Conecte-se agora

Discutir com irracionais é como  jogar pedra na lua

Publicado

em

O sistema de saúde de Rio Branco e Cruzeiro do Sul, as duas maiores cidades do Estado, entrou em colapso. Já chegamos a 2.482 casos de contaminação pelo Covid-19 e a 73 mortes. Nem este quadro dantesco conseguiu tocar os irracionais, que insistem em discutir a pandemia à luz de posições desvairadas dos seus líderes políticos. Mas, também é querer demais que os irracionais raciocinem. O não atendimento ao chamamento para que se cumprisse o isolamento é que redundou na escalada dos novos casos e nas mortes. É muito idiotice se jogar com a tese de que isolamento não cura o coronavírus. Realmente, não cura quem foi contaminado pelo coronavírus, e tampouco clareia as mentes toscas dos obscurantistas. Isolamento é uma forma de diminuir o contágio é não levar o sistema de saúde à saturação, com a contaminação mais acelerado. Não adianta nem desenhar, porque nem assim vão entender. Não vai restar muita saída ao governador Gladson Cameli e à prefeita Socorro Neri, ao não ser o de tomar medidas mais duras para evitar que Rio Branco se transforme no caos que virou Manaus. Numa pandemia a única voz a ser ouvida não é da politicagem, mas a da ciência. Fico com a ciência.

NÃO PRECISA DE INIMIGO

Não há saída para o governador Gladson Cameli ao não ser aprovar o projeto do Instituto da Saúde. A não aprovação implica em ter que demitir os servidores do Pró-Saúde, ou entra em crime de responsabilidade e adeus CPF limpo. A oposição, que é contra, ganhou um aliado inusitado, o vice Major Rocha. Quem tem um vice com essa postura, não precisa de inimigo.

TÃO PERTO, TÃO LONGE

É a segunda postura de oposição tomada pelo vice-governador em poucos dias. A primeira foi engrossar a fila dos oposicionistas e pedir para futricar o governo, uma investigação que já acontecia, no caso da compra de sacolões. E a mais nova agora, voltar a se somar à oposição contra o PL do governo do Instituto da Saúde, criando embaraço para o governador Gladson.

NÃO LEVEM A SÉRIO

Recomenda-se a não se tomar partido nesta quizumba. Briga de político nunca deve ser levada a sério. Primeiro porque, a seriedade (sic) dos políticos é do tamanho dos interesses pessoais. Resolvidos os interesses contrariados, fazem as pazes, e quem tomou partido vira vilão. Reomenda-se apenas assistir.  

DERROTA PESSOAL

A retirada do projeto do Instituto da Saúde seria uma vitória da oposição, uma derrota do governador Gladson. É uma desmoralização para o líder do governo, deputado Gerlen Diniz (PROGRESSISTAS), e depois de tanto desgaste, não valeria a pena permanecer na liderança.

DERROTAR O GERLEN

Tanto quanto derrotar o governador Gladson Cameli nesta questão da criação do Instituto da Saúde, a maior glória para a oposição, principalmente, para os deputados Jenilson Lopes (PSB) e Evaldo Magalhães (PCdoB), seria a desmoralização do Gerlen com a retirada do projeto.

É PRECISO DESENHAR, TOSCOS?

O isolamento social não é para curar ninguém do coronavírus, é para evitar o contágio mais rápido da pandemia. O que está acontecendo no Acre é o que previam os infectologistas, a não observância do isolamento implicaria no aumento dos casos e saturação do sistema de saúde, o que acabou ocorrendo. Pensei em desenhar para alguns toscos entenderem, mas depois me lembrei serem irracionais. E com os irracionais, nunca adianta falar em ciência médica.

A MESMA TÁTICA MANJADA

Colocar ônibus na porta da prefeitura para forçar um reajuste do preço das passagens é uma tática manjada dos empresários do setor. Quem tem que pagar os salários dos motoristas dos coletivos são os seus patrões e não a prefeita Socorro Neri. Isso é mais velho do que Noé.

PM TEM DE AGIR

O que não pode é a Polícia Militar, RBtrans, o cacete a quatro, permitir que se interdite o centro da cidade com ônibus parados, como se estes fossem os donos das ruas. Ou isso virou agora a casa de mãe Joana? Vão estacionar em frente ás casas dos seus patrões, ora bolas!

TERÁ CANDIDATO

O SOLIDARIEDADE emitiu uma nota dizendo que terá candidato à PMRB. Disse nada com nada.

QUAL DECRETO SEGUIR?

Pronto: temos dois decretos sobre a pandemia. Um do governador Gladson Cameli estabelecendo o isolamento social, e o outro; do presidente do DEPASA, Tião Fonseca, dizendo que só os “covardes” ficam em casa. Afinal, qual dos dois decretos é para ser seguido?

CEREJA DO BOLO

Quando se fala em candidato a vice o nome da Marfisa Galvão sempre aparece na cabeça das listas. É uma espécie de cereja do bolo dos candidatos a prefeito de Rio Branco.

CANDIDATO COMPETITIVO

O Tião Bocalom, liso, sem um pau para dar no gato, nas vezes que enfrentou a máquina do PT disputando o governo e prefeitura foi extremamente bem votado, sempre batendo na trave. Se tiver o apoio do Gladson Cameli, vai se tornar um nome altamente competitivo à PMRB.

SEM PRORROGAÇÃO

O presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia, vai colocar em discussão o adiamento das eleições para novembro ou dezembro, mas descarta a tese da prorrogação de mandatos. A prorrogação de mandatos é uma medida normal nas ditaduras, não cabendo na democracia.

NÃO FICA SEM CANDIDATO

Conversando ontem do meu bunker com uma figura importante do poder, este me disse que não passa pela cabeça do governador Gladson Cameli ficar fora da eleição da capital. E que, deve esperar as pesquisas para melhor se situar. Bate com o que coloquei neste BLOG.

NAS CORDAS DO RINGUE

Caso a prefeitura de Rio Branco fique com o PSDB ou com o MDB o governador Gladson Cameli vai ficar no canto do ringue, e chegará em 2022 de pernas bambas. MDB e PSDB têm projetos conflitantes com o do governador para a eleição de 2022. O Gladson não é um idiota para não avaliar isso.

ATAQUES Á REVELIA

Dependesse do senador Márcio Bittar (MDB) o deputado Roberto Duarte (MDB) teria construído a sua candidatura num cenário em que acabaria como o candidato do governador Gladson a prefeito de Rio Branco. Foi exatamente por um caminho oposto e virou oposição.

AVALIOU MAL

O deputado Roberto Duarte (MDB) é um político preparado, inegável! Também combativo. Mas peca pela falta de controle emocional. Errou quem o assessorou com a tese que batendo no governador Gladson conseguiria o seu apoio. Esqueceu que só tem um voto na ALEAC

LUTA DE 20 ANOS

O senador Márcio Bittar (MDB) lamenta sempre que fala sobre este assunto de que se lutou tanto para tirar o PT do poder; e quando se chegou ao poder, invés da unidade os partidos aliados optam pela cisão. Márcio Bittar, a procissão da unidade passou faz é tempo, meu caro!

JACARÉ-AÇU COM SUCURI

Há dentro do PSDB quem acredite que o MDB acabará por indicar o Roberto Duarte (MDB) de vice do Minoru Kinpara (PSDB), para disputar a PMRB. Seria o casamento de jacaré-açu com sucuri, um iria devorar o outro se ganhasse a prefeitura. A candidatura do MDB é irreversível. 

O FOCO É 2022

O MDB tem o seu foco voltado para 2022, e sabe que para chegar na mesa do jogo com cartas decisivas, precisa eleger o maior número de prefeitos e vereadores possíveis, saindo maior do que vai entrar na eleição municipal deste ano. Por isso, esqueçam o MDB ser coadjuvante.

FACA COM DOIS GUMES

Marcar a eleição para novembro será uma faca com dois gumes para os atuais prefeitos. De um lado terão além do verão, mais um mês para executar os seus projetos. O outro gume é que, vão enfrentar um adversário perigoso: o inverno. Que deixa ruas e ramais intrafegáveis.

NÃO TEM QUE FALAR

A prefeita Socorro Neri está certa quando não fala sobre política no momento. Primeiro é que o jogo nem se iniciou e não sabe como ficará o quadro político. Mas precisa se preparar para dois cenários políticos: um com o apoio do Gladson e o outro sem o seu apoio.

QUASE QUE CERTO

Com dez candidatos a prefeito de Rio Branco é quase que certo que teremos segundo turno, não há nenhuma luz que foque na direção da vitória de alguém no primeiro. E no segundo turno entrará em vantagem quem conseguir montar o maior arco de alianças políticas.

PELOTÃO DE FRENTE

Não se precisa entender de política para se avaliar que no pelotão de frente da disputa da prefeitura estarão Socorro Neri, Tião Bocalom, Roberto Duarte, Minoru Kinpara e o nome do PT, pela estrutura de seus partidos e esquemas de campanha. Mas é bom lembrar que, ninguém ganha eleição antes da hora, acontecem zebras, e a política não é uma ciência exata,

NÃO ESTÁ MORTO

Numa eleição com dez candidatos a prefeito de Rio Branco é um erro dar o PT como morto. Ainda tem um eleitorado fiel, que conquistou ao longo dos 20 anos. Depende muito do nome a ser lançado. Pode não ser o favorito do páreo, mas por certo começa no pelotão de elite. Entra na eleição capengando, mas não está morto. A política é uma roda que gira constantemente.

FALTAVA ESSA!

O vereador João Luz (MDB) agora se superou: ainda raivoso por o governador Gladson Cameli não ter falado ainda em “cloroquina.” O governador é engenheiro e não médico.

PUTA QUE PARIU!

O leitor, desculpe o palavrão! Todos que são contra o presidente Jair Bolsonaro são tachados de “comunistas”. My God! A grande maioria dos que fazem a rotulação nunca devem ter lido Marx. Não sabem quem foi Stalin, Lenin, Trotsky e outras figuras da revolução russa. Falam como papagaios. No máximo devem ter lido o almanaque de capivarol. Que coisa louca!

NÃO HÁ LUGAR PARA AMADOR

O polêmico Zamir Texeira, uma figura que andou pela política acreana, já dizia há 20 anos que, no Acre não há mais espaço na política para amadores. Em Cruzeiro do Sul, os aliados do governador Gladson Cameli estão mais perdidos do que cego em tiroteio. Enquanto isso o MDB segue firma com a candidatura do Fagner Sales, liderando todas as pesquisas. 

FRASE MARCANTE

“A boca é um órgão que será tanto mais de confiança quanto mais silencioso se mantiver”. José Saramago, escritor.

 

Anúncios

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas