Conecte-se agora

Cerca de 50 pessoas que participaram do velório de Uber devem ficar em quarentena

Publicado

em

No último dia 26 de março, o Ministério da Saúde, publicou orientações em relação a velórios e sepultamentos de vítimas do coronavírus.

Uma das orientações, por exemplo é que velórios e funerais de pacientes confirmados/suspeitos da COVID-19 NÃO são recomendados devido à aglomeração de pessoas em ambientes fechados. Nesse caso, o risco de transmissão também está associado ao contato entre familiares e amigos.

Outra orientação é disponibilizar a urna em local aberto ou ventilado e evitar a presença de pessoas que pertençam ao grupo de risco para agravamento da COVID-19: idade igual ou superior a 60 anos, gestantes, lactantes, portadores de doenças crônicas e imunodeprimidos.

Em relação ao enterro, a orientação do Ministério da Saúde é que a cerimônia conte, no máximo, com 10 pessoas. A estimativa é que tenham participado do velório e do sepultamento aproximadamente 50 pessoas.

Na última terça-feira, 14, faleceu no pronto-socorro de Rio Branco, o motorista de aplicativo Mariano Luiz da Costa Neto, 35 anos, que foi a 5ª vítima do coronavírus no Acre.

O velório de Neto foi realizado em uma funerária da capital acreana. Apesar do caixão lacrado, as normas orientadas pelo MS da saúde não foram seguidas, já que participaram pessoas do grupo de risco e no sepultamento estavam bem mais que 10 pessoas.

A responsabilidade de fiscalização dessas situações é da vigilância sanitária municipal. Em nota, a prefeitura de Rio Branco informou que tem orientado as funerárias e segue acompanhando a prestação desse tipo de serviço (leia a nota na íntegra no final dessa reportagem).

Já para os amigos e familiares que estiveram no velório, quando é normal o cumprimento físico com amigos e familiares, a orientação é clara: devem ficar de quarentena.

“Como regra geral, todo mundo que entra em contato com alguém exposto ao coronavírus, fica no período de quarentena. A pessoa fica entre 10 a 14 dias observando se vão aparecer sintomas. Não tem que fazer exame neste período de quarentena. Se aparecer sintoma neste período, faz sintoma para saber se é ou não coronavírus. Passado esse tempo e não apresentou nenhum sintoma, está liberado para retomar a rotina normal”, diz o médico infectologista Thor Dantas.

A Secretaria Estadual de Saúde lembra, como necessidade de quarentena, que foi em um evento político em que as pessoas se abraçaram que foi desencadeada a maioria dos casos de coronavírus no município de Plácido de Castro.

Os familiares que mantiveram contato direto com a vítima fatal, fizeram exames e aguardam o resultado.

Nota da Prefeitura

A Prefeitura de Rio Branco, por meio da Secretaria Municipal de Saúde e Coordenadoria de Vigilância em Saúde informa que todos os procedimentos excepcionais para velório e sepultamento de corpos de suspeitos ou confirmados para Coronavírus, seguirão as recomendações estabelecidas pelo Ministério da Saúde. A vigilância sanitária realizou a notificação de todas as funerárias do município sobre as adequações e procedimentos no período da pandemia pelo COVID-19.

Os cuidados pós morte e a devida identificação do corpo deve ser realizada pela instituição assistencial onde ocorreu o óbito.

A Vigilância sanitária municipal segue acompanhando a prestação do serviço pelas funerárias de forma a garantir o cumprimento das normas atuais.

Informamos ainda que o serviço desse caso específico foi prestado pela Funerária São Francisco que segundo o proprietário e familiares foram seguidas todas as recomendações.

Anúncios

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Mais lidas