Conecte-se agora

Alto nível de acidez é constatado nas águas minerais comercializadas no Acre

Publicado

em

Você sabia que nem toda água mineral comercializada no estado é ideal para o consumo, conforme estudos médicos e preconização de especialistas? Isso porque a maioria das marcas de água vendidas no Acre atualmente possui um pH (potencial de hidrogênio) bem abaixo do recomendado. Esta reportagem de ac24horas aborda elementos da química, mas é bem simples de entender. O pH tem uma escala que varia de 0 a 14 – que avalia o nível de acidez. Quanto mais próximo de 0 estiver o pH, significa que mais ácida é a água. Logo, quanto mais próximo de 14, mais alcalina ela é. Ou seja: menos ácida e, portanto, mais apropriada para o consumo.

O percentual de pH da água que você compra pode ser facilmente verificado nos rótulos do produto, especificado nas embalagens das garrafas. É importante que ao escolher a marca da água, você verifique as informações do seu rótulo. A situação avaliada nos estabelecimentos da capital acreana é preocupante quanto ao índice de alcalinidade do líquido. De seis marcas vendidas aos acreanos, apenas uma segue os critérios estabelecidos e oferece uma água menos ácida aos consumidores, com nível de pH em 6,33.

O ac24horas verificou o potencial de hidrogênio de seis marcas vendidas no estado. A constatação é esta:

Lind’Água (pH 4,83);

Schin (pH 6,33);

Purágua (pH 4,83);

Tia Eliza (pH 4,55);

Belágua (pH 4,77);

Riberágua (pH 4,57).

Resumindo: destas, até agora, apenas uma marca (Schin – pH 6,33) está disponibilizando um produto menos ácido, sendo assim menos ofensivo à saúde dos acreanos.

O Ministério da Saúde estabeleceu por meio da Portaria nº 2.914, de 12 de dezembro de 2011, que o pH da água própria para consumo seja mantido na faixa de 6,0 a 9,5. A recomendação dos médicos é que o consumidor beba água com pH acima de 7,0. Tais critérios não são banais. O corpo humano é formado por cerca de 70% de água e é dela que se obtêm minerais essenciais para o bom funcionamento do organismo, como o magnésio, o cálcio e o potássio.

Os médicos advertem: a água pode ser fonte de vida, mas também de vários problemas de saúde caso se trate de uma água extremamente ácida, com elementos tóxicos provenientes do cloro, flúor ou do Bisfenol – composto do plástico, entre outros. Por isso não é indicada a ingestão de água encanada, pois esta possui grande quantidade de cloro – eliminador de bactérias, e pode estar contaminada com metais pesados. Normalmente, a água encanada apresenta um nível de pH impróprio para o consumo, sempre abaixo de 7,0.

Agora você deve estar se perguntando qual a relação do nível de alcalinidade da água com a sua saúde? Uma água mineral com pH menor do que 7,0, significa que ela é mais ácida do que o sangue que corre em sua veias e artérias. Desta forma, é necessário equilibrar e deixar o corpo menos ácido, a fim de prevenir problemas de saúde decorrentes dessa toxicidade, e isso só é possível com a ingestão de uma água realmente mais alcalina, com pH acima de 7,0.

O médico Guilherme Renke, especialista em Endocrinologia pelo Instituto de Pesquisa e Ensino Médico, publicou um artigo alertando para a necessidade de estar atento à qualidade da água, pois pode prevenir problemas como gastrites, úlceras e câncer de estômago. Os estudos apontam que o nível de acidez na água é determinado pela quantidade e a qualidade dos minerais presentes nela.

“A água alcalina traz benefícios para a saúde. A composição da água pode influenciar a nossa saúde. A água alcalina deve possuir também baixo teor de cloro, de flúor e não possuir metais pesados. O pH é algo muito importante para nosso organismo, em uma infecção grave, por exemplo, fatores inflamatórios e toxinas estão elevados no sangue, o pH sanguíneo então diminui (menor do que 7,35). Nesses casos ocorre diminuição do bicarbonato abaixo de 22 meq/l e inicia-se assim a acidose metabólica”, escreveu.

Segundo Renke, são muitos os benefícios da água alcalina, um deles é a longevidade, pois a água com pH acima de 7,0 pode atuar como “fator de desaceleração do envelhecimento”.

Como saber se a água alcalina?

Uma dica é manter o hábito de sempre ler o rótulo da água para saber se o pH da água que você está consumindo é ácido, neutro ou alcalino e adquirir as que tenham pH acima de 7,0. Há também a opção de possuir filtros específicos disponíveis no mercado que transformam a água da torneira em água alcalina.

QUALIÁGUA

O Acre começou a fazer parte do Programa de Estímulo à Divulgação de Dados de Qualidade de Água (QUALIÁGUA) em 2019, com apoio da Agência Nacional de Águas (ANA). O objetivo é estimular a padronização dos métodos de coleta de amostras, parâmetros verificados, frequência das análises e divulgação dos dados em escala nacional. O acordo terá vigência até 31 de dezembro de 2020.

É a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (SEMA) que realiza as atividades previstas pelo QUALIÁGUA, que também tem o objetivo de promover a implementação da Rede Nacional de Monitoramento da Qualidade de Água (RNQA) em todo o País. Um dos parâmetros coletados pelo monitoramento no estado é o pH.

Água distribuída pelo Depasa

O Departamento Estadual de Água e Saneamento do Acre (Depasa) afirma que sua distribuição de água está dentro dos padrões estabelecidos pelo Ministério da Saúde. Como prevê a Portaria 2914/2012, o órgão diz realizar até 165 análises ao mês. Um relatório das análises é repassado aos órgãos de vigilância sanitária e ambiental na capital e interior. Todos os dados são informados ao Sistema Nacional de Controle e Vigilância da Água (Siságua). O resultado das análises das amostras também pode ser verificado pelos consumidores, no verso da conta de água.

Segundo o chefe da Divisão de Controle da Qualidade da Água e Operações do Depasa, Filogônio Ribeira, são feitas análises de amostras no reservatório e na rede. Os testes verificam nível de pH, turbidez (que reflete o grau de transparência), cor aparente (que mede o grau de coloração), cloro residual (utilizado no processo de desinfecção), além dos parâmetros microbiológicos que avaliam a presença de coliformes totais e fecais. De acordo com Ribeira, o cuidado com a qualidade da água envolve ações que vão desde a limpeza e manutenção das estações e reservatórios, bem como monitoramento e reparo de vazamentos que podem alterar a qualidade da água tratada e distribuída aos usuários do Depasa.

Anúncios

Destaque 7

Queimadas sobem no começo de agosto e Acre se torna o 6º estado com mais focos no período

Publicado

em

Tarauacá foi um dos 10 municípios do Brasil com mais registros de queimadas nas últimas 48 horas, segundo o Inpe

O Acre foi o sexto estado do Brasil em número de focos de queimadas nos três primeiros dias do mês de agosto deste ano – 183 no total. Considerando apenas as últimas 48 horas, o Satélite de Referência – AQUA Tarde identificou 142 registros no estado, o quinto maior volume, atrás de Amazonas, Pará, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

Se considerado o período anual, de 1º de janeiro a 3 de agosto, o estado acreano é o 17º entre todas as unidades da Federação em número de queimadas, com 649 focos registrados. Os municípios de Tarauacá, Feijó e Cruzeiro do Sul foram os que apresentaram o maior número de focos acumulados no período.

O município de Tarauacá, com 47 focos detectados pelo satélite de referência, apareceu entre os 10 municípios do Brasil com mais ocorrências de queimadas nas últimas 48 horas, de acordo com os dados divulgados na noite desta segunda-feira, 3, pelo Programa Queimadas, do Instituto de Pesquisas Espaciais – Inpe.

Apesar da elevação dos números anotados pelo Acre nos três primeiros dias de agosto, a quantidade de queimadas detectadas desde o começo do ano até 3 de agosto é menor do que a registrada no mesmo período do ano passado, quando o estado acumulou 789 focos, 17% a mais do que agora.

Risco de Fogo

Agosto é, naturalmente, um mês crítico em razão da estiagem e dos baixos níveis de umidade relativa do ar. No ano passado, o governador Gladson Cameli decretou estado de emergência no Acre no dia 23 de agosto por conta das queimadas e dos fatores climáticos que agravavam a situação.

O relatório do Monitoramento de Queimadas e Qualidade do Ar, da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), divulgado nesta segunda-feira, 3, mostrou dados do acumulado de chuva do início do mês de agosto (01/08/2020 – 00h00m) até (03/08/2020 – 10h00min), mas não houve registro de precipitação acumulada.

O mesmo relatório previu risco de fogo Alto e Crítico com maior abrangência nas regionais do Alto Acre, Baixo Acre, Purus e Tarauacá/Envira, assim como em pontos isolados do oeste acreano. O princípio do Risco de Fogo, segundo o Inpe, é de que quanto mais dias seguidos sem chuva, maior o risco de queima da vegetação.

Continuar lendo

Destaque 2

Acre registra queda em internações por síndrome respiratória aguda grave

Publicado

em

O monitoramento de internações por síndrome respiratória aguda grave (SRAG), realizado diariamente em hospitais da rede pública (Sesacre) em hospitais conveniados ao SUS (Filantrópicos) e privados, identificou 222 pacientes internados nos estabelecimentos monitorados nesta segunda-feira, 3. Desses,149 têm teste positivo para Covid-19.

Do total hospitalizado, 44 estão em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 178 em leitos (clínicos, obstétricos ou pediátricos). A média de internação geral dos últimos 7 dias foi de 237 pacientes, observando-se uma redução de 7,2% no total de internação, e acordo com o último Boletim Informativo da Assistência à Saúde no Acre.

Nas regionais, o Baixo Acre teve, nesta segunda-feira, taxa total de ocupação de UTI’s 38,6% – 27 leitos ocupados de um total de 70 localizados no Pronto Socorro (10), hospital de campanha do Into (50) e hospital Santa Juliana (10), em Rio Branco. Quanto aos leitos de enfermaria, a taxa de ocupação na regional do Baixo Acre é de 35,6% – 95 ocupados de 267 existentes.

Na regional do Juruá, a taxa de ocupação de UTI’s é de 50% – 10 leitos ocupados de 20 existentes. Nos leitos clínicos a taxa de ocupação é de 53,7% – 51 ocupados de 95 existentes. O Juruá tem ainda 2 leitos pediátricos sem ocupação, no momento da atualização do boletim, e 6 obstétricos, dos quais 2 estão ocupados – taxa de ocupação de 33,3%.

No Alto Acre, a taxa de ocupação dos leitos de enfermaria subiu de 42,1%, registrada neste domingo, 2, para 52,6% nesta segunda-feira, 3. Dos 19 leitos disponíveis na regional, 10 estão ocupados. Desses pacientes, 9 têm diagnóstico positivo para covid-19. Não existem UTI’s instaladas na regional.

Continuar lendo

Acre

Alto Acre tem 10% dos casos de covid-19 confirmados no Acre

Publicado

em

Os municípios da regional do Alto Acre – Brasiléia (832), Xapuri (481), Epitaciolândia (387) e Assis Brasil (340) – superaram nesta segunda-feira, 3, os 2 mil casos do novo coronavírus, com 35 mortes por complicações decorrentes da infecção por covid-19.

O total de 2.040 casos registrados nos quatro municípios corresponde a aproximadamente 10% do total confirmado em todo o estado (20.339). Os dados acima são informados pelos boletins das secretarias estadual e municipais de saúde.

Com os novos números, a regional passou a ter os dois municípios com maior incidência da doença. Assis Brasil é o primeiro, com taxa de 4.584,1 casos por grupo de 100 mil habitantes, seguido por Brasiléia, com 3.166,1 casos por 100 mil/hab.

Xapuri também subiu no ranking da incidência de covid-19 no Acre, passando para o 9º lugar com taxa de 2.359,9 casos por 100 mil/hab. Epitaciolândia é o 15º colocado com incidência de 2.026,0 por grupo de 100 mil/hab.

De acordo com o Boletim Sesacre, os novos casos registrados em Brasiléia nas últimas 24 horas foram 39. Em Xapuri, foram confirmados 27 novos casos nesta segunda-feira. Assis Brasil teve aumento de 12 e Epitaciolândia de 16.

Alguns números divulgados pelo boletim diário do Departamento de Vigilância em Saúde da Sesacre diferem dos informados pelos boletins municipais por conta da maneira diferenciada como os dados são processados nas duas esferas.

Continuar lendo

Na rede

MDB e PSDB formam chapa para eleição da prefeitura em Mâncio Lima

Publicado

em

A dobradinha MDB, de Vagner Sales e PSDB, possível novo partido do governador Gladson Cameli, que tem chapa na disputa da prefeitura de Cruzeiro do Sul, também foi formada em Mâncio Lima. A professora e ex-vereadora Isete Pinheiro, que iria disputar a prefeitura de Mâncio Lima pelo PSDB, retirou o nome para ser vice do pré-candidato Chicão do MDB.

Ela aposta na força das lideranças dos dois partidos como garantia de real possibilidade de vitória nas eleições de 15 de novembro. “Nomes como do vice-governador Major Rocha, deputadas Federal Jéssica Sales e Mara Rocha, Flaviano Melo, o Márcio Bittar têm peso e buscamos compor com o PSD do Petecão, formando uma chapa muito forte. Vamos fazer um plano de governo bem arrojado, pois teremos a maior bancada federal do Acre, para conseguir as emendas”, disse.

Em Cruzeiro do Sul, o MDB vai de Fagner Sales, filho do Leão do Juruá, Vagner Sales e o PSDB apresentou o presidente da Associação Comercial do Alto Juruá, Luís Cunha. O acordo foi firmado pelo vice-governador Major Rocha, quando ainda era tucano.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas