Conecte-se agora

Socorro Neri se diz vítima de ataques machistas e de milícias virtuais 

Publicado

em

Depois de muito tempo calada a prefeita Socorro Neri resolveu quebrar o mutismo numa ampla entrevista ao BLOG DO CRICA, onde fala sobre o atual momento da pandemia, o que já foi feito no combate ao coronavírus, denúncias de ilegalidades na sua gestão, como reage às críticas e sobre uma parceria política com o governador Gladson Cameli, que redunde numa aliança em torno da sua candidatura por mais um mandato na prefeitura de Rio Branco e seus projetos. Foi um jogo aberto. Eis a entrevista abaixo:

BLOG DO CRICA – Como tem sido este enfrentamento ao coronavírus. Que ações destaca no âmbito da Prefeitura?

SOCORRO NERI – Tem sido difícil pela perda de tantas pessoas e a angústia de ver tantas lutando pela vida. Mas tenho consciência da gravidade da situação e de que estamos fazendo o possível para defender nossa população. Desde o registro dos três primeiros casos em Rio Branco, no dia 17 de março, a Prefeitura adotou todas as medidas necessárias e as ações recomendadas pela OMS, Ministério da Saúde, SESACRE e especialistas da nossa UFAC. Formulamos o Plano Municipal de Contingência e definimos com a SESACRE, o fluxo da assistência aos pacientes de Covid-19. Decretamos emergência em saúde pública, e na sequência estado de calamidade pública, que foram reconhecidos pela Assembléia Legislativa e Governo Federal, respectivamente. Criamos o Comitê de Enfrentamento e Monitoramento à Pandemia Covid-19 e o Comitê de Compras Emergenciais, duas instâncias importantes para garantir a transparência e controle social às decisões. Para aumentar a transparência, criamos um portal específico para o combate à Covid-19, onde são disponibilizadas todas as informações de processos de compras. Também procuramos mitigar os efeitos da pandemia sobre os mais vulneráveis: a prefeitura prorrogou os prazos do IPTU, isentou do IPTU as famílias mais pobres, prorrogou o ISS para os motoristas de transporte individual e isentou a taxa de renovação deles, como também isentou da taxa mensal os permissionários dos mercados municipais. A assistência social também foi ampliada, com apoio aos moradores de rua, apoio alimentar às famílias de maior vulnerabilidade, auxílio funeral. Na Assistência em Saúde, implantamos um serviço de Teleconsulta, estruturamos unidades de referência para atendimento aos sintomáticos leves, disponibilizamos uma farmácia municipal na UPA do Segundo Distrito e, agora, após um novo planejamento, estamos organizando todas as unidades para atendimento aos sintomáticos leves.

BLOG DO CRICA – O tão criticado rodízio de carros redundou em que benefícios?

SOCORRO NERI – Ele faz parte das medidas de distanciamento social, que é a estratégia mais eficaz para conter o aceleramento da curva de contaminação. Foi adotado numa sequência de outras medidas, que começaram logo no dia 17 de março, seguindo recomendações da OMS, do Ministério da Saúde e de especialistas da nossa UFAC. Aqui menciono a suspensão das aulas presenciais, da creche ao ensino superior das redes pública e privada; definição de atividades e serviços essenciais, suspendendo o funcionamento das não-essenciais; suspensão das atividades esportivas, culturais, religiosas e de lazer, buscando evitar aglomerações de pessoas; trabalho em home office ou dispensa de servidores acima de 60 anos ou com doenças crônicas. É importante frisar que o rodízio foi feito num momento em que o sistema de saúde estava entrando em colapso, em que não haviam leitos e UTIS disponíveis e ampliações estavam acontecendo, mas ainda não tinha se concretizado. O que era recomendado fazer naquele momento? O que fizemos. Não podemos ser negligentes com a saúde da população. É uma medida considerada antipática, sujeita à rejeição pública e que poderia ser aproveitada por pessoas interessadas em antecipar a campanha eleitoral. Não tive medo disso. Planejamos com o Governo do Estado, que deu o apoio policial, e fizemos o que era necessário. Nosso dever era segurar a aceleração do contágio, desestimulando a circulação de pessoas em atividades não- essenciais. Todos aqueles que desenvolvem atividades essenciais ficaram livres do rodízio, puderam circular independentemente do final da placa. Outro impacto importante é que o rodízio não gerou aumento na quantidade de passageiros do transporte coletivo, não colocou as pessoas em risco novo de contágio. Ao contrário, houve redução no número de passageiros de ônibus. O rodízio teve um efeito muito positivo na primeira semana, elevando o índice de isolamento social em nossa cidade, colocando tanto o Acre como Rio Branco entre os índices mais elevados do país. Na segunda e última semana, no entanto, o impacto foi reduzido, embora ainda permaneça com média maior do que a brasileira, que está em tendência de queda.

BLOG DO CRICA- Mesmo na pandemia a oposição não lhe poupa, com críticas por supostos superfaturamentos na compra de álcool gel e manter em estoque merenda vencida. Como vê essas críticas?

SOCORRO NERI- A fiscalização é sempre desejada e necessária. E há meios para que essa função inerente ao parlamentar seja exercida. Tenho a obrigação, entretanto, de denunciar a forma como isso tem sido feito. No caso do suposto superfaturamento do álcool em gel, eu fui e continuo sendo a única que demonstrou interesse real em apurar. Os que denunciaram tiveram apenas interesse em criar factóides para tentar desqualificar nossa gestão. Veja isso: ao tomar conhecimento da denúncia, determinei que a Controladoria Geral do Município apurasse e enviei aos vereadores a nota da Auditoria que concluiu não haver indícios de irregularidade e que é preciso considerar o contexto em que se deu a compra, com um mercado alterado – muito mais procura do que oferta – e grande variação nos preços contratados por órgãos públicos. Para não restar dúvidas sobre o processo solicitei do Ministério Público Federal e do Ministério Público Estadual que façam a apuração. Soube que o TCE também está averiguando. Ora, quem não deve, não teme, já diziam nossos pais. Quero mesmo que tudo seja investigado. Só não posso concordar com a calúnia, com a reprodução sistemática de uma mentira. Isso é deplorável e deve ser rejeitado por todos. O álcool gel é um dos itens essenciais à proteção pessoal contra o coronavírus, portanto, tornou-se indispensável para manter as unidades de saúde funcionando. A aquisição se deu nesse contexto de emergência. Quanto a denúncia da suposta existência de alimentos vencidos no almoxarifado da merenda escolar, a forma como foi feita é um exemplo de que a politicagem não tem limites. Na sexta-feira, ao saber que assessores parlamentares haviam invadido o depósito e que a polícia já estava no local, decidi acompanhar pessoalmente para entender do que se tratava e evitar conflitos maiores. Lá, um dos assessores informou da suposta denúncia e, de pronto me comprometi a apurar, começando imediatamente. O mesmo assessor parlamentar disse que havia feito fotos do suco de goiaba e do macarrão, que supostamente estariam vencidos, mas não mostrou essas fotos até agora. E não fez porque até as fotos comprovam que os alimentos não estavam vencidos. Após determinar apuração, na manhã deste sábado (passado) convoquei o Conselho de Alimentação Escolar, O Colégio de Diretores das Escolas Municipais, a Coordenadoria municipal da Defesa Civil e dirigentes da Secretaria Municipal de Educação para fazermos uma inspeção no depósito. Verificamos a data de validade de todos os itens e identificamos um pequeno lote de suco de goiaba, com data de vencimento em 30 de maio, portanto, vencendo hoje (sábado passado) depois da denúncia e invasão ao depósito. Esse lote foi devolvido por uma escola para a Divisão de Alimentação Escolar fizesse a sua destinação. Não considero correto que o produto não tenha sido destinado ao consumo antes da validade e a responsabilidade será apurada. Ora, se a intenção do vereador ou do deputado fosse mesmo a do zelo com os recursos públicos, bastaria que nos informasse e a apuração estaria acontecendo com o mesmo rigor, porque é isso o que tenho feito sempre.

BLOG DO CRICA – O gordo repasse do governo federal resolve os recursos para a pandemia?

SOCORRO NERI – quem dera tivéssemos mesmo um repasse “gordo”! A lei de apoio emergencial aos estados e municípios, sancionada na última quinta-feira, trata da recomposição de uma parte da queda de arrecadação de ICMS e ISS que os estados e municípios tiveram por efeitos da pandemia. Do montante que será destinado ao nosso município, em quatro parcelas, pouco mais de cinco milhões serão divididos entre saúde e assistência social. O restante, como disse, representa apenas parte das perdas de arrecadação, tornando-se por base os valores arrecadados no ano passado. Portanto, não se trata de recurso novo e nem destinado ao combate à pandemia. É parte do dinheiro para a manutenção dos serviços municipais prestados à população. Em Rio Branco projetamos que,, mesmo com esse importante apoio da União, o Município terá uma perda de mais de 20%, o que está exigindo redefinição de prioridades.

BLOG DO CRICA- O que você tem planejado para o verão?

SOCORRO NERI- Concluímos o ano de 2019 honrando todos os compromissos e deixando saldo financeiro, que se constituiu em superávit para o ano de 2020. Recursos do Pré-Sal e outros, embora recebidos no finalzinho do ano passado, fortaleceram o orçamento deste ano. Então, iniciamos 2020 com muito otimismo e fizemos um planejamento exato na esperança de melhorar as políticas sociais e avançarmos mais ainda, com recursos próprios, na recuperação de ruas e zeladoria da cidade. Esses serviços, é bom lembrar, não tiveram nenhuma interrupção até agora e vêm melhorando muito as condições de ruas e ramais. É claro que a pandemia nos obriga a ajustar as despesas e planejar as ações. Mas estamos licitando serviços, incluindo o da iluminação pública, e teremos condições de ampliar o trabalho.

BLOG DO CRICA- Seu nome é citado pelo governador Gladson Cameli com o de sua simpatia na eleição da prefeitura. Vai dar casamento político? Vocês têm conversado sobre isso?

SOCORRO NERI- Recebo essa informação como indicativa de que o governador Gladson Cameli valoriza a gestão norteada pelo bem coletivo e pelos princípios da legalidade, impessoalidade, transparência, austeridades e eficiência. E assim tenho trabalhado desde que assumi a titularidade. Tenho tido com o governador, desde o início da pandemia, uma convivência cordial e de grandes convergências. Nossas equipes estão se afinando cada vez mais, buscando otimizar energia e recursos. O resultado deste trabalho integrado já é sentido e dará bons frutos para o nosso povo. Gosto muito do Gladson, sou testemunha dos seus bons propósitos e do quanto ele tem se empenhado para superarmos essa crise, agora se essa excelente relação resultará em aliança política não posso responder, por não ser algo que venha sendo tratado. Estamos enfrentando uma crise sanitária muito grave e temos que trabalhar unidos para superar essa emergência. Além disso, teremos que liderar a capital e o estado num grande esforço de recuperação da economia. Essas missões são hercúleas e, de fato são as que importam no momento.

BLOG DO CRICA – Como tem visto as reações dos senadores como dos senadores Márcio Bittar (MDB) e Sérgio Petecão (PSD) contra o governador lhe apoiar?

SOCORRO NERI – Não me sinto no direito de avaliar as opiniões dos senadores.

BLOG DO CRICA- O que levou de fato o seu afastamento do PT? Você pode ser rotulada como de esquerda? Você crê que terá o Gladson no seu palanque?

SOCORRO NERI – O exercício da gestão da nossa cidade me mostrou que tenho diferenças inconciliáveis com alguns dirigentes e lideranças do PT, que esperavam de mim respostas que eu não poderia dar e nunca disse que daria. Quando isso acontece numa relação e nenhuma das partes está disposta a ceder, é desejável que cada um siga o seu caminho. Quanto aos rótulos ideológicos, penso que eles têm importância cada vez menor no mundo de hoje. Existem princípios éticos que devem ser preservados, existem projetos e ações em benefício da população que devem nortear as nossas decisões na política e na gestão pública. Isso é que importa.

BLOG DO CRICA- O Shopping Popular é uma obra que se arrasta. Tem data para a inauguração?

SOCORRO NERI- Retomei a construção do shopping no final de 2018 e, pelo cronograma, deveríamos estar em fase de instalação das lojas. Mas a obra está sendo finalizada e será entregue em breve aos futuros lojistas e, na sequência, à população. Estamos tendo todo o cuidado na identidade visual, na concepção do empreendimento, na capacitação e no formato da gestão.

 BLOG DO CRICA – Você se abala com as críticas?

SOCORRO NERI – As críticas sinceras e fundamentadas só ajudam. Com as críticas posso aprender e ajustar a gestão. Mas tenho denunciado aquelas que são apenas cortina de fumaça para encobrir interesses eleitorais. E nas últimas semanas, vi retornarem os ataques machistas, misóginos, que foram numerosos no ano passado. As calúnias e agressões trazem contrariedade, é claro, e tenho que considerá-las exatamente o que são: crimes. Há indústrias de fake news e milícias virtuais com o objetivo claro de causar constrangimento de me intimidar na tomada de decisões e de desinformar a sociedade.

BLOG DO CRICA- Para fechar, quem é a prefeita Socorro?

SOCORRO NERI – Uma servidora pública que sempre se moveu pelo bem coletivo.

Anúncios


Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas