Conecte-se agora

Dentro do roteiro

Publicado

em

Cada um na sua área de atuação, o governador Gladson Cameli e a prefeita Socorro Neri, seguem um roteiro esperado pela população no enfrentamento ao Covid-19, sem estrelismos, sem politicagem, colocando a máquina do governo e a máquina municipal voltadas apenas para o enfrentamento da pandemia. Têm seguido as recomendações preconizadas da ciência de que se trata de uma doença de rápida contaminação e sobre a qual não cabe misturar com a politicagem. O Estado tem 115 casos confirmados de positivados pelo coronavírus e cinco mortos. Não fossem as ações do governo e da prefeitura por certo estes números estariam muito mais altos. Não chegamos ao teto da pandemia. Cabe à população também dar a sua parcela de colaboração mantendo o isolamento social e seguindo as orientações de higienização pessoal. Este é o momento de não esperar só pelo poder público. 

UMA PERGUNTA POLÍTICA

Um deputado da base do governo ligou ontem para dizer que reconhece a capacidade educacional do ex-deputado comunista Moisés Diniz; e perguntou o que, pelo lado político,  além de ter sido quatro anos líder do governador Tião Viana e três anos do governador Binho Marques, na ALEAC, crítico da direita, tem como cacife político para ser nomeado secretário de Educação? Transfiro a pergunta para o governador Gladson Cameli, que aventou a hipótese.

PARA EFEITO DE REGISTRO

Quando foi líder do governo Binho Marques na ALEAC, Moisés Diniz costumava reclamar que tinha dificuldade para ser recebido pelo governador. Ainda assim, foi um líder muito atuante. 

ESTE DEBATE É DOS SENHORES

Este é um debate dos senhores políticos, ao qual me reservo apenas a observar e a registrar.

DEMISSÃO DESNECESSÁRIA

A demissão do Ministro da Saúde, Henrique Mandetta, podia acontecer a qualquer momento, afinal,  estava num cargo de confiança, mas aconteceu no momento menos oportuno, o de uma grave pandemia, apenas porque o presidente Bolsonaro é contra o fim do isolamento.

NÃO RESOLVE O PROBLEMA

E a demissão do Henrique Mandetta não terá influência no que diz respeito à queda dos casos de coronavírus, as contaminações estão muito longe de atingir a curva de queda dos registros.

SOPRO PRECAVIDO

Com o aumento do número de casos de Covid-19 e de mortes no Estado, parece que um sopro precavido passou pelo Palácio Rio Branco, e o governador Gladson  já não fala em liberar geral as atividades comerciais na próxima semana, o que seria uma medida de alto risco a todos.

NÃO LEVO A SÉRIO

Não levo a sério uma pesquisa sobre a eleição para a prefeitura de Rio Branco, que circula nos bastidores de um partido político, não que coloque em dúvida a seriedade do instituto, mas porque uma pesquisa em que o eleitor nem conhece os candidatos a sua validade é duvidosa.

ALEAC ATIVA

O presidente da ALEAC, deputado Nicolau Junior (PROGRESSISTAS) tem conseguido tocar sem descontinuidade todos os projetos que são colocados em votação na casa pelo meio virtual. Nicolau caminha para conseguir um segundo mandato, pela boa relação até com a oposição.

REMÉDIO DEMAIS MATA O PACIENTE

O remédio além da dose pode matar o paciente. Assim é a crítica na política, quando feita de forma exagerada, se tornando um mantra, pode acabar transformando quem é atacado em vítima. Tem deputado que ainda não entendeu que não se critica o gestor só para criticar.

AS URNAS VÃO DIZER

O projeto de poder do MDB passa pelas urnas. A eleição deste ano é apenas o primeiro round para a disputa de 2022, quando estará em jogo o governo e uma vaga de senador. A se confirmar a projeção do deputado federal Flaviano Melo (MDB), de o partido eleger dez prefeitos, o MDB entrará no round de 2022 com cartas altas para jogar na mesa.

OLHANDO PARA O SENADO

Um nome certo que o MDB tem para colocar na disputa da vaga de senador é a deputada federal Jéssica Sales (MDB), cujo prestígio no maior colégio eleitoral da capital é pífio. O que poderia contrapor esta deficiência seria a eleição do deputado Roberto Duarte (MDB) à PMRB.

APOSTANDO NA NOVIDADE

O PSL anuncia nesta sexta-feira o seu candidato a prefeito de Rio Branco que, tudo indica ser o empresário Fernando Zamora, um nome sem participação na política, e desconhecido do povão. O PSL precisará correr para chegar na eleição, com o nome do candidato projetado.

MEROS COADJUVANTES

O PT e o PCdoB que fizeram por duas décadas uma dobradinha no poder como protagonistas, na eleição deste ano exercerão um papel de coadjuvantes, nos dois maiores colégios eleitorais. Em Cruzeiro do Sul não terão candidatos próprios a prefeito e na capital, talvez, só o PT para figurar. A política é como uma roda gigante, ora se está embaixo e ora se está em cima.

SONHO VIROU PESADELO

Tudo o que o PSDB sonhava era com o PROGRESSISTAS indicando o vice do candidato á PMRB, Minoru Kinpara (PSDB) e ter o Gladson no Palanque. Houve até declarações e pose para a foto. O sonho virou pesadelo. Não haverá aliança com o PROGRESSISTAS e nem o apoio do Gladson.

DIZIA O KALUME

Já dizia o ex-prefeito Jorge Kalume de que em Rio Branco não se faz previsão com mais de uma semana. Uma semana antes da eleição para a PMRB Kalume era o azarão, as urnas abriram, e ele derrotou o favorito Ariosto Migueis (MDB), se elegendo prefeito.

SEM UM NOME

Com o prefeito Ilderlei Cordeiro fora do jogo sucessório deste ano em Cruzeiro do Sul, o governador Gladson Cameli ainda não encontrou um nome para trabalhar como seu candidato á prefeitura. De certo está apenas que fará tudo para derrotar o candidato do MDB.

MINORIAS NA POLÍTICA

As mulheres reclamam que a política é machista, mas quando têm a oportunidade de disputarem cargos majoritários ficam de fora. Entre os dez candidatos a prefeito da capital há apenas uma mulher, a prefeita Socorro Neri (PSB). Mesmo com o amplo eleitorado feminino.

PAPEL PRINCIPAL

As redes sociais voltarão a ter o papel principal na eleição deste ano na projeção dos candidatos e nos debates. O jornal escrito está morto, a rádio tem impedimentos legais, o que dará o tom eleitoral livre serão os sites, blogs, as lives, e as discussões entre os internautas.

LEVA VANTAGEM

O candidato a prefeito ou a vereador que melhor conseguir navegar nas redes sociais leva uma vantagem sobre os concorrentes. Tudo que acontece na política tem registro em tempo real.

ALTA VELOCIDADE

Para os descrentes com o Covid-19, já são 115 casos confirmados no Estado e com cinco mortes só na capital. E ainda há 242 casos em análise. As notificações positivadas crescem em alto volume. Por isso da importância de se continuar mantendo o isolamento social.

NÃO CABE POLITICAGEM

Os deputados têm dado respostas positivas e aprovado todos os projetos para ajudar o governo no combate ao Covid-19. Fez bem em rejeitar a formação de uma “comissão” para fiscalizar a aplicação dos recursos. A criação do mecanismo seria louvável, não fosse politiqueira. Há mecanismos e mecanismos de fiscalizar o governo e denunciar o errado.

ALAN COMEMOROU

Quem comemorou a queda do Ministro da Saúde, Henrique Mandetta, foi o deputado federal Alan Rick (DEM), que debita ao ex-ministro a derrubada do seu projeto de se realizar duas provas do Revalida por ano, para aferir a capacidade dos brasileiros formados em Medicina no exterior.

FRASE MARCANTE

“O governo é como cobra venenosa: continua provocando medo até quando morta”. Ney Suassuna. 

Anúncios

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas