Conecte-se agora

Sem medo, empresários criticam e cobram governador para reabrir comércio e só ouvem promessas

Publicado

em

A orelha do governador Gladson Cameli ficou vermelha nesta terça-feira, 5, após se reunir virtualmente com diversos empresários para tratar da possibilidade de reabertura do comércio. Desde a confirmação dos primeiros casos de Covid-19, o Estado restringiu o funcionamento dos estabelecimentos comerciais com o objetivo de frear a proliferação do vírus e salvar vidas, mas em compensação a medida tem feito com que milhares de trabalhadores fiquem desempregados e sem perspectiva.

O presidente da Associação Comercial, Industrial e de Serviços Agrícolas do Acre (Acisa), Celestino Bento, considerou as medidas adotadas pelo governo como rigorosas para a maioria dos setores do comércio. Ele citou ainda a situação de normalidade no expediente dos supermercados e sugeriu que os mesmos cuidados sejam adotados pelos outros estabelecimentos comerciais.

Já o presidente da Associação Comercial de Cruzeiro do Sul (Acecs), Luís Cunha, declarou que vários empresários não estão conseguindo honrar seus compromissos financeiros e muitos optaram pela demissão de trabalhadores. Segundo ele, é preciso encontrar uma alternativa o quanto antes. “A cada dia, a situação vem se agravando. Creio que seja possível reabrir os estabelecimentos tomando todos os cuidados para evitar a contaminação”, ressaltou.

Presente na reunião virtual, o empresário acreano e presidente da Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil (CACB), George Pinheiro, foi o único a elogiar Cameli e disse que o mundo passa por uma situação de anormalidade e elogiou o comprometimento em salvaguardar vidas.

Pinheiro também lembrou que a economia do Acre é dependente do funcionalismo público e parabenizou Gladson por não atrasar o pagamento da folha salarial mesmo em meio à pandemia do novo coronavírus. Assim como o auxílio emergencial, do governo federal, para ajudar as famílias brasileiras e manter a economia.

O presidente da CACB afirmou estar preocupado com a situação das empresas locais. Ao governador, George Pinheiro pediu a flexibilização e renegociação no pagamento de impostos. “Espero que o Estado consiga encontrar uma solução. Acredito que o momento é de valorizar as empresas acreanas, mas se isso não acontecer, muitas irão falir”, argumentou.

Em.seu posicionamento, o chefe do Palácio Rio Branco diz que a prioridade neste momento é salvar vidas. “Vivemos uma situação extremamente delicada e o nosso governo tem feito tudo que pode para enfrentarmos essa pandemia, mas precisamos escolher entre salvar vidas e salvar a economia. Eu entendo que sem vidas, não há economia. Por isso, o momento pede a união de todos”, pontuou Cameli.

Neste mês, o governo fará o lançamento de um pacote de obras para contribuir com a recuperação da economia. Além da geração de novos postos de trabalho, vários setores da iniciativa privada serão beneficiados direta e indiretamente.

“Já temos recursos que precisam começar a rodar. São obras que estamos planejando desde o ano passado para melhorar a vida das pessoas e, com certeza, ajudar a nossa economia. É agindo com responsabilidade e cautela que vamos superar este momento difícil”, avaliou o governador.

Anúncios

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Mais lidas