Conecte-se agora

Ou mantém o isolamento, ou corre o risco de ver a pandemia disparar 

Publicado

em

Sinto-me à vontade para o comentário, por não ter cargo de confiança no governo e nem ninguém da minha família. O governador Gladson Cameli  tem se mostrado responsável neste difícil período de enfrentamento contra a pandemia do Covid-19. Fala-se em Belo Horizonte, como exemplo onde o combate ao coronavírus deu certo, com o acatamento pela população do decreto de isolamento social. É verdade, mas no nosso Estado o isolamento não segurou a pandemia, porque grande parte da população não teve a consciência social dos mineiros. Aqui, diferente de lá, não se cumpriu as medidas preconizadas por autoridades mundiais na área da Saúde do isolamento, e não se respeitou o decreto do Estado. Os infectologistas alertaram que, o boicote iria aumentar os números de contaminação pelo vírus. Em Belo Horizonte deu certo o isolamento, porque os que não cumpriam sofriam penalizações severas. Aqui, simplesmente não aconteceu. No Acre, principalmente na capital, alguns obscurantistas com idéias da Idade Média, mesmo com mais de cem mortos e se caminhando para os 5 mil casos de contaminações, ainda remam contra a ciência, pouco se importando com as vidas ceifadas. Para ser sincero, faltou também por parte do governo exigir o cumprimento do decreto que proibiu as atividades comerciais não essenciais. Muitos comércios continuam funcionando, burlando uma determinação legal. Fazem a festa da morte ao menosprezarem poder do Covid-19. As aglomerações continuam, enquanto mais famílias choram seus mortos. O Gladson tem a única falha: o de não ser sido duro na exigência do cumprimento do seu decreto. Há uma ou outra falha no planejamento. Mas, ninguém pode lhe acusar de omissão, fez o que estava ao seu alcance, todo mundo vê a sua luta. Quanto aos deputados cobrarem onde foram alocados os recursos recebidos, se tiverem alguma prova de ilegalidade, encaminhem ao Ministério Público. Não pode é ficar em cima de ilações por o governador ser adversário político. E o governador Gladson Cameli fique certo de uma coisa: se atender os que hoje pedem a abertura geral de todas as atividades, estes serão os primeiros a lhe apontar o dedo acusador de culpado por mais mortes. O jogo está jogado: ou mantém e torna mais duras as medidas do seu decreto, ou pague para ver o que vai acontecer.

APOSTA NÃO IMAGINADA

Pelas contas é a quarta tentativa do governador Gladson de buscar um nome que se encaixe como articulador político do governo. Nenhum decolou. Vai apostar agora no ex-deputado Moisés Diniz, ex-líder dos governos do Tião Viana e do Binho. Aposta nunca antes imaginada.

ARTICULADOR HÁBIL

O Moisés Diniz é um articulador hábil. Falou ontem ao BLOG que não vai ser nomeado por enquanto, ficará com seu salário de professor e à disposição do Gabinete Civil. Por ser do grupo de risco vai esperar o desfecho da pandemia para assumir na plenitude a nova função.

NÃO MEÇO PELA IDEOLOGIA

Não faço considerações acerca de uma pessoa pela sua ideologia política, o que importa no serviço público é ver se vai cumprir a missão que receber. Acho Moisés Diniz competente. Temos que acabar com essa xenofobia política. Conheço gente boa na esquerda; e também muitos que, não valem o que o gato enterra. E isso se aplica também a alguns dos partidos aliados que chegaram ao poder. Vamos acabar com a história: é do meu lado, é do bem. Não está do meu lado, é do mal. Que, aliás, foi um mote idiota durante 20 anos de PT. 

MANDAMENTO PRIORITÁRIO

Há um mandamento prioritário em que vai exercer a função de coordenador político de um governos, que deve ser observado pelo ex-deputado Moisés Diniz: nunca prometer aos deputados da base do governo uma mercadoria que não tiver para a pronta entrega.

RODA CEDO

O que derruba a credibilidade de quem ocupa o cargo é prometer algo a um político aliado e depois não conseguir cumprir. A maioria experimentada na função rodou por prometer sem ter a mercadoria na prateleira para entregar. O Moisés, experiente, sabe muito bem disso.

DECISÃO ÓBVIA

É o que este BLOG já tinha colocado em algumas notas, sobre o assunto: não se pode dar insalubridade a quem não pratica uma atividade não insalubre. Por isso, correta a decisão judicial em uma Liminar, de negar a bonificação para todos os setores do sistema de saúde.

NÃO SE IGUALA OS DESIGUAIS

Não pode ganhar a mesma bonificação os que estão na linha de frente do combate ao Covid-19 e também os que estão em atividades burocráticas na Saúde. Seria igualar os desiguais.

MEDIR OS LIMITES

A deputada Antônia Sales (MDB), agora na oposição, deve medir os limites da sua crítica ao governo para não virar uma radical, naquela de que: – vingança é um prato que se come frio. Não será bom à sua imagem trocar a razão pela emoção, quando ocupar a tribuna da ALEAC.

O BELO QUE VIROU FEIO

Ninguém foi mais entusiasta das ações do ex- Ministro Moro do que o senador Márcio Bittar (MDB). Moro era uma espécie de ícone para ele no combate à corrupção no PT. Esquisito, pois, que esqueça tudo e passe a crítico do Moro, por este ter brigado com o presidente Bolsonaro.

NÃO DISCUTO FORA DA CIÊNCIA

Nesta questão da pandemia, me furto a travar discussões fora do que preconiza a ciência.

VAI FALTAR ELEITOR

Na lista dos que pretendem disputar a prefeitura do Bujari estão: Romualdo (PP), professora Marileide (PSD), Jacaré (PSDB), Fabrícia (SOLIDARIEDADE), Orlando Diniz (PT), Luciano (PRB), Francisco Bessa (MDB), Chico do Polo (PCdoB) e Padeiro (PDT). Se todas as pré-candidaturas forem confirmadas nas convenções, vai faltar eleitor para tanto candidato na pequena Bujari.

NADA DEFINIDO

Existe tendência partidária, mas o que vai definir quem será o candidato a prefeito de Cruzeiro do Sul pelo PSD serão as pesquisas, é o que dizem os dirigentes do partido. Dois nomes estão postulando essa candidatura: o ex-deputado Henrique Afonso e o advogado João Tota.

SÓ PODE TER BOTIJA DE OURO

Em Capixaba acontecerá uma enxurrada de candidatos disputando a prefeitura do município, que nos últimos anos foi alvo de escândalos: Pastor Daniel (PSD), Richard (PROS), Joãozinho (MDB), vereador Téio (PP), Manoel Maia (DEM), Diego Paulista (SOLIDARIEDADE), Serraria (PT), Lúcio (PSDB), Lamartine (PTB) e George (PDT). Nesta prefeitura deve ter uma botija de ouro.

POLARIZAÇÃO DE MOMENTO

Em Brasiléia, até aqui surgiram três candidaturas: prefeita Fernanda Hassem (PT), ex-deputada Leila Galvão (MDB) e Charbel Reis (PSL). Se a eleição fosse hoje a polarização aconteceria entre a Fernanda e a Leila, sem favorito. Mas como a campanha nem começou, o quadro pode mudar.

BOA SUGESTÃO

O vereador Gabriel Forneck (PT) fez uma boa sugestão à prefeita Socorro Neri, que contrate costureiras para fazer máscaras para distribuir no município. Geraria emprego e renda num tempo de pandemia, numa camada que faz trabalho caseiro e está sem muita atividade.

RECURSO BEM VINDO

A VIVO está destinando 1 milhão de reais para o governo do Acre empregar em atividades de combate ao Covid-19. Mérito para senadora Mailza Gomes (PROGRESSISTAS), que intermediou esta doação. Aliás, a senadora Mailza, como novata, está saindo além do que era previsto.

NÃO VALE SÓ SER CONTRA

A presidente do CRM, Leuda Davalos, não deveria só ser contra, que se contrate de forma emergencial; médicos formados no exterior, mas deveria apresentar solução para a contratação de profissionais com registros, já que estes, dificilmente, querem trabalhar no interior. Ser contra é fácil, deveria sair da zona de conforto da crítica e apresentar soluções.

DA MAIOR GRAVIDADE

O médico infectologista Eduardo Farias se insurgiu contra a presidência do CRM derrubar na justiça a intenção do governo do Acre em contratar médicos formados no exterior. Diz que nas UPAS está morrendo gente sem ver um médico e o sistema de saúde entrou em colapso.

 OUTRO OLHAR

O vereador e médico Eduardo Farias está certo, quando diz que, num momento de pandemia, com o aumento de casos de contaminação, de mortes, o CRM deveria ter outro olhar. O olhar do CRM me parece ser o assegurar uma reserva de mercado, não importando a situação.

JOGANDO DURO

Em Acrelândia quem sair sem máscara será multado em 180 reais, foi o que determinou o prefeito Ederaldo Caetano. Em Manuel Urbano, o prefeito Tanízio de Sá, estabeleceu multa de 150 reais a quem for flagrado sem máscara na rua. É o preço da desobediência da população.

TRISTE DO PAÍS

Triste de um país em que se tem de punir quem não usar máscaras numa pandemia, quando deveria haver uma consciência coletiva de que todos têm de combater o coronavírus. Quem sabe um dia, o Brasil passe a ter uma população mais civilizada e antenada com o coletivo.

MORO VIROU COMUNISTA

 Este pessoal só me diverte: o Moro agora é tachado de “comunista” no meio bolsonarista.

NÃO SERÁ FÁCIL

Não pense a esquerda que, com ataques diretos e diários ao presidente Jair Bolsonaro vão lhe desgastar. Aprendam: o Bolsonaro fala e faz tudo mirado em agradar seu público, seus aliados. E quanto mais acontecer uma polarização no debate com o PT, é o que o Bolsonaro pretende.

CANDIDATO QUALIFICADO

Francisco Progênio é um dos nomes qualificados na disputa por uma vaga na Câmara Municipal de Rio Branco, devendo entrar na disputa pela chapa do PDT. Falando no PDT, não existe um nome na chapa que tenha mandato, o que deixa a briga mais equilibrada.

FRASE MARCANTE

“Deus está sempre presente, chamado ou não”. Ditado latino.

Anúncios


Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas