Conecte-se agora

Servidoras terceirizadas acusam Núcleo de Educação de Xapuri de sofrer interferência de políticos

Publicado

em

Um grupo de servidoras terceirizadas que presta serviços à Secretaria de Estado de Educação procurou a Promotoria de Justiça de Xapuri na manhã desta quinta-feira, 5, para denunciar uma suposta interferência ilegal de políticos locais no Núcleo de Educação no município.

A ingerência seria relacionada à troca de servidores que prestam serviços ao Estado há vários anos, por meio de terceirização, por novatos ligados ou simpatizantes de determinado grupo político. Tais manobras estariam ocorrendo não apenas na Educação, mas em outros órgãos sob influência de políticos que as denunciantes preferem não apontar publicamente por medo de represálias.

Uma das servidoras, Eliana Pinheiro da Silva, que trabalhava escola Divina Providência há 9 anos, explica que depois de a cooperativa para a qual trabalhava ter falido, ela e seus colegas foram chamados de volta ao trabalho, tiveram toda a documentação recolhida e fizeram exame de admissão para serem recontratados por uma empresa terceirizada – a TecServe.

A trabalhadora diz que depois de voltar ao trabalho e fazer uma faxina completa na escola, os servidores foram informados pela empresa de que o contrato seria de apenas um mês, prazo que se encerra nesta sexta-feira, 6, segundo ela.

De acordo com Eliana, a empresa recebeu uma lista com novos nomes a serem contratados. Ela e outros servidores asseguram que existe manipulação de políticos sobre as decisões relacionadas a quem sai e a quem fica nos setores do governo no município e querem que o MP investigue o caso.

“Nós sabemos o que se passa em Xapuri, aliás todo mundo sabe, mas ninguém diz nada. A gente fica de mãos atadas por ter conhecimento do que está acontecendo, mas não ter como provar concretamente. Por isso, queremos que o Ministério Público tenha conhecimento”, disse.

Na Promotoria de Justiça de Xapuri, o grupo diz que foi informado de que o assunto não é da alçada do Ministério Público, mas da Justiça do Trabalho. Inconformadas, as servidoras disseram à reportagem que buscariam, por meio da Ouvidoria do MP, ser recebidas pelo promotor da cidade para explicar a situação.

Contatada pelo ac24horas, a coordenadora do Núcleo de Educação de Xapuri, Edna Barbosa, disse que “a representação da Secretaria de Educação no município não tem qualquer interferência sobre a dispensa ou contratação de servidores terceirizados, sendo essa uma responsabilidade exclusiva da empresa licitada pelo governo”.

Magno de Souza, gerente de pessoas da empresa TECSERVE, disse que firma contratou os servidores pelo prazo de 30 dias para atender as necessidades da Secretaria de Educação. Segundo ele, não houve nenhuma indicação de políticos para a empresa contratar funcionários.

“A TECSERV tem autonomia própria de escolher quem trabalha para ela”, asseverou.

Anúncios

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Mais lidas