Conecte-se agora

A breve historinha de uma lambança 

Publicado

em

O que pode num primeiro momento ser visto como uma atitude altruísta, o projeto para a redução salarial de 50% dos salários dos deputados estaduais, para ser o valor recolhido aos programas de combate a Covid-19, na verdade, para quem conhece o Regimento Interno da Casa, não passou de uma grande lambança do Relator; o líder do governo, deputado Gerlen Diniz (PROGRESSISTAS), para sair do foco do desgaste que passa por conta da defesa que vem fazendo do projeto de criação do Instituto da Saúde.  É o que diz o deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB). A matéria, enfatizou Magalhães, nem poderia ir para a apreciação na Comissão de Constituição e Justiça, porque nem despacho do presidente da ALEAC, deputado Nicolau Junior (PROGRESSISTAS, teve. O líder do governo, deputado Gerlen Diniz (PROGRESSISTAS), disse ontem ao BLOG DO CRICA que não há nada de anormal. E que embora o deputado Roberto Duarte (MDB) tendo dado um despacho mandando a matéria para a mesa, cada deputado tem o seu entendimento pessoal. “O projeto não é nem o meu, mas do deputado Wagner Felipe (PL), e é sim um Projeto de Resolução, se for ao plenário, votarei a favor, mas não me cabe colocar em votação, mas à mesa diretora. Se será votado, não sei”, destacou. Para Diniz, o valor a ser descontado pode não ser a solução para os gastos financeiros com a COVID-19, mas seria um ato para marcar a presença do parlamento na pandemia. Pelo que o BLOG DO CRICA ouviu ontem de vários deputados a matéria não será nem votada, quanto mais aprovada. Para ir à votação depende da mesa diretora.

UMA OPINIÃO

Vou dar uma opinião: não seria este desconto que colocaria as finanças estaduais no azul.

CANDIDATURA SEM VOLTA

Está decidido: o deputado Gerlen Diniz (PROGRESSISTAS) será mesmo candidato a prefeito de Sena Madureira, não importa quantas candidaturas forem lançadas. A confirmação foi feita ontem ao BLOG pelo parlamentar. “A hora de ser candidato a prefeito da minha terra é esta, porque terei o apoio do governador Gladson Cameli”, enfatizou Diniz.

TOMA QUE O FILHO É TEU

Quem vai descascar o abacaxi como Relator do projeto que cria o Instituto da Saúde será o deputado José Bestene (PROGRESSISTAS). Os deputados Chico Viga, Gerlen Diniz e Cadmiel Bonfim, não aceitaram a indicação. E gritaram para o Bestene: toma que o filho é teu.

GARANTIA DE CONTRATAÇÃO

O deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) diz que só votará a favor da criação do projeto que cria o Instituto da Saúde se for posta uma cláusula que fixa que serão contratados todos os servidores do Pró-Saúde. “Na atual redação não existe esta obrigação”, ressaltou Magalhães.

SEM MAMATA CULTURAL

O presidente da Fundação Cultural, Correinha, ligou ontem para dizer que já foi para a publicação os termos do decreto que cria normas de apresentações pagas, para os artistas mostrarem seus trabalhos através de lives. “Vai beneficiar os artistas que precisam, e não é para a turma que gosta de uma mamata”, alfinetou o secretário. O acesso é sem burocracia.

GUERRA DO BISTURI

A contratação de médicos brasileiros formados no exterior de forma emergencial para atuar no combate a Covid-19; é uma medida temerária, admitiram ontem vários profissionais ouvidos pelo BLOG. Os médicos sem o CRM, ainda teriam de passar por longo treinamento hospitalar; e o caso da Covid-19, é de urgência,” argumentam médicos em atuação no Estado.

CADASTRO DE RESERVA

Para os médicos ouvidos pelo BLOG, o governador Gladson Cameli resolveria a questão de uma forma eficaz e prática contratando profissionais que se submeteram ao concurso público de 2014, que estão no cadastro de reserva, e possuem experiência para atuar de imediato.

ABANDONADO POR VOCÊ

A classe médica, que já se posicionou por meio de suas entidades em uma nota contrária à contratação, está se sentindo traída pelo secretário Alysson Bestene e pela secretária adjunta Paula Mariano, que nunca debateram este assunto, quebrando uma harmonia existente.

ATENDIMENTO BÁSICO

Os médicos brasileiros formados no exterior poderiam ser contratados para o atendimento básico de outras patologias, desafogando o sistema, que hoje está focado no combate a Covid-19.

PERDE A LEGITIMIDADE

Na medida em que o presidente do SINTESAC, Adailton, já se declarou candidato a vereador pelo PSB, passa a lhe faltar legitimidade para atacar o governador Gladson Cameli, porque fica escancarado o seu interesse em criar um clima de descontentamento para angariar votos.

MERECE RESPEITO

Os protestos por melhorias nas condições de trabalho, para o atendimento na UPAs, são válidos e merecem destaque, quando partem dos servidores, mas não quando atrelados a interesses políticos. E os servidores têm sim que brigar pelos seus direitos.

AGORA TODO MUNDO VIROU VALENTE

É de ficar matutando quando se vê deputados que estiveram nos governos dos últimos 20 anos bradando na crítica ao governo atual e ao sistema de saúde. É de se matutar, porque durante os governos a que serviram não abriram a boca ao assistir o sistema desmoronar.

MAIOR CASCATA

É a maior cascata ouvir os deputados da oposição, falarem em terceirização da Saúde. Esqueceram que, o Pró-Saúde é um programa terceirizado, criado no governo Binho? Todo atendimento cardíaco de alta complexidade não foi terceirizado no governo passado? Ou bateu amnésia em todo mundo? Vamos jogar o jogo dentro da realidade, sem política.

MARTELO BATIDO

Ouvi ontem de fonte segura do governo Gladson de que ou o Instituto de Saúde é aprovado, para abrigar os servidores do Pró-Saúde, ou governo será obrigado a demiti-los para cumprir determinação judicial, sob pena de entrar em crime de responsabilidade.

PERDENDO O CONTROLE

Pelas críticas que começam a aportar no BLOG, o secretário de Saúde, Alysson Bestene, estaria perdendo o controle do sistema. As queixas é que estaria deixando descobertos atendimentos de outras patologias, que podem levar à morte, como diabetes, hipertensão e etc.

REBELDIA NA BASE

Dois deputados estão apresentando rebeldia na base de sustentação do governo na ALEAC. Os deputados Antonia Sales (MDB) e Cadmiel Bonfim (PSDB) têm mostrado suas insatisfações, no tocante ao fato do governo não mandar o projeto que cria benefícios salariais aos PMS.

PGE EXISTE PARA ISSO

Uma deputada por quem tenho o maior respeito é a deputada Antonia Sales (MDB), por sua combatividade e retidão. Mas não são justas às críticas à PGE, por opinar pela retirada do projeto de titulação da PM. A PGE existe para orientar o governador a não cometer ilegalidades. A PM merece todo apoio no pleito, mas há que se observar a legalidade do PL.

CONTINUEM BRINCANDO

A turma do “não toca no meu lucro” continue brincando e tratando o Covid-19 como uma “gripezinha”, nas últimas 24 horas subiu para 1590 o número de infectados e 50 óbitos registrados. Infelizmente, tudo caminha para o governo e prefeitura endurecerem mais.

DEVE SOBRAR PARA O ZEN

Pelo andar da carruagem do PT tudo está a indicar de que a candidatura a prefeito de Rio Branco vai acabar desabando no colo do deputado Daniel Zen (PT). A conferir na frente.

UMA BARRA PESADA

Pegar um Estado falido, com os salários dos servidores atrasados, e de quebra uma pandemia, que coloca na gaveta os projetos do governo e exige foco integral de atenção, deve estar sendo uma barra pesada para o governador Gladson Cameli enfrentar. Nenhum governador enfrentou esta soma de fatos negativos na sua gestão. Por isso, está saindo bem na fita.

FÁCIL OLHAR DE FORA

É muito fácil quem está de fora e não conhece a realidade financeira do Estado, altamente dependente dos repasses do FPE, abrir a boca para criticar por criticar. Não há reparo até aqui a fazer no comportamento do Gladson. O mesmo se aplica à prefeita Socorro Neri.

CONVITE AO ROMPIMENTO

A iniciativa do vice-governador Major Rocha em pedir investigação de compras no governo Gladson, segue o mesmo caminho do deputado Roberto Duarte (MDB), e pode ser vista como um convite tácito ao rompimento. A relação entre ambos é institucional, como deve ser.

ANGU JÁ ESTAVA AZEDO

O angu da relação entre o vice Major Rocha e o governador Gladson está azedo desde que o PSDB fez uma aliança com o MDB para disputar a prefeitura de Cruzeiro do Sul e deixou o grupo político do governador de fora, na sua cidade e base eleitoral.

DIFERENÇAS DE LADO

A deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB) tem deixado de lado as diferenças políticas com o governador e tem feitos ligações para saber dele como anda o quadro da Covid-19 e colocando o seu mandato ao seu dispor. O fato deve ser olhado como exemplo de que nesta pandemia não cabe misturar política.

FRASE MARCANTE

“O dinheiro pode tudo, só não pode mudar a sorte e evitar a morte”. Ditado português.

Anúncios

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas