Conecte-se agora

Ex-gerente do Depasa em Xapuri é acusado de perseguir servidores

Publicado

em

O ex-gerente do escritório do Depasa em Xapuri, Marcos Antônio da Silva Mansour, afastado da função depois de ser preso em flagrante, no dia 12 de janeiro deste ano, por espancar a própria esposa na saída de uma igreja evangélica da cidade, está sendo denunciado por perseguir funcionários públicos estaduais e promover um tumulto no escritório do Idaf no município.

Segundo as informações apuradas, Marcos Mansour, como é mais conhecido na cidade, se comporta como se fosse uma espécie de fiscal do que se passa nos órgãos públicos do município. Adentra os setores ameaçando cortar ponto de uns e esbravejando contra outros que ele considera que não estão trabalhando conforme ele crê que seja o correto, constrangendo e ameaçando a quem encontra pela frente.

Isso foi o que aconteceu na última quinta-feira, 27, quando Mansour provocou tumulto no escritório local do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Acre (Idaf). Para começar, ele chegou ao órgão com um som automotivo em um nível de decibéis que perturbou o atendimento ao público. Em seguida, saiu abrindo portas e cobrando os servidores pela presença do funcionário Raimari Cardoso que, segundo ele, não estaria comparecendo ao trabalho.

Informado de que o funcionário havia saído para tratar de assuntos do interesse do órgão, Marcos reagiu aos berros dentro da repartição pública, diante de vários produtores rurais que aguardavam atendimento, afirmando que Raimari Cardoso estava sendo acobertado no setor, pois “recebia mais de R$ 10 mil para não trabalhar”. Depois disso, deixou o local e passou a enviar mensagens de whatsapp ao servidor acusando-o de “fugir do trabalho” e xingando-o de “parasita e sanguessuga”.

Raimari Cardoso, que é servidor público estadual há 26 anos, 14 dos quais no cargo de Gestor de Políticas Públicas, além de ser jornalista profissional, diz que ao retornar ao setor de trabalho encontrou os colegas nervosos com a situação e alguns produtores demonstrando indignação com as cenas que presenciaram. De acordo com ele, o comportamento “descontrolado” de Marcos Mansour ocorre em razão de sua atuação no jornalismo, o que desagrada ao grupo ao qual ele pertence.

Cardoso diz que tem mais de 30 anos de atuação no Sistema Público de Comunicação do Acre, sem jamais ter tido um ponto cortado ou respondido a qualquer procedimento administrativo, mas que foi removido da Secretaria de Estado de Comunicação no último dia 27 de janeiro.

Tendo migrado para o Idaf, ele diz que começou a receber as mesmas pressões e perseguições por continuar atuando, fora de seu horário de trabalho, em um blog particular, nas redes sociais e em sites de notícia tratando dos acontecimentos locais como tem feito durante quase toda a sua vida.

“Em Xapuri, todos sabem de onde partiu minha retirada do quadro da Secom. É fato notório na cidade a insatisfação de um certo grupo político com a pauta que sempre levantei no serviço público de rádio. Tiraram-me de lá e não colocaram sequer um substituto, ficando um vazio e uma ruptura do acesso da comunidade à informação de interesse público. Agora, a mesma perseguição vai em busca de mim no novo setor de trabalho”, denuncia.

A respeito dos fatos ocorridos na última quinta-feira, o servidor estadual diz que registrou boletim de ocorrência na delegacia de polícia por importunação e ajuizou ação de recomposição de danos morais por calúnia e difamação no Juizado Especial Cível da Comarca de Xapuri. Depois de ter feito os registros, Raimari Cardoso afirma que continuou a receber áudios e imagens provocativos enviados por Marcos Mansour. O material será anexado aos processos tanto na esfera cível quanto na criminal.

Um fato que chama a atenção é que ao mesmo tempo em que persegue servidores públicos sob a acusação de que eles recebem sem trabalhar, Marcos Mansour consta na folha de pagamento do mês de janeiro com vencimentos normais mesmo tendo sido substituído após o evento de sua prisão no dia 12 de janeiro. Consultada sobre a situação do ex-gerente, uma fonte do Depasa informou que ele estaria “sem função”, mas recebendo normalmente – sem trabalhar.

No Portal da Transparência do Governo do Estado ele aparece normalmente na folha de janeiro, sendo que o mês de fevereiro ainda não foi disponibilizado para consulta. A mesma fonte citada no parágrafo anterior informa que há a previsão de que ele seja reconduzido à gerência do Depasa em Xapuri a partir da próxima segunda-feira, 2.

Anúncios

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Mais lidas