Conecte-se agora

Em dois meses de epidemia, Acre decretou emergência, estabeleceu quarentena e rodízio de veículos e teve 59 morte por coronavírus

Publicado

em

Faz exatamente dois meses neste domingo, dia 17 de maio, desde que o Acre confirmou os três primeiros casos de Covid-19 no estado. Foi no dia 17 de março deste ano que a secretaria de Saúde do Acre (Sesacre) registrou, em coletiva junto com o governador Gladson Cameli, os testes positivos de um homem de 30 anos e uma mulher de 50, que chegaram de São Paulo, e outra de 37 anos, que estava em Fortaleza.

Hoje, conforme último boletim emitido pela Sesacre, já são 1.867 casos confirmados em dois meses e 59 mortes decorrentes da doença no estado. Foi no dia 17 de março também que o governo do Acre declarou pela primeira vez, no Diário Oficial do Estado (DOE), situação de emergência devido à pandemia de Covid-19.

Agora, o Acre já atinge outro patamar com relação à evolução da epidemia do vírus. Depois de o governo estabelecer temporariamente a quarentena, fechando estabelecimentos considerados não essenciais neste momento, a capital, Rio Branco, vai instituir a partir desta segunda-feira, 18, o rodízio de veículos na cidade.

O tráfego de veículos sofrerá restrições entre os dias 18 e 31 de maio, com a estimativa de limitar em 50% a frota de veículos e, assim, reduzir o número de pessoas em locais e vias públicas e fortalecer o isolamento social. Enquanto isso, municípios mais afetados pela contaminação estão preparando hospitais de campanha para atender a demanda de pacientes infectados.

Em Rio Branco, o colapso na saúde pública já foi verificado algumas vezes, principalmente quando contava apenas com os leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTIs) do pronto-socorro. Os gestores falam em salvar vidas e a classe empresarial em salvar a economia local. Ambas foram drasticamente afetadas pelo vírus. “O meu pedido é que a população possa entender essa medida e nos ajude. Sair de casa, somente se for extremamente necessário. Infelizmente, quem desobedecer será penalizado. Por isso, peço o apoio de todos para que possamos vencer esse mal o quanto antes”, afirmou o governador Gladson Cameli.

O hospital de campanha de Rio Branco voltado exclusivamente a casos de Covid-19 ainda está em obras e previsto para ser entregue na primeira quinzena do próximo mês de junho. Na capital, o pronto-socorro, Unidade de Pronto Atendimento do Segundo Distrito e o Instituto de Traumatologia e Ortopedia do Acre, o Into, estão atuando como unidades referência, com expectativa de somar ainda com o Hospital do Amor.

Anúncios

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Mais lidas