Conecte-se agora

Jéssica quer que Cruzeiro do Sul volte a ter um prefeito que não envergonhe os cruzeirenses

Publicado

em

A convidada do programa Bar do Vaz desta terça-feira, 9, é a deputada federal do Acre Jéssica Sales (MDB). Ao jornalista Roberto Vaz, a parlamentar trata de política, vida em meio à pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2) e de como tem trabalhado para ajudar os acreanos no enfrentamento da Covid-19. A deputada também comenta a operação da Polícia Federal que fez recente visita à casa do prefeito Ilderlei Cordeiro, em Cruzeiro do Sul e como caminha a relação com o gestor. Além disso, Jéssica ainda fala das eleições municipais deste ano, que tem como pré-candidato na capital do Juruá seu irmão, Fagner Sales.

Se aproximando do sexto ano de mandato como deputada, Jéssica Sales se orgulha de sua trajetória política. Muito jovem, não se arrepende de ter interrompido a profissão de médica especialista em Ginecologia e Obstetrícia para cuidar da vida de milhares de acreanos. Pelo contrário, sente-se feliz em ter provado que não chegou à Câmara Federal para ser só uma “patricinha”, como ouviu de muitos adversários à época de sua eleição.

Os dias de isolamento e distanciamento social não têm sido fáceis para ela, acostumada a percorrer o interior do Acre semanalmente, mas continua trabalhando como pode. “Está sendo difícil não só para mim, mas para todos. Tivemos que nos reinventar e a trabalhar agora de maneira remota. O mais difícil é a questão da presença física, porque eu viajo muito, toda semana fazia isso no Acre. Por conta da pandemia tivemos que nos reinventar. Mas os trabalhos ocorrem normalmente e já aprovamos muitas medidas essenciais ao combate do vírus, como esse “socorro” de R$ 198 milhões que chega aos estados e municípios em boa hora”.

Para a parlamentar, o isolamento, infelizmente é uma realidade, mas traz consigo a importância de enfrenta-lo com responsabilidade. “Não parei de fazer minhas cobranças, agora virtualmente, com os ministros e liberar as emendas para que possam chegar à população do Acre”.

Elogiada por opositores

Jéssica conseguiu a façanha de ser publicamente elogiada por alguns políticos de grupos opositores, como o Partido dos Trabalhadores (PT), pelo trabalho que vem desenvolvendo na Câmara. Ela diz que não os encara como adversários e respeita todos os gestores e grupo ideológicos. “Respeito todos os prefeitos. Só quero que os recursos sejam aplicados de maneira correta e transparente. Agradeço a todos que me elogiam, mas me sinto como pessoa que está apenas representando com responsabilidade o estado”.

Ela conta que sacrificou sua profissão para poder encarar a missão de representar a todos, inclusive aqueles que não votaram nele. “Esse é o meu dever. Nunca me omiti em conversar ou resolver e destinar emendas”.

Covid-19 X Emendas

A atual situação da pandemia no Acre preocupa a deputada, especialmente em Cruzeiro do Sul. A parlamentar ressalta que o plano de combate ao vírus da secretaria de Saúde estadual tem muitas falhas. “Hoje acontece o reflexo dessas falhas, a falta de leitos, de Equipamentos de Proteção Individual, de medicamentos”, comenta.

A deputada garante que já destinou emenda de R$ 18 milhões, onde R$ 6 milhões foram liberados somente para o Vale do Juruá. Entretanto ela diz não saber onde, nem como esse dinheiro foi usado. “Os R$ 6 milhões sempre foi pensando para ser destinado ao Juruá, abrangendo também Mâncio Lima, Tarauacá, Feijó Jordão”. Foi o próprio secretário de saúde Alysson Bestene que pediu permissão para realocar a emenda para demais municípios.

“Até hoje estou esperando esse cronograma, essa planilha, não sei nada para onde foi, se chegou [os R$ 6 milhões] ao Juruá. Já fiz um requerimento para o secretário, para o governo estadual e ao governo federal para tornar público o uso do nosso recurso de R$ 6 milhões, saber onde foram aplicados. Não tive notícias, nem resposta de nenhuma autoridade do governo”, salienta.

Em mais de cinco anos de mandato, Jéssica se tornou a deputada que mais garantiu recursos ao Acre. “São R$ 160 milhões aos municípios acreanos. Destes, R$ 117 foram só para o Juruá. Nunca nenhum deputado ou senador levou um montante tão grande em cinco anos de mandato. Essa é a diferença do meu mandado, porque o recurso é a ferramenta mais importante para os nossos gestores cuidares da saúde, segurança, educação, etc.”.

Durante a pandemia, R$ 12 milhões foram alocados por Sales para aquisição de equipamentos. “Só falta o governo federal pagar. Esperem de mim mais recursos, porque vai chegar com toda certeza”.

PF em Cruzeiro do Sul

Sobre a operação Off-Label, desencadeada nos últimos dias em oito municípios do Acre, incluindo Cruzeiro do Sul, a deputada disse se tratar de uma situação de vergonha ao município mais importante do Juruá, mas que toda e qualquer irregularidade deve ser investigada.

Em relação à interferência da Polícia Federal da gestão de Ilderlei Cordeiro, ela disse: “A Polícia Federal é independente. Se há alguma irregularidade, tem que ser investigado, independente de ser Ilderlei, mas todos que foram. É vergonhoso para nós cruzeirenses, porque não tem como comparar a atual gestão municipal com a de Vagner Sales, meu pai. Ele foi prefeito por oito anos e nunca envergonhou a população, fez os oito anos de gestão sem apoio do governo, petista à época. Elegeu Ilderlei e não teve esses escândalos”.

A parlamentar destaca que não há por que ficar transferindo a culpa. “O prefeito tem que saber o que secretários , assessores estão fazendo. É um escândalo muito ruim e negativo para o estado e vergonhoso. Que cada um pague aquilo que deve”.

Irmão pré-candidato e decepção com Ilderlei

Complementando a situação de Cruzeiro do Sul, Sales destacou a escolha de Fagner Sales, seu irmão, como pré-candidato a prefeito na cidade. “A gente tem uma responsabilidade muito grande. A história do meu pai, um ícone da política na família, muito respeitado. “Meu pai fez conselhos ao Ilderlei, mas ele nos viu como inimigos políticos”. Como exemplo, ela cita a escolha de Cordeiro pelo tio, o Estrela, para disputar com Jessica uma vaga na Câmara. “Uma pessoa que tem gratidão não faria uma cosia dessa. Foi uma sucessão de erros. Ele seguiu da maneira dele e estamos vendo que não deu certo, está respondendo muitos processos e vai responder ainda mais. Politicamente, acho que a carreira dele [Ilderlei] acabou”.

Para a família Sales ficou o sentimento de ingratidão em relação à Ilderlei. “Por isso pensamos em colocar uma pessoa que vai dar certo, que vai transformar o mandato a serviço da população, fazer política de perto. Meu irmão hoje é uma pessoa totalmente preparada, com um vice do PSDB, pois confiamos no partido do Major Rocha [vice-governador]”.

Ela garante que em sua família não existe “essa coisa de se servir da política. Muitos disseram que eu não iria dar certo e provei exatamente o contrário. A política dá certo quando você consegue enxergar de perto as necessidades do povo. Tem que se doar. Quero que Cruzeiro do Sul volte a ter um prefeito capaz de tocar as coisas públicas sem ferir e envergonhar os cruzeirenses”, afirma.

A deputada ainda comenta sobre uma suposta candidatura ao senado. “Me sinto muito preparada, pois um senador representa 10 vezes mais que um deputado. Imagina eu senadora, o tanto de recursos a mais que eu iria levar. Mas ninguém é candidato de si próprio, tenho que respeitar o partido, ainda tem dois anos para isso”, conclui.

Assista a entrevista na íntegra:

video

 

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Leia Também

Mais lidas