Conecte-se agora

Petecão diz que não terá candidato a prefeito

Publicado

em

Em decisão unânime da executiva regional do PSD, em reunião com a presença do senador Sérgio Petecão (PSD), ficou decidido ontem que o partido não terá candidato próprio a prefeito de Rio Branco, e nem apoiará qualquer nome de outro partido na disputa da PMRB, na eleição deste ano. A confirmação foi feita ontem pelo senador Petecão (PSD) ao BLOG DO CRICA. Petecão disse que vai acatar o que foi decidido pelos dirigentes partidários, por achar coerente. Explicou como justificativa que, foi o mais votado na última eleição com votos de todas as correntes aliadas que terão candidatos a prefeito da capital, e por isso não seria justo colocar no colo uma candidatura de um aliado e relegando a um plano inferior os demais que com ele estiveram na campanha do Senado. “Vamos trabalhar para ter uma chapa forte de candidatos a vereador na capital. E para a PMRB o PSD, oficialmente, ficará neutro”, explicou. Para Petecão, a prioridade é a eleição de 2022, em que já está decidido que se o governador Gladson Cameli não disputar a reeleição, ele será candidato a governador de maneira irreversível.  “Na campanha para a PMRB vou apenas votar e nada mais”, enfatizou ao BLOG.

COMENDO QUIETO

O PSDB trabalha nos bastidores para montar uma aliança que possa sustentar a candidatura do deputado Luiz Gonzaga (PSDB) à prefeitura de Cruzeiro do Sul. Uma fonte do BLOG revelou ontem que, um dos procurados para coligação foi o presidente do PROS, Francisco Deda. O PSDB decidiu investir na candidatura, depois em que Gonzaga apareceu bem numa pesquisa.

TRABALHO DE MESES

A coluna chegou a registrar no fim do ano passado a estranheza com o fato do deputado Luiz Gonzaga (PSDB) estar todo final de semana visitando comunidades ribeirinhas do Juruá promovendo eventos, não comum na sua atuação, alertando que poderia ser um passo a uma candidatura a prefeito. Na ocasião, Luiz Gonzaga, riu e desconversou. O BLOG estava certo.

SERÁ PERDA DE TEMPO

Acompanho algumas movimentações políticas apostando que o prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro (PROGRESSISTAS), poderá desistir de disputar a reeleição. Tenho fontes que garantem que estão apostando errado. Será candidato por nada impedir e disputará no poder.

TUDO EM FAMÍLIA

O nome cotado para ser o vice na chapa do Fagner Sales (MDB) a prefeito de Cruzeiro do Sul é o advogado João Tota Filho, o que deixaria tudo em família. João é cunhado da mãe da mulher do Fagner. Só que neste caso terá de deixar o PSD, que terá candidato próprio para prefeito.

FESTA DO PSD

O senador Sérgio Petecão (PSD) prepara uma grande festa para o anúncio da candidatura do ex-deputado federal Henrique Afonso (PSD) para a prefeitura de Cruzeiro do Sul. Henrique sempre foi muito bem votado no município, quando disputou a prefeitura cruzeirense.

QUADRO REVIRADO

O quadro da disputa da prefeitura de Cruzeiro do Sul estará nesta eleição completamente revirado, com a possibilidade concreta de se ter muitos nomes concorrendo para prefeito. A saber: Ilderlei Cordeiro (PROGRESSISTAS), Marcelo Siqueira (PT), Fagner Sales (MDB), Henrique Afonso (PSD) e Luiz Gonzaga (PSDB). A pulverização favorece o Ilderlei, por disputar no poder.

 APENAS UMA APOSTA

Tivesse que apostar qual será a decisão do governador Gladson Cameli no primeiro turno da eleição municipal, cravaria que não apoiará nenhum nome e que se resguardará para se posicionar no segundo turno. Como o Cameli é impulsivo, deixo no campo da especulação.

SEM ESPAÇO DE ALIANÇAS

A decisão fechada da cúpula do PSD de que o partido não apoiará nenhum candidato a prefeito de Rio Branco nesta eleição, não foi uma boa notícia para o MDB, que contava ter Marfisa Galvão (PSD) como vice de Roberto Duarte (MDB). Isso deixa o partido isolado.

NOME CONSERVADOR

O PSL apresenta nesta segunda-feira às 8 horas, no seu diretório, na HABITASA, o pecuarista Fernando Zamora (PSL) como o nome que poderá disputar a prefeitura da capital. Zamora tem o perfil buscado pelo PSL, um liberal, conservador e afinado com as idéias do Bolsonaro.

ALIANÇA EM CURSO

Há todo um trabalho para que o PSL caminhe com o PL da ex-deputada federal Antônia Lúcia (PL), numa coligação na disputa da prefeitura de Rio Branco. Seria uma guinada, já que a princípio a aposta era que o PL se coligaria com o MDB, cujos dirigentes discutiram a hipótese.

RESGUARDADA PARA 2022

O senador Petecão (PSD) disse ontem ao BLOG DO CRICA que, o partido não disputando e nem apoiando ninguém para prefeito da capital, é também uma forma de preservar o nome da esposa Marfisa Galvão (PSD) para disputar em 2022 uma vaga de deputada federal.

PT ENGESSADO

O presidente do PT, Cesário Braga, não está sendo açodado quando pede que a prefeita Socorro Neri antecipe o mais rápido possível a sua decisão se vai querer ou não uma aliança com o PT na eleição deste ano. É que, enquanto isso não ocorrer, o PT ficará engessado.

“NÃO VOU APOIAR NINGUÉM”

A frase acima é do deputado Josa da Farmácia (PODEMOS), acerca de qual será a sua posição política na eleição para a prefeitura de Cruzeiro do Sul. É taxativo ao dizer que até aqui não viu um nome que mereça ser apoiado por ele. Josa tem uma base eleitoral forte no município.

NÃO ESPEREM UM RAPA

Pelo menos oito dos atuais vereadores da capital tem boa chance de retornar ao mandato, nem tanto pelo que produziram no plenário da Câmara Municipal de Rio Branco, mas por estarem ancorados em fortes estruturas partidárias, financeiras, e terem redutos setorizados.

DE UMA VEZ POR TODAS

Com o retorno do governador Gladson Cameli neste domingo, os dirigentes do PROGRESSISTAS esperam que seja decidido de uma vez por todas se o partido terá ou não, um candidato próprio para a prefeitura de Rio Branco. A indefinição virou uma novela chata.

PARA NENHUM DOS DOIS

Esta indefinição não é boa nem para o governador Gladson e nem para os dirigentes do seu partido, o PROGRESSISTAS, porque deixa a sigla imobilizada, já que depende da sua palavra.

PORTO SEGURO

Um porto seguro no governo Gladson Cameli é o chefe do gabinete civil, Ribamar Trindade, porque não é um burocrata e decide o que chega às suas mãos, com celeridade. Se bem que, antes passa pelo crivo do governador. Por não sair da lei, chegou a ganhar alguns adversários.

UM DADO A SE CONSIDERAR

O governo já pagou mais 600 milhões de reais de dívidas do governo passado no primeiro ano de gestão, um dado que deve se considerar quando se analisa o governo do Gladson. Vai manusear este ano o orçamento próprio, em 2019 trabalhou com o orçamento do PT.

NÃO PODIA ESPERAR

A polícia entrou com tudo em Manuel Urbano fazendo um arrastão contra o crime organizado, que estava agindo livremente e aterrorizando os moradores do município. Não podia esperar.

OUTRO NO AGUARDO

Outro partido no compasso de espera para se mexer, é o PCdoB, que aguarda uma conversa franca com a prefeita Socorro Neri. Pelas manifestações do deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB), há uma simpatia para o partido caminhar junto com a prefeita numa coligação.

VAI PARA O PSD

O destino do ex-deputado Ney Amorim deverá ser o PSD. Tudo caminha neste sentido.

POUCAS PEDRAS

O ex-senador Jorge Viana (PT) terá que se contentar nesta eleição municipal com poucas pedras no tabuleiro para fazer o jogo político. Pela primeira vez depois de 20 anos vai ter que se ater a tentar uma aglutinação de forças, fora do poder, e o PT massacrado nas urnas.

REJEIÇÃO FORTE

O desastre eleitoral do PT na última eleição ainda é muito forte na cabeça do eleitor, uma recuperação política no contexto em que ficou o partido, na capital, não ocorre do dia para a noite. Este é sem dúvida o maior adversário dos petistas nesta eleição municipal.

REFORÇA O BOLSONARO

Estava lendo ontem uma matéria interessante sobre o carnaval, em que o autor comentava que o fato de escolas de samba ridicularizar e banalizar a figura de Jesus, só aumentou o nicho evangélico que apóia o presidente Bolsonaro. Porque, estas ações foram vinculadas ao PT.

MUITO VIOLENTO

A polícia não dá trégua, mas o Acre, notadamente a capital, continua muito violento. Foram registradas 69 mortes durante os meses de janeiro e fevereiro, por ações do crime organizado.

ERRO DE ESTRATÉGIA

O MDB errou de estratégia na condução da candidatura do deputado Roberto Duarte (MDB) a prefeito da capital, ao incentivar a pancadaria conduzida pelo deputado contra o governador Gladson, achando que pelas agressões emparedaria o governo e o obrigaria a uma aliança.

FRASE MARCANTE

“O Brasil não é um país sério”. Charles de Gaulle, famoso estadista francês.

Anúncios

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas