Conecte-se agora

Membro de facção reverenciado com tiros em enterro teria participado da morte de tenente

Publicado

em

Imagens do enterro de Adriel da Silva, de 20 anos, morto durante um confronto com o Batalhão de Operações Especiais (Bope) na noite da última segunda-feira, 10, viralizaram na web devido a uma salva de tiros e fogos de artifícios. O fato aconteceu no cemitério Jardim da Saudade, parte alta de Rio Branco. O que poucos sabiam, até então, é que Adriel era um dos investigados pela segurança pública do Estado por participação na morte do subtenente aposentado da Polícia Militar do Acre, Amarildo Caneiro Costa, de 56 anos. A informação foi confirmada pelo secretário de segurança pública e pelo comandante-geral da PM ao ac24horas.

“É um dos suspeitos que estavam sendo investigados”, disse o coronel Paulo César sobre Adriel. Segundo o secretário de segurança, houve, sim, uma operação policial voltada à elucidação e localização dos acusados de tentarem assaltar o subtenente. O comandante da PM, coronel Ulysses Araújo, também confirmou que Adriel era um dos suspeitos de ter participação no assassinato. “Houve uma denúncia anônima de que naquele local onde ocorreu o confronto havia criminosos de facção se preparando para saírem à rua para cometer delitos de roubos e homicídios”, informa Ulysses. Foi então que a polícia recebeu a informação de que um dos que estavam lá também teve participação na morte do subtenente.

Leia mais: Confronto entre BOPE e membros de facção deixa um morto e outro ferido, no Rosa Linda

Leia também: Faccionados atiram para o alto em enterro de membro do CV

“A guarnição foi ao local no intuito de capturar, todavia eles estavam armados e investiram contra a vida dos policiais de serviço, razão pela qual, um deles foi baleado e veio a óbito e outro foi baleado e está fora de risco”, afirma o comandante-geral da PM. O coronel destaca que há diversas viaturas policiais em operação para captura dos presos fugitivos das fugas ocorridas anteriormente e que os suspeitos de terem tirado a vida do militar seriam parte de um grupo fugitivo. “O outro suspeito de ter participado da morte do tenente é um dos fugitivos ainda não capturado”, explica Ulysses.

Adriel da Silva e outras pessoas estavam numa casa situada no bairro Rosa Linda quando foram surpreendidos por uma guarnição do Bope. Os suspeitos teriam reagido com tiros. Além de um morto e um ferido, duas mulheres foram presas com armas de fogo.

Para entender

O militar foi abordado por dois homens em uma motocicleta quando chegava em casa, no bairro Xavier Maia, em Rio Branco, no início deste mês de fevereiro, quando sofreu uma tentativa de assalto. Os criminosos estavam numa motocicleta e atiraram duas vezes contra o tenente, que foi socorrido para o pronto-socorro onde passou por cirurgia. O oficial da PM Amarildo Carneiro não reinsistiu e morreu na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da unidade de saúde.

Nas redes sociais familiares pediram doação de sangue ao militar devido à gravidade do caso. Amarildo havia perdido um rim e teve outros órgãos afetados pelo projétil que atingiu o seu abdômen.

Anúncios

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Mais lidas