Conecte-se agora

Percepção de risco do coronavírus aumenta e aprovação de Bolsonaro cai

Publicado

em


02.maio.2020 (sábado) – 2h00

A aprovação do presidente Jair Bolsonaro caiu de 36% para 29% em 15 dias. No mesmo período, aumentou a percepção dos brasileiros a respeito do risco que correm em meio à pandemia de covid-19. Subiu de 8% para 16% nas últimas duas semanas os que dizem ter sido contaminados por coronavírus ou conhecer alguém que teve a doença. Os números são de pesquisa DataPoder360, realizada em 26 e 27 de abril.

Outro dado reforça o grau de preocupação das pessoas: 26% acham que se pegarem o vírus “têm chance morrer”.


A pesquisa foi realizada de 27 a 29 de abril pelo DataPoder360, divisão de estudos estatísticos do Poder360, em uma parceria editorial do jornal digital Poder360 e o jornal “A Tarde”, de Salvador (BA). O levantamento teve patrocínio da Associação Comercial da Bahia.

Foram realizados 2 levantamentos simultâneos –1 nacional e outro apenas no Estado da Bahia, ambos por meio de ligações para celulares e telefones fixos. No levantamento nacional, foram entrevistadas 2.500 pessoas de 472 municípios nas 27 unidades da Federação. Na Bahia, foram entrevistadas 2.500 pessoas em 211 municípios. A margem de erro é de 2 pontos percentuais e o intervalo de confiança é de 95%.

Dentro da pesquisa realizada no Estado da Bahia, foi destacado o recorte de 800 pessoas residentes em Salvador. Para os resultados do estudo na capital, a margem de erro é de 3,5 pontos percentuais. Conheça mais sobre a metodologia lendo este texto.

Leia os relatórios completos dos resultados no Brasil (3 MB), na Bahia (3 MB) e em Salvador (2 MB).

Desde a posse de Bolsonaro, o país se dividiu em 3 grandes grupos: 1 solidamente a favor do presidente, 1 contra e 1 que é capaz de se movimentar para 1 lado ou outro de acordo com o momento.

O estudo mostra que Bolsonaro manteve cerca de ⅓ de apoio, apesar da perda de 7 pontos em 15 dias. No período, o número de mortes diárias por coronavírus se intensificou –e os telejornais e as redes sociais publicaram 1 volume grande de imagens de pessoas sendo enterradas e de hospitais lotados. A pesquisa DataPoder360 também teve sua coleta de dados após o pedido de demissão de Sergio Moro do Ministério da Justiça. O ex-juiz acusou o presidente de tentar interferir politicamente na Polícia Federal.

DataPoder360 também mediu a percepção da população em relação à saída de Moro do governo. Quase metade dos entrevistados (46%) disseram que a demissão do ministro é boa ou indiferente para Bolsonaro.

É incerto, no entanto, até onde Bolsonaro poderá perder popularidade. Nas próximas semanas, a pandemia de coronavírus tende a acelerar no país, podendo afetar a imagem do governo, que é reprovado por 43% no combate à doença (leia mais abaixo).

Outro aspecto a ser considerado é que o auxílio emergencial de R$ 600 começou a ser recebido em massa muito recentemente. A partir de agora, devem diminuir os problemas operacionais de cadastro dos beneficiados. Em maio, mais de 50 milhões de brasileiros receberão mais uma parcela de R$ 600. Esse valor faz grande diferença para a população mais pobre.

O novo estudo do DataPoder360 também reforça tendência mostrada no último levantamento. Parcela mais rica do eleitorado, que majoritariamente apoiou a eleição de Bolsonaro em 2018, agora se desprende do governo.

No estrato da população que recebe mais de 10 salários mínimos, 58% acham a administração bolsonarista ruim ou péssima. Enquanto apenas 17% consideram ótima ou boa. Outros 26% acham o governo regular.

A avaliação positiva, porém, é brevemente revertida quando observada a parcela de eleitores mais pobres. Dos que estão desempregados ou não tem renda fixa, 33% acham o governo ótimo ou bom, 5 pontos percentuais a mais que a média nacional.

Entre os baianos, o governo Bolsonaro mantém uma avaliação próxima a do restante do Brasil, com oscilações dentro da margem de erro. O cenário muda quando são considerados apenas os residentes de Salvador, capital do Estado. Lá, o presidente é avaliado como ruim ou péssimo por 59% da população. O número é 19 pontos percentuais a mais que a média nacional.

COMBATE AO CORONAVÍRUS

A avaliação positiva de Bolsonaro no combate à covid-19 também caiu significativamente: de 34% no último levantamento para 24% neste. Os que avaliam o desempenho como ruim ou péssimo eram 37%. Agora, 43%.

Entre os moradores de Salvador, a reprovação ao trabalho do Executivo em relação à pandemia é bem maior: 63%. No resto do Estado, as variações ficam dentro da margem de erro.

Depois de a pesquisa ter sido concluída, Jair Bolsonaro comentou, em 28 de abril, o fato do número de mortes por covid-19 no Brasil ter ultrapassado o da China: “E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê?”.

A declaração foi rechaçada por políticos, autoridades e entidades civis. Também teve 1 tom extremamente negativo na mídia.

PANDEMIA DE COVID-19

A pesquisa do DataPoder360 indica que a percepção de risco dos brasileiros a respeito da covid-19 aumentou.

Os que dizem ter ficado doente ou conhecer alguma pessoa próxima que contraiu o novo coronavírus são 16%. O número é o dobro do último levantamento.

Outro dado aponta que 26% dos brasileiros acreditam que têm chances de morrer caso sejam infectados pela covid-19. Outros 41% descartam a possibilidade e 33% não souberam responder.

É importante registrar que nada indica que a taxa de mortalidade seja equivalente ao que pensam os brasileiros a respeito da doença.

O que se sabe até agora é que ao longo do tempo a imensa maioria da população será infectada. Cerca de 80% dos que tiveram o coronavírus ficam assintomáticos. Outros 20% podem desenvolver sintomas. Em geral, cerca de 5% do total acabam tendo de ser internados.

DATAPODER360

Leia mais sobre a pesquisa DataPoder360:

Anúncios

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Mais lidas