Conecte-se agora

Ativista dos direitos humanos denuncia que filha foi espancada por ex-assessor de Nazaré Araújo

Publicado

em

A militante dos direitos humanos, ativista do Movimento contra a violência da mulher e mãe, Patrícia Miranda, publicou nesta segunda-feira, 08, uma carta aberta em seu Facebook, falando sobre a violência que a sua filha sofreu de Oscar Frank Alves da Silva, que já trabalhou na Procuradoria Geral do Estado (PGE). Ele é ex-assessor da ex-vice governadora do Acre, Nazaré Araújo (PT).

Patrícia Miranda conta que viu a filha ser agredida por Oscar Frank com chutes, murros, tapas e pontapés. “Me dói não ter conseguido fazer nada para defendê-la dessa violência, naquele momento em que ela estava jogada ao chão e levando chutes na cabeça. O meu sentimento é de revolta e de dor”, afirmou.

A agressão ocorreu por volta de 1 hora da madrugada deste domingo (7). A vítima Natasha Ariel de Souza Rocha Brito estava na Distribuidora Moura bebendo com amigos quando Oscar Frank chegou embriagado e passou a arrumar confusão com a vítima.

Segundo o registro do Boletim de Ocorrência (B.O), o dono da distribuidora decidiu parar de vender bebidas ao grupo. Neste momento, começou a confusão e Oscar Frank teria jogado uma garrafa de água e, após isso, começaram uma discussão que terminou com Natasha sendo vítima de supostos chutes, murros e puxões de cabelo.

A mãe conta que acionou o Sistema de Segurança Pública do Estado (Ciosp) que rapidamente deslocou uma viatura ao local, porém não teriam dado “importância sobre a agressão que a sua filha sofreu”, alega a mãe.

“…Isso ocorreu na madrugada de domingo, 7, meia noite e pouco. Fomos aconselhadas a irmos na segunda-feira procurar a delegacia da minha regional e fazer um boletim de ocorrência, apenas….”.

Ela conta que levou a filha a procurar a rede de mulheres do município e o CAV, que é o núcleo do MPAC, que ajuda mulheres nessa situação de violência.

A mãe afirmou que Frank não tinha vínculo amoroso ou afetivo com a filha. Segundo ela, Frank Oscar é um agressor de mulheres contumaz.

“Minha filha não foi a primeira. Eu queria muito que ela fosse a última vítima de agressão dele. Mas, o que eu posso fazer como mãe?”, questionou.

A mãe acrescenta que já fez dois boletins de ocorrência (B.O) dentro dos trâmites legais, mas afirmou que a situação é de total impotência.

“Sabe o que vai acontecer com esse agressor? Nada! Ele vai no máximo prestar serviços para o estado ou pagar cestas básicas. E os traumas que eu e ela sofremos por passar por essa situação, nós mesmo vamos ter que superar. O agressor trabalha para uma pessoa conhecida no meio político da nossa cidade, além do meio político é Procuradora. O agressor trabalha para uma mulher”, afirmou.

A mãe relata que decidiu expor o agressor da filha para que todos saibam quem é ele. “Eu quero justiça e proteção à vida da minha filha e à minha, já que nossas leis são brandas. Minha filha não dormiu essa noite com dores na região pélvica e abdominal e nos seios onde levou chutes desse covarde!”, encerrou.

Ao ac24horas, Oscar Frank Alves, afirmou que irá se manifestar à justiça, não para um jornal. Segundo ele, o ocorrido é um problema pessoal.

“Só lhe recomendo que não se refira ao meu nome…nas suas publicações….não lhe autorizo. Eu tenho que se manifestar pra justiça….não para um jornal algum….isso é pessoal meu. Até pq não vai adiantar em nada. Já fui exposto mesmo. Seu trabalho é de grande importância…relatar os dois lados dos fatos….parabéns”, afirmou ao ac24horas.

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas