Conecte-se agora

O papagaio e o arame

Publicado

em

O chega pra lá que a prefeita Socorro Neri deu no PT é um clássico exemplo do “feitiço que virou contra o feiticeiro”.

Em 2016, por uma obra de autoria ainda desconhecida, a professora Socorro Neri foi sacada do PSDB, onde nem nos melhores sonhos ela teria chance de se eleger prefeita.

O inusitado ingresso de ex-tucana nas fileiras da coligação Frente Popular representou, de início, uma espécie de vingança contra o antigo e tradicional aliado petista, o PCdoB.

Mesmo sendo minha conterrânea de Tarauacá uma mulher que reúne os adjetivos de integridade, simpatia e de bom relacionamento, naquele momento, nem de longe, Socorro Neri representava uma ameaça ou um ganho eleitoral.

Em verdade, o PT desejava ter na companhia de Marcus Alexandre uma pessoa que não fosse “nem carne, nem peixe”, ou seja, não tivesse luz própria e não representasse qualquer perigo ao projeto deles de perpetuação no poder.

Essa era a verdadeira intenção: Marcus ganharia a eleição para prefeito e ficaria livre para alçar o voo governamental, posto que sua vice continuaria sendo vice das decisões petistas.

Ainda que o partido tivesse caindo aos pedaços em razão dos sucessivos e abusivos escândalos de corrupção e o povo acreano de saco cheio do vianismo, Marcus era venerado entre os petistas como um trunfo importante e imbatível.

Como a estratégia não foi combinada com os eleitores, Marcos perdeu feio para Gladson Cameli e a professora Socorro Neri assumiu a camisa 10 na prefeitura.

Aos poucos, a prefeita foi demonstrando que não era um poste e que a luz dela não dependia de alimentação da tomada petista.

Como está fazendo uma administração razoável, dentro das possibilidades financeiras da capital, Socorro, com maestria, dispensou o indesejável apoio petista e tornou-se uma das opções favoritas para o pleito deste ano, isto se a pandemia não adiá-lo.

Ao PT restou a choradeira nas enfadonhas notas cuja passagem para leitura do segundo parágrafo é um ato de devoção.

Nunca esqueci do ex-deputado Sibá Machado quando este dizia que o PT usava a tática do papagaio para nunca cair, qual seja: só soltava o pé quando o bico estava firme no arame e só largava o bico quando o pé estava bem seguro.

Moral da história: o PT largou a prefeitura e Socorro quebrou o arame deles, deixando o partido com as asas quebradas e espatifado no chão.


 

Luiz Calixto escreve todas às quarta-feiras no ac24horas. 

Anúncios

Luiz Calixto

Direito de viver no governo Bolsonaro

Publicado

em

Continuar lendo

Luiz Calixto

Fogueira da paixão

Publicado

em

Continuar lendo

Luiz Calixto

Fanatismo

Publicado

em

Continuar lendo

Luiz Calixto

Pandemia de ignorância à brasileira

Publicado

em

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Leia Também

Mais lidas