fbpx
Conecte-se agora

Comitiva acreana é recebida com festa por empresários e políticos peruanos

Publicado

em

FOTO: SÉRGIO VALE

Não é só o empresariado acreano que sonha com a ligação definitiva do canal aéreo e terrestre entre Acre e Peru na região do Vale do Juruá. Na abertura do Encontro Empresarial Ucayali-Acre 2020 que aconteceu na capital do Departamento de Ucayali nesta segunda-feira, 10, dezenas de prefeitos, governadores e empresários peruanos também manifestaram o desejo de recomeçar a luta pela integração política/econômica entre os dois países através de Cruzeiro do Sul e Pucallpa. A comitiva brasileira foi recebida com festa no país vizinho. O objetivo é único: desenvolvimento.

A reunião que abriu o evento é considerada um marco histórico no cenário industrial, comercial e produtivo do Acre. Há mais de 40 anos, era comum a realização do comércio de mercadorias entre ambas as regiões. Porém, a prática perdeu-se com o passar dos anos. E é justamente isso que o atual movimento empresarial pretende recuperar para voltar a criar os laços históricos entre os dois estados de peculiaridades diferentes, mas próximos (Acre e Ucayali).

Os peruanos lamentaram as inúmeras barreiras e limitações que fizeram o contato entre os dois países (Brasil e Peru) se perder com o passar das décadas. A frase “precisamos nos integrar para nos desenvolvermos” foi tomada como um mantra entre os participantes da missão. “O importante é que agora, em 2020, as autoridades têm uma firme condição de consolidar esse processo de integração”, declarou o governador de Ucayali, Francisco Pezo.

Pezo afirmou que a capital, Pucallpa, “está preparada para ser o centro logístico do Peru, logo, oferecer facilidades necessária para promover a intercessão e o apoio necessário para o crescimento e ligação dos comércios com o Acre”. Desta vez, eles afiram que a integração é autêntica para com a importação e exportação dos potenciais industriais, agrícolas, pecuários e madeireiros.

São menos de oito mil quilômetros que [ainda] separam o Peru do Vale do Juruá. Para reverter a situação, uma série de encontros e compromissos está sendo assumida pelos representantes dos estados do Acre e Ucayali. A ideia é também inserir as cidades próximas a Cruzeiro do Sul no projeto de integração, como Mâncio Lima, Rodrigues Alves e Marechal Thaumaturgo.

O prefeito de Cruzeiro, Ilderlei Cordeiro, enfatizou que a intenção é trazer progresso para a população. “Essa é a vontade dos cruzeirenses, acabar com as burocracias do lado brasileiro para que o desenvolvimento possa acontecer nos dois países”, explicou Ilderlei, que participou da primeira comissão que buscou essa integração ainda no ano de 2003. “É uma intenção de negócios. Já vínhamos sonhando com o desenvolvimento desses dois países e nunca é tarde pra concretizar. Falta pouco”, assegurou.

O presidente da Federação das Indústrias do Acre (Fieac), José Adriano, agradeceu a participação massiva dos empresários acreanos no encontro. “Estamos ao lado de pessoas que acreditam nessa integração. Dessa vez estamos recebendo apoio das pessoas certas, como nosso vice-governador Major Rocha. O parabenizo pela forma que tem conduzido este processo”.

FOTO: SÉRGIO VALE

Adriano ressaltou que muita coisa mudou em quase 20 anos no Acre, desde a primeira tentativa de integrar Pucallpa a Cruzeiro do Sul. Uma delas foi a gestão desse projeto. “A tecnologia também é outra e a presença empresarial agora é muito maior. E só se desenvolve se houver empresário na frente dessa missão”.

O presidente ainda destacou o fato de só se pensar ligação entre Acre e Peru via BR-317, rumo a Estrada do Pacífico. “O estado também se desenvolve pelos municípios. Somos nós, empresários, que geramos empregos, nós que temos que vir conversar com os vizinhos peruanos e estudar como ligar os dois estados (Acre e Ucayali), tanto por Assis Brasil, como por Cruzeiro do Sul”.

O obstáculo da incredulidade do empresariado, tanto acreano como peruano, vem sendo vencido, comemoram os participantes. A Associação do Comércio de Uyacali lembrou que Ucayali é a porta de ingresso da Amazônia peruana, portanto, um espaço importante para relação política com o Acre.

FOTO: SÉRGIO VALE

O vice-governador Major Rocha destacou o fortalecimento da parceria que o governo vem tendo com a Fieac. “Aos poucos estamos transformando o sonho em realidade. Precisamos criar uma ponte e este é um trabalho diferenciado. Nunca tivemos uma participação tão efetiva de empresários nessa missão”.

Para Rocha, a participação da classe produtiva acreana é essencial pra materializar esse sonho. “Entraves têm de ser retirados para estabelecer uma rota aérea e terrestre para transporte de passageiros e cargas. Esses entraves burocráticos distanciam o Acre de Ucayali, mas o governador Gladson Cameli tem apoiado esse processo de integração”, disse. Até esta terça-feira, 11, uma série de atividades e novas reuniões serão mantidas a fim de dar mais um passo no processo que busca ligar os dois estados (do Acre e Peru) para desenvolver juntos a economia e indústria amazônica.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Propaganda

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Mais lidas