Conecte-se agora

Após casos de agressão, servidores da UPA da Sobral realizam manifestação

Publicado

em

Os servidores da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), da Baixada da Sobral, realizaram uma paralisação, na tarde desta quinta-feira (13) para pedir mais segurança no local de trabalho.

A manifestação que deveria pedir mais segurança, acabou ganhando ares de “ditadura”, segundo relato do médico Vitor Milhomem,  ao ac24horas.

Segundo o médico, no momento em que os funcionários iriam realizar o protesto, de forma pacífica, o médico decidiu comunicar a gerente da UPA, Michela Mônica.

“Ela me chamou e disse que se a manifestação acontecesse iria ocorrer retaliação. E quem participasse dessa manifestação iria se dar mal’, palavras dela (Michela Mônica) e depois ela me expulsou da sala dela e dizendo que eu tinha problemas. Logo depois, ela passou nos setores dos técnicos e enfermeiros, principalmente, naqueles que tinham contratos provisórios dizendo que poderiam participar, mas poderiam haver problemas depois. Aí muitos enfermeiros e técnicos decidiram não participar com medo. Foi uma coisa bem opressiva, eu nunca tinha visto isso, parecia coisa de ditadura”, disse o médico.

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas