Conecte-se agora

Uma luta que tem marca registrada

Publicado

em

Durante todo o seu primeiro mandato e no segundo mandato, nenhum parlamentar da bancada federal do Acre se empenhou tanto pela regularização da situação dos médicos brasileiros formados no exterior, principalmente, na Bolívia, o que beneficiaria muitos acreanos, do que o deputado federal Alan Rick (DEM)  que, comemora com mérito a liberação emergencial para a contratação desses profissionais. Mas isso não deve invalidar a sua luta principal e definitiva para uma regularização no CRM, com a realização de dois exames do Revalida, para que os médicos acreanos formados no exterior consigam o seu CRM. 

CAIU NA ARAPUCA

O governador Gladson Cameli caiu na armadilha montada por políticos corporativistas de aceitar entrar no debate de reajuste salarial em forma de vantagem para categorias, no momento delicado de uma pandemia que caminha célere para chegar aos 2 mil casos de contaminação e mais mortes. Com aliados (sic) como o Gladson tem, não precisa de inimigos.

OU PISA NA LEI OU FICA COM A LEI

Ao aceitar cair na arapuca colocada pelos muy amigos aliados (sic), o Gladson ficou numa situação pela qual não deveria passar: ou manda o projeto de titulação da PM para a ALEAC, e com certeza será acionado por improbidade administrativa manchando seu CPF, ou encontra uma forma legal de beneficiar os policiais militares. Não existe outro caminho para seguir.

SABER DIZER NÃO

O bom gestor tem que aprender a dizer não quando uma decisão coloca em risco as finanças estaduais e o seu próprio CPF. Se agir pela emotividade do coitadinho terminará como vilão.

NÃO EXISTE MILAGRE

E não existe milagre a ser feito sem o Estado fora dos limites da Lei de Responsabilidade Fiscal, não há como o governo encaminhar o projeto da titulação sem ferir a legalidade. Tá na lei!

NÃO É O MOMENTO

Nenhuma entidade mais do que a PM tem o direito de reivindicar melhorias salariais, até porque na gestão passada não ganharam as vantagens justas que a Polícia Civil ganhou. E, ninguém mais que um PM corre risco na defesa da sociedade contra a bandidagem. Mas não cabe numa pandemia a discussão sobre vantagens, o momento é de foco principal na saúde.

OUTRA DISCUSSÃO FORA DE FOCO

Outra discussão extemporânea é a do Instituto da Saúde. Os deputados, sindicalistas que pressionam o governo pela não aprovação do projeto, estão remando contra os servidores do Pró-Saúde. Se não for aprovado, o governo será obrigado a demitir todos do Pró-Saúde. Ou o senhor Gladson Cameli será acionado por improbidade administrativa, vamos parar de marola.

DISPOSITIVO QUE CABE

O único membro da oposição que fugiu do ato politiqueiro e apresentou uma proposta assimilável e prática foi o deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB), quando defende que no projeto conste que os funcionários do Pró-Saúde serão contratados pelo Instituto da Saúde.

TUDO SAINDO NO FIGURINO

Está tudo saindo dentro do figurino para o prefeito de Sena Madureira, Mazinho Serafim, no seu projeto de reeleição. O quadro é de quatro adversários: Gerlen Diniz, Toinha Vieira, Zenil e Josandro, o que logicamente divide os votos no nicho do eleitorado oposicionista e o beneficia.

TUDO O QUE QUER

Quem está no poder e vai disputar a reeleição tudo com o que sonha é que tenha o maior número de candidatos adversários, porque o voto se pulveriza, o que favorece quem se encontra no poder e sabe se mexer numa eleição, como o prefeito Mazinho Serafim.

O SISTEMA É BRUTO

Em Cobija, ninguém ouse sair do isolamento, porque se for encontrado na rua é algemado e preso. Lá, se cumpre a lei. Há quase 30 dias não se registra um novo caso da Covid-19. Apenas 12 casos foram registrados na pandemia e 1 óbito. O sistema na Bolívia é bruto, lei se cumpre.

OU VIRA REFÉM

Não há atalhos para o governador Gladson nesta eleição municipal, na capital. Ou ele formata um candidato que tenha a sua confiança política, para lançar á prefeitura de Rio Branco, ou vai virar refém na disputa de 2022, caso a prefeitura caia nas mãos do PSDB ou do MDB.

EXEMPLOS CLAROS

O MDB tem deixado claro que, o partido tem projeto próprio para governador e senador em 2022. Tanto é assim que cacifou o deputado Roberto Duarte (MDB) para fazer do governador um alvo fixo de ataques na ALEAC. E o PSDB deu provas que também tem caminho próprio, ao se juntar ao MDB para disputar a prefeitura de Cruzeiro do Sul na eleição deste ano.

ABSOLUTAMENTE CERTOS

Na parte política, o MDB e o PSDB não estão errados em procurar reforçar os seus quadros na eleição de 2020. É do jogo. Errado está o Gladson, que não construiu até aqui um nome para ser o candidato do seu grupo em Rio Branco e deixou o PROGRESSISTAS atarantado.

CANTEI A PEDRA

Na nota de abertura do BLOG de ontem dei que, a decisão da Comissão de Constituição e Justiça se chocava com o Regimento Interno da ALEAC, e o seu fim seria o de nem ser posto em votação. Destaquei também no BLOG de ontem que, só a mesa diretora poderia fazer a proposta. A decisão da ALEAC de não votar nada neste sentido, foi pedra cantada no BLOG.

PROSELITISMO BARATO

E, na verdade, reduzir em 50% os salários dos deputados não iria impactar como uma ajuda substancial na campanha de combate ao coronavírus, não passava de proposta politiqueira. O papel da ALEAC; está cumpre bem, ao aprovar todos os projetos com relação a Covid-19.

PARECE QUE ENTENDERAM

Rio Branco, como mostrou ontem o ac24horas, estava mais vazia, parece que a explosão de casos da Covid-19 e do aumento do número de mortos despertou a consciência, dos que pregavam que era uma cascata. Já se vê até a turma da “gripezinha” usando máscara.

TUDO COMO ANTES

Em Cruzeiro do Sul, tudo como antes no quartel do Abrantes, sobre quem será o candidato a prefeito do município. O prefeito Ilderlei Cordeiro ainda não se pronunciou se disputará a reeleição. O Gladson não disse quem vai apoiar. O único organizado para a disputa é o MDB.

PRECISARÁ CONVENCER

Converso com os mais variados segmentos sobre a eleição para a prefeitura de Cruzeiro do Sul. E não escuto na cúpula palaciana nenhuma voz na defesa da candidatura do Ilderlei Cordeiro á reeleição, pelo contrário, ouço uma rejeição grande ao seu nome. Este é o quadro real.

SÓ NUMA GRANDE FRENTE

E só a construção de uma grande frente política com uma candidatura única com o aval do governador, teria chance de enfrentar o candidato do grupo do ex-prefeito Vagner Sales á prefeitura, Fagner Sales (MDB). Se o grupo do governador sair dividido, será derrota certa.

 NÃO CREIO

Numa eventual candidatura do ex-prefeito Angelim a prefeito de Rio Branco, não acredito. Numa candidatura do ex-governador Binho Marques, creio pouquíssimo. O que fica para avaliar será o deputado Daniel Zen (PT) de candidato à PMRB. Sobre o Zen, é só uma ilação.

FECHADO EM COPAS

O PT continua fechado em copas quando se trata de revelar quem será seu nome à PMRB.

TUDO NO DUDU

O PCdoB deverá jogar todas as suas fichas nesta eleição municipal para reeleger o vereador Eduardo Farias (PCdoB). O Dudu é um dos notáveis da cúpula comunista, e militante antigo.

PIPOCAR DE RECLAMAÇÕES

Continuam o pipocar nas redes sociais as reclamações contra os serviços do DEPASA, e isso num tempo de pandemia, quando em hipótese alguma poderá faltar água. O presidente do DEPASA, Tião Fonseca, é esforçado, mas não tem conseguido ter o controle da crise.

VAI DAR JOGO POLÍTICO?

O Gladson botou a bola na marca da cal para a prefeita Socorro Neri bater uma penalidade sem goleiro. Ao fazer uma parceria para a prefeitura executar obras, com recursos do Estado, dá condições dela deslanchar mais as ações da PMRB. O jogo vai acabar em aliança política?

HÁ QUEM DEFENDA

Há grupos importantes dentro do governo que defendem uma aliança política do Gladson e da Socorro, para a disputa da prefeitura de Rio Branco. Ao se concretizar, unificaria duas máquinas poderosas. Um palanque do Gladson e partidos aliados com a Socorro, seria forte. 

QUALQUER AMADOR

Num cenário com dez candidatos a prefeito da capital, a prefeita Socorro Neri, com o apoio do grupo do governador Gladson, não é preciso nem conhecer de política, qualquer amador sabe que esta união levaria a chapa a um segundo turno. 

ESTÁ PARADA

Qualquer chapa no grupo do Gladson para disputar a prefeitura da capital, para vice deverá ser debatido o nome da Marfisa Galvão, porque puxaria o apoio do senador Sérgio Petecão (PSD). A ocorrer seria a primeira vez que se teria uma chapa com duas mulheres para prefeita. 

FRASE MARCANTE

“Quando um dedo aponta para a lua os tolos olham para o dedo”. Ditado chinês.

Anúncios

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas