Conecte-se agora

Onde passa um boi, também passa uma boiada

Publicado

em

Até aqui o governador Gladson Cameli vem tendo uma conduta correta no enfrentamento da pandemia da Covid-19, tomando todas as medidas preconizadas pelas autoridades mundiais de saúde, como a OMS. Ao ler sua recente declaração de que pode criar um privilégio e transformar a atividade religiosa em atividade essencial, e reabrir os templos, é de se perguntar: o seu cérebro entrou em curto circuito de uma hora para outra? Quer incentivar a aglomeração em plena pandemia? Não basta a falta de consciência da maioria da população, em não seguir o decreto de isolamento social? De forma lúcida, o Padre Mássimo Lombardi se posicionou contra este projeto extemporâneo aprovado na Assembléia Legislativa de reabertura seletiva, o que indica que a Igreja Católica é contra isso ocorrer numa curva ascendente da pandemia. O Pastor Agostinho Gonçalves, da Igreja Batista do Bosque, uma das maiores do Acre, disse ontem ao BLOG DO CRICA que, se deve esperar os casos baixarem para implantar uma medida de reabertura dos templos com todos os cuidados, mesmo lembrando a importância do auxílio espiritual nos momentos difíceis da vida. E quando abrir deve ser dentro de medidas rígidas com normas sanitárias para evitar grandes aglomerações, disse. O MPF já se posicionou em nota contra a criação deste privilégio, sem seguir os ditames da Organização Mundial de Saúde. Deixando claro que ajuizará o fato, se for tornado concreto. Se o Gladson Cameli continuar em curto circuito, passar por cima de tudo e reabrir as igrejas, não poderá impedir que, as outras atividades não essenciais abram as sua portas e mandem o seu decreto de isolamento às favas, porque estará dando motivo a uma desobediência civil. Com a porteira aberta, onde passa um boi, também passa uma boiada, diz um velho ditado, aplicável ao caso.

DERRUBADA NA JUSTIÇA

No Rio de Janeiro o prefeito Marcelo Crivella decretou a revelia do aumento da pandemia, a reabertura das igrejas, e teve a sua medida anulada por uma decisão judicial. A mesma iniciativa judicial pode ocorrer no Acre, se o Gladson Cameli quiser pisotear na pandemia.

O DEBATE NÃO SERÁ ABERTO?

O debate da flexibilização das atividades não essenciais não está programado para depois do dia 15 próximo, quando encerra o prazo do decreto de isolamento? Por qual razão se criar um privilégio para beneficiar um setor? Só pode ser visto sob o prisma do benefício político.

NÚMEROS PULANDO

Os números da pandemia estão pulando. Já são 207 mortes e 7.983 casos de contaminações registrados pela Secretaria de Saúde. E os toscos continuam achando ser uma “gripezinha”.

CENÁRIO GRAVE

E o Acre é um dos cinco estados brasileiros com um quadro grave da pandemia. O nosso estado não está preparado para enfrentar um agravamento maior de contaminações pela Covid-19. Não se pode correr o risco de faltar vagas nas unidades de saúde aos contaminados.

PRIORIDADE É SAÚDE

A deputada federal Vanda Milani (SD) está certa em levar investimentos pelas emendas parlamentares para os municípios do interior, independente do partido do prefeito. Mas não vejo como prioridade destinar cerca de 900 mil reais para a prefeitura de Brasiléia comprar neste momento uma patrulha mecanizada, quando a prioridade numa pandemia é investir na saúde. E se a foto da deputada Vanda e da prefeita Fernanda Hassem for atual, ambas sem máscaras, deveriam se lembrar que como figuras públicas são vistas como exemplo ao povo. 

UM AVIÃO SEM PILOTO

O Brasil está uma loucura! O governo Bolsonaro alardeia uma idéia macabra de recontar os mortos. Voltamos ao obscurantismo da Idade Média. O Ministro Edson Fachin do Supremo Tribunal Federal baixou norma proibindo a polícia de fazer operações nas favelas para prender bandidos. O crime organizado deve estar agradecido. O país virou um avião sem o piloto.

PAÍS DIVIDIDO

Infelizmente, temos um país dividido pela intolerância, na sua mais grave crise na saúde.

O QUE PESA A FAVOR

O que ainda continua pesando a favor do presidente Bolsonaro, em meio a uma loucura cometida atrás da outra, é que não se conhece uma bandalheira com dinheiro público no seu governo. Ao contrário do que ocorria em governos anteriores, onde era uma marca registrada. O restante é um clima de hospício.

SEM ESTRELISMO

O secretário de Saúde, Alysson Bestene, vem se conduzindo bem até o momento, agindo sem estrelismos. Os leitos foram aumentados, e a oferta deve ser maior ainda com a inauguração de hospitais de campanha em Rio Branco e Cruzeiro do Sul e triplicou o número de UTIS.

NÃO É A OITAVA MARAVILHA

O atendimento aos portadores da Covid-19 se não é a oitava maravilha do mundo, mas também não é o caos. Faltam médicos e profissionais de apoio, como enfermeiros. Acentuado com desfalque do grupo por contaminação pelo vírus. O importante é não haver omissão da SESACRE. 

CANSADO DE REPETIR

O senador Sérgio Petecão (PSD) diz que está cansado de repetir que é a favor da reeleição do governador Gladson Cameli, e somente numa situação do governador não disputar um novo mandato, é que ele seria candidato ao governo. Fora deste contexto vira boato sem nexo.

NÃO MIRA A PRESIDÊNCIA

O senador Márcio Bittar (MDB) negou ao BLOG mirar a presidência do Senado. Ressalta que mesmo se houver o impedimento do presidente Alcolumbre, no que não crê, ainda assim ele não seria a bola da vez dentro do MDB para a disputa do cargo. Alcolumbre deve ser reeleito.

ESTOU FORA

O Pastor Agostinho Gonçalves, da Igreja Batista do Bosque, que sempre teve participação política ativa, disse ao BLOG que nesta eleição nem só não apoiará candidatos, como também a IBB como igreja, também não terá candidato. “Vou me limitar a ir votar”, revelou Agostinho. 

 SAIU PELA CULATRA

Nada mais importante numa pandemia do que a participação da imprensa na divulgação dos dados. Num momento em que o Ministério da Saúde omite e retarda dados para não sair no “Jornal Nacional”, para se vingar das críticas da Rede GLOBO, longe de prejudicar a emissora, está agindo contra a ciência e a população. E o tiro acaba saindo pela culatra, porque a GLOBO divulga em edição especial, que desperta mais atenção do telespectador. Que coisa louca!

MUITO TRANSPARENTE

No contexto da divulgação dos dados da pandemia no Acre, o governo Gladson tem sido muito transparente ao soltar boletins periódicos com o número de contaminados e dos mortos.

ELEIÇÃO DIFERENTE

A eleição para prefeito e vereador, na capital, não terá somente a peculiaridade do temor de contaminação pela Covid-19, mas também o temor dos candidatos entrarem nos bairros dominados por facções, principalmente, na parte noturna. Daí a importância da rede social.

TRABALHO EFICIENTE

O diretor do PROCON, Diego Rodrigues, conseguiu com a sua posse tirar de fato o órgão da letargia em que se encontrava. Onde há uma denúncia de cobrança de preços abusivos o PROCON sempre se faz presente e toma as providências. O Gladson acertou em nomeá-lo.

QUEBRANDO A BANCA

A grande aposta dos dirigentes do PT era que o governo do Gladson Cameli depois dos primeiros seis meses já estaria atrasando os salários dos servidores. Aposta errada. Vai para o segundo ano pagando a folha em dias, e até antecipando o pagamento do 13º salário, como fará agora em julho.

UMA ALIANÇA QUE DARÁ TRABALHO

A aliança entre o PSDB e MDB, para disputar a prefeitura de Cruzeiro do Sul, com a candidatura do Fagner Sales (MDB) a prefeito dará trabalho para ser derrotada, mostram todas as pesquisas. E, principalmente porque os adversários nem o candidato definiram.

FOI UM PETARDO

A aliança entre PSDB e MDB, em Cruzeiro do Sul, foi um petardo no peito do Gladson

APENAS UMA ILAÇÃO

Não há nada de concreto, é apenas uma tendência sentida dentro do PT pelo BLOG, de que o candidato a prefeito de Rio Branco do partido deve ser o deputado Daniel Zen (PT), um dos melhores deputados da atual legislatura, e um quadro extremamente qualificado ao debate.

O ACRE PRECISA DE VOCÊ

O médico Thor Dantas, um ícone da saúde no combate à pandemia da Covid-19, contaminado pelo vírus e com o quadro agravado, foi numa UTI no ar para tratamento fora do Estado. O Thor é um médico humanista e espera-se que volte logo, o Acre precisa muito do seu serviço.

TUDO MUITO LAMENTÁVEL

Vivendo uma era da intolerância, em que o ódio prevalece com suas cores ideológicas, onde não existe solidariedade com o próximo, em que se mede o outro pelo partido a que pertence, é tudo muito lamentável. Nem a pandemia tocou o coração dos que só odeiam.  São os doentes da alma.  

FRASE MARCANTE

“A consciência é o melhor livro de moral que possuímos, é aquele que devemos consultar mais seguidamente”. Pascal, filósofo francês.

 

Anúncios


Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas