Conecte-se agora

Aprovados na Polícia Civil só serão convocados quando situação financeira do Acre permitir

Publicado

em

A situação dos 277 agentes, delegados de polícia, escrivãs e auxiliares de necropsia aprovados em concurso público e que esperam a nomeação por parte do governo foi agenda do governador Gladson Cameli durante esta segunda-feira, 4.

O governador acreano se reuniu com representantes dos aprovados, sindicados e da secretaria de segurança pública e disse que apesar do desejo em nomear os concursados, isso só será possível quando a situação financeira do estado permitir.

“O meu desejo é que estes novos policiais civis já estivessem trabalhando nas ruas protegendo a nossa população, mas infelizmente isso não foi possível por conta da Lei de Responsabilidade Fiscal. Eu não admito a mínima possibilidade que os nossos servidores públicos sejam prejudicados por conta disso. O pagamento da folha salarial é prioridade máxima e podem ter a certeza que o governo não tem nenhuma intenção de prejudicar nossos servidores. Por isso, a nomeação de novos policiais civis dependerá da situação financeira do Estado”, pontuou Cameli.

Mesmo com o cenário de dificuldade econômica, Gladson autorizou a realização do estudo de impacto financeiro no orçamento do Estado para a nomeação de parte dos futuros integrantes da Polícia Civil no menor tempo possível e o chamamento do restante depois da pandemia de Covid-19.

“Ficou decidido que as secretarias de Planejamento Gestão e Fazenda farão o estudo de impacto financeiro para que seja estipulado um teto e assegurar o chamamento de parte dos 268 novos policiais civis imediatamente e fazermos um acordo para que os demais sejam incorporados após a pandemia do coronavírus”, explicou Gladson.

Com informações da Agência de Notícias do Acre

Anúncios

Acre

Criança pilota jet ski e faz manobras perto de banhistas no Rio Acre

Publicado

em

Cenas de irresponsabilidade e desrespeito foram flagradas na tarde desse domingo, 3, quando o Estado já se aproximava dos 20 mil casos de contaminação pelo novo coronavírus. Além da aglomeração de pessoas nas margens do Rio Acre, mais precisamente na região da Praia da Base, na capital acreana, uma criança foi filmada pilotando um jet ski sozinha ao longo do rio. O veículo aquático é liberado apenas para adultos com habilitação específica.

As imagens foram captadas pela equipe de reportagem da Rede Amazônica e transmitidas no Jornal do Acre nesta segunda (3). As cenas impressionam ainda mais pelo fato de a criança praticar diversas manobras arriscadas, como ‘cavalo de pau’, bem próxima aos banhistas.

Com a chegada do verão amazônico, muitas famílias têm procurado amezinhar o calor aos finais de semana em balneários e margens do Rio Acre, mesmo em meio à pandemia da Covid-19. O risco de contaminação não tem impedido as aglomerações pela capital e também no interior do Estado.

Para pilotar um jet ski, é obrigatório ter mais de 18 anos e possuir o Arrais, uma carteira de habilitação náutica que habilita o adulto a conduzir as referidas motos aquáticas. O mesmo vale para as lanchas. Ocorre que a atividade de recreação começa a oferecer perigo quando conduzida por crianças ou pessoas desabilitadas para navegação. Em caso de fiscalização, quem for pego pilotando esses veículos sem habilitação pode acabar detido e ter o veículo e a carteira apreendidos.

Tragédia

Em janeiro de 2019, uma colisão entre motos aquáticas provocou a morte da jovem Maicline da Costa, de 26 anos, quando um dos condutores teria realizado a manobra chamada “cavalo de pau”, que acabou fazendo com que houvesse perda de controle do veículo. A mulher teve uma das pernas arrancadas e morreu após chegar ao hospital. O acidente ocorreu na região da Gameleira, no Rio Acre, em Rio Branco.

Risco de afogamentos

O Rio Acre estava marcando 2,10 metros nesse domingo. A baixa no nível do rio faz com que as pessoas também se arrisquem nadando de um lado para o outro do manancial, favorecendo o risco de afogamentos. No ano passado, o Corpo de Bombeiros do Acre registrou 33 mortes dessa natureza, sendo 25 atendidas pelo batalhão que abrange Rio Branco, Bujari, Porto Acre, Senador Guiomard e Plácido de Castro e o restante nas demais cidades do interior.

Foto: Reprodução Rede Amazônica/Jornal do Acre

Continuar lendo

Acre

Com coronavírus em alta, igrejas querem realizar Semana Evangélica

Publicado

em

Mesmo com os números indicando que não há uma trégua da pandemia do novo coronavírus no Acre, a Associação de Ministros Evangélicos de Xapuri (Amex) pretende realizar a 14ª Semana Evangélica, um dos maiores eventos religiosos e culturais do município, que costuma acontecer no começo de agosto.

Em reunião realizada na semana passada, envolvendo representantes das igrejas e da administração municipal, a prefeitura propôs que o evento ocorra de maneira virtual, ou seja, por meio das “lives” transmitidas via internet. Os pastores prometeram analisar a ideia, mas não gostaram da proposta.

O vice-presidente da Amex, pastor Moisés Madeira, da igreja Assembleia de Deus – Ministério de Madureira, considera que é possível que a Semana Evangélica seja realizada no mês de setembro, com base no decreto estadual que liberou o funcionamento dos templos com 20% de ocupação.

Normalmente realizado na Praça de Eventos de Xapuri, este ano, segundo Madeira, o evento ocorreria no ginásio de esportes do município, com o respeito à porcentagem de capacidade de público prevista no decreto, além da observância a todas as medidas de prevenção exigidas pelas autoridades em saúde.

A Assessoria de Divulgação Social da prefeitura afirmou que uma nova reunião sobre o assunto está marcada para o próximo dia 10, com os líderes religiosos, mas adiantou que a intenção do município é mesmo oferecer suporte técnico para que os eventos da festa evangélica ocorram por meio de lives diárias.

Igrejas podem voltar a fechar

É importante salientar que na última quarta-feira, 29 de julho, o Comitê do Pacto Acre sem Covid decidiu recomendar ao governo do estado que o funcionamento dos templos religiosos – com capacidade de até 20% do público – volte a ser liberado somente na bandeira amarela e não na fase laranja, como está vigorando há alguns dias.

Antes da recomendação do Comitê, os Ministérios Públicos Estadual e Federal já haviam feito a mesma orientação e dado prazo de 48 horas para que o governo se manifestasse. Ao que tudo indica, o governador Gladson Cameli está aguardando a nova avaliação do Pacto Acre sem Covid, que deve sair na próxima quarta-feira, 5, para tomar uma decisão a respeito do assunto.

Coronavírus em alta

Em Xapuri, os números divulgados diariamente pela Secretaria de Saúde não conspiram a favor da realização de eventos públicos. Com uma constante oscilação no registro de novos casos no decorrer dos meses de junho e julho, na última sexta-feira (31/7), o município voltou a apresentar uma nova elevação na curva de contágios.

Foram 76 novos casos apenas no último dia de julho, mês que terminou com um acúmulo de 223 confirmações para o novo coronavírus, quase a mesma quantidade (240), registrada no período anterior desde o início da pandemia – 27 de abril a 30 de junho. Até a última atualização do Boletim Municipal, Xapuri tinha 463 casos confirmados e 6 mortes por Covid-19.

Continuar lendo

Acre

Energia elétrica de inadimplentes pode ser cortada a partir de hoje

Publicado

em

A energia elétrica dos consumidores inadimplentes pode voltar a ser cortada a partir desta segunda-feira, dia 3, desde que os consumidores sejam avisados. As interrupções estavam suspensas por determinação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) desde o dia 24 de março.

Como o prazo final para a isenção ocorreu no sábado, dia 1°, os cortes só estão autorizados a acontecer a partir de hoje porque o desligamento de serviços públicos não pode acontecer nas sextas-feiras, sábados, domingos e feriados.

Baixa renda

Segundo a Aneel, enquanto durar o estado de emergência da pandemia, continua proibido o corte para alguns grupos de consumidores. Conforme o Decreto Legislativo nº 6/2020, esse prazo atualmente vai até o final de 2020.

Neste grupo estão consumidores de baixa renda; unidades onde more pessoa que dependa de equipamentos elétricos essenciais à preservação da vida; unidades que deixaram de receber a fatura impressa sem autorização do consumidor, além daquelas cobradas em locais sem postos de arrecadação em funcionamento como bancos e lotéricas, por exemplo, ou nos quais a circulação de pessoas seja restringida por ato do poder público.

Agência Brasil

Continuar lendo

Acre

Além de prisões, Polícia Civil pediu bloqueio dos bens de envolvidos na investigação do Depasa

Publicado

em

A cúpula da Polícia Civil do Acre explicou em entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira, 3, a operação que culminou com prisão do ex-presidente do Depasa, Tião Fonseca.

De acordo com o delegado-geral da Polícia Civil no Acre, Josemar Portes, as investigações iniciaram há cerca de 2 meses e as provas colhidas até o momento apontam para indícios muito fortes de desvios de recursos públicos. O ac24horas apurou que um pagamento na ordem de R$ 561.853,06, realizado em março deste ano, em favor da empresa Bucar Engenharia, de propriedade da esposa de Fonseca, Delba Nunes Bucar, é o principal ponto investigado. A investigação é conduzida pela Polícia Civil e conta com a parceria do Ministério Público e da Controladoria Geral do Estado.

“A ação de hoje é um afloramento dessa investigação que identificou indícios bastante eficientes de que efetivamente ocorreu um ilícito ou alguns ilícitos no Depasa”, afirma o delegado geral da Polícia Civil.

Josemar Portes afirmou que Polícia Civil deve concluir as investigações nos próximos dias. “Mais rápido possível teremos condições de concluir essa investigação, já que o inquérito está na fase final para que o Ministério Público possa fazer seu trabalho eventualmente apresentando a denúncia”.

O delegado responsável pelas investigações, Alcino Júnior, explicou que foi pedido o bloqueio de bens dos envolvidos e que os valores investigados que teriam sido pagos de forma criminosa superam os R$ 500 mil.

“A ideia é por meio do bloqueio de bens fazer com que o estado possa recuperar os valores que foram subtraídos no pagamento irregular para determinada empresa que tem vínculo com ex-gestor”, disse.

A operação nesta sexta cumpriu mandados de busca e apreensão e explicou que apenas um mandado de prisão contra o Tião Fonseca, ex-presidente do órgão foi cumprido até o momento. O mandado de prisão em nome da esposa do ex-gestor, Delba Nunes, ainda não tinha sido cumprido até o final da coletiva.

Veja a coletiva na íntegra:

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas