Conecte-se agora

Remar contra a ciência é voltar à idade média

Publicado

em

O argumento até aqui usado pela turma que é contra o isolamento social de que no Acre, mesmo com o decreto governamental, a contaminação pela Covid-19 avançou, é tão valido como uma nota de 300 reais. O que acontece é que o brasileiro é indisciplinado em seguir normas sociais, e nisso, o Acre também está incluído. Aqui, a taxa de adesão, pelo que se tem publicado, não chega a 40%, muito abaixo do ideal para servir de instrumento para barrar a aceleração da transmissão do vírus. Em Belo Horizonte, por exemplo, a taxa de isolamento é de 85% e se registraram menos mortos do que no Acre inteiro, sendo que a população de BH é e quase quatro vezes superior que a do nosso Estado. Se não houver por parte da população uma adesão em massa ao isolamento, infelizmente, mais famílias vão chorar os seus mortos. E os números têm mostrado não ser a Covid-19 uma “gripezinha”, já são 1.477 casos. Só ontem foram registrados 112 novos casos. Remar contra a ciência é voltar ao obscurantismo da Idade Média. Economia se recupera. Mortes, não! É tosca a comparação que esta turma faz do avanço da pandemia na Coréia do Sul com o Brasil. Culturalmente, estamos mil anos luz atrás dos coreanos. Lá é um país saneado, a educação é rígida, não se joga uma bagana de cigarro no chão, porque quem o fizer será multado.  No Brasil, jogamos até sofá velho nos bueiros. Lá, as normas de saúde são obedecidas.  No Japão, Coréia do Sul, por exemplo, o cidadão quando gripado, por livre vontade coloca uma máscara para não contaminar o vizinho. Aqui, para usar máscara numa pandemia tem de ser baixado um decreto. Então, não façam a comparação idiota!  E mais uma coisa: a terra não é plana, senhores, que são contra o isolamento social. O astrônomo Galileu Galilei já descobriu isso em 1642.

O MAIS CURIOSO

Neste debate sobre o isolamento social se nota um fato interessante. Os que são contra o isolamento aparecem nos lugares usando máscaras. Se de fato a Covid-19 é relativizado como uma “gripezinha,” os do contra, não deviam usar a máscara. Falam uma coisa e fazem outra. 

O JOGO É POLÍTICO

Entendo pelo seu lado humanista e de companheirismo o texto do Cacá, eterno assessor do Jorge Viana, publicado semana passada, se revoltando com a demissão de petistas pela prefeita Socorro Neri, mas não tem o menor sentido quando se coloca na mistura da sua receita a política é a gestão. Ninguém é dono de cargo de confiança, se dorme nele e se acorda fora dele. Isso é questão de gestão. E na política, se governa com aliados do projeto. Simples, Cacá!

NUNCA FOI UM TEMPLO DE VESTAIS

Os governos do PT nunca foram um templo de vestais, quem não seguia o projeto era demitido. E na política é assim mesmo, quem é que vai governar com adversários futuros? O PT terá candidato próprio a prefeito da capital, e todos os demitidos estariam no barco petista.

APERTAR A FISCALIZAÇÃO

O deputado Daniel Zen (PT) cobra da prefeita Socorro Neri uma ação mais rígida na fiscalização. “Os comércios nos bairros estão funcionando normalmente e as pessoas não estão respeitando o que o governo determinou”, enfatiza. Para Zen, não se trata de politizar a questão, mas apenas de lembrar que, essa fiscalização é de responsabilidade da prefeitura.

UMA CONSTATAÇÃO

O deputado Daniel Zen (PT) cita que, nas cidades onde os prefeitos endureceram as medidas de isolamento, se registram os menores índices de infestação e mortes. O debate no momento de pandemia é bom quando deixa a política fora. O Zen tem de fato razão: a prefeitura tem de apertar a fiscalização, porque existem muitos comerciantes burlando as determinações.

ENTROU NO JOGO

Ao se colocar como opção para disputar a prefeitura de Rio Branco, o ex-deputado Ney Amorim (PROGRESSISTAS) apimentou os debates nos bastidores dentro do grupo de aliados do governador Gladson Cameli. Está certo. Quem aspira ser candidato tem de mostrar a cara.

MUITOS DEFENSORES

Notou-se nas redes sociais de que o ex-deputado Ney Amorim tem muitos defensores.

QUESTÃO DE MOMENTO

O debate sobre a eleição para a PMRB só não está ainda fervendo devido a pandemia do Covid-19, mas no avançar de junho a discussão terá de acontecer, porque em julho teremos as convenções que vão homologar os nomes dos candidatos a prefeitos e chapas para vereador.

TESE NO TSE

A tese já em discussão no TSE é que as convenções de julho aconteçam de forma virtual, para evitar as aglomerações e as festas naturais em que se transformam estas convenções.

DECIDIDO INTERNAMENTE

O rompimento do MDB com o governo está decidido internamente, falta apenas ser oficializado. O deputado Roberto Duarte (MDB) acha que o caminho natural será este. O presidente do MDB, deputado federal Flaviano Melo (MDB), já tinha admitido ao BLOG.

É DA POLÍTICA

É da política cada partido buscar seu espaço, nisso não vejo nenhuma anormalidade.

NÃO MENOSPREZEM O PODER

É bom os dirigentes do MDB não menosprezarem o poder. É bom lembrar que o Gladson Cameli não é nenhum inocente em política. E não poderia ser quem já foi deputado federal, senador, e agora governador. Com certeza será uma barreira a uma vitória do MDB á PMRB.

VIRARIA REFÉM

Não se admirem se o Gladson aparecer na eleição municipal deste ano na capital liderando uma grande coligação de partidos em torno do candidato que apoiar na disputa da prefeitura. Até porque sabe que, sem um candidato da sua confiança na PMRB será refém em 2022.

COM QUEM CONTA E QUEM NÃO CONTA

Acho que o Gladson Cameli não é nenhum ingênuo e sabe com quem vai contar e com quem não contará para o seu futuro projeto político, saindo ele para a reeleição ou para senador.

SEGUEM O GLADSON

Quem está esperando o desfecho das candidaturas a prefeito da capital são o senador Sérgio Petecão (PSD) e o deputado federal Alan Rick (DEM). Ambos já disseram ao BLOG de que esperam uma definição do governador para lhe seguir. E outros virão por atração natural.

TAMBÉM SEM DEFINIÇÃO

Em Cruzeiro do Sul, segundo maior colégio eleitoral, também o quadro é de indefinição sobre quem o governador Gladson vai apoiar para enfrentar a aliança formada pelo PSDB e MDB. Não se sabe se o prefeito Ilderlei Cordeiro disputará a reeleição. Está tudo muito indefinido.

NÃO PODE CHORAR

Uma boa fonte do governo disse ontem ao BLOG de que o deputado Luiz Gonzaga (PSDB) não pode chorar, por sua indicada para o Núcleo da Educação de Rodrigues Alves ter sido demitida, porque recebeu uma compensação com outros cargos e saiu ganhando no fim das contas.

DEFENSORES DE OCASIÃO

O IBGE registrou pouco mais de 12 milhões de desempregados. E não se viu a gritaria ao longo dos tempos contra esta situação, que se vê agora por parte de alguns empresários ante a pandemia. O mesmo se aplica ao Acre, que antes da pandemia tinha um desemprego alto.

PROBLEMA A RESOLVER

O secretário de Saúde, Alysson Bestene, precisa ficar atento ao atendimento nas UPAs (principalmente a do segundo distrito), porque se nota muitas reclamações de que há profissionais insuficientes para atender aos que procuram a unidades para serem avaliados se estão com a Covid-19. Se nada for feito pode chegar a um estrangulamento nestas unidades.

MEDIDAS VÁLIDAS

O rodízio de carros circulando pela cidade e o fechamento de algumas avenidas de grande trânsito anunciado pelo governador são medidas que precisavam ser tomadas, com o aumento de casos do Covid-19. Se a população tivesse cumprindo o isolamento não precisaria disso.

INTERESSA A LEGALIDADE

Vi algumas reclamações de que o Hospital de Campanha será feito por um primo do governador Gladson Cameli. Se o empresariado local teve chance de participar da construção e não se habilitou e for tudo dentro da legalidade, pouco importa quem será o executor da obra.

LUGAR PARA DISCUSSÃO

E sobre denúncias contra compras pelo governo e prefeitura devem ser discutidas no fórum legítimo, que é a justiça. Fora isso é como discutir qual é o sexo dos anjos.

PRIMEIRO TESTE

O presidente Bolsonaro terá o primeiro teste se valeu a pena capitular e se juntar ao “Centrão”, formado por parlamentares fisiologistas, quando o seu veto contra a decisão da Câmara Federal de derrubar a proibição de reajustes aos servidores públicos até 2011, for colocado em votação esta semana. A se saber, como votarão os parlamentares acreanos. 

FRASE MARCANTE

“A liberdade de imprensa é talvez o melhor remédio e corretivo do abuso de outras liberdades”. Marques de Maricá.

Anúncios

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas