Conecte-se agora

Alysson reafirma isolamento e que Acre se prepara para o pior

Publicado

em

O secretário de Saúde do Acre, Alysson Bestene, participou nesta quarta-feira (15) da sessão virtual da Assembleia Legislativa respondendo às questões relacionadas à política de enfrentamento ao Covid-19 no Estado.

O deputado Jenilson Leite quis saber da estrutura de atendimento mais intensivo, como o número de leitos de UTI, respiradores e tratamento à base de hidroxicloroquina, azitromicina e corticoides, além que equipamentos de proteção individual aos profissionais de saúde, e recursos humanos para o enfrentamento à doença.

O secretário explicou que o Governo do Acre já vinha se preparando para uma possível epidemia do coronavírus -o Plano de Contingência foi deflagrado ainda quando o vírus assolava apenas a China com o acompanhamento da evolução dos casos naquele País.

Na sequência, o Estado avançou para a capacitação dos servidores estaduais e profissionais dos municípios. Quando os primeiros casos chegaram ao Acre, no dia 17 de março, o plano iniciou sua terceira fase criando as unidades de referência para atendimento, leitos de isolamento e UTI. O Governo do Estado criou o comitê da Covid-19 e decretou estado de emergência, depois calamidade, iniciando a quarentena com isolamento social. O Pronto Socorro foi indicado para terapia intensiva e a UPA do 2º Distrito a referência nos primeiros atendimentos.

“É o primeiro ataque da ação preventiva para evitar disseminação do vírus”, disse Bestene ao explicar o isolamento social. Estabeleceu-se uma linha temporal e uma escala de casos já confirmados. “Teríamos 96 casos mas provavelmente vamos fechar acima dos 100 casos”, disse Alysson, demonstrando preocupação com o crescimento fora da projeção -e o Estado já vem trabalhando com 10% da população afetada pela doença.

O Acre receberá do comitê nacional uma ferramenta para subsidiar em tempo real as ações oficiais. Alysson ressaltou que cuidados são tomados com as compras governamentais porque os valores foram alterados com pandemia.

Leitos de UTI vão aumentar, garante secretário

Há hoje em Rio Branco 10 leitos de UTI no Pronto Socorro, sendo que 4 estão ocupados -3 deles de pacientes vindo de planos de saúde e foram absorvidos pelo SUS.

Na segunda-feira, 20 de abril, mais 10 leitos serão abertos no Into, além de 46 leitos de enfermaria. Os leitos de UTI estarão todos equipados. O Into, diz Alysson tem capacidade de chegar a 70 leitos de UTI.

Foram enviados equipamentos para montagem de oito leitos de UTI em Cruzeiro do Sul. Existe ali a capacidade para se ampliar a 12.

Em Brasiléia, o Hospital Wildy Viana tem condições de receber seis leitos de UTI para a regional do Alto Acre.

São 73 ventiladores em todo o Estado. O Governo está adquirindo mais 80 respiradores e há previsão de doação de 25 desses equipamentos.

Acre tem cloroquina e azitromicina em estoque

Sobre os medicamentos, o secretário disse que ainda não evidência científica do uso de qualquer remédio. Ele citou o Estado do Amazonas, que recuou no uso da cloroquina.

O Acre recebeu 5.000 comprimidos de cloroquina e está comprando mais 5.000. “Temos 26 mil comprimidos de azitromicina”, disse.

Os equipamentos de proteção individual tem sido reivindicação constante. A compra que foi realizada no início da pandemia. “Tínhamos em estoque mais de 280 mil máscaras, quando eram distribuídas 18 mil. Quando a pandemia se instalou foram 160 mil máscaras em março. Compramos e estamos aguardando 400 mil máscaras cirúrgica e vamos comprar outras 400 mil.

Quase 70 foram treinados para terapia intensiva

Há em estoque 43 mil máscaras cirúrgicas e em parceria com a Federação das Indústrias do Acre o Governo quer produzir máscaras com padrão que possa ser usado pelos profissionais de saúde.

Em relação a recursos humanos a Sesacre tem um planejamento que capacitou 68 profissionais para ações intensivistas.

Se for preciso, a Sesacre instala hospital de campanha em locais já definidos.

Secretário defende isolamento e diz que volta ao normal só com regras sanitárias

“O momento que vocês estão passando é de tensão permanente”, disse o deputado Edvaldo Magalhães, que observou ser o trabalho da Secretaria de Saúde orientado pela ciência.

O deputado se disse “muito preocupado” com a possibilidade de afrouxamento do isolamento social. O secretário Alysson Bestene disse que realmente o isolamento social está baseado em trabalho científico e que o Acre segue.

“O governador Gladson Cameli sempre pensou na coletividade e nós temos orientado a manter o isolamento e, feito isso, com regramento sanitário. Orientamos que as pessoas evitem ao máximo ir ao supermercado e indo só uma pessoa da família para evitar aglomeração”, disse o secretário ao defender o isolamento. “É hora de, no sentido figurado, darmos as mãos e mostrar amor ao próximo. Sabemos que tem um grupamento de risco: 80% da população terá uma síndrome de gripe comum mas uma parcela que terá agravamento muito rápido”, reiterou.

“Mas uma hora vamos de voltar à normalidade mas com regramento sanitário”, completou

Duarte reclama de leitos insuficientes no Estado

O deputado Roberto Duarte disse que no mínimo o Acre deveria ter 85 leitos em situação normal e o secretário repetiu o protocolo de funcionamento de cada unidade -da UPA do 2º Distrito ao Pronto Socorro de Rio Branco. A UPA tem dois ventiladores “funcionando perfeitamente” e que nos próximos dias o Acre chega a 68 leitos de UTI, aproximando-se da taxa recomendada pela OMS.

Em Acrelândia o Governo do Estado monitora os casos positivos. Esses casos surgiram de uma reunião política e até agora só um caso ficou agravado.

A Sesacre enviou um médico para ampliar o primeiro atendimento e realizou, em parceria com as autoridades municipais, diferentes ações para conter o avanço da doença.

O laboratório Charles Mérieux tem atualmente capacidade de fazer 48 exames ao dia mas essa taxa deve aumentar para 150/dia. O Lacen também fará exames em breve.

O Governo está comprando 10 mil testes rápidos para testagem massiva.

Dinheiro de emenda parlamentar ainda não chegou ao Acre

O secretário disse que o recurso de custeio não ficou igual para todos -alguns municípios receberam 30% e o Governo, que cuida do Estado todo, ganhou os mesmos 30%.

De emenda de bancada foram R$29 milhões para investimento e R$ 28 milhões para custeio. O repasse vai demorar a chegar mas há previsão da liberação emergencial de alguma parte nesta quinta-feira (16).

A ponderação foi feita a partir dos anúncios de deputados e senadores sobre liberação de emendas.

Restrição evitou aglomerações na Fundhacre

A deputada Antônia Sales disse que a população do Vale do Juruá está amedrontada com o avanço do coronavírus e questionou o trabalho da Fundhacre e o secretário disse que essa unidade deve retomar gradualmente a capacidade ambulatorial e de emergências.

A redução foi determinada para evitar aglomerações, já que diariamente mais de 500 pessoas procuram a unidade.

Anúncios

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Mais lidas