Conecte-se agora

Aumento nos casos de Covid-19 faz Acre prorrogar decreto de isolamento até 17 de maio

Publicado

em

Após algumas reuniões realizadas na última semana pelas equipes do governo do Acre e da prefeitura de Rio Branco que compõem o comitê responsável pelos trabalhos diante da pandemia do novo coronavírus, ficou decidida a prorrogação por mais treze dias as medidas do Decreto nº 5.496, de 20 de março de 2020, que suspende temporariamente determinadas atividades e serviços no estado com o objetivo de diminuir aglomeração de pessoas e frear a contaminação da Covid-19.

Agora, fica determinada a continuidade do fechamento de estabelecimentos considerados não essenciais até o dia 17 de maio. A informação foi confirmada ao ac24horas pela assessoria de comunicação do governo, que prepara um vídeo oficial com mensagem do governador Gladson Cameli sobre o assunto. O principal motivo para a prorrogação do decreto foi o significativo aumento nos casos da doença. Neste domingo, 3, foram contabilizados mais 104 novos casos de infecção do vírus, totalizando 657 pessoas acometidas e 24 mortes.

Antes disso, as equipes já haviam informado que a reabertura do comércio em geral e o afrouxamento das medidas de isolamento social iriam depender da estatística de transmissão do vírus no Acre. Como não foi observado nenhum sinal de achatamento da curva de contaminação do coronavírus, o governo decidiu manter as regras.

De acordo com a informação obtida pelo ac24horas, o decreto pode ser alterado a qualquer momento, sendo mantido ou não, conforme a situação da epidemia local do vírus. A decisão do governo segue recomendação do Ministério da Saúde, da Defensoria Pública da União, do Ministério Público do Estado, do Ministério do Trabalho, do Conselho Regional de Medicina, do Sindicato dos Médicos do Estado e de vários outros órgãos de controle.

Além da manutenção do fechamento de estabelecimentos considerados não essenciais neste momento de pandemia, segue a regra do uso de máscaras em espaços públicos, proibição de aglomeração de mais de cinco pessoas nas ruas e limite na entrada de clientes em supermercados.

Anúncios

Destaque 3

MP de Contas divulga nota em apoio à Maria de Jesus para a vaga de conselheira no TCE

Publicado

em

Os membros do Ministério Público de Contas divulgaram na tarde desta quinta-feira, 13, uma nota em que divulgam o apoio a indicação da auditora Maria de Jesus Carvalho de Souza para a vaga de conselheira do Tribunal de Contas do Estado do Acre (TCE), desocupada desde a morte do conselheiro José Augusto Araújo de Faria.

A indicação de Maria de Jesus tem sido alvo de polêmica por conta da idade. O Ministério Público Estadual recomendou que o governo e a Assembleia Legislativa não faça sua nomeação para a vaga, por não atender o requisito com relação a idade, já que tem atualmente 65 anos, e a constituição federal e estadual prevê que para ser membro do Tribunal de Contas tenha de 35 anos a menos de 65 anos de idade.

Na visão do TCE e também do Ministério Público de Contas, Maria de Jesus já cumpriu o requisito ao ser empossada no cargo quando fez o concurso público, pois, inclusive, já atua como conselheira substituta.

Foi isso que os membros do Ministério Público deixam claro na nota. A vaga em aberto deve ser ocupada por um auditor substituto de conselheiro e Maria José a única do quadro que preenche todos os requisitos necessários.

Leia a nota:

Continuar lendo

Destaque 3

Vagner Sales diz que o TRE atropelou a lei, mas que está feliz por queda de Ilderlei Cordeiro

Publicado

em

O ex-prefeito de Cruzeiro do Sul, Vagner Sales, que junto a Ilderlei Cordeiro está inelegível por 8 anos, por decisão do Tribunal Regional Eleitoral, comemora a cassação definitiva do mandato de Cordeiro, seu principal desafeto político, ocorrida nesta quarta-feira, 12.

“A justiça foi feita e eu estou feliz e tranquilo com esse resultado. Tenho 30 anos de mandato de vereador, deputado estadual e prefeito e não quero mesmo ser candidato a mais nada”, assegurou.

Mas Vagner esperava a volta ao poder na prefeitura de Cruzeiro do Sul. Acreditava que o presidente da Câmara assumiria por 30 dias e em seguida a Câmara Municipal faria eleição indireta escolhendo o novo prefeito. Como a bancada do MDB tem 7 dos 14 vereadores e o mais velho do grupo, Vagner achou que o MDB voltaria a dar as cartas em Cruzeiro do Sul.

Mas, a juíza Mirla Regina determinou a posse imediata do presidente da Câmara, Clodoaldo Rodrigues, que terminará o mandato de prefeito e Vagner reclamou. “O Tribunal Regional Eleitoral atropelou a lei. De acordo com a legislação eleitoral, se o mandato for cassado em definitivo a menos de 6 meses do término, a Câmara Municipal elege indiretamente o novo prefeito”, destacou ele.

Quanto à eleição municipal de novembro, que não terá mais Ilderlei no páreo contra o filho Fagner, o ex-prefeito Vagner Sales se diz confiante e que isso não altera em nada o resultado que ele acredita obter. “Ganharíamos de qualquer forma”, conclui.

Continuar lendo

Destaque 3

Vereador Clodoaldo, presidente da Câmara, vai assumir prefeitura de Cruzeiro do Sul

Publicado

em

Com a cassação de Ilderlei Cordeiro, o presidente da Câmara Municipal de Cruzeiro do Sul, o vereador Clodoaldo Rodrigues (PP), deverá assumir de imediato a cadeira de prefeito do município. A decisão é do Tribunal Regional Eleitoral.

Clodoaldo, que até então era candidato à reeleição do mandato de vereador, já havia adiantado ao ac24horas que vai assumir a gestão municipal com orgulho de ser prefeito de Cruzeiro do Sul. “Acho que é importante ser prefeito da minha cidade”, citou ele, que é policial civil aposentado.

Continuar lendo

Destaque 3

Inquérito que apura acidente na BR-364 que matou estudante ainda não foi concluído

Publicado

em

Faz exatamente um anos que um ônibus que levava três equipes de basquete para a disputa dos jogos escolares tomou na BR-364, a 110 km de Cruzeiro do Sul, interior do Acre.

O acidente provocou a morte da adolescente Kelly Pereira da Silva, de 15 anos. As causas da tragédia até hoje não estão devidamente explicadas. O que se sabe é que na época do acidente, o motorista que dirigia o ônibus, Antônio Marques da Costa, estava com a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) suspensa. Ele havia sido notificado três vezes pelo Departamental Estadual de Trânsito do Acre (Detran/AC) por dirigir sob efeito de álcool, conforme o artigo 165 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Por conta da pandemia e a falta de servidores no setor, a corregedoria do Detran não conseguiu informar se Antônio continua com o direito de dirigir suspenso.

A Polícia Civil abriu um inquérito para apurar as causas do acidente. Um ano depois, as investigações ainda não foram concluídas. O delegado responsável pelo caso, Lindomar Ventura, afirmou que a pandemia da Covid-19 também atrapalhou a conclusão do inquérito. “O inquérito está em fase final, porém ainda tem algumas pessoas para serem ouvidas, mas a pandemia atrapalhou as oitivas. Essas pessoas que serão ouvidas são todas de Rio Branco, o que dificulta ainda mais as oitivas para que seja concluído o inquérito e enviado à justiça. Devido a essa situação, fica inviável no momento chegar ao real motivo do acidente, o que motivou ou a quem responsabilizar”, disse.

O delegado responsável pelo caso afirmou que pretende concluir o inquérito em 90 dias.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas