Conecte-se agora

Em Xapuri, população denuncia alta de preços: ovo é um dos vilões

Publicado

em

Um dos efeitos mais rapidamente sentidos pela população durante a ocorrência de desastres é a subida dos preços, especialmente dos gêneros de maior necessidade, como alimentos e produtos de limpeza. No Acre, foi assim, quando ocorreu a última grande enchente do Rio Madeira, em 2014, que isolou o estado, por via terrestre, do restante do país.

Naquela ocasião, a escassez gerada no estado pelo fenômeno natural provocou uma alta nos preços que, segundo a opinião do maior entendido no assunto – o consumidor -, mesmo depois da crise temporária jamais retornaram ao patamar em que estavam antes da enchente histórica. Com a pandemia de coronavírus, há o temor de que a mesma coisa aconteça, o que já aparenta ser fato.

Com a gigantesca crise que assola o planeta na atualidade, além do medo de contrair a covid-19, a população receia ficar desabastecida de itens essenciais e promove uma correria frenética aos mercados em busca de estocar alimentos e materiais de limpeza e higiene pessoal, principalmente. O fenômeno pode ser responsável por outros dois: a carência dos produtos mais essenciais e a majoração dos preços nas gôndolas dos supermercados.

Em Xapuri, onde os consumidores, a exemplo do restante do Acre, não encontram produtos que se tornaram “virais”, como o álcool em gel e as máscaras descartáveis, têm se denunciado, via redes sociais, o aumento exorbitante no preço de alguns produtos, como, por exemplo, o ovo, cuja cartela com 30 unidades tem sido vendida entre R$ 16 e R$ 20, onde pode ser encontrado.

Mas onde é que se origina a alta de preços? No oportunismo dos comerciantes e fornecedores ou existem razões maiores, ligadas ou não à crise pandêmica, para o encarecimento dos produtos? O ac24horas conversou com dois empresários do ramo de mercados em Xapuri e ouviu deles explicações parecidas para a elevação de alguns preços. Ambos descartam que haja qualquer alteração abusiva de preços em seus estabelecimentos.

Com relação ao aumento no preço do ovo, os comerciantes afirmam que têm feito as últimas compras com reajustes que, segundo explicação dos fornecedores, se deram em razão da escassez e alta de preços nos insumos, fator que teria afetado também o frango. O crescimento da procura pelo ovo na segunda quinzena de março, um provável efeito da pandemia, também é apontado como motivo para a valorização do produto.

Página na internet dedicada ao mercado de ovos diz que, em março, o produto teve uma elevação de 15,8%, índice motivado de um lado, pelo forte incremento no giro do produto no comércio varejista e, de outro, por uma dificuldade dos avicultores em atender a demanda existente no atual momento. No entanto, o índice atual não tem nada de extraordinário já que em março de 2011, 2014 e 2017 houve evolução de 25,6%, 21,3% e 17,5%, respectivamente.

Um dos comerciantes com quem o ac24horas conversou – eles optaram por não ser identificados para evitar polêmicas nas redes sociais em torno do tema – afirmou que falta “senso ético” dos consumidores quando criticam os supermercados por supostas alterações abusivas de preços ao mesmo tempo em que buscam comprar mais do que necessitam, o que, segundo ele, tanto contribui para inflacionar os preços quanto para que outras pessoas não tenham acesso a produtos em escassez, como ocorre, por exemplo, com o álcool em gel.

“Existe a tendência de se protestar contra aquilo o que as pessoas entendem que lhes prejudica, mas não se pensa no próximo, que pode estar sentindo a necessidade de algo que essas pessoas compraram em demasia e estocaram. O comércio não tem o objetivo apenas de lucrar, mas também o de manter as pessoas abastecidas e garantir que os produtos possam estar disponíveis para todos. É por isso que nos mantemos de portas abertas, com funcionários se expondo a riscos para atender os clientes”, disse.

Anúncios

Destaque 6

Nasa diz que encontrou moléculas de água na superfície da Lua

Publicado

em

Dois estudos publicados nesta segunda-feira (26) na revista científica “Nature Astronomy” tratam da existência de água na superfície lunar. O mais relevante deles, conduzido pela Nasa, a agência espacial dos Estados Unidos, relata ter localizado moléculas de H2O presa em grãos minerais.

Na visão de cientistas, o anúncio da agência espacial americana é a primeira confirmação de indícios já levantados por pesquisadores desde a década passada.

O que apontam os estudos:

– Nasa diz que moléculas de água foram achadas presas em grãos de minerais;

– As moléculas foram encontradas na face iluminada da Lua;

– Estudo da Nasa é apontado como primeira “prova química” da existência de água;

– Em outra pesquisa, a Universidade do Colorado analisou microcrateras nos polos da superfície lunar e diz que elas têm potencial para abrigar pequenas porções de água congelada;

– A área das microcrateras tem 40 mil km², está em sombra permanente e a temperatura no local é de -163ºC;

– Chegada da água à Lua tem entre as hipóteses: cometas, asteróides, poeira interplanetária e até gases de erupções vulcânicas.

Prova química na pesquisa da Nasa

A primeira pesquisa foi conduzida pela Nasa, que relatou ter localizado moléculas de água presas em grãos minerais. A descoberta foi feita na face da Lua que recebe a iluminação do Sol e foi apontada como a “prova química” da existência de água na superfície lunar.

Casey Honniball, pesquisadora da Nasa e principal autora do estudo, destaca que a detecção feita em sua pesquisa não é de água em forma de gelo.

“São apenas as moléculas de água – porque estão tão espalhadas que não interagem umas com as outras para formar gelo ou estar na forma líquida” – Casey Honniball, pesquisadora da Nasa.

Os pesquisadores usaram dados do observatório Sofia, uma aeronave Boeing 747SP modificada para carregar um telescópio capaz de mostrar uma visão mais ampla do sistema solar e do universo.

O observatório detectou moléculas de água na Cratera Clavius, uma das maiores visíveis da Terra. Segundo o estudo, trata-se da primeira vez em que um grupo de pesquisadores foi capaz de diferenciar a molécula H2O (a fórmula química da água) de outro composto químico (hidroxila, OH).

Possibilidade de água na pesquisa do Colorado

O segundo estudo foi conduzido pelo departamento de astrofísica da Universidade do Colorado, nos Estados Unidos. De acordo com a pesquisa, o trabalho revela a existência de uma multidão de microcrateras na área da Lua que não recebe a luz do Sol. Os pesquisadores afirmam que, no fundo dessas microcrateras, há a possibilidade de haver água congelada.

“Imagine-se na Lua, perto de um de seus polos: você veria uma miríade de pequenas sombras que preenchem a superfície; a maioria delas são menores do que uma moeda. Cada uma seria extremamente fria, o suficiente para conter gelo”, descreve Paul Hayne, pesquisador da Universidade do Colorado.

“Nossos resultados sugerem que a água pode ser muito mais espalhada nas regiões polares da Lua do que se pensava anteriormente, tornando-a mais fácil de acessar, extrair e analisar”, afirma o pesquisador da Universidade do Colorado.

A equipe da Universidade do Colorado usou dados de dois instrumentos do orbitador de reconhecimento lunar da Nasa, o LRO. Combinando os dados com modelos 3D, eles conseguiram reproduzir o tamanho e a distribuição das sombras, em escalas menores que um milímetro.

 

Continuar lendo

Destaque 6

‘Não pode um juiz decidir se você vai ou não tomar vacina’, diz Bolsonaro

Publicado

em

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (26) a um grupo de apoiadores na portaria do Palácio da Alvorada que juiz “não pode decidir se você vai ou não tomar vacina”.

Na última sexta-feira (23), o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, afirmou que haverá “judicialização” dos critérios a serem adotados para a futura vacinação contra a Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus. Quatro ações no tribunal tratam do tema (leia detalhes mais abaixo).

Fux entende que o tribunal terá de decidir sobre temas como liberdade individual e requisitos para a imunização. No caso do coronavírus, as vacinas ainda estão em processo de desenvolvimento.

Ao conversar com os apoiadores nesta segunda-feira, Bolsonaro afirmou:

“Hoje vou estar com o ministro [Eduardo] Pazuello, da Saúde, para tratar desse assunto, porque temos uma jornada pela frente, onde parece que foi judicializada essa questão. E eu entendo que isso não é uma questão de Justiça, isso é uma questão de saúde acima de tudo. Não pode um juiz decidir se você vai ou não tomar vacina. Não existe isso daí.”

Bolsonaro já declarou em mais de uma ocasião que é contrário à vacinação obrigatória.

O presidente também já declarou que não confia na CoronaVac, vacina desenvolvida pelo Instituto Butantan, de São Paulo, e pela farmacêutica chinesa Sinovac.

Ações no STF

O STF recebeu ao menos quatro ações que tratam sobre a vacinação contra o novo coronavírus. Três ações são favoráveis à vacinação mais ampla e/ou obrigatória, e uma que pede a proibição da vacinação compulsória.

Em uma dessas ações, o PDT busca garantir que a determinação de vacinação obrigatória e de outras medidas relacionadas fique a cargo de estados e municípios.

O ministro do STF, Ricardo Lewandowski, decidiu na sexta que levará direto ao plenário a análise de três ações que discutem o tema.

O relator pediu informações à Presidência da República, à Advocacia-Geral da União e à Procuradoria-Geral da República. O julgamento não tem data ainda para ocorrer – a marcação deve ser feita após as manifestações requeridas pelo ministro.

Opções de vacinas

Bolsonaro protagonizou na semana passada uma disputa política com o governador de São Paulo, João Doria, sobre a vacinação contra o coronavírus.

Após o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, ter anunciado a negociação para adquirir as 46 milhões de doses da CoronaVac, Bolsonaro mandou cancelar a compra – e o ministério, por sua vez, afirmou que “não há intenção de compra” e substituiu o comunicado no site.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou na sexta-feira a importação de 6 milhões de doses da CoronaVac.

Continuar lendo

Destaque 6

Ex-atriz pornô revela que faz simpatia para casar com Gusttavo Lima: “sou apaixonada por ele”

Publicado

em

Por

A modelo Débora Dunhil revelou que fez uma simpatia para realizar o sonho de casar com Gusttavo Lima. A ex-atriz de filmes adultos afirmou ser apaixonada pelo sertanejo, que está solteiro desde o fim do casamento com Andressa Suita.

“Sou apaixonada por ele. Seria uma ótima esposa até mesmo pelo meu currículo, sei fazer tudo que um homem gosta”, disse Débora, de 27 anos de idade, que agora atua nas pegadinhas do programa de João Kleber.

A simpatia, realizada com um guru do amor, custou R$ 2 mil. A modelo também elogiou Andressa. “Ela é linda, mas muito apagada, o Gusttavo merece uma mulher como eu”, argumentou Débora.

Débora já estrelou vários filmes adultos e encara seu passado com naturalidade. “Todo mundo tem um passado, por muito tempo eu quis esquecer o meu, mas agora chega! Sou quem sou e quem quiser me assumir terá que saber da minha história. Nunca fui santa”, finalizou.

Fonte: Revista Quem

Continuar lendo

Destaque 6

Eleitor poderá justificar ausência nas votações através do celular

Publicado

em

Pela primeira vez, o eleitor que não puder votar nas eleições deste ano ou estiver impossibilitado de comparecer à zona eleitoral devido à pandemia do novo coronavírus, poderá justificar a ausência até 60 dias após cada pleito por meio do e-Título, aplicativo desenvolvido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

De acordo com o TSE, o recurso eletrônico funciona como um título de eleitor digital, além de permitir ao cidadão a criação de certidões de quitação e a autenticação de documentos da Justiça Eleitoral. O acesso ao e-Título é gratuito e funciona nos sistemas operacionais Android e iOs. Ele pode ser baixado na loja de aplicativo do dispositivo móvel.

Aos eleitores que não possuem acesso à internet, a justificativa pode ser apresentada no local de votação. Conforme informações da Justiça Eleitoral, o cidadão que não votar por três pleitos, não justificar a ausência e não pagar as multas devidas, terá o título cancelado.

O primeiro turno das eleições 2020 está marcado para o dia 15 de novembro. Nos locais em que houver segundo turno, a data é o dia 29 de novembro. Por conta da pandemia, o horário de votação foi ampliado e os eleitores poderão comparecer às urnas das 7h às 17h.

O voto é obrigatório para brasileiros com idades entre 18 e 70 anos.

Fonte: SBT NEWS

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas