Conecte-se agora

Pré-vestibular da UFPB está com inscrições abertas

Publicado

em

É online e gratuito; o participante pode se inscrever através do site  

As inscrições para o pré-vestibular on-line e gratuito da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) estão abertas. Estudantes que desejam se preparar para o Enem e outros processos seletivos podem se inscrever através do site do projeto, até o dia 21 de junho. O cursinho tem como público-alvo estudantes, professores, técnico-administrativos e colaboradores da UFPB e alunos sem vínculo com a instituição. São mil vagas disponíveis. As aulas acontecerão totalmente pela internet.

O pré-vestibular da UFPB tem previsão para iniciar no dia 22 de junho e deve seguir até o dia 30 de abril de 2021. As aulas terão material didático digitalizado para acompanhamento, apresentações em multimídia, vídeos, webconferências e fórum para debate. Os estudantes também terão a oportunidade de tirar dúvidas com os educadores.

Entre as ferramentas que serão utilizadas estão o Moodle Classes (UFPB), Google Meet, Instagram, WhatsApp e outros aplicativos de comunicação. O pré-vestibular é uma iniciativa do projeto “Inclusão social de alunos da rede pública: educação, cultura e direitos humanos”, coordenado pelo Departamento de Agricultura da UFPB.

No cursinho da UFPB os alunos terão acesso aos seguintes módulos: 

-Linguagens e códigos e suas Tecnologias

-Ciências da Natureza e suas Tecnologias

-Ciências Humanas e suas Tecnologias

-Matemática e suas Tecnologias

Fonte: Agência Educa Mais Brasil 

 

Anúncios

Destaque 3

NOTA PÚBLICA DE RETRATAÇÃO

Publicado

em

“Por força do Termo de Ajustamento de Conduta n. 2/2020, firmado com o Ministério Público Federal, a Federação do Povo Huni Kui do Estado do Acre – FEPHAC e o Jornal Ac24horas, no inquérito civil n. 1.10.000.000657/2019-93, este veículo de comunicação se retrata publicamente pedindo desculpas para toda comunidade indígena e acreana, e reconhece que a matéria intitulada “turismo indígena atrairia gringos, dinheiro e drogas para as aldeias do Acre” (em referência específica ao povo Huni Kui e Yawanawa) apresentou conteúdo equivocado e distorcido, não condizente com a realidade. A notícia repercutiu como conotação de racismo e preconceito étnico e social em meio aos parceiros e apoiadores da causa indígena.

E a fim de ressaltar a importância da valorização da cultura indígena, este jornal publicita o apreço a todos os povos indígenas, em especial aos do Estado do Acre, e com isso, se compromete a trabalhar respeitando os termos da Constituição da República Federativa do Brasil de 1988 e da Convenção n. 169 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que reconhecem, respectivamente, aos povos indígenas a sua organização social, costumes, línguas, crenças e tradições, e os direitos originários sobre as terras que tradicionalmente ocupam (art. 231, da CF), bem como a consulta livre, prévia e informada antes de serem tomadas decisões que possam afetar seus bens ou direitos (obrigação estatal de consulta).”

Continuar lendo

Cotidiano

FCCV volta à UBS Euclides Queiroz Cunha e finaliza serviços de manutenção

Publicado

em

A Fundação FCCV voltou, nesta terça-feira (27), à na Unidade Básica de Saúde (UBS) Euclides Queiroz Cunha, no bairro Miritizal Olivença, para finalizar serviços de manutenção, realizados em parceria com a Prefeitura de Cruzeiro do Sul. Desta fez, a equipe da FCCV colocou a aduela de porta quebrada por vândalos.

Na semana passada, a equipe já havia realizado uma série de intervenções nesta unidade de saúde com o objetivo de melhorar ainda mais o atendimento à população.

Entre outras as ações da semana passada, a equipe da FCCV refez toda a rede de água que abastece a UBS, pois esta unidade sofria com a constante falta de água. Agora, com os serviços concluídos, o posto de saúde tem abastecimento todos os dias.

Estas ações integram o Projeto Saúde em Foco, desenvolvido em parceria entre a FCCV e a Prefeitura com o objetivo melhorar o atendimento à saúde da população de Cruzeiro do Sul.

Continuar lendo

Na rede

TRE nega candidatura de cunhada do prefeito Isaac Lima

Publicado

em

O pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) rejeitou nessa quinta-feira, 29, o provimento do recurso de defesa da candidata a prefeita de Mâncio Lima, Wilsilene Siqueira. Por 6 votos a 1, o TRE, confirmou o indeferimento candidatura já determinado pelo juiz eleitoral da 4° Zona, Marlom Machado.

No dia 17 de outubro, o juiz eleitoral Marlon Martins Machado indeferiu o registro de candidatura de Wilsilene, acatando pedido do Ministério Público Eleitoral , que alega impossibilidade da candidatura porque Wilsilene é casada com o irmão do atual prefeito da cidade, Isaac Lima, do PT.

Além do Ministério Público , a coligação MDB / PSDB do município também havia pedido a impugnação com a mesma alegação: o parentesco da candidata com o atual prefeito e candidato à reeleição.

No dia 19, o advogado de Wilsilene, Luiz Bentes, recorreu da sentença por entender que o caso deveria ser analisado com nas instâncias superiores, “tendo em vista que Silene, por ser cunhada do prefeito Isaac Lima, nunca teve qualquer benefício em favor dela ou de sua campanha, o que é público e notório”, alegou.

Continuar lendo

Cotidiano

Campanha nacional de vacinação contra a Poliomielite termina nesta sexta-feira (30)

Publicado

em

Termina nesta sexta-feira (30) a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite no Brasil. Segundo dados preliminares das Secretarias Estaduais de Saúde, 4,9 milhões de crianças foram vacinadas contra a paralisia infantil desde o início da mobilização, no dia 5 de outubro. Até o momento, cerca de 6,3 (55,9%) milhões de crianças ainda não foram vacinadas contra a doença. O público-alvo estimado é de 11,2 milhões de crianças de 1 a menores de 5 anos de idade. Os estados podem continuar com as mobilizações de acordo com o planejamento e estoque locais.

O Ministério da Saúde tem alertado a população quanto à importância da vacinação, respeitando as diretrizes e orientações de segurança para evitar o risco de transmissão da Covid-19. A poliomielite, conhecida como paralisia infantil, é uma doença infectocontagiosa grave que afeta o sistema nervoso, podendo provocar paralisia permanente ou transitória dos membros inferiores. Não existe tratamento e a única forma de prevenção é a vacinação.

A maior cobertura, até o momento, foi registrada entre as crianças de dois anos de idade (45%), enquanto a menor foi registrada entre as crianças 3 anos de idade (43%). O estado do Amapá registrou o maior índice de vacinação contra a poliomielite no país (76,4%), seguido de Pernambuco (64%) e da Paraíba (61%). A menor cobertura registrada foi do estado de Rondônia (17,3%).

Até o momento, 646 municípios (11,5%) atingiram a meta de 95% de crianças vacinadas. Os dados são preliminares e os municípios têm até o fim de novembro para registrar as doses aplicadas no sistema de informações do Ministério da Saúde. A recomendação aos estados que não atingirem a meta é continuar com a vacinação de rotina oferecida durante todo o ano nos mais de 40 mil postos de saúde distribuídos pelo país.

CAMPANHA NACIONAL DE VACINAÇÃO

Com o conceito ‘Movimento Vacina Brasil. É mais proteção para todos’, a ação teve início em 5 de outubro e se encerra nesta sexta-feira (30), simultaneamente à campanha de multivacinação, que visa atualizar a situação vacinal de crianças e adolescentes menores de 15 anos. Nesta última são ofertadas todas as vacinas do calendário nacional de vacinação.

O Brasil é referência mundial em vacinação e o Sistema Único de Saúde (SUS) garante à população brasileira acesso gratuito a todas as vacinas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Atualmente, são disponibilizadas pela rede pública de saúde de todo o país 18 vacinas para crianças e adolescentes no Calendário Nacional de Vacinação, para combater mais de 20 doenças, em diversas faixas etárias.

POLIOMIELITE NO BRASIL

O Brasil vem desenvolvendo um importante papel no combate à poliomielite. Ao longo de 47 anos o Programa Nacional de Imunizações (PNI), por meio das ações de vacinação, tem contribuído de forma ativa para manter o país livre da doença. Em 1994, o Brasil recebeu da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) a certificação de área livre de circulação do poliovírus selvagem do seu território, juntamente com os demais países das Américas.

Desde então, o país tem se empenhado para alcançar altas e homogêneas coberturas vacinais para manter a eliminação da doença. Coberturas vacinais municipais heterogêneas podem levar a formação de bolsões de pessoas não vacinadas, possibilitando a reintrodução do poliovírus. Por isso, é imprescindível que pais ou responsáveis levem as crianças menores de 5 anos aos postos de vacinação.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas