Conecte-se agora

Márcio Bittar: “vou puxar a reeleição do Bolsonaro em 2022″

Publicado

em

Numa conversa ontem com o senador Márcio Bittar (MDB),  este revelou ao BLOG DO CRICA que, ainda que não concorde com a postura de oposição do deputado Roberto Duarte (MDB) em relação ao governo do Gladson, este será o seu candidato a prefeito da capital, por lealdade partidária. Mesmo não participando das decisões dentro do partido. Contou que tem recebido convites para disputar o governo, mas recusou todos. A sua meta política em 2022 é coordenar a reeleição do presidente Bolsonaro no Acre, e trabalhar a candidatura da mulher Márcia Bittar, a deputada federal pelo partido em que o presidente estiver filiado. Ela não sairá pelo MDB. Bittar deixa claro nas entrelinhas de que, quem não estiver com o Bolsonaro na campanha não o terá no palanque. Bittar em nenhum momento falou que deixará o MDB, mas a experiência de mais de quatro décadas no jornalismo político me ensinou a fazer a leitura nas entrelinhas, eu não apostaria um centavo contra a possibilidade do Márcio Bittar estiver em 2022 filiado ao partido em que estará o presidente Bolsonaro. Mesmo repetindo exaustivamente que não tem intenção de disputar o governo em 2022, também não apostaria um centavo contra a hipótese do Bittar disputar o Palácio Rio Branco pelo grupo do Bolsonaro. Na política costuma-se dizer que até boi voa. E no Acre, quem sabe, o Mapinguari também não voe em 2022?  

LUZIEL CARVALHO

Quem me ligou ontem foi o Luziel Carvalho (SD), para reafirmar que estará entre os candidatos a prefeito de Rio Branco na eleição deste ano. Revelou que tem 34 nomes para escolher os 26 que serão candidatos a vereadores, está com marqueteiro definido, e diz que briga na ponta.

PSL NA LIDA

O PSL tem candidatos a prefeito definidos em vários municípios. Em Cruzeiro do Sul vai de Adonis Sousa; em Tarauacá o candidato é o empresário Gilmar Torres; Gerson Meireles, em Feijó; João Carvalho, em Senador Guiomard; Joana Darc, em Plácido De Castro; em Acrelândia vai com Luiz do Gás; Sebastião Gomes (Balal), em Porto Acre; Everton Soares, em Epitaciolândia; e em Brasiléia o Charbel Reis. Na capital, o candidato é o Fernando Zamora. 

QUERIA MINGAU?

O MDB não pode reclamar que o governador Gladson tirou o comando do Núcleo de Educação em Brasiléia do MDB, e deu ao grupo do ex-prefeito Deda – que foi seu adversário na campanha – por um fato: o MDB faz pregações abertas contra o governador. Queria mingau?

DEIXANDO OS ALIADOS NO CHINELO

Falando no presidente do PROS, ex-prefeito Deda, hoje aliado do Gladson, é um dos políticos mais espertos que conheço. Papo de derrubar avião, maneiroso, entrou no governo como faca entra na manteiga, e se duvidarem, não vai demorar e estará dando ordens no governador. 

QUAL É A JUSTIFICATIVA?

Uma emenda de 6 milhões de reais da deputada federal Jéssica Sales (MDB) está há 30 dias na conta da SESACRE sem movimentação, enquanto isso no Juruá faltam testes para descobrir contaminados pelo novo Covid-19. Nada que o secretário Alysson disser justifica o descaso.

UM BAILE DE ATUAÇÃO

A deputada federal Jéssica Sales (MDB), por sinal, está dando um baile de atuação, sendo entre as mulheres da bancada federal do Acre, a que mais tem tido um mandato produtivo.

NÃO SE DORME NA GESTÃO

Na pandemia não há a brecha para uma gestão lenta. Cacete, se há dinheiro liberado, pode-se fazer dispensa de licitação, por qual razão se deixa 6 milhões dormindo na conta, Alysson?

NÃO CONFIAM NO BOCALOM

Assessores mais próximos do Gladson (com anuência do próprio) argumentam para não apoiar Tião Bocalom para a prefeitura de Rio Branco, ser ele “inconfiável” fora do poder, quanto mais no poder. Acham que no mandato, ele iria se achar sem compromisso com ninguém.

ISSO É QUE NÃO ENTENDO

Que o Gladson fala abertamente na sua simpatia pela candidatura da prefeita Socorro Neri a mais um mandato, isso é verdade. O que não consigo entender é por qual razão chamou o senador Petecão (PSD) e pediu que articulasse um bloco de apoio ao Bocalom para PMRB.

ALGUÉM VAI SER ENGANADO

A única coisa certa neste barco sem rumo é que alguém sairá enganado ao fim da história.

É MUITO RUIM

Esse puxa-encolhe é muito ruim para a imagem política do governador Gladson. Se alguém tem temor de lhe dizer isso para não lhe desagradar, eu não tenho, por não ser cabestrado.

NÃO ME PEÇAM PARA OMITIR FATOS

Nenhum político, os que estão no poder ou fora do poder, não me peçam para omitir fatos de bastidores que estão acontecendo ou vão acontecer no curso da eleição a prefeito, posso brigar com todo mundo, menos com o leitor. Não me chamem para entrar na manada.

SONDAGEM DESCARTADA

O senador Márcio Bittar (MDB) já foi sondado para disputar o governo em 2022, por lideranças do MDB e do PSDB, e nas duas ocasiões descartou. Mas, a política, como já dizia o saudoso filósofo do Abunã e cercanias, Luiz Pereira, costuma ser dinâmica. Eternos só os diamantes.

NÃO ARRISCARIA APOSTAR

Não arriscaria a apostar sobre quem o governador Gladson vai apoiar para a prefeitura de Rio Branco na eleição deste ano, nem se será candidato à reeleição ou a senador, em 2022. A volúvel cabeça do Gladson é terra que ninguém anda, a sua inconsistência o deixa indecifrável.

NÃO ESTÁ TENDO

A Assembléia Legislativa era para estar sendo protagonista neste debate da pandemia com propostas para a gestão, mas alguns deputados optaram pela mesmice do discurso insosso.

RECÍPROCA NÃO É VERDADEIRA

O senador Márcio Bittar (MDB) vem sendo o maior carreador de recursos para o Acre e é quem mais tem aberto a porta dos ministérios ao Gladson. Mas o reconhecimento por isso não é uma recíproca verdadeira, e a divulgação do trabalho do Bittar é pífio para sua importância.

CATANDO COCO DO VIZINHO 

O arguto jornalista Natal Chaves fez uma observação pertinente na sua página, a de que entre os prováveis nomes a ter o apoio do governador Gladson Cameli, estes integravam a Frente Popular capitaneada pelo PT: Tião Bocalom e Socorro Neri. E ainda lembrou que no grupo de aliados do Cameli também tem a candidatura do ex-presidente do PT, Minoru Kinpara (PSDB).

O DIABO NÃO ERA TÃO FEIO

Sem falar nos vários candidatos a prefeito por partidos que estavam na aliança que elegeu o Gladson ao governo, com nomes que eram petistas de raiz. O diabo não era tão feio como foi pintado. Como atacar o PT na campanha, apoiando seus antigos aliados? Quebra o discurso.

REFERÊNCIA DE PAUTA

A secretária de Comunicação, Silvânia Pinheiro, conseguiu transformar o que era uma modorrenta agência de notícias de governo, num canal de comunicação ágil, numa linguagem jornalística simples e sem o oficialesco. Virou um centro para nortear pautas nesta pandemia.

SETOR QUE FUNCIONA

Outro setor que funciona no governo é o do gabinete civil, com o Ribamar Trindade, muitas vezes criticado por não dar brecha a pedidos políticos que trombam com a legalidade, para preservar o CPF do governador. O Ribamar é um muro no governo contra traquinagens. 

COMENTÁRIO DA EXPERIÊNCIA

Em postagem enviada ao BLOG, o ex-deputado Luiz Calixto, fez duas observações: a primeira é de que o Tião Bocalom (PP) apoiado pelo governador será um forte candidato à PMRB; e, a segunda é de que o deputado Nicolau Junior (PP) poderia ser o nome do grupo do Cameli para disputar a prefeitura de Cruzeiro do Sul. É saber se o Nicolau toparia fazer este sacrifício.

TOMANDO CAFÉ E GANHANDO

Basta fazer um balanço da equipe de assessores, secretários, diretores, do governo Gladson Cameli, para se chegar a uma conclusão que muito poucos justificaram o café e o que ganham.

NADA É IMPOSSÍVEL EM POLÍTICA

Conversando ontem aqui do meu bunker de isolamento com uma das figuras que sabe tudo de política do Acre, ganhador de várias eleições, este fez o seguinte comentário: “não dê como definitivo o quadro da eleição para a prefeitura da capital, o jogo pode ficar embaralhado”.

CENÁRIO DE ALIANÇAS

E traçou o seguinte cenário: “Luiz Carlos, imagine você que o governador Gladson resolva desacreditar o trabalho do senador Petecão e apoiar mesmo a prefeita Socorro Neri, quem é que garante que com o tombo, o Petecão não possa se aliar ao PSDB e indicar o vice do Minoru Kinpara? Não estaria feito o estrago? Não ficaria uma chapa quase imbatível?”

ACEITARIA A DESMORALIZAÇÃO?

E completou o comentário: “Você acha que o senador Sérgio Petecão (PSD), com vários anos de mandato ainda pela frente aceitaria ser desmoralizado e ir como um corderinho puxado pela corda pelo Gladson na eleição para a prefeitura da capital”? Foi a pergunta que deixou.

NADA MAIS ME ASSOMBRA

Com mais de quarenta anos de jornalismo político nada mais me causa surpresa. Já vi coisas do arco da velha acontecerem. Por isso não meto a mão não fogo de que possa haver ou não uma reviravolta na composição de chapas que estarão disputando a prefeitura da capital.

UMA GRANDE BALELA

Para dizer a verdade, o decreto do governo de isolamento social e do fechamento de atividades comerciais não essenciais virou balela, a maioria dos comércios proibidos faz de conta que fechou e o governo faz de conta que não vê. Não há fiscalização. Virou uma zorra.

FRASE MARCANTE

“Os políticos não conhecem nem o ódio, nem o rancor. São conduzidos pelo interesse e não pelo sentimento”. Philip Chesterfield. 

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Leia Também

Mais lidas