Conecte-se agora

Conselheiro de Gladson, Bestene se esforça para manter família longe de supostos escândalos

Publicado

em

Após alerta do TCE, Ageac diz não ter interesse em contratar serviços com preços superiores aos praticados no mercado

Começa nesta segunda-feira, 2, o prazo para que a presidente da Agência Reguladora dos Serviços Públicos do Estado do Acre, Mayara Cristine Bandeira de Lima, esclareça ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) o registro de preços e contrato firmado com a empresa C. Com Informática, no valor de R$ 546 mil. Existe suspeita de sobrepreço que, se confirmada, pode se transformar no primeiro escândalo envolvendo recursos financeiros na gestão do atual governo.

Mayara Cristine é nora do deputado estadual José Bestene (Progressistas) – homem forte do governo – que frequenta a cozinha do Palácio Rio Branco. No primeiro ano de gestão de Gladson Cameli, a nora e um genro de Bestene protagonizaram crises institucionais. A primeira delas, relacionada à nomeação aos “trancos e barrancos” de Mayara para a Agência Reguladora, depois de rejeitada pelos deputados da base governista por vícios no ato enviado à Assembleia Legislativa do Acre.

O genro do deputado, Cristiano Silva Ferreira, ganhador de uma ata de registro de preços, também levantou suspeitas no governo na compra de valor global de R$ 11,7 milhões pela aquisição de 2 mil computadores, no valor de R$ 5.865 cada um, pela Secretaria de Estado de Educação. A secretaria aderiu à ata elaborada mediante licitação promovida pela Secretaria de Fazenda do Estado do Amazonas.

No dia 4 de junho o nome da advogada ocupou a primeira página da imprensa oficial. Era o fim da crise? Nesse período, Bestene chegou a subir na tribuna e criticar fortemente o governador que ajudou a eleger. Em setembro do ano passado, após a derrota histórica do Palácio no caso da Lei de Diretrizes Orçamentária, o progressista chegou a bater na mesa e afirmar que estava rompido com o governo. As polêmicas ganharam holofotes.

O humor do Zeca, como é chamado carinhosamente entre amigos, foi mudando de acordo com nomeações que passaram a rechear o Diário Oficial. Além da nora, Bestene conseguiu emplacar na Fundação Hospitalar do Acre o genro, Moisés Marcelo de Lima, ampliando sua participação na estrutura governamental. Ela já tinha cargos na Saúde e Educação. Bestene nega que tenha muitos cargos.

De moral conservadora e de rigidez baseada na experiência da vida pública, Bestene tem a língua afiada. Ele foi secretário de estado de Saúde no governo Orleir Cameli, tio do atual governador. Ações emergenciais na época, como a compra de equipamentos da Holanda e a revitalização do Pronto Socorro de Rio Branco, marcaram a gestão do atual deputado como um dos melhores secretários que já passou pela pasta.

A notificação do TCE pedindo explicações da nora, Mayara, manifestou indignação do deputado, que chamou profissionais da imprensa de “vagabundos de plantão”. O parlamentar voltou atrás após a repercussão das declarações feitas via rede social. Ele se esforça para afastar o nome da família das suspeitas de corrupção no governo.

Em nota, a Ageac, administrada por Mayara, nega ter sido notificada pelo TCE pela “carona” de uma ata do IEPETEC, mas, confirma que a notificação ocorreu em função do item 18, referente a equipamentos de sonorização e/ou iluminação para eventos de pequeno, médio e grande porte. Com a existência de duas atas de licitação vigentes e com preços menores, segundo a notificação, “ocorreu sobrepreço”.

Anúncios

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Mais lidas