fbpx
Conecte-se agora

Rosana diz que Gladson é mais perseguidor do que o PT

Publicado

em

FOTO: ARQUIVO - REDE SOCIAL

A relação entre o maior sindicato do Acre e o governo do estado virou faixa de Gaza.

O nível de insatisfação pode ser medido por uma publicação da presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac), Rosana Nascimento, nas redes sociais direcionada ao governador Gladson Cameli.

Rosana diz que os servidores da educação têm o direito de se manifestar, fazer movimento e cobrar reposição inflacionária e condições de trabalho.

Afirma ainda que foram 20 anos para que a educação se revoltasse com os governos petistas, mas que em um ano a atual gestão provocou uma insatisfação geral da categoria.

Além de dizer que Gladson Cameli é mais perseguidor do que os governos anteriores, Rosana acusa o governador de imaturidade e viver fugindo das negociações para não ter que resolver a situação da educação. “Seu governo e o mais perseguidor que o anterior, seu governo tem sido mais cruel com a Educação do que qualquer governo. Vossa Excelência trate as coisas com maturidade, sente para negociar, ficar fugindo não vai resolver a situação da categoria”, diz Rosana.

Do outro lado, até agora o governo deu calado como resposta à publicação de Rosana Nascimento. O que se sabe nos bastidores é que o governo aposta e incentiva o desgaste da atual presidente do Sinteac junto à categoria.

O entendimento é de que os professores por não terem atendido a convocação do sindicato para não iniciar o ano letivo, somados a não eleição de Rosana Nascimento para o cargo de deputado federal, mesmo tendo quase 6 mil votos, aliada a perda do comando da Central Única dos Trabalhadores, onde a sindicalista também era presidente são indícios de que há um desgaste com a categoria e o poder de mobilização de Rosana já não é mais o mesmo.

Com o atual nível de tensão entre Sinteac e governo, com certeza, essa é uma novela que terá novos capítulos em breve.

Propaganda

Acre

Brasil avalia construção de hidrelétrica binacional com a Bolívia

Publicado

em

FOTO: INTERNET

O Brasil estuda construir uma usina hidrelétrica binacional com a Bolívia. O projeto seria no Rio Mamoré, acima do município de Guajará-Mirim (RO), contando com experiência e investimentos de Itaipu.

A possibilidade foi comentada na última sexta-feira (14) pelo diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, durante solenidade de comemoração da geração recorde de 2,7 bilhões de megaWatts/hora (MW/h) produzidos desde o início de sua operação, em 1984.

O Ministério estimou em cerca de US$ 5 bilhões o valor de construção da usina binacional com a Bolívia, tomando-se em conta o valor das grandes usinas recentes.

Continuar lendo

Acre

PSDB indica Pelé Campos como pré-candidato a prefeito de Feijó

Publicado

em

O lançamento da pré-candidatura do escolhido pelo PSDB para disputar a prefeitura do município de Feijó ocorreu neste sábado, 15, na Câmara Municipal. Pelé Campos foi apresentado como pré-candidato com apoio de importantes figuras do ninho tucano, coo o vice-governador do Acre, Major Rocha e a deputada federal Mara Rocha.

Pelé irá disputar a vaga também com o atual prefeito de Feijó nas eleições de 2020. Na mesma ocasião, também ocorreu o ato de filiação do PSDB em Feijó. Participaram do ato políticos como o deputado estadual Cadmiel Bomfim, o presidente do MDB, Abner Tavares e o presidente do PSDB, Luciano Machado.

Pelé Campos foi apontado como “aquilo que o município precisa para se desenvolver”. Para os dirigentes do partido, ele é uma figura qualificada, entendedor de Gestão Pública.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required
Propaganda
Propaganda

Mais lidas