fbpx
Conecte-se agora

Paciente que luta contra a depressão denuncia que não consegue consulta em posto de saúde

Publicado

em

Quem faz tratamento contra a depressão sabe que parte do tratamento é feito a base de remédios que são adquiridos apenas com receituário especial.

Ocorre que uma paciente, que com medo de represálias prefere não se identificar, faz um grave denúncia. Segundo Maria, os pacientes que fazem tratamento contra a depressão não conseguem consultas na URAP Roney Meireles. Ela afirma que os médicos renovam a receita médica sem avaliar se houve alguma melhora ou piora do quadro clínico, se há necessidade de aumento, diminuição ou substituição da medicação ou se é necessário um encaminhamento para um especialista.

A paciente relata que há quatro meses não consegue se consultar e quando chega na URAP é feita apenas a renovação da receita. “Estou há quatro meses sem conseguir me consultar. Quando a gente chega, e não sou eu, com outros pacientes também é assim, vem uma pessoa, que eu acho que é técnica de enfermagem, recolhe a receita de todos os pacientes, vai lá na médica e volta com receita nova”.

A paciente gravou vídeos que confirmam a renovação da receita, sem a consulta. Como existem imagens de outros pacientes que não sabiam que estavam sendo gravados, o ac24horas decidiu não publicá-las.

Ela conta que a medicação que tem tomado não tem surtido efeito. Mesmo assim, não consegue a consulta. “Eu já pedi pra ser encaminhada para um psiquiatra. Mas, quando se chega lá, eles simplesmente olham na cara da gente, perguntam qual é o remédio e trazem uma nova receita. Todas as vezes que a gente vai, o que dizem é que tem muita gente para ser atendido e por isso vão nos entregar apenas a receita”, diz Maria.

A paciente faz uma denúncia ainda mais grave e diz que aumentaram a dose da medicação, sem passar por uma consulta. “Eu disse que tava sentindo uns tremores e meu sistema nervoso alterado. Aí uma moça, que eu não sei se é enfermeira, disse que era pra eu tomar duas doses da medicação. Eu tomei e não me senti bem”.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O ac24horas consultou uma renomada psicóloga no Acre, que por questões éticas prefere não divulgar o nome, onde afirma que o procedimento não é o correto. “O ideal seria passar por avaliação médica ou, dependendo da gravidade, encaminhar para o Caps Samaúma”.

A reportagem também procurou o gerente geral da URAP Roney Meireles. Josué Ribeiro disse ser comum a renovação do receituário, sem consulta, mas afirmou desconhecer que a paciente esteja há quatro meses tentando uma consulta sem sucesso. “Eu não tenho conhecimento desse fato. Aqui é demanda livre, todo mundo é consultado. É só vir e marcar. Vou pedir que essa paciente venha até a URAP para tomarmos as medicas necessárias”, afirma.

Propaganda

Destaque 4

Unidade do IBGE no Acre já se prepara para o Censo 2020; edital sai no começo de março

Publicado

em

Com atraso de quase um ano, o edital com mais de 200 mil vagas para o Censo 2020, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), será publicado no início do mês de março, segundo previsão divulgada na semana passada pelo órgão. O processo para contratar trabalhadores temporários para o censo demográfico brasileiro, nas funções de recenseador e agente censitário, foi anunciado em maio do ano passado.

A banca organizadora do concurso, será o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe). Serão 196 mil vagas para recenseador, mais de 23 mil para agente censitário supervisor e pouco mais de 6 mil para agente censitário municipal. Segundo o IBGE, os detalhes adicionais, como o nível de escolaridade exigida, só serão divulgados na publicação do edital.

No Acre, a Secretaria Estadual de Educação do Acre vai ceder espaços em escolas e equipamentos multimídia para o treinamento das equipes que vão trabalhar no Censo Demográfico 2020 no estado. A parceria foi firmada com a Unidade Estadual do IBGE (UE/AC) durante reunião realizada no último dia 4 de fevereiro, na capital, Rio Branco.

No encontro, a equipe da UE/AC também apresentou ao secretário estadual de Educação, Mauro Sérgio Ferreira da Cruz, o projeto IBGEeduca, ferramenta que pode auxiliar os professores na sala de aula. A plataforma online reúne conteúdos didáticos criados a partir das pesquisas do IBGE e disponibilizados gratuitamente na internet.

O encontro aconteceu na sede da secretaria Estadual de Cultura e Esportes e contou também com a participação do professor José Rego, chefe do Departamento de Gestão da pasta. Rego fará as intermediações entre o IBGE e as coordenações dos núcleos de educação do estado para que os espaços sejam cedidos instituto.

A Unidade Estadual do IBGE (UE/AC) também recebeu, no último dia 3 de fevereiro, os novos agentes censitários operacionais (ACOs) e os coordenadores censitários subáreas (CCS) para formalização dos contratos. Eles vão atuar no Censo Demográfico 2020, no Acre.

A recepção dos novos servidores temporários foi feita pelo coordenador operacional, Sebastião Júnior, pela coordenadora de treinamento, Gardênia de Oliveira, e pelo coordenador da área Rio Branco, Gilvan Ferreira. Também participaram da primeira interação o coordenador de informática, Raphael Dias, e o coordenador de área de Brasiléia, Ednaldo da Silva.

Com o objetivo de ambientar os novos colaboradores com as atribuições de seus respectivos cargos, foram citadas algumas das atividades que serão desenvolvidas por eles durante a operação censitária. Foram abordadas também, metodologias de treinamento de pessoal, bem como demais trabalhos de preparação prévia que antecedem o processo de coleta do Censo.

Os ACO’s e os CC’s também estão conhecendo, na prática, os principais conceitos apresentados pelo IBGE como Cadastro Nacional de Endereços para Fins Estatísticos (CNEFE) e Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), através do acompanhamento das equipes em campo.

Com informações do Portal do IBGE.

Continuar lendo

Destaque 4

Relatório de Mailza que obriga salário-maternidade em até 30 dias é aprovado

Publicado

em

A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa do Senado aprovou o relatório da senadora Mailza Gomes do projeto de 5.225/2019 que determina o pagamento do salário-maternidade, diretamente pela Previdência Social, em até 30 dias contados de sua solicitação junto ao INSS.

Mailza Gomes recomendou a aprovação da matéria por considerar como prioridade constitucional a garantia do direito das crianças a uma vida digna. Para ela, a medida vai assegurar o atendimento imediato das necessidades de mães e filhos durante a fase de adaptação que ocorre quando uma nova família é constituída.

“As mães naturalmente ficam bastante indisponíveis para lidar com pleitos burocráticos, além de as mães e as crianças estarem especialmente vulneráveis. Assegurar o pagamento tempestivo das verbas legalmente devidas apenas evita que passem por turbulências desnecessárias nesse período”, defendeu a relatora.

O relatório de Mailza Gomes foi lido pelo senador Flávio Arns (Rede-PR). A matéria, de autoria do senador Cid Gomes, segue para a análise na Comissão de Assuntos Sociais (CAS), onde será votada em caráter terminativo.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required
Propaganda
Propaganda

Mais lidas