Conecte-se agora

Número de infectados pelo Coronavírus sobe para 11 no Acre, informa Sesacre

Publicado

em

O Acre pulou de 7 para 11 casos confirmados de coronavirus no Estado em menos de 24 horas. A informação foi confirmada pela governo na tarde deste sábado, 21. As informações do aumento de casos confirmados no Acre foram atualizadas às 16 horas de hoje pelo boletim do Ministério da Saúde. Subiu para 1.128 os casos em todo o Brasil, com 18 óbitos.

O aumento no número de casos acontece em meio a uma verdadeira discussão pelas redes sociais das medidas que vêm sendo adotadas pelo governador do Acre, Gladson Cameli. A maioria da população apoia as medidas consideradas extremas por alguns setores.

De acordo com a secretaria de saúde, os 11 casos foram registrados em Rio Branco.

Todos os casos confirmados são de pessoas residentes no município de Rio Branco, 08 com antecedentes de viagem nos últimos 14 dias para fora do Estado, 02 sem antecedentes de viagem, mas que foram contatos dos casos positivos anteriormente e 01 caso teve contato com um grupo de italianos que veio a trabalho recentemente ao município de Rio Branco.

Os dados oficiais apontam que até o momento foram recebidas no Laboratório de Infectologia Charles Mérieux, no município de Rio Branco, 168 amostras, das quais 152 foram negativas, 11 positivas e 5 aguardando resultado de exame laboratorial.

Anúncios

Destaque 3

“É um problema pontual”, diz Socorro Neri sobre fila por atendimento nas UBSs

Publicado

em

Foto: Sérgio Vale/ac24horas

Na terceira sabatina do ac24horas ocorrida na noite desta quarta-feira, 28, a prefeita Socorro Neri e candidata à reeleição pelo PSB falou acerca dos problemas da saúde municipal e também da atuação da Prefeitura de Rio Branco durante a pandemia da Covid-19.

Em relação aos problemas da falta de profissionais nas unidades de saúde, Socorro afirmou que pretende implantar um trabalho com horários intermediários nas Unidades de Referência (URAPs), mas lamentou a falta de fixação de médicos nas equipes.

“Há grande questão em Rio Branco é a dificuldade que temos tido de fixação de médicos nas equipes, além dos demais profissionais. Esses médicos têm feito processos seletivos e não temos conseguido fazer a seleção adequada. Hoje, temos nas nossas unidades 123 médicos, 53 do Mais Médicos e 70 do quadro da prefeitura”, destacou.

Já em relação às filas em que muitos cidadãos madrugam para conseguir uma ficha, Socorro minimizou e colocou como um problema pontual.

“É um problema pontual. Temos médicos que estão afastados. Eu tenho dito, inclusive, que iremos trabalhar com turnos intermediários para garantir mais médicos durante o dia para atendimentos nas URAPs. Não há essa necessidade da pessoa chegar tão cedo. Se isso está acontecendo é de forma pontual. Solicitei até que a secretária de saúde [Vomea] fizesse as fiscalizações in-loco para averiguar essas situações”, destacou Neri.

Em relação à atuação da Prefeitura ao combate da Covid-19, Socorro afirmou que atuou seguindo as recomendações das organizações de saúde, mas destacou que a compreensão que se tem hoje sobre a Covid-19 é muito diferente do que tinha no início.

“A compreensão que a gente tem hoje é muito maior do que a gente tinha no início, mas a gente sempre seguiu as orientações das organizações de saúde e dos nossos comitês. Naquele momento, tivemos que decidir na urgência, agir na incerteza, mas a gente seguiu sempre as orientações dos órgãos competentes. Trabalhamos ajudando no fluxo com a Sesacre, implantamos a teleconsulta e isso teve um resultado extraordinário, dentre outras coisas”, destacou Neri.

Continuar lendo

Destaque 3

Banco Central decide manter taxa de juros em 2% ao ano, menor patamar da história

Publicado

em

Por

O Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central decidiu manter a taxa básica de juros da economia (Selic) em 2% ao ano, o menor patamar desde o início da série histórica, em 1996. A decisão foi unânime e veio dentro do esperado pelos analistas de mercado.

É a segunda reunião seguida sem mudanças na Selic. A manutenção dos juros em níveis tão baixos acontece ainda na esteira das preocupações sobre os efeitos do coronavírus no Brasil e no mundo.

O Copom não descartou voltar a cortar os juros em 2020, mas ponderou que, “devido a questões prudenciais e de estabilidade financeira, o espaço remanescente para utilização da política monetária, se houver, dever ser pequeno”.

O atual patamar da Selic é considerado “adequado” pela autoridade monetária, mas a incerteza sobre o ritmo de crescimento da economia “permanece acima da usual”.

“O risco fiscal elevado segue criando uma assimetria altista no balanço de riscos, ou seja, com trajetórias para a inflação acima do projetado no horizonte relevante para a política monetária”, alerta o Copom.

De 14,25% para 2% em 4 anos

Em outubro de 2016, o BC deu início a uma sequência de 12 cortes na Selic. Neste período, a taxa de juros caiu de 14,25% ao ano para 6,5% ano. De maio de 2018 até junho de 2019, a taxa foi mantida no mesmo patamar. Foram dez encontros do Copom sem mudanças na Selic.

No final de julho do ano passado, porém, o Copom reduziu a Selic em 0,5 ponto percentual, para 6% ao ano. Em dezembro, a taxa já estava em 4,5% ao ano.

Em 2020, foram cinco cortes consecutivos: em fevereiro, de 4,5% para 4,25%; em março, para 3,75%; em maio, para 3%; em junho, para 2,25%; em agosto, enfim, para 2% ao ano — patamar mantido na reunião seguinte, em setembro.

Juros ao consumidor são mais altos…

A Selic é a taxa básica da economia e serve de referência para outras taxas de juros (financiamentos) e para remunerar investimentos corrigidos por ela. Ela não representa exatamente os juros cobrados dos consumidores, que são muito mais altos.

… E poupança rende menos

Com os juros baixos, a poupança rende menos devido a uma regra criada em 2012. Quando a Selic está acima de 8,5% ao ano, a rentabilidade da poupança é de 6,17% ao ano (0,5% ao mês) mais TR (Taxa Referencial). Porém, quando a Selic é igual ou menor que 8,5%, a poupança passa a render 70% da Selic mais TR.

Juros x inflação

Os juros são usados pelo BC como uma ferramenta para tentar controlar a inflação ou tentar estimular a economia. De modo geral, quando a inflação está alta, o BC sobe os juros para reduzir o consumo e forçar os preços a cair. Quando a inflação está baixa, o BC derruba os juros para estimular o consumo.

A meta é manter a inflação em 4% neste ano, mas há uma tolerância de 1,5 ponto para cima e para baixo, ou seja: pode variar entre 2,5% e 5,5%. No ano passado, a inflação fechou em 4,31%, dentro da meta do governo para 2019.

O índice de setembro deste ano, o último divulgado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), ficou em 0,64%, a maior para o mês em 17 anos.

O IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) acumulado em 2020 é de 1,34%; o dos últimos 12 meses, de 3,14%.

(Com Agências de Notícias)

Continuar lendo

Destaque 3

Pandemia evidenciou falhas no sistema de saúde de Rio Branco, afirma tucano em sabatina

Publicado

em

Na sabatina do ac24horas ocorrida na noite desta terça-feira, 27, o candidato do PSDB à Prefeitura de Rio Branco, Minoru Kinpara, criticou a atuação da prefeitura de Rio Branco na pandemia do Covid-19. Minoru destacou que atenção básica é responsabilidade do município e afirmou que a Covid-19 evidenciou as falhas em gerir a saúde municipal.

“Atenção básica é responsabilidade do município. Essa pandemia tem maltratado muito a humanidade e nos atingiu de cheio, mas essa pandemia evidenciou mais ainda as falhas que temos no nosso sistema de saúde. Temos 22 municípios, Rio Branco é o penúltimo na atenção básica, e em cobertura de estratégia de saúde da família é o último. Precisamos ampliar esse atendimento que passa pela contratação de mais médicos e contratar algumas especialidades e diversificar mais”, afirmou.

Em outro trecho, Minoru relembrou a proposta de abrir as redes básicas de saúde para o atendimento leve de casos Covid-19 para ajudar a desafogar os atendimentos na rede estadual, mas que ao sugerir a proposta foi alvo de críticas da militância da atual prefeita Socorro Neri (PSB).

“Fui duramente criticado pela militância digital da atual gestão e três meses depois a prefeitura acatou a minha ideia. Na saúde não podemos perder tempo”, relembrou.

Continuar lendo

Destaque 3

Passe livre a estudantes será possível com corte de cargos comissionados, diz Minoru

Publicado

em

Foto: Sérgio Vale/ac24horas

Uma das propostas mais questionadas nesta campanha tem sido o passe livre aos estudantes. O autor da proposta, Minoru Kinpara (PSDB), explicou nesta terça-feira, 27, na sabatina do ac24horas, como irá implantar essa proposta que vem sendo questionada por grande parte da população.

Minoru rechaçou qualquer aumento na tarifa do transporte coletivo para o trabalhador normal para bancar a proposta do passe livre, e explicou que o dinheiro virá de cortes de cargos comissionados.

O professor afirmou que, segundo os estudos realizados por sua equipe econômica, será necessário entre R$ 7 a 8 milhões para bancar a gratuidade.

“Esse dinheiro virá de cortes de gastos comissionados. Hoje, a prefeitura gasta R$ 2,8 milhões por mês em cargos comissionados, se a gente cortar 800 mil por mês, teremos ao final do ano entre R$ 8 a 9 milhões. Então dá pra fazer. Eu não estou inventando a roda. O passe livre já existe em outras capitais”, afirmou.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas