Acre. Com outros atores, agora se defende a estrada para Pucallpa. Vai redundar numa especulação fundiária da região e tão somente.

OBRAS QUE FICAM

Os dois hospitais de campanha, o de Cruzeiro do Sul e o de Rio Branco, são obras que ficarão incorporadas à capacidade hospitalar do sistema de saúde. Só isso já valeu!  Após o fim desta pandemia o estado vai ter de fato uma capacidade hospitalar melhor do que, a que existia.

CUMPRINDO O COMBINADO

O senador Sérgio Petecão (PSD) diz que não está fazendo nada além do que foi pedido pelo governador Gladson Cameli, de que este ficaria focado no combate à pandemia da Covid-19, e ele da parte da sucessão municipal, na capital. E que por isso está montando alianças políticas.

CANDIDATA DE POSIÇÃO

Posso não concordar com a tese de um político, mas respeito quando tem posição firmada sobre uma conduta ideológica. Político não pode ser Maria vai com as outras, tem que ter lado ideológico. É neste sentido que vejo como positiva a candidatura a vereadora da capital da bolsonarista Rila Freze (PSL). Eu não meço um político pelo partido, mas pela competência.

NÃO RETIRA

Nada é impossível, mas pela informação que tenho é que, hoje a chance é mínima do senador Sérgio Petecão (PSD) abrir mão do PSD ter uma candidatura própria a prefeito de Cruzeiro do Sul. E nem passa pela cabeça de indicar um vice na chapa do candidato do PP, Zequinha.

MELHOR POSICIONADO

A candidatura do Fagner Sales (MDB), numa aliança com o PSDB, é a que está mais organizada, melhor posicionada até aqui para disputar a prefeitura de Cruzeiro do Sul. Os Sales – Vagner Sales, Antônia Sales, Jéssica Sales, sabem e gostam de fazer política, e formam trinca de peso.

AO NÃO SER QUE MUDE O VENTO

Ao não ser que mude o vento e a biruta tome outra direção, se as candidaturas alternativas aos clãs dos Damascenos e do Vitorinos – não se unirem numa frente, isolados, não será fácil a tarefa de derrotar a candidatura do ex-prefeito Rodrigo Damasceno (PSDB). Volto bisar.

UM TURRÃO DE VOTOS

Conheço poucos políticos duros, rudes, que não se enquadram no chamado “fino trato”, como o ex-prefeito de Feijó Francimar Fernandes (MDB). Mas é um turrão de votos. E se goste da maneira dele tratar ou não, o Francimar foi um bom prefeito e saiu com avaliação altíssima.

ESTÁ NA DISPUTA

Os números mostram que está na disputa. Quem conhece o caminho das urnas não esquece.

PESQUISAS VÃO COMEÇAR

O DATA-CONTROL, instituto da mais alta credibilidade, está se preparando para uma rodada de pesquisas em todo estado durante o mês de julho. As atenções dos partidos estarão voltadas, principalmente, para os resultados de Rio Branco e de Cruzeiro do Sul.

PODEM ANOTAR

O que deve pesar muito na avaliação que será feita pelo governador Gladson Cameli sobre o seu apoio a um candidato a prefeito da capital, será como ficarão as posições dos nomes que ele tem em mente nestas pesquisas. Não pode correr o risco de entrar para perder a eleição.

DERROTA PESSOAL

Mesmo porque se o seu candidato perder a eleição da capital, a derrota será atribuída a ele.

ENFRONHADO NA MÍDIA

O senador Márcio Bittar (MDB) estava ontem na CNN debatendo com o senador Randolfes Rodrigues (REDE). O Márcio não tem vergonha de se apresentar como bolsonarista, de defender o projeto e suas teses, por mais antipáticas que forem para a esquerda, por isso quando há um debate na televisão sempre é chamado para representar o lado do Bolsonaro.

FIGURA CONSTANTE

E caso o senador Márcio Bittar (MDB) venha a ser o Relator do Orçamento da União, passará a ser figura presente nas entrevistas da grande mídia, pela extrema importância do cargo. Bittar se diz ideologicamente mais à direita do que o Bolsonaro.

UM VERÃO PARA DESLANCHAR

Não coloque a prefeita Socorro Neri fora do jogo político. Tenha ou não o apoio do governador Gladson Cameli, ela terá todo um verão para deslanchar em obras na cidade e aumentar a sua popularidade. Pode chegar ao período eleitoral bem avaliada, ela tem o trunfo da máquina.

NÃO ERA O QUADRO

Não é o quadro do sonho do ex-senador Jorge Viana (PT) o que vai se formar para a disputa da eleição para a prefeitura de Rio Branco. A engenharia da sua cabeça passava pela candidatura do ex-prefeito Angelim à PMRB, com o apoio da prefeita Socorro Neri. Entrou água no chopp.

FRASE MARCANTE

“Quem é carregado nas costas não sabe avaliar o quanto a aldeia está longe”. Ditado africano. 

Anúncios


Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas