Conecte-se agora

Diretórios do PSDB, MDB e PSD protestam contra demissões feitas por Gladson

Publicado

em

A exoneração de cargos comissionados que pertenceriam a aliados do MDB e PSDB no município de Mâncio Lima, ocorrida na semana passada por decisão do governador Gladson Cameli, continua rendendo notas entre os partidos envolvidos no Vale do Juruá. O partido Progressista aplaudiu a atitude do governador. A dirigente municipal da sigla no Juruá, Wilcilene Siqueira, exaltou o governo pela “ resolutividade e reconhecimento de seus fiéis combatentes, tendo como foco o ensejo pela melhoria dos serviços ofertados à população manciolimense”.

Nesta segunda-feira, 27, os diretórios do PSDB, MDB e PSD reagiram e publicaram uma nota repudiando Wilcilene, a quem chamam de “egoísta e estreita”. A nota lembra que os partidos agora atingidos com as exonerações participaram ativamente da campanha que levou Gladson Cameli ao Palácio Rio Branco.

O clima esquentou entre os partidos depois que o governador demitiu, entre outros, os dois diretores do Hospital de Mâncio Lima, Dr. Abel Pinheiro Maciel Filho, na última sexta-feira, 24. No lugar do diretor geral, Josianis Araújo assumiu Hélio Bentes e Marcelo Lebre assumiu a direção administrativa no lugar de André Luís Rocha.

A disputa entre MDB, PSDB, PSD e PP ficou acirrada no Juruá depois da união do vice-governador Major Rocha com o ex-deputado estadual e ex-prefeito de Cruzeiro do Sul, Vagner Sales para a eleição municipal de Cruzeiro do Sul, cujo gestor, Ilderlei Cordeiro, é do PP, partido de Gladson.

Vagner lançou o filho Fagner candidato a prefeito pelo MDB e Rocha do PSDB indicou o presidente da Associação Comercial, Luís Cunha, como vice . Desde então o clima entre Rocha e Gladson Cameli não é dos melhores e indicados de Rocha e Vagner vêm sendo exonerados.

Anúncios

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Mais lidas