Conecte-se agora

Ou mantém o isolamento, ou corre o risco de ver a pandemia disparar 

Publicado

em

Sinto-me à vontade para o comentário, por não ter cargo de confiança no governo e nem ninguém da minha família. O governador Gladson Cameli  tem se mostrado responsável neste difícil período de enfrentamento contra a pandemia do Covid-19. Fala-se em Belo Horizonte, como exemplo onde o combate ao coronavírus deu certo, com o acatamento pela população do decreto de isolamento social. É verdade, mas no nosso Estado o isolamento não segurou a pandemia, porque grande parte da população não teve a consciência social dos mineiros. Aqui, diferente de lá, não se cumpriu as medidas preconizadas por autoridades mundiais na área da Saúde do isolamento, e não se respeitou o decreto do Estado. Os infectologistas alertaram que, o boicote iria aumentar os números de contaminação pelo vírus. Em Belo Horizonte deu certo o isolamento, porque os que não cumpriam sofriam penalizações severas. Aqui, simplesmente não aconteceu. No Acre, principalmente na capital, alguns obscurantistas com idéias da Idade Média, mesmo com mais de cem mortos e se caminhando para os 5 mil casos de contaminações, ainda remam contra a ciência, pouco se importando com as vidas ceifadas. Para ser sincero, faltou também por parte do governo exigir o cumprimento do decreto que proibiu as atividades comerciais não essenciais. Muitos comércios continuam funcionando, burlando uma determinação legal. Fazem a festa da morte ao menosprezarem poder do Covid-19. As aglomerações continuam, enquanto mais famílias choram seus mortos. O Gladson tem a única falha: o de não ser sido duro na exigência do cumprimento do seu decreto. Há uma ou outra falha no planejamento. Mas, ninguém pode lhe acusar de omissão, fez o que estava ao seu alcance, todo mundo vê a sua luta. Quanto aos deputados cobrarem onde foram alocados os recursos recebidos, se tiverem alguma prova de ilegalidade, encaminhem ao Ministério Público. Não pode é ficar em cima de ilações por o governador ser adversário político. E o governador Gladson Cameli fique certo de uma coisa: se atender os que hoje pedem a abertura geral de todas as atividades, estes serão os primeiros a lhe apontar o dedo acusador de culpado por mais mortes. O jogo está jogado: ou mantém e torna mais duras as medidas do seu decreto, ou pague para ver o que vai acontecer.

APOSTA NÃO IMAGINADA

Pelas contas é a quarta tentativa do governador Gladson de buscar um nome que se encaixe como articulador político do governo. Nenhum decolou. Vai apostar agora no ex-deputado Moisés Diniz, ex-líder dos governos do Tião Viana e do Binho. Aposta nunca antes imaginada.

ARTICULADOR HÁBIL

O Moisés Diniz é um articulador hábil. Falou ontem ao BLOG que não vai ser nomeado por enquanto, ficará com seu salário de professor e à disposição do Gabinete Civil. Por ser do grupo de risco vai esperar o desfecho da pandemia para assumir na plenitude a nova função.

NÃO MEÇO PELA IDEOLOGIA

Não faço considerações acerca de uma pessoa pela sua ideologia política, o que importa no serviço público é ver se vai cumprir a missão que receber. Acho Moisés Diniz competente. Temos que acabar com essa xenofobia política. Conheço gente boa na esquerda; e também muitos que, não valem o que o gato enterra. E isso se aplica também a alguns dos partidos aliados que chegaram ao poder. Vamos acabar com a história: é do meu lado, é do bem. Não está do meu lado, é do mal. Que, aliás, foi um mote idiota durante 20 anos de PT. 

MANDAMENTO PRIORITÁRIO

Há um mandamento prioritário em que vai exercer a função de coordenador político de um governos, que deve ser observado pelo ex-deputado Moisés Diniz: nunca prometer aos deputados da base do governo uma mercadoria que não tiver para a pronta entrega.

RODA CEDO

O que derruba a credibilidade de quem ocupa o cargo é prometer algo a um político aliado e depois não conseguir cumprir. A maioria experimentada na função rodou por prometer sem ter a mercadoria na prateleira para entregar. O Moisés, experiente, sabe muito bem disso.

DECISÃO ÓBVIA

É o que este BLOG já tinha colocado em algumas notas, sobre o assunto: não se pode dar insalubridade a quem não pratica uma atividade não insalubre. Por isso, correta a decisão judicial em uma Liminar, de negar a bonificação para todos os setores do sistema de saúde.

NÃO SE IGUALA OS DESIGUAIS

Não pode ganhar a mesma bonificação os que estão na linha de frente do combate ao Covid-19 e também os que estão em atividades burocráticas na Saúde. Seria igualar os desiguais.

MEDIR OS LIMITES

A deputada Antônia Sales (MDB), agora na oposição, deve medir os limites da sua crítica ao governo para não virar uma radical, naquela de que: – vingança é um prato que se come frio. Não será bom à sua imagem trocar a razão pela emoção, quando ocupar a tribuna da ALEAC.

O BELO QUE VIROU FEIO

Ninguém foi mais entusiasta das ações do ex- Ministro Moro do que o senador Márcio Bittar (MDB). Moro era uma espécie de ícone para ele no combate à corrupção no PT. Esquisito, pois, que esqueça tudo e passe a crítico do Moro, por este ter brigado com o presidente Bolsonaro.

NÃO DISCUTO FORA DA CIÊNCIA

Nesta questão da pandemia, me furto a travar discussões fora do que preconiza a ciência.

VAI FALTAR ELEITOR

Na lista dos que pretendem disputar a prefeitura do Bujari estão: Romualdo (PP), professora Marileide (PSD), Jacaré (PSDB), Fabrícia (SOLIDARIEDADE), Orlando Diniz (PT), Luciano (PRB), Francisco Bessa (MDB), Chico do Polo (PCdoB) e Padeiro (PDT). Se todas as pré-candidaturas forem confirmadas nas convenções, vai faltar eleitor para tanto candidato na pequena Bujari.

NADA DEFINIDO

Existe tendência partidária, mas o que vai definir quem será o candidato a prefeito de Cruzeiro do Sul pelo PSD serão as pesquisas, é o que dizem os dirigentes do partido. Dois nomes estão postulando essa candidatura: o ex-deputado Henrique Afonso e o advogado João Tota.

SÓ PODE TER BOTIJA DE OURO

Em Capixaba acontecerá uma enxurrada de candidatos disputando a prefeitura do município, que nos últimos anos foi alvo de escândalos: Pastor Daniel (PSD), Richard (PROS), Joãozinho (MDB), vereador Téio (PP), Manoel Maia (DEM), Diego Paulista (SOLIDARIEDADE), Serraria (PT), Lúcio (PSDB), Lamartine (PTB) e George (PDT). Nesta prefeitura deve ter uma botija de ouro.

POLARIZAÇÃO DE MOMENTO

Em Brasiléia, até aqui surgiram três candidaturas: prefeita Fernanda Hassem (PT), ex-deputada Leila Galvão (MDB) e Charbel Reis (PSL). Se a eleição fosse hoje a polarização aconteceria entre a Fernanda e a Leila, sem favorito. Mas como a campanha nem começou, o quadro pode mudar.

BOA SUGESTÃO

O vereador Gabriel Forneck (PT) fez uma boa sugestão à prefeita Socorro Neri, que contrate costureiras para fazer máscaras para distribuir no município. Geraria emprego e renda num tempo de pandemia, numa camada que faz trabalho caseiro e está sem muita atividade.

RECURSO BEM VINDO

A VIVO está destinando 1 milhão de reais para o governo do Acre empregar em atividades de combate ao Covid-19. Mérito para senadora Mailza Gomes (PROGRESSISTAS), que intermediou esta doação. Aliás, a senadora Mailza, como novata, está saindo além do que era previsto.

NÃO VALE SÓ SER CONTRA

A presidente do CRM, Leuda Davalos, não deveria só ser contra, que se contrate de forma emergencial; médicos formados no exterior, mas deveria apresentar solução para a contratação de profissionais com registros, já que estes, dificilmente, querem trabalhar no interior. Ser contra é fácil, deveria sair da zona de conforto da crítica e apresentar soluções.

DA MAIOR GRAVIDADE

O médico infectologista Eduardo Farias se insurgiu contra a presidência do CRM derrubar na justiça a intenção do governo do Acre em contratar médicos formados no exterior. Diz que nas UPAS está morrendo gente sem ver um médico e o sistema de saúde entrou em colapso.

 OUTRO OLHAR

O vereador e médico Eduardo Farias está certo, quando diz que, num momento de pandemia, com o aumento de casos de contaminação, de mortes, o CRM deveria ter outro olhar. O olhar do CRM me parece ser o assegurar uma reserva de mercado, não importando a situação.

JOGANDO DURO

Em Acrelândia quem sair sem máscara será multado em 180 reais, foi o que determinou o prefeito Ederaldo Caetano. Em Manuel Urbano, o prefeito Tanízio de Sá, estabeleceu multa de 150 reais a quem for flagrado sem máscara na rua. É o preço da desobediência da população.

TRISTE DO PAÍS

Triste de um país em que se tem de punir quem não usar máscaras numa pandemia, quando deveria haver uma consciência coletiva de que todos têm de combater o coronavírus. Quem sabe um dia, o Brasil passe a ter uma população mais civilizada e antenada com o coletivo.

MORO VIROU COMUNISTA

 Este pessoal só me diverte: o Moro agora é tachado de “comunista” no meio bolsonarista.

NÃO SERÁ FÁCIL

Não pense a esquerda que, com ataques diretos e diários ao presidente Jair Bolsonaro vão lhe desgastar. Aprendam: o Bolsonaro fala e faz tudo mirado em agradar seu público, seus aliados. E quanto mais acontecer uma polarização no debate com o PT, é o que o Bolsonaro pretende.

CANDIDATO QUALIFICADO

Francisco Progênio é um dos nomes qualificados na disputa por uma vaga na Câmara Municipal de Rio Branco, devendo entrar na disputa pela chapa do PDT. Falando no PDT, não existe um nome na chapa que tenha mandato, o que deixa a briga mais equilibrada.

FRASE MARCANTE

“Deus está sempre presente, chamado ou não”. Ditado latino.

Anúncios

Blog do Crica

Ibope reforça favoritismo de Bocalom

Publicado

em

A última pesquisa do IBOPE, divulgada pela TV-ACRE na noite de ontem só veio reforçar o favoritismo do candidato a prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom (PP) sobre a candidata Socorro Neri (PSB), na eleição do próximo domingo. Bocalom apareceu com 61% contra 32% de Socorro, uma diferença que se confirmada deve dar uma soma bem superior aos 47 mil votos do primeiro turno a favor do candidato do PP. Para sintetizar, será a vitória da campanha profissional, organizada, do Tião Bocalom (PP), contra a campanha sem organização e amadora da candidata Socorro Neri (PSB). É o que melhor define o resultado.

OUTRO QUADRO

DEPOIS DE DOMINGO vamos ter um novo quadro de composição política. O Gladson terá pela primeira vez desde a sua posse a lhe confrontar um grupo de aliados da sua campanha a governador, que esteve em outro palanque e saído vencedor. Se quiser recompor sua base, ele terá que sentar com este grupo.

VISTO COMO AFRONTA

CONVERSEI ONTEM com uma figura importante do grupo que apoiou a candidatura do Tião Bocalom (PP) à PMRB. E me disse o seguinte: caso o Gladson convide em caso de derrota a Socorro Neri ou outra figura influente da sua gestão para seu governo, será visto como uma afronta ao grupo, que não deglutiu a aliança com o PSB. Querem conversar com a esquerda longe.

ASSUNTO PARA DEPOIS

O SENADOR Petecão (PSD) não quer falar sobre uma possível candidatura ao governo em 2022. Quer primeiro ajudar a eleger o Bocalom á PMRB e conversar depois sobre este assunto.

NÃO SE FURTA A CONVERSAR

SOBRE fazer uma conversa política com o governador Gladson Cameli, o senador Sérgio Petecão (PSD) diz que não vai lhe procurar, mas se for procurado não se furtará a conversar.

MUITO MAIS FORTE

CLARO QUE, caso Tião Bocalom (PP) venha mesmo ser eleito no domingo como as pesquisas indicam, o senador Petecão (PSD) sentará à mesa da conversa bem mais forte que antes da eleição.

SAPO ENGOLIDO

O BLOG tem a informação que existe no grupo que toca a candidatura do Tião Bocalom (PP), uma mágoa grande com o deputado federal Flaviano Melo (MDB), que tentou tirar o MDB do apoio formal ao candidato do PP, para levar à neutralidade.

DIFERENÇA ABISSAL

UM FATO desta campanha que acaba no domingo bastante notado, foi a diferença de volume entre as campanhas do Tião Bocalom (PP) e da Socorro Neri (PSB). A do Bocalom, volumosa: a da Socorro, tímida. O visual do candidato do PP dominou a cidade.

PREVISÃO DOS MAIS AFOITOS

NA PREVISÃO dos mais afoitos defensores da candidatura do Tião Bocalom (PP), este tende a vencer a eleição com uma margem de 75% dos votos. Citam que o IBOPE não pesquisou a zona rural, onde o candidato do PP leva ampla vantagem.

FECHA COM CARREATA

A CAMPANHA do Bocalom deverá fechar as suas atividades com uma grande carreata amanhã na parte da tarde, para mostrar força na reta de chegada. É a velha história do vento favorável.

SENDO SINCERO

NA PROVÁVEL hipótese de uma derrota da  Socorro Neri (PSB) neste domingo, estará criada uma situação surreal. A derrota de uma prefeita que não fez uma má gestão. São coisas da política.

AOS VENCEDORES, AS BATATAS!

NUMA ELEIÇÃO se ganha ou se perder. E como diz o velho jargão”: “Aos vencedores, as batatas!.” Faz parte do jogo.

ELITE NÃO DECIDE

A CHAMADA elite não decide uma eleição, no máximo dá pitacos e alguns votos. Quem decide mesmo é o eleitor da periferia. E nisso está a beleza da democracia, os votos são igualitários.

GRANDE VENCEDOR

O PP, ganhando na capital, vai encerrar a eleição como o grande vencedor, ficando com os dois maiores colégios eleitorais, Rio Branco e Cruzeiro do Sul. A presidente do PP, senadora Mailza Gomes (PP) tem pé quente. E, sem ela, a candidatura Bocalom não vingava. Brecou uma aliança com a Socorro Neri (PSB).

NÃO FOI UNIFICADO

O APOIO do governo à candidata Socorro Neri (PSB) ficou mais no empenho pessoal do governador Gladson e de alguns assessores, do que propriamente da máquina do governo, onde boa parte dos cargos de confiança apoiaram o Tião Bocalom (PP).

NÃO AMEAÇOU PELO VOTO

DEVE-SE TAMBÉM registrar como positivo o fato do governador Gladson ter pedido votos aos chamados comissionados, mas em momento algum ameaçou alguém de demissão se não votasse na Socorro Neri. Se houve pressão, foi por parte dos aloprados.

DIFÍCIL DE FORMULAR

FICA DIFÍCIL neste momento de fim da disputa municipal formular um quadro para a eleição de 2022, para governador e senador. Tem que primeiro ver como ficarão as composições.

MUITO FRAGILIZADA

A FRENTE dos partidos de esquerda, composta pelo PT e PCdoB, está saindo da eleição municipal bastante fragilizada. Não elegeu um vereador na capital e terá que se reinventar para 2022.

UMA IMAGEM QUE FICOU

UMA IMAGEM que ficou desta eleição no grupo da Socorro Neri (PSB), foi a do esforçado deputado Jenilson Lopes (PSB). Mas não foi suficiente para viabilizar seu plano do PSB manter a prefeitura, para servir de trampolim a ele para uma disputa municipal em 2022. Depois de domingo, o PSB vira nanico.

OPOSIÇÃO É SAUDÁVEL

FAZ BEM para a democracia a volta do Leo de Brito (PT) para a Câmara Federal. É preciso ter sempre alguém exercendo o contraditório. Natural ser oposição ao Gladson e ao Bolsonaro.

FRASE MARCANTE

“Não é batendo com uma esponja que conseguimos pregar um prego na parede”. Ditado uruguaio.

Continuar lendo

Acre

Liderando pesquisas, Bocalom não vai ao debate da TV Acre

Publicado

em

O candidato a prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom (PP), que lidera as pesquisas, não vai participar do debate desta sexta-feira (27) com a prefeita Socorro Neri (PSB), que está sendo anunciado pela TV-ACRE.

A confirmação da ausência chegou ao BLOG pelos assessores políticos do candidato. O argumento é que a direção da emissora está notificada há 5 dias de que, Bocalom não se faria presente, por ter outra programação de campanha agendada para o horário. Na nova pesquisado IBOPE, Tião Bocalom (PP) aparece com 61% contra 32% da prefeita Socorro Neri (PSB).

Mais política no BLOG DO CRICA.

Continuar lendo

Blog do Crica

Gladson anuncia volta ao Progressistas

Publicado

em

EM DECLARAÇÃO dada ontem pela manhã ao BLOG DO CRICA, o governador Gladson Cameli revelou que vai retornar às suas atividades partidárias no PP, de onde se encontra afastado desde o início da eleição municipal. A presidente do PP, senadora Mailza Gomes, com quem conversou a respeito, lhe deu sinal verde para a volta. Conversas também foram encaminhadas junto a bancada estadual, formada pelos deputados Nicolau Junior (PP), José Bestene (PP) e Gerlen Diniz (PP), todos de acordo com a reativação da sua presença no partido. “Não será uma volta de pires na mão, mas uma volta pelo diálogo de quem terá um espaço respeitado e possa emitir as suas opiniões. E respeitando as posições em contrário. O PP vai fazer política, eu vou fazer gestão”, destacou ao BLOG. Sobre a sua relação com o provável futuro prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom (PP), o governador Gladson enfatizou que não terá nada a lhe cobrar, porque estiveram em palanques diferentes na eleição da capital, mas que as portas do seu gabinete estarão abertas para uma relação institucional respeitosa, caso se confirme no domingo a vitória do candidato do PP, para a PMRB. Cameli diz estar mesmo preocupado depois da eleição é em fazer gestão e obras no estado. Falou que, as atividades políticas serão secundárias.

NA POLÍTICA TUDO É CONVERSA

NÃO DEVE ser vista como anormalidade a volta do governador Gladson Cameli para o PP, do qual estava afastado. É o seu partido de origem, e as diferenças se tiram na mesa de diálogo.

TUDO MUITO SIMPLES

NA POLÍTICA, tudo é muito simples. As partes se sentam à mesa, debatem as diferenças, e toca o barco para a frente. Mas, para isso tem de se afastar de partidos de esquerda, como o PSB.

ESPAÇOS REPACTUADOS

GLADSON CAMELI também enfatizou na conversa de ontem que pretende fazer uma ampla repactuação de espaços no governo entre os partidos, cortando onde tem que cortar, como no DEPASA, onde demitiu toda a sua diretoria. A repactuação de cargos deverá ser em cima de critérios técnicos do indicado.

CASTANHA QUEBRADA

O GOVERNADOR deve fechar o ano quebrando a castanha dos ex-dirigentes do PT, que apostavam que no máximo em seis meses do primeiro ano atrasaria os salários. Não só não atrasou nos primeiros dois anos, mas pagou antes do fim de cada mês.

NÃO TINHA OUTRO CAMINHO

SOBRE as demissões dos diretores do DEPASA, vejo como uma medida acertada, devido às denúncias de assédio sexual e desvios financeiros. Não cabia omissão. Não tinha outro caminho a ser tomada como governador. Tinha virado cabide de emprego.

PRINCIPAL DESAFIO

O QUE o governador Gladson deve ter como prioridade de momento e adequar os gastos públicos ao limite da Lei de Responsabilidade Fiscal, e precisa reduzir gastos com pessoal.

QUATRO PREFEITURAS

O DEPUTADO federal Léo de Brito (PT) partirá para a reeleição com os quatro prefeitos do PT lhe apoiando: Fernanda Hassem, Bira Vasconcelos, Isaac Lima e Jerry. Tem emendas para destinar.

DEU UMA LOBA

O PREFEITO de Mâncio Lima, Isaac Lima (PT), deu uma loba no governador Gladson Cameli, com quem chegou a conversar para se filiar no PP, mas depois que ganhou, se nega a cumprir o trato.

BOCADO ESQUECIDO

NA CAMPANHA, o governador Gladson Cameli sofreu desgaste com seus apoiadores em Mâncio Lima, por ter declarado o seu apoio à reeleição do prefeito Isaac Lima (PT). Bocado comido, bocado esquecido, já diz o velho, mas sempre aplicável ditado.

TUDO INDICANDO

AS PESQUISAS internas de partidos continuam indicando uma vitória folgada do candidato Tião Bocalom (PP). Há dois dias da eleição, é difícil uma mudança. Mas quem vai falar será a urna.

NADA MAIS AMADORA

CONVERSANDO ontem com uma pessoa do miolo da campanha da prefeita Socorro Neri (PSB), esta revelou que já participou de várias campanhas, mas nenhuma amadora como a da Socorro.

PIOR DE TUDO

ATÉ SE JUSTIFICARIA este fracasso da sua coordenação política se fosse uma má prefeita e não tivesse o que ser mostrado na sua gestão. Pelo contrário, em 2 anos fez muito, e não foi explorado.

A CHITA É DE OUTRA COR

ACONTECE é que os coordenadores da campanha da Socorro (PSB) estufaram o peito e achavam que a fatura estava liquidada pelo simples apoio do Gladson. A chita política é de outra cor.

REPLETA DE EXEMPLOS

A HISTÓRIA política da capital está repleta de exemplos de candidatos que perderam a eleição para a prefeitura, tendo o apoio do governo e com a prefeitura na mão. Não será novo.

ESPÓLIO PEQUENO

O EX-SENADOR Jorge Viana (PT) sabe ler um cenário político. A baixa votação do PT na capital, não deve ter lhe deixado otimista para sonhar com o Senado em 2022, só com a esquerda.

COLÉGIOS PEQUENOS

É NÃO é mesmo para ter ficado otimista. Brasiléia, Assis Brasil, Xapuri e Mâncio Lima, onde o PT elegeu prefeitos, são colégios eleitorais pequenos, no contexto de uma eleição estadual.

SERÁ COBRADO

VENCENDO A ELEIÇÃO de domingo, o candidato a prefeito Tião Bocalom (PP) terá uma fatura longa e variada a ser cobrada, que passa do aumento da produção agrícola com arroz e feijão baratos até o fim do madrugar numa fila para ser atendido nas unidades de saúde da prefeitura. Terá os 100 dias de tolerância. 

SEM REAJUSTE

O DEPUTADO Daniel Zen (PT) questionou em fala na ALEAC a falta de reajuste salarial aos professores nos dois anos do governo Gladson. Zen defendeu ainda que, o governo revogue o decreto que limita o pagamento do PDV- Prêmio de Valorização do Desenvolvimento Profissional para os profissionais de Educação. São dois pontos que governo tem de desentravar.

FOCO EM 2022

O BLOG tem informação de que a prefeita Fernanda Hassem (PT) já tem o seu candidato a deputado estadual em 2022, deverá ser seu irmão e Secretário de Finanças, Tadeu Hassem. Sairá pelo PT.

FRASE MARCANTE

“Quando um dedo aponta para lua, os tolos olham para o dedo.” Ditado chinês.

Continuar lendo

Blog do Crica

O voto do eleitor não tem dono

Publicado

em

A LÓGICA de que, quem é candidato no poder ganha a eleição, foi quebrada também em Senador Guiomard. Por esta lógica estrábica de alguns, quem deveria vencer seria o prefeito André Maia (MDB), porque estava no comando da máquina municipal, num colégio eleitoral pequeno, em que muita coisa gira em torno da prefeitura. A vitória da Rosana Gomes (PP),  para prefeita mostrou que o voto do eleitor não tem dono. Entrou em baixa nas pesquisas, foi conquistando a confiança do eleitor e acabou vencendo, esmagando esquemas poderosos. A política tem caminhos insondáveis. O povo decidiu, não muda.

PRATO QUE SE COME FRIO

O PREFEITO André Maia (MDB) perdeu a eleição, mas a sua candidatura foi fatal para a derrota do seu algoz, que chegou afastá-lo da prefeitura, o vereador Gilson da Funerária (SD).

REPAGINADA QUE DEU CERTO

A IMAGEM do Tião Bocalom (PP) antes desta campanha era a de uma pessoa raivosa e com um discurso que virou galhofa. Nesta campanha, mudou por completo. Mudou a imagem para um conciliador da política da paz e do amor e do bom velhinho. E, pelo que mostram as pesquisas, o eleitorado se encantou.  

NÃO PEDE, DETERMINA!

O GOVERNO negou ceder carros da sua frota para transportar os eleitores da zona rural, com o estranho argumento de falta de carros. A justiça eleitoral, não pede, determina, senhores da toga. Seria como que uma punição ao eleitor que vive no campo.

NÃO ME LEMBRO

NÃO ME LEMBRO de nenhuma outra eleição que uma situação desta natureza tenha acontecido na capital. Isso é um absurdo.

ANO ESENCIAL

2021 será um ano essencial para o governador Gladson Cameli deslanchar o seu governo com obras. Ano também de fazer recomposições e repactuações políticas. 2022 será um ano contaminado pela pré-campanha para o governo e parlamento.

FICA POR CONTA DA MILITÂNCIA

ATÉ AQUI, a disputa do segundo turno entre os dois candidatos não descambou para a ofensa pessoal. As fakes news, os ataques á honra, ficaram por conta dos militantes desvairados. E essa é uma turba que os candidatos não conseguem controlam.

AFASTA DE MIM ESTE CÁLICE

O GOVERNADOR Gladson demitiu mais um integrante do grupo do vice-governador Major Rocha de cargo de confiança. O Gladson reforça que, não quer mais relação política com o vice.

CADA QUAL NO SEU QUADRADO

MELHOR MESMO para o governador e o vice é cada qual no seu quadrado. As relações pessoais e políticas entre ambos chegou num grau de deterioração sem volta. E a caneta é do governador.

MERGULHOU FUNDO

O VICE-GOVERNADOR Major Rocha mergulhou fundo no silêncio. Não haveria nada melhor do que sair da cena do olho do furacão.

VAI DERRUBAR PREFEITO

ESSA QUESTÃO da merenda escolar vai complicar prefeito eleito.

BASE PARA FEDERAL

O DEPUTADO Jesus Sérgio (PDT) sedimentou bases importantes para disputar a reeleição em 2022. Fez os prefeitos de Tarauacá e do Jordão. Jesus é um parlamentar limitado, mas faz política.

POUCO TEMPO PARA MUDAR

PELO QUADRO de mobilização que se tem notado no segundo turno, não houve mudança em relação ao favoritismo do candidato Tião Bocalom (PP). E, domingo já é o dia da votação.

BITTAR EMPENHADO

O SENADOR Márcio Bittar (MDB), esqueceu as diferenças políticas e é um dos mais empenhados na candidatura do Tião Bocalom (PP). Mais importante é que o Bittar será o Relator do Orçamento Federal, e poderá destinar recursos para a PMRB.

BASTA ANDAR NA CIDADE

A NOVA ONDA da Covid-19 parece que não despertou ainda grande parte da população da capital, que anda sem máscaras pela cidade, como se tudo estivesse normal. Fugiu ao controle.

UNIDADES LOTADAS

ATÉ AS UNIDADES de Saúde particulares estão com os seus leitos destinados aos contaminados pela Covid-19, com ocupação sem vagas. Definitivamente, a pandemia veio numa nova onda. 

ATESTADO DE VERGONHA

CASO a Polícia Militar mantenha a posição de não mandar segurança para os jogos da Série D, e os times do Acre tenham que disputar seus jogos em outros estados, será um atestado de vergonha. O governador Gladson tem que intervir na situação.

DESCULPA ESFARRAPADA

PIOR QUE o ato foi a desculpa esfarrapada da cúpula da Segurança, que criou assim uma pauta negativa para a imagem do governo. Não se cria problema onde não tem problema.

MANTENDO A ALTIVEZ

A PREFEITA Socorro Neri (PSB) sabe que a sua situação política neste segundo turno não é confortável. Mas, mesmo assim vem mantendo a altivez e cumprindo os compromissos agendados.

CAMPANHA DESCARADA

NÃO MORRO de amores pelo Bolsonaro, que se não é a oitava maravilha do mundo; também não chega a ser o representante do mal, como prega a GLOBO, em uma campanha descarada.

SUCESSÃO DE ERROS

O QUADRO deste segundo turno para a prefeita Socorro Neri não passa de uma sucessão de erros de campanha, que vem do primeiro turno. A Socorro foi vítima de uma campanha amadora.

CONSELHEIROS ERRADOS

CONSIDERO a Socorro Neri ter cometido um erro político ao não ter ido para o PP, e se tivesse ido teria hoje no seu palanque o governador Gladson e o senador Sérgio Petecão (PSD). E o Tião Bocalom não seria candidato. Ouviu os conselheiros errados.

QUEBROU UM CICLO

A VITÓRIA da candidata Néia (PDT) quebrou um ciclo das oligarquias de Tarauacá, dos Vitorinos e Damascenos, que vinham se alternando no comando da prefeitura do município.

FRASE MARCANTE

“Primeiro come-se; depois é que se lava a panela”. Ditado espanhol.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2020 ac24Horas.com - Todos os direitos reservados.