fbpx
Conecte-se agora

Uma disputa que vai sacudir a fronteira 

Publicado

em

A ex-deputada Leila Galvão (PT) assumiu no último sábado o compromisso com o grupo do MDB que a visitou de que se filiará ao partido, para disputar a prefeitura de Brasiléia na eleição deste ano, pelo partido. O que era especulação se tornou num fato real. Isso empurra a eleição para a prefeitura do município para uma disputa que vai sacudir a fronteira. De um lado, teremos a bem avaliada em todas as pesquisas, prefeita Fernanda Hassem (PT), que disputará a reeleição no cargo, o que tem o seu peso em um município pequeno. E do outro, a ex-deputada Leila Galvão, que mesmo não tendo sido eleita, foi a mais votada do município na última campanha. O que torna a eleição surreal é que ambas são as maiores lideranças do PT no município. O rompimento agora oficial, já existia nos bastidores, por problemas de relacionamento na campanha. Já havia uma decisão do grupo da ex-deputada Leila de em hipótese alguma apoiar a reeleição da prefeita Fernanda Hassem (PT). Ponto certo: será uma eleição muito disputada. Como disse um amigo do município: “vai ser um bom jogo.”

ESTRATÉGIA A SER MUDADA

Não incorporo a proposta populista do deputado Roberto Duarte (MDB) de que deve ser pedida uma intervenção federal na Segurança. Agora, as estratégias adotadas pela cúpula do sistema devem ser melhoradas e inovadas, porque chegamos a um estágio de guerra civil.

NÃO ME VENHAM COM FALÁCIAS

Não venham com a falácia de comparar número de mortes com o mesmo período do governo passado. O PT perdeu a eleição, está sepultado e de ossos brancos. A exclusiva responsabilidade de conter a chacina em curso neste mês de janeiro é do atual governo.

TEM QUE VIR DE PÚBLICO

O vice-governador Major Rocha, a quem o governador Gladson Cameli deu poder pleno para comandar o sistema de segurança precisa vir de público falar alguma coisa, dar uma explicação, apontar novos caminhos, porque foi quem indicou toda a cúpula da segurança.

NÃO SE TRANSFERE RESPONSABILIDADE

O eleitor votou no Gladson para governar o Acre, não o elegeu para terceirizar a sua autoridade na área de segurança, porque o governador é ele, e a cobrança não tem como não ser direcionada ao seu governo. E não foi esta Segurança prometida durante a campanha.

CONTEXTO DE DISCUSSÃO

E neste contexto de discussão sobre a violência não vamos jogar o fardo nos nossos policiais, principalmente, a PM, que atua mais no campo. Temos uma justiça com leis que beneficiam bandidos, como o Estatuto do Menor, Audiência de Custódia e a Lei de Abuso de Autoridade.

OS POLÍTICOS ESTÃO NESTE CESTO

E não vamos deixar os políticos fora deste cesto. São eles que fazem as leis, como a mais recente Lei de Abuso de Autoridade, que pode dar punição ao policial que mostrar a cara de um bandido; que participou de uma chacina, de um estuprou e etc. A polícia não faz as leis.

 CORDA PARA MUITOS PESCOÇOS

Não vamos só botar a corda nos pescoços do secretário de Segurança, Paulo César, e do Comandante da PM, Coronel Ulysses Araújo. Deles deve ser cobrado sim um novo plano de segurança, o que está sendo executado, infelizmente, não está contendo a violência, a população está atemorizada. O que tem de se mudar é a estratégia e não nomes.

EXPECTATIVA DO IRREAL

O secretário de Segurança, Paulo César não é omisso. O comandante da PM, Coronel Ulysses Araújo, também não é omisso. O pecado de ambos foi criar a falsa expectativa na população de que em poucos meses à frente de suas pastas resolveriam a questão da violência no Estado.

TEM DE COBRAR MESMO

Na questão de cobrança, está tem que ser feita mesmo pela população ao governador Gladson, ao vice-governador Major Rocha, ao Coronel Ulysses e ao secretário Paulo César, porque cabe a eles encontrar um caminho para minimizar a violência e por fim a este terror.

FORÇA NACIONAL

Vejo muita reclamação do baixo efetivo da PM. Por qual razão não se busca a vinda da Força Nacional para reforçar a tropa no combate ao crime organizado, que a cada dia que passa se torna mais desafiador? Falar em intervenção federal é populismo. Senhores do poder, uma coisa é certa: alguma coisa tem de ser feita, são trinta execuções em 18 dias neste mês.

ESQUEÇAM O PT

E vamos para com esta história de ficar debitando tudo ao PT, cujo último governo foi varrido das urnas por ter fracassado, inclusive, na Segurança, onde foi um desastre. As soluções têm de ser encontradas pelos que hoje estão governando o Acre e paremos por aqui pessoal. 

ENDEREÇO CERTO

“É o retrato da nossa segurança”. A frase do senador Petecão (PSD) sobre o acidente envolvendo um helicóptero do governo e um caminhão, muito mais que uma crítica ao fato, embute uma fustigada no vice-governador Major Rocha (PSDB), que comanda a Segurança.

PRELIMINAR PARA 2022

 Ambos, já vêm trocando farpa um bom tempo, numa preliminar para a eleição de 2022, já que eles têm projetos políticos majoritários conflitantes. É mais um capítulo dessa novela.

CONFRONTO INEVITÁVEL

Numa eventualidade do governador Gladson Cameli resolver disputar o Senado em 2022, não há quem segure um confronto na disputa do cargo entre o Major Rocha e o Sérgio Petecão.

SEM UM SINAL NÃO AVANÇA

O secretário Thiago Caetano vem se mexendo nos bastidores tentando construir a sua candidatura a prefeito da capital. Não está em discussão sua competência, é comprovada. Mas, sem um sinal forte e público do Gladson Cameli que o quer candidato fica difícil decolar.

NÃO DECIFRARAM A EQUAÇÃO

O que os dirigentes do PROGRESSISTAS e o próprio governador não decifraram a equação política da eleição deste ano, é que na eventualidade do partido ficar fora do jogo, sem candidato á PMRB, a sigla perderá a oportunidade de ser protagonista na eleição de 2022.

LARGAR AGORA OU FECHE A CORTINA

Atrasado o PROGRESSISTA está, e se quiser ainda ter qualquer chance de entrar no cenário com um nome competitivo o Gladson tem de se manifestar agora, ou feche-se a cortina. A indefinição do governador breca até os seus aliados de se manifestarem sobre preferência.

 CONTINUAM MINORITÁRIAS

Entre os nove nomes já anunciados com disposição de disputar a prefeitura da capital na eleição deste ano, temos apenas duas mulheres: a deputada federal Vanda Milani (SD) e a prefeita Socorro Neri (PSB). E ambas, com qualidades morais inquestionáveis.

RECEITA PRINCIPAL

Numa eleição para prefeito uma situação que tem um peso muito forte na ajuda ao candidato é ter um grande número de candidatos a vereadores, porque serão estes que vão brigar na periferia pelos votos. Por isso, a importância da montagem de chapas que sejam competitivas.

MIRANDO 2022

A publicitária Charlene Lima, que se não tivesse sido tirada do jogo em plena eleição poderia ser hoje deputada federal, estava numa campanha crescente, vai aproveitar a eleição municipal de Sena Madureira, para eleger vereadores visando disputar a ALEAC em 2022.

LUZ NO FIM DO TÚNEL

Pragmática, e com tudo para ser o primeiro passo para tirar a Saúde da UTI, esta parceria em discussão entre a representação da classe médica e os dirigentes da SESACRE. Sem um entrosamento com os profissionais da Medicina e a SESACRE, avanços não serão conquistados.

PARA A PREFEITA SOCORRO

Moradores da Rua João Raimundo, bairro João Eduardo 1, atrás da escola Marilda Gouveia, mandaram uma postagem pedindo espaço no BLOG para relatar á prefeita Socorro Neri que, embora tenham feito vários protocolos, o local continua sem iluminação pública, um perigo.

FORA DESSA

O deputado Daniel Zen (PT), que está de férias, chegou a ser procurado por colegas para dar a sua opinião sobre o desfecho do rompimento político entre lideranças do PT e a prefeita Socorro Neri, mas preferiu não comentar o fato. Limitou-se a dizer: – me deixem fora dessa.

NOME DA VEZ

Com a desistência do ex-prefeito Angelim de disputar a prefeitura de Rio Branco, o nome da pauta é o do deputado Daniel Zen (PT), que integra a tendência majoritária do PT. A se saber se aceitará colocar o seu nome na eleição. Uma coisa é certa, o PT terá candidato próprio.

FAZENDO FIRULA

O deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) faz firula quando diz crer numa recomposição política entre a prefeita Socorro Neri e a cúpula do PT. Na verdade, o PCdoB vai para a eleição da PMRB apoiando o candidato do PT, reeditando a longeva aliança no Estado com os petistas.

CONVERSANDO COM O PROS

 O PROS, que faz oposição ao governador Gladson na ALEAC, com a deputada Maria Antonia (PROS) votando contra os seus projetos, poderá ser aliado do PSDB na eleição municipal da capital. O presidente Francisco Deda vem tendo conversas com o vice Major Rocha (PSDB).

SÃO OS QUE SEGURAM

O governo do presidente Bolsonaro vem emendando uma trapalhada atrás da outra, como essa manifestação do seu ex-ministro da Cultura em cima de termos nazistas. O que está salvando seu governo é a figura anticorrupção do Moro e Paulo Guedes, na economia.

 TRESVALIANDO

O deputado Jenilson Lopes (PSB) sonhava ver todos os partidos de esquerda, junto com o senador Petecão (PSD), no mesmo palanque, apoiando a reeleição da prefeita Socorro Nery. No seringal, costuma-se dizer de uma fala desconexa, que a pessoa  está “tresvaliando.”

 FRASE DO DIA

“A política pode ser o ato nobre de prezar pelos interesses da população. Ou a infame arte de enganar a população para atender os interesses próprios”. Pinçada da seleção de frases políticas.

 

Propaganda

Blog do Crica

Um belo exemplo de gestão

Publicado

em

A partir de agora todos os professores da prefeitura da capital são concursados. Foi uma luta antiga dos sindicatos na busca deste objetivo, mas somente com a prefeita Socorro Neri  é que deixou de ser promessa e foi alcançado. É um exemplo de gestão. Injetar recursos na Educação não é gasto, é investimento na juventude para um futuro melhor. Não se chega ao desenvolvimento sem um bom sistema educacional. E na avaliação nacional a prefeitura da capital é a terceira em qualidade do ensino. Serão 676 professores que não ficarão mais à mercê de ações politiqueiras. A Educação sempre foi discurso central de palanque de políticos, mas quando chegam ao poder, esquecem e partem para a nefasta prática de selecionar afilhados e contratar para o magistério professores com contratos provisórios, o que não garante a estabilidade. Qualquer análise sem ideologia reconhecerá ser um fato memorável.

NÃO TEM CENÁRIO DEFINIDO

Não tem cenário definido para a eleição municipal da capital. Não se pode dizer que A ou B tem lugar garantido no segundo turno com base na última pesquisa. Enquanto não forem montadas as alianças partidárias, as pesquisas vão registrar um quadro altamente mutável.

CANSADO DE VER

Presenciei ao longo da minha carreira como jornalista candidatos começarem a campanha na dianteira e desmoronarem. E o menos cotado terminar a eleição como vencedor. Por isso, ninguém comemore por antecipação, porque a política costuma ser a arte do imprevisível.  

FICA NA BASE DA ESPECULAÇÃO

Quem vai ser o candidato do Gladson Cameli, em Rio Branco? Alguém sabe? Ninguém sabe! A Socorro vai se coligar com o PT ou não? Ninguém sabe! O senador Sérgio Petecão (PSD) vai com quem? Quais são as coligações? Sem isso, não há como ter uma pesquisa mais crível.

MOMENTO, SÓ ISSO!

Pesquisa hoje registra um momento e que está muito longe da campanha. Não se sabe nem como ficará o quadro de candidatos e suas alianças, pesquisa hoje então é uma adivinhação.

COMPONENTES PRÓPRIOS

Uma campanha majoritária tem componentes próprios. Um delas, o candidato a prefeito tem que ter uma boa chapa de vereadores ou várias chapas de vereadores lhe apoiando. O bom desempenho da campanha de um candidato majoritário está umbilicalmente ligado à empatia que vai conseguir com o eleitor. Pesa também a estrutura da campanha. Sem estes cenários se configurarem vamos ficar fazendo ilações sobre o Chico vai ganhar, ou a Maria vai perder. versa.

PEGOU MUITO MAL

O deputado Jenilson Lopes (PSB) foi muito criticado por não suspender ontem uma sessão solene para rasgar seda aos presidentes de Associação de Moradores, enquanto na entrada da ALEAC era velado o corpo do ex-deputado Luiz Pereira, que honrou o parlamento. Pena!

FORA DO JOGO

É perda de tempo colocar o nome do ex-prefeito Angelim nas pesquisas feitas para a prefeitura de Rio Branco. Sabe que fora do poder seria uma batalha dura a ser enfrentada. Acho que só pensaria em entrar na eleição numa hipótese nula da prefeita Socorro lhe apoiar.

HENRIQUE AFONSO

É o nome que o senador Sérgio Petecão (PSD) trabalha para ser candidato a prefeito de Cruzeiro do Sul. Henrique Afonso sempre teve uma boa votação naquele município.

NOME NOVO

Não se admire se o governador Gladson Cameli resolver lançar um nome novo, que nunca foi candidato, mas é bem relacionado, na eleição para a prefeitura de Cruzeiro do Sul. Não foi em vão que o seu primo Linker Cameli foi incluído na pesquisa da BIG DATA. Deve decidir após o carnaval numa visita política que fará ao Juruá, como se posicionará.

MUITO DIFÍCIL RECUAR

Só que acho muito difícil conseguirem convencer o prefeito Ilderlei Cordeiro não sair à reeleição. Os problemas que a sua gestão está tendo com a justiça não serão empecilho.

CONVERSA DEFINITIVA

A senadora Mailza Gomes (PROGRESSISTAS) deve decidir numa conversa franca com o governador Gladson Cameli se continuará ou não na presidência do PROGRESSISTAS. Não adianta ficar no comando do partido sem ter condições para não atender as demandas.

VÃO GOSTAR DE CONFUSÃO!

O clima interno do PROGRESSISTAS é de briga feroz entre seus grupos. Ao que indica o partido não estava preparado para chegar ao poder. Até o Rui Birico foi expulso do ZAP da sigla.

LEITURA CORRETA

Aliados do governador fazem uma leitura correta quando miram que o MDB trabalha para ter uma candidatura própria para os cargos majoritários em disputa em 2022. O movimento do MDB de afastamento do governo se torna cada dia mais nítido com suas posições partidárias.

CAMINHO DE ESPINHOS

A postura que o deputado Roberto Duarte (MDB) cultivou ao longo do seu primeiro ano de mandato, sendo duro nas críticas, até mais que a oposição ao governo do Gladson, deixa seu partido sem legitimidade de num eventual segundo turno pedir o apoio ao seu candidato.

MORDE E ASSOPRA

O MDB, com o deputado Roberto Duarte, vem adotando em relação ao governo um comportamento de bate e depois assopra. Tudo sob a capa de que é “independente”.

LARGA EXPERIÊNCIA

Não tinha atentado que o ex-deputado Élson Santiago estava no Conselho Político do Governo. Passou batido, mas não é tarde para registrar que tem experiência para contribuir muito com sugestões, principalmente, num ano eleitoral, logo ele que venceu muitas eleições.

EMPURRADOS PELA LEGISLAÇÃO

A maioria dos nove candidatos a prefeito de Rio Branco vai entrar na disputa embalada pela pressão de suas direções partidárias, que têm que alcançar o teto da Cláusula de Barreira para  seus partidos não sumirem do mapa eleitoral. Mesmo para cumprir tabela na campanha.

CANDIDATA A PREFEITA

Dirigentes regionais do PTB voltaram a confirmar ontem de que Charlene Lima não vai ser um mero cabo-eleitoral na eleição para a prefeitura de Sena Madureira, será mesmo candidata à prefeita. Se não ganhar, solidifica o seu nome para disputar uma vaga na ALEAC em 2022.

UMA FIGURA GENEROSA

Quem conheceu de perto o ex-deputado e ex-prefeito de Plácido de Castro, Luiz Pereira, sabe que era uma pessoa generosa. Incapaz de levantar a voz contra alguém. Era um político da paz, do diálogo. Descanse em paz, meu bom filósofo do Abunã! Que Deus o acolha, meu amigo.

DISPUTA ACIRRADA

A disputa por vagas de vereador da capital deverá ser a de maior número de candidaturas das últimas campanhas, por causa do aumento de partidos. Isso leva a disputa a ser acirrada.

ACREDITANDO EM PAPAI NOEL

“Quem sabe a prefeita Socorro Neri desiste de ser candidata, e a gente coloca o Angelim com o apoio dela?” Frase ouvida ontem de um petista de alta plumagem. Acredita em Papai Noel.

VOTO PESSOAL

Errado atribuir ao PT a boa aparição do ex-prefeito Angelim nas pesquisas, a sua aceitação vai bem além dos muros petistas, são votos mais pelo seu perfil de administrador e somente isso.

SOME NA CAMPANHA

Na disputa para a prefeitura de Rio Branco não aposte no aparecimento de nenhum salvador da pátria. Quem não tiver estrutura partidária vai sumir ao longo do avançar da campanha.

COME QUIETO

O ex-prefeito Marcus Alexandre quer passar a impressão que está  quieto no seu canto, mas pelo contrário, é quem mais articula para uma candidatura própria do PT para a PMRB.

VOLTAMOS APÓS O CARNAVAL

O BLOG só deve voltar à ativa depois do carnaval. Mesmo porque nada de importante na política tende a acontecer no período carnavalesco. Se beber não dirija. Paz e bom carnaval.

FRASE MARCANTE

“Na política, até a sombra pode trair”. Máxima da política mineira.

Continuar lendo

Blog do Crica

Saindo do Purgatório 

Publicado

em

O ex-senador Jorge Viana (PT)  saiu do purgatório político numa longa entrevista ao ac24horas. O que eu penso da volta do JV: é o político mais sagaz da oposição e o de maior representatividade. Não meço a qualidade de um político pela cor partidária. Mudou a cara urbanística de Rio Branco quando prefeito. O seu governo teve avanços, mas não ao ponto de não ter brechas para críticas. Não compartilho das suas idéias políticas e nem da sua adoração mística pelo Lula. Mas respeito o que pensa. Mas, vamos lá: parece que o tempo em que esteve calado não foi suficiente para lamber as feridas da derrota vergonhosa do seu partido, após duas décadas no poder. Até entendo o seu silêncio pelo lado familiar, mas não pode dizer que as administrações petistas foram as maravilhas do mundo, quando o último governo do PT, do seu irmão, passou a administração ao sucessor sem pagar o 13° dos servidores, os terceirizados, e com uma dívida astronômica com fornecedores. As medidas do seu governo com a política da florestania não atingiram o foco principal do seu discurso ambientalista: os chamados “povos da floresta” não saíram da miséria e do abandono que se encontram até hoje. Aquele discurso de libertar economicamente estas comunidades com a exploração dos produtos florestais fracassou. A sua derrota JV, foi uma decisão popular e sobre a qual a então oposição não teve nenhuma influência. Vocês perderem para vocês, essa é a verdade! Não pode dissociar a sua derrota ao desgaste do governo do seu irmão e nem do erro histórico e burro de lançarem dois candidatos ao Senado. O JV coloque na sua cabeça que, embora vocês tenham tido algumas realizações o povo cansou de vocês. Cansou da arrogância e do slogan “só nos prestamos”. Vocês perderam pela empáfia que venceriam a eleição a hora que pretendessem. Quando falo “vocês”, me refiro ao coletivo de 20 anos de mando. A sua tentativa de voltar a ocupar os espaços na política não será ao curto prazo, não espere começar pela eleição municipal. Uma candidatura própria do PT á PMRB vai mostrar, por certo, o tamanho real do prestígio fora do poder. O “Fora, PT” ainda está muito forte na capital. No mais, o contraditório sempre é bom para alimentar o debate político.

CORREÇÃO NA HISTÓRIA

Falo porque vivi a campanha dentro. Não é verdade que ajudava os prefeitos de oposição. O ex-prefeito Isnard Leite, que o diga. Quando você cita que ajudou o então prefeito César Messias, não estava ajudando um oposicionista. O César era oposição na capa, porque comandou junto com o Orleir Cameli a sua campanha vitoriosa no Juruá. Natural que desse o reconhecimento quando chegou ao poder. E ajudou até o César Messias ser vice-governador.

NUNCA FOI IDEOLÓGICA

Outra contestação: fala muito da “Frente Popular” como uma grande conquista política. A FPA nunca foi uma aliança ideológica. Só existiu pelos cargos distribuídos aos partidos nanicos. Tanto é que, quando o PT fechou a comporta de ajuda, pularam para a campanha do Gladson.

O POVO DEFINIU A MUDANÇA

O que o JV tem que entender é que a um governo não se dá a sentença final no seu primeiro ano de administração. Tem que se esperar o último ano. Você fala que o Gladson errou em terceirizar o poder para feudos políticos, cujos indicados, secretários ou diretores, atendem primeiro os seus padrinhos e depois o governador. Nisso concordo, por já comentar no BLOG.

UM NOVO RUMO

Concordo também que o governo Cameli precisa fazer uma nova arrumação no seu secretariado e cobrar resultados. Não pode manter no cargo alguém por ser indicação política. Mas depois do desastre dos últimos quatro anos de governo do PT, seus dirigentes não parecem ser o melhor conselheiro para que aponte os rumos desta correção. 

CONFIRMANDO O BLOG

Em um trecho da entrevista o ex-senador Jorge Viana confirma um furo deste BLOG que o seu sonho era ver o melhor nome do PT do momento, ex-prefeito Angelim, disputar a PMRB, sendo candidato a prefeito no lugar da prefeita Socorro Neri. Não combinou com os russos.

É DA DEMOCRACIA

No mais, o ex-senador Jorge Viana (PT) tem o direito legítimo como político e cidadão de falar o que acha certo ou acha errado do atual governo, por estarmos num regime democrático.

MUDANDO DE ASSUNTO

Vamos parar com esta história que a recente colheita de soja é um marco para o agronegócio do Acre, como tocou trompete o diretor da EMATER-ACRE, Tião Bocalom. O mesmo produtor plantou no governo passado. A diferença é que este governo não inventa dificuldades ambientais a quem opta por esta cultura. E não limitar culturas ajuda no desenvolvimento.

QUAL O PROBLEMA DE CONVERSAR?

Não sei se é problema pessoal, birra, não consigo entender o motivo pelo qual o secretário de Educação, Mauro Sérgio, não senta para conversar com a presidente do SINTEAC, Rosana Nascimento, sobre as reivindicações da classe, até para dizer “não”, se assim for o caso.

NÃO COMENTO

Não vou fazer comentário sobre esta pesquisa a ser publicada hoje, por mais séria que seja, por estar muito longe do quadro que se formará para a disputa da PMRB. Não sei nem como ficarão as alianças, quem o Gladson Cameli apoiará, se a Socorro será candidato com ou sem o PT, sem essas definições fica muito difícil se fazer uma análise com alguma margem de acerto.

PAUTAS FAMILIARES

Não entro em discussão de pautas familiares de cidadãos comuns, mas quando este tipo de debate envolve um político, não há como deixar de fora de uma discussão. O deputado Roberto Duarte (MDB) precisa resolver esta sua situação de herança ou isso será explorada na campanha de prefeito pelos adversários. Numa campanha eleitoral não se pode ter flancos.

NOMES CONFIRMADOS

Vanda Milani (SD), Jamil Asfury (PSC), Minoru Kinpara (PSDB), Roberto Duarte (MDB), Rogério Venceslau (PSL), Socorro Neri (PSB), Jarbas Soster (AVANTE), Pedro Longo (PV), Sanderson Moura, são os nomes até aqui confirmados para a disputa da PMRB. A lista tende a crescer.

FAVORECE O PODER

Não tenho relação, nunca conversei com o prefeito Kiefer de Feijó, mas a oposição ao seu mandato está lhe dando um favoritismo, pela pulverização dos votos neste campo. O PT terá candidato a prefeito, e também; o MDB e PCdoB, esta divisão favorece quem está no poder. Pode mudar no curso da campanha, mas a fragmentação não favorece aos oposicionistas.

PEÇAS IMPORTANTES

Duas peças importantes na campanha de prefeito de Rio Branco ainda não se posicionaram no tabuleiro: deputado federal Alan Rick (DEM), bem votado na capital, e o senador Petecão (PSD), o campeão de votos da última eleição. Apoios importantes a qualquer candidato.

NÃO É POR FALTA DE AÇÃO

Todo dia se noticia prisões de bandidos, apreensões de drogas, elucidação de crimes, mas o patamar da criminalidade continua muito alto em Rio Branco. Não é por falta de ação policial.

APOSTANDO TUDO

O PSDB está apostando tudo numa decisão do Gladson de apoiar o Minoru Kinpara na disputa da PMRB no primeiro turno. Mesmo isso dando uma confusão gigante com os outros aliados.

DO TAMANHO QUE FICOU

A festa dos 40 anos do PT ficou do tamanho que saiu da última eleição, com apoiadores reduzidos. Quando estava no poder, este tipo de festa tinha dirigente partidário disputando espaço para ficar mais perto do governador ou do prefeito. Assim é a política partidária.

CONTINUA NO BARCO

O deputado Manoel Moraes (PSB) avaliou as pesquisas, viu que o prefeito de Xapuri, Bira Vasconcelos (PT) aparece bem avaliado, e decidiu manter a dobradinha indicando o vice.

MAIS DO QUE PARECE

Numa campanha de prefeito é mais importante do que parece o candidato ter o maior número possível de candidatos a vereadores o apoiando. São estes que estarão direto no corpo a corpo nos bairros pedindo votos para a candidatura majoritária. Isso tem um peso fundamental.

FRASE MARCANTE

“Política não é só a arte de engolir sapos. Já defini a política como arte de pedir votos aos pobres, pedir recursos financeiros aos ricos e mentir para ambos depois”. Antonio Ermírio de Moraes.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required
Propaganda
Propaganda

Leia Também

Mais lidas