Conecte-se agora

Após decreto, Acisa pede sabedoria divina para enfrentar a crise

Publicado

em

Após o decreto 5.496/2020 com medidas que geram grandes impactos econômicos na economia do Acre – com a manutenção de atividades essenciais – o presidente da Associação Comercial e Empresarial, Celestino Oliveira, disse que esse é o momento de clamar por sabedoria. “É necessário paciência e esperança para que logo possamos gerar emprego e renda em nosso estado” diz um dos trechos da nota publicada nas redes sociais.

Para o especialista na área econômica, muitos pequenos empreendedores, microempresários não conseguirão superar a crise provocada mundialmente, uma vez que, há cinco anos enfrentam os altos e baixos da economia.

Celestino fez um apelo pelo não desemprego, “aos que têm condições mantenham os salários de seus funcionários, pois estes serão os maiores prejudicados necessitando comer, beber e manter o mínimo de dignidade nesse momento”, disse.

Celestino tem razão quando fala que a crise econômica é semelhante a vivida em 2008. O Brasil entrou para o clube dos países que pagam juros negativos. No último dia 18, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central executou mais um corte na taxa Selic para 3,75%.

Quando fala de incertezas, o empresário conclama a categoria e o estado a fazer um exercício para conter a crise sanitária e econômica. De uma semana para outra, as estimativas de crescimento do Brasil foram jogadas ladeira abaixo (o Ministério da Economia previu crescimento zero) e agora, num cenário otimista, apontam para a estagnação.

A Assembleia Legislativa do Acre aprovou o estado de Calamidade. No mesmo dia, o Senado aprovou por videoconferência, o estado de calamidade pública solicitada pelo governo federal. As medidas permitem na esfera estadual e federal, respectivamente, que se gaste mais do que o previsto e desobedeça ás metas fiscais estipuladas anteriormente.

Alguns empresários querem mais flexibilidade nas regras estabelecidas com redução apenas da jornada de trabalho e manutenção de outras atividades, como ocorreu no vizinho estado de Rondônia.

Anúncios

Destaque 6

Laudo diz que líder do B13 morreu engasgado com restos alimentares no presídio

Publicado

em

O laudo cadavérico emitido pelo Instituto Médico Legal (IML) nesta semana do detento Maílton Teixeira, mais conhecido como Maicon, que seria uma liderança da organização Bonde dos 13 em Rio Banco, aponta que ele morreu engasgado. Maílton estava em uma das celas do Complexo Penitenciário Francisco de Oliveira Conde quando faleceu, no dia 11 de setembro.

O laudo, assinado pelo Perito Médico Legista, Paulo Jesus César, confirma a versão contada pelos detentos de que Maicon morreu engasgado. No laudo, o profissional médico relata: “foi vítima de asfixia por bronco-aspiração de restos alimentares, resultado do retorno do conteúdo presente no estômago (refluxo gastroesofágico) que levou secreção à árvore respiratória (traqueia, brônquios e bronquíolos), ocasionando tamponamentos dos alvéolos pulmonares (asfixia) que levou a óbito o referido periciado”.

Com o resultado do laudo em mãos, Tales Tranin, afirma que vai encaminhar o caso para a Promotoria de Controle Externo da Atividade Policial, que vai investigar se houve ou não omissão de socorro. “De posse do laudo, vou encaminhar a promotoria que tem a prerrogativa de investigar a atividade policial e vai dizer se houve omissão de socorro, para que sejam tomadas as medidas cabíveis”.

Familiares do detento chegaram a fazer manifestação em frente à sede do Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen-AC), afirmando que a demora no atendimento foi decisivo para que o detento chegasse ao óbito. O promotor da Vara de Execuções Penais e Fiscalização de Presídios, Tales Tranin, recebeu uma carta de detentos que estavam juntos com Maicon, que fizeram o mesmo relato.

Continuar lendo

Destaque 6

Justiça afasta 10 servidores da Aleac sob suspeita de rachadinha em gestões passadas

Publicado

em

Foto: Reprodução

A Justiça Federal determinou o afastamento de 10 servidores da Assembleia Legislativa do Acre a fim de evitar a continuidade das práticas delitivas, bem como para impedir possível óbice à apuração dos fatos. Os pedidos de afastamentos referidos foram feitos pelo Ministério Público Federal e a Polícia Federal, responsável pela “Operação Res Principis” deflagrada nesta quinta-feira, 22, em Rio Branco, e em Chopinzinho, no interior do Paraná, visando desarticular grupo criminoso que, de forma estruturada, fraudou contratos públicos no âmbito das antigas gestões da Assembleia Legislativa do estado do Acre, anteriores ao do atual presidente da casa, deputado Nicolau Junior.

Ao todo, 25 mandados de busca e apreensão foram cumpridos nos endereços de pessoas físicas e jurídicas em Rio Branco (AC) e um em Chopinzinho(PR), bem como nas dependências de setores administrativos da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac).

A operação policial deflagrada deu-se no âmbito de três inquéritos distintos, sendo que um deles apura indícios de peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa, tendo em vista possível fraude nas informações constantes do Portal da Transparência da ALEAC, pagamentos superiores ao teto a servidores (super salários) e pagamentos a servidores fantasmas.

O segundo inquérito em trâmite apura indícios de crimes de corrupção ativa e passiva, além de suspeita de fraude em licitação, com o consequente recebimento de vantagens indevidas por parte da empresa P. N. AGUIAR E MAIA REPRESENTAÇÕES.

Um terceiro inquérito apura ainda a possível ocorrência de peculato e lavagem de dinheiro, tendo em vista possível desvio de recursos da Aleac por meio de contrato com a empresa MAIA & PIMENTEL, que estaria devolvendo parte dos pagamentos a servidores públicos.

As possíveis denúncias contra os investigados serão apresentadas após se esgotarem as investigações e análises das provas encontradas, sem excluir-se a possibilidade de novas diligências para a instrução dos casos, informou o MPF/AC.

A operação é fruto de meses de investigação, que teve início quando membros de uma esquema criminoso, que agiam fraudando licitações de publicidade da casa legislativa no estado do Acre, buscaram aliciar servidores públicos para que impedissem a atuação dos órgãos fiscalizadores. Com o aprofundar das investigações, verificou-se que tais membros da organização criminosa também praticavam diversos outros crimes dentro da Assembleia Legislativa, como “rachadinhas”, contratação de “funcionários fantasmas, concessões indevidas de passagens aéreas, entre vários outros.

Continuar lendo

Destaque 6

Governo alinha com empresários retomada econômica no Acre

Publicado

em

Passado o momento de pico da pandemia do novo coronavírus no Estado, o governador Gladson Cameli tem buscado agora meios que favoreçam a retomada estabilidade econômica após a crise sanitária que atingiu drasticamente o comércio. Nessa quarta-feira, 21, ele se reuniu com o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Acre (Fecomércio), Leandro Domingos, e o superintendente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Acre (Sebrae-AC), Marcos Lameira, para trocar de ideias sobre a retomada econômica do Acre.

Para Cameli, o Acre vive um momento de superação e reconheceu as instituições que realizaram diversas ações sociais, além do apoio ao empresariado local, no auge da pandemia. “O nosso desafio é a geração de emprego e renda. E contar com o apoio dessas instituições é fundamental nesse momento. Principalmente por estarem lado a lado com o governo, em ações conjuntas, visando o benefício da nossa população”, afirma.

Leandro Domingos reforçou que o Estado vive um momento em que o comércio necessita de uma atenção especial para se recuperar do longo período de baixa causada pela pandemia. “Nossas instituições foram parceiras do governo, inclusive com ações sociais nesse período junto aos mais humildes, aqueles que mais precisavam no momento. Porque o objetivo do Estado é o nosso objetivo, o crescimento da população. E agora precisamos discutir ideias para a retomada desse que é um dos principais setores econômicos do Acre”, disse o presidente da Fecomércio.

Continuar lendo

Destaque 6

Onda de calor eleva preço de frutas e hortaliças, diz governo

Publicado

em

As altas temperaturas registradas no país têm impactado nos preços de frutas e hortaliças vendidas nas Centrais de Abastecimentos (Ceasas). O forte calor acelera a maturação de alguns produtos, e com isso, o produtor tem que antecipar a colheita, afetando a oferta e os valores de comercialização, como mostra o boletim divulgado, nesta quarta-feira (21), pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Entre os produtos que sofreram a influência do calor está o tomate. O produto apresentou alta nas cotações em praticamente todas as centrais analisadas pela Conab, sendo a maior variação em Brasília, de 32,5%. Apenas na Ceasa do Rio de Janeiro a hortaliça ficou mais barata. Com a maturação precoce, houve muita oferta do tomate nos primeiros dias de setembro, quando o preço baixou, porém a oferta diminuiu no restante do mês, o que trouxe um efeito de elevação de preços na média final. No entanto, pelo acompanhamento dos preços diários, é possível notar uma tendência de queda a partir da segunda quinzena deste mês.

No caso da melancia, as altas temperaturas intensificaram a entrada da fruta no mercado. Com a elevação da oferta, principalmente da região de Uruana (GO), os preços no acatado ficaram mais baixos, estimulando a procura. O volume da melancia negociado em nove centrais de abastecimento chegou a ser 60% superior ao registrado em agosto deste ano. Na primeira quinzena de outubro, os preços apresentaram estabilidade em boa parte do país.

Outro produto é o mamão, que ficou mais barato no mercado atacadista devido ao amadurecimento acelerado. Neste mês, há tendência de estabilização do preço. As condições climáticas também influenciaram na maior demanda pela laranja que, aliada a uma menor oferta da fruta, apresentou alta de preços nas Ceasas pesquisadas.

A cenoura ficou mais cara em todos os mercados atacadistas analisados em setembro. Entanto, para outubro, há previsão de “uma estabilidade nos preços dentro do mês, porém na comparação com a média de setembro, o preço vem declinando”.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas