fbpx
Conecte-se agora

Governo reconhece merendeira como educadora alimentar

Publicado

em

O Governo do Acre mudou a denominação das profissionais que trabalham com a merenda escolar na rede pública de ensino. São agora educadoras alimentares.

“As mais de 400 merendeiras das escolas públicas estaduais do Acre agora são reconhecidas como educadoras alimentares”, diz o Governo do Estado em publicidade oficial sobre curso de capacitação para aprimorar o conhecimento que já possuem, “com o objetivo de levar aos estudantes uma comida ainda mais gostosa”.

O Governo promete investir cerca de R$ 100 milhões na alimentação escolar este ano. Parte dos investimentos custearão o aumento do número de refeições. Este ano serão servidas duas rodadas de merenda por turno.

Propaganda

Destaque 6

Em pleno período de chuvas, Acre registra 16 focos de queimadas

Publicado

em

Além do crescimento do desmate em janeiro, o Acre vive uma situação de degradação ambiental com o aumento no número de focos de queimadas –isso em pleno inverno amazônico.

Segundo o relatório diário do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) entre 1º de janeiro e 15 de fevereiro deste ano o Acre acumula 16 focos de calor, número que não vê há muitos. Para se ter exemplo, o maior quantitativo de pontos de queimadas detectado pelos satélites do Inpe nos últimos cinco anos (1º jan-15 fev) foi em 2016 quando o Estado apresentou 14 focos.

Para se ter uma ideia, a diferença em relação ao mesmo período do ano passado é de 700%, já que entre 1º de janeiro e 15 de fevereiro de 2019 ocorreram apenas 2 focos de queimadas no Estado do Acre. Os focos de 2020 só perdem para igual período de 2005 (20).

Veja o quadro do Inpe:

Continuar lendo

Destaque 6

Desemprego cresceu 0,8% no Acre

Publicado

em

Além da explosão na informalidade no último ano, a taxa de desocupação do Acre no 4º trimestre de 2019 foi de 13,6% a quinta maior do Brasil), aumentando 0,8% em relação ao trimestre de julho-setembro, quando o desemprego estava em 12,8% da população em condições de trabalhar.

Na comparação com o mesmo trimestre de 2018 (13,1%), houve aumento de 0,5%. Os dados foram trabalhados pela equipe técnica do Observatório do Fórum Permanente de Desenvolvimento do Acre.

A taxa média de informalidade em 2019 para o Acre foi de 50,2% da população ocupada, a décima primeira maior em relação aos demais estados da federação. Esta mesma taxa para o Brasil ficou em 41,1% (38,4 milhões de pessoas).

Entre as unidades da federação, as maiores taxas médias anuais foram registradas no Pará (62,4%) e Maranhão (60,5%) e as menores em Santa Catarina (27,3%) e Distrito Federal (29,6%). Os dados foram publicados hoje, pelo IBGE, através da PNAD Contínua Trimestral.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required
Propaganda
Propaganda

Mais lidas