Conecte-se agora

Caminhando sob o fio da navalha

Publicado

em

Com a posição já conhecida da prefeita Socorro Neri sobre a sucessão municipal, falta agora ao governador Gladson Cameli (foto) revelar como será o seu comportamento político. Pode acontecer, mas não é muito lógico, que lance pelo PROGRESSISTAS um nome do seu colete para disputar a prefeitura de Rio Branco. E, por dois motivos: o primeiro é que para isso teria que ter trabalhado este nome desde o ano passado e dado um sinal claro de engajamento para o seu secretariado. Não fez. E segundo, que não há dentro do seu partido na capital um nome que já entre no jogo encorpado para a disputa. Já imaginaram pegar um nome sem peso político, colocar debaixo do braço, e perder a eleição para a PMRB? Seria um golpe duro na sua imagem, um desastre político de grande proporção. Uma mexida de pedra também desastrada seria indicar um vice do PROGRESSISTAS, para qualquer das chapas do seu grupo político que está na disputa da prefeitura da capital. Isso ocorrendo, entraria em choque com os demais aliados. A posição mais prudente seria a de só entrar na campanha no segundo turno. Mas, esperar prudência de quem toma posições políticas no emocional como o governador Gladson Cameli, é apostar no imponderável. O certo é que ele caminha no fio da navalha nesta eleição, e qualquer movimento mal calculado vai criar entraves dentro do governo com o partido que vier a ser preterido no seu apoio. Até aqui tem se mostrado disperso no assunto.

NÃO ESTÁ NA AGENDA
Conversei ontem com um dos assessores do secretário de Saúde, Alysson Bestene, sobre boatos de que estaria encaminhando entendimentos na busca de apoio para disputar a prefeitura de Rio Branco. Garantiu que não existe nenhuma iniciativa pessoal do secretário.

FOCO PRIORITÁRIO
O que o secretário Alysson Bestene tem de focar é em melhorar o atendimento na Saúde.

NOME NO JOGO
Quem mandou uma postagem ao BLOG afirmando que a sua candidatura a prefeito de Rio Branco é fato decidido, foi o ex-deputado Jamyl Asfuri (PSC), anunciando ainda que, a partir do próximo mês estará dando início aos movimentos para colocar o seu nome como nova opção.

QUANTO MAIS CABRA……
A serem mantidos todos os nomes até aqui anunciados como candidatos a prefeito de Rio Branco, se estará quebrando um recorde de candidaturas: nove nomes disputando a PMRB.

FORÇA DA LEGISLAÇÃO
A criação da Cláusula de Barreira força aos partidos a terem candidatos próprios para as prefeituras, para garantir um percentual nacional, principalmente, os partidos pequenos.

QG DO PERIGO
O que era para ser um bairro modelo passou a ser o local mais perigoso de Rio Branco, a “Cidade do Povo”. Quase todos os dias estão se registrando execuções no local.

RESPONSABILIDADE ZERO
Na questão do reajuste dos salários dos vereadores, a responsabilidade exclusiva é da mesa diretora da Câmara Municipal de Rio Branco, porque o orçamento que vai bancar o pagamento da conta é da própria Câmara e não da PMRB. A responsabilidade da prefeita Socorro é zero.

O QUE TODO MUNDO SABIA
A Nota do ex-prefeito Angelim sobre os últimos acontecimentos políticos não trouxe novidades. Deixa claro que nunca conversou com outros partidos para mudar de sigla e disputar a PMRB. Sempre coloquei neste BLOG que era uma hipótese descartada deixar o PT.

TAMBÉM NÃO ACREDITO
Assim como sempre coloquei neste espaço que não acreditatava que o Angelim deixaria o PT para disputar a PMRB por outro partido, na mesma intensidade não creio que, ele sairá candidato a prefeito da capital pelo PT. Centrado, sabe ser o cenário desfavorável á sigla.

UM BRANCO NA HABILIDADE
Ninguém pode deixar de reconhecer que mesmo fora do mandato o Jorge Viana é uma força política considerável, no Acre. Que é um político hábil. Mas no episódio envolvendo seu nome, o PT, a prefeita Socorro Neri, deu um show de inabilidade ao achar que podia criar nos bastidores á revelia da prefeita Socorro, lhe fustigando, um clima que a levasse a desistir da sua candidatura á reeleição. Era uma conversa que teria que ser olho no olho entre ambos.

ERA O SONHO MESMO
Não adianta querer mascarar fatos. O sonho mesmo do ex-senador Jorge Viana – isso não tem nada de ilegítimo na política – era ver o ex-prefeito Raimundo Angelim candidato a prefeito de Rio Branco apoiado pela prefeita Socorro Neri, com esta indicando o vice. Faltou combinar.

NÃO ERAM REPUBLICANAS
Basta se buscar em fatos do ano passado para se ver que as relações entre a prefeita Socorro Neri e o ex-senador Jorge Viana não eram republicanas. JV a criticou publicamente em duas ocasiões: uma ao dizer que o mandato não era dela, e a outra que não entendia ver o Angelim preterido para ser o representante da PMRB em Brasília. Tudo isso azedou o caldo de cultura.

CONSEQUÊNCIA ESPERADA
Na virada do ano, omitiu o nome da prefeita Socorro Neri, que organizou a festa dos fogos de artifício na Gameleira, quando falou do evento, dizendo que estava em lugar que considerava seu. Este episódio dos vereadores foi apenas o entornar do caldeirão, que já estava na tampa.

SÓ FICOU UM CAMINHO
Com a NOTA do ex-prefeito Angelim dizendo não ter entendimento para deixar o PT, não caberá outro caminho ao senador Sérgio Petecão (PSD), ao não ser o de se aliar ao MDB.

DESFALQUE ATRÁS DO OUTRO
O PT vem sofrendo na pele o castigo por ter perdido o poder. Várias lideranças saíram do partido. A saber: ex-deputado Ney Amorim, ex-presidente Minoru Kinpara; ex-prefeitos de Feijó, Francimar Fernandes e Juarez Leitão; o ex-prefeito de Porto Acre, Zé Maria; o ex-prefeito de Tarauacá Rodrigo Damasceno, e pode perder a ex-deputada Leila Galvão, em Brasiléia.

PODE FECHAR EM 20
O MDB tem trabalhado neste período pré-eleitoral com profissionalismo político. Fechou 18 candidaturas a prefeito e pode terminar o final de semana garantindo o teto de 20 candidatos.

BEM MAIOR QUE COMEÇOU
O MDB pode sair da eleição municipal deste ano bem mais forte do que está entrando. Já é um partido indispensável para quem pretende entrar bem posicionado na disputa de cargos majoritários em 2022, depois da eleição deste ano, passará a ser o dono da bola para 2022.

PEDRA NO ASSUNTO
A declaração da prefeita de Brasiléia, Fernanda Hassem (PT), de que não tem compromisso com ninguém para a indicação do vice da sua chapa, tira de tempo o grupo da deputada Maria Antonia (PROS), que já dava como certo que o nome passaria pelo seu crivo na escolha.

TÁTICA MANJADA
Motoristas de ônibus bloquearem o acesso ao Terminal é uma tática por demais manjada dos empresários do setor, para forçar que a prefeitura venha ceder e dar um aumento no preço das passagens. Querem vincular o atraso salarial a não ter ocorrido um novo reajuste. Blefe!

NOME ALTERNATIVO
Numa saída do Gladson Cameli para o Sendo em 2022, a disputa entre o senador Sérgio Petecão (PSD) e o vice-governador Major Rocha (PSDB) se acirrando pelo cargo, o senador Márcio Bittar (MDB) poderia ser o ungido como solução para a unidade. A tese é defendida por gente importante dentro do governo, que vê na neutralidade do Bittar um ponto a favor.

CONVERSA DE TRANCOSO
Alguém pode acreditar que os donos das empresas de ônibus estão tendo prejuízos?

PLACAR MACABRO
23 execuções foram registradas em 17 dias no Estado, com a maioria esmagadora na capital. Isso quebra o discurso do Comandante da PM, Coronel Ulysses Araújo, de que tinha solução para o fim da violência em Rio Branco. A violência entrou na espiral do incontrolável.

CARIOCA ENTRA EM CENA
O El Brujo petista, Nepomuceno Carioca, foi escalado para tentar unir em Brasiléia os grupos da prefeita Fernanda Hassem (PT) e da ex-deputada Leila Galvão (PT), esta em franca dissidência. Vai precisar de uma mandinga muito forte para a paz voltar reinar entre ambas.

 NÃO É DESCARTADO
Não está descartado que o PT saia com o deputado Daniel Zen (PT) para disputar a PMRB.

FRASE DO DIA
“A política é uma guerra sem derramamento de sangue, e a guerra uma política com derramamento de sangue”. Mao-Tse-Tung.

Anúncios

Blog do Crica

O fim das capitanias hereditárias 

Publicado

em

O governador Gladson Cameli, ao final desta eleição municipal, seja qual for o resultado, não pode deixar de fazer uma mudança radical na distribuição de espaços dentro da sua administração. Hoje, estes espaços funcionam como uma espécie de capitanias hereditárias, cada uma com o seu donatário. É muito comum se ver secretários e mesmo ocupantes de CECs, ter mais compromisso e lealdade com o dirigente partidário que o indicou, de que com o próprio governador. Existe um descompasso muito grande na correlação de forças dos que ocupam cargos de confiança na sua gestão. É ilógico que, partido nanico, sem um deputado estadual, tenha mais cargos dentro do seu governo. Quem vota nos seus projetos são os deputados estaduais. O que se nota são partidos grandes e de maior número de deputados federais, com senador, e parlamentares estaduais, tendo pouco espaço na máquina estatal. Nada justifica essa distorção. É essencial que forme um novo governo apenas com aqueles que vão estar no seu projeto político em 2022. Com este governo, como está posto, o Gladson não conta com a metade caso decida embarcar num projeto de reeleição em 2022. Toda e qualquer nomeação de secretário deveria ter passado pelo crivo da sua confiança, mas isso não aconteceu, foi recebendo os nomes e nomeando. Ou dá um novo formato político ao governo ou sempre vai contar com bolsões de resistência em setores governamentais, como acontece no momento. Ou acaba com as capitanias hereditárias, ou os seus donatários acabam com ele. Não existe alternativa se quiser se cercar de aliados confiáveis, em 2022.

BIG DATA RECORD

Hoje é dia da divulgação da pesquisa para prefeito de Rio Branco. É natural em toda pesquisa que se sucede a outra, que os números mudem. Os esperneios são normais, sempre vai haver um descontente reclamando. Não é de se admirar se as posições na pesquisa vierem mudadas.

NADA QUE FUJA A LÓGICA

Só não pode ser algo que fuja à lógica, como quem está lá embaixo, aparecer nas cabeças.

ÁGUA DE MORRO ABAIXO

Nenhum candidato aposte as suas fichas em resultado das pesquisas. Pesquisa não elege ninguém. A campanha é que vai decidir. Numa campanha, quando o candidato vira moda, é como água de morro abaixo, não tem quem contenha. E a eleição é certa, é só abrir a urna.

QUESTÃO DE COMPETÊNCIA

Numa campanha, quem melhor souber mexer com o sentimento do eleitor, passar a confiança de que pode resolver os problemas da cidade, este, com certeza levará vantagem. Porque o que se discute numa eleição não é apenas o que foi feito, mas o que deixou de ser feito.

ATÉ QUE PONTO

Os seus adversários acreditam que, o candidato a prefeito da capital, Minoru Kinpara (PSDB), deu uma freada no crescimento da sua candidatura. Vamos esperar as próximas pesquisas de institutos diferentes. Costumo encarar o desempenho de um candidato pela pluralidade dos fatos. Não embarco nunca na teoria do achismo, mas em cima de dados científicos.

CHUVA DE COMENTÁRIOS

Ontem, havia uma chuva de comentários por causa do adiamento desta pesquisa. Como não comento ilações, não vou citar, vou esperar a publicação, e que os boatos não se confirmem.

DADO DE FORA

Na pesquisa da BIG DATA sobre a eleição para a prefeitura de Cruzeiro do Sul o quadro veio com uma nova configuração, com um novo líder, o professor Zequinha (PROGRESSISTAS). Mas dados importantes ficaram de fora, como as Vilas Santa Luzia e Lagoinha, não pesquisadas.

OUTRO DADO

Cruzeiro do Sul tem áreas de muitos votos que as pesquisas não captam, porque são feitas apenas na área urbana, que são as áreas ao longo do Juruá, aonde o MDB é muito forte.

ABRIU COM CARREATA

O candidato a prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom (PROGRESSISTAS), deu a largada oficial ontem á sua campanha, sendo recebido no aeroporto com uma carreata pelos apoiadores.

APOSTA ERRADA

O Tião Bocalom tem um eleitorado cativo, é aposta errada que se encontra fora da disputa.

NÃO APONTARIA NINGUÉM

Fica muito claro nesta disputa pela prefeitura de Rio Branco de que, pelo menos quatro nomes, iniciam com chance a campanha, fora disso fica por conta das paixões políticas.

FICA DIFÍCIL

Você pode apontar no início de uma campanha pontos que possam beneficiar este ou aquele candidato, quem tem uma maior estrutura, mas eleição é emoção, e emoção é difícil medir.

DEIXAR DE PATINAR

Dirigentes do MDB esperam que, na segunda quinzena de outubro o candidato a prefeito de Rio Branco, Roberto Duarte (MDB), pare de patinar nos números, porque é um tempo necessário para que amplie sua presença nos bairros. Não esperam um avanço antes disso.

NÃO É DAS MELHORES

A divulgação da candidatura do deputado Roberto Duarte (MDB) pode ser considerada tímida.

PARECE INEVITÁVEL

Para a eleição de 2022, um quadro parece muito nítido, o de que se o governador Gladson Cameli for disputar a reeleição a sua chapa deve vir com o nome de outro vice. Não há mais clima para repetir o cenário que se formou até aqui, e bisar a vice com o Major Rocha (PSL).

NOME DA CONFIANÇA

E pode-se explicar isso. Caso o Gladson Cameli se reeleja em 2022, e se quiser em 2026 tentar uma vaga no Senado, terá que se afastar do cargo e o vice assumirá o governo. E neste caso o vice terá que sair de sua escolha pessoal, alguém da extrema confiança. Nada mais lógico.

NÃO FICOU SURPRESO

O senador Petecão (PSD) disse ontem ao BLOG que não lhe causou surpresa o fato do professor Zequinha (PROGRESSISTAS) aparecer liderando a pesquisa para a prefeitura de Cruzeiro do Sul. Revelou que, nas visitas que fez deu para sentir o crescimento do Zequinha.

COMPLETAMENTE TRANQUILO

Já o ex-prefeito Vagner Sales (MDB) não se mostrou desolado por o filho Fagner Sales (MDB) aparecer em terceiro lugar, por a pesquisa ter sido restrita apenas à área urbana, e de menor amplitude que as pesquisas de mais densidade, que colocam o Fagner em primeiro lugar.

QUESTÃO DE HONRA

A eleição para a PMRB virou uma questão de honra para o governador Gladson Cameli. Não esperem ao contrário, vai jogar todo o seu prestígio para levar ao segundo turno a sua candidata à PMRB, Socorro Neri. Uma derrota da prefeita teria reflexos negativos para 2022.

SÓ UM PONTO FORA DA CURVA

Pelo fato de disputar a reeleição no poder e devido ao fato de ser a candidata do governador Gladson Cameli são indicativos que, dificilmente, a Socorro Neri não estará no segundo turno. Ao não ser que durante a campanha aconteça um ponto fora da curva e lhe prejudique.

FORA DE COGITAÇÃO

Qualquer euforia de que a eleição para a PMRB pode ser decidida no primeiro turno, a fala fica na conta da euforia política, porque as demais candidaturas são fortes. E todas as pesquisas publicadas até o momento mostram uma diferença muito pequena entre os candidatos.

COMO DEVE SER

O candidato a prefeito da capital, Jarbas Soster (AVANTE), continua fazendo uma campanha como deve ser, mostrando as mazelas da cidade. E este é o papel de candidato da oposição à atual gestão. Quem tem de mostrar o que foi feito na cidade são os aliados da prefeita.

NADA PESSOAL

As críticas devem ser direcionadas aos problemas da gestão, não podem ser fulanizadas.

É UMA GUERRA

São 536 candidatos disputando 17 vagas de vereadores na Câmara Municipal de Rio Branco. Destas 17 vagas, pelo menos seis dos atuais vereadores devem se reeleger, então, na verdade seriam 11 as vagas a serem ocupadas. Por tudo isso, a eleição para vereador é uma guerra.

PREPARAR O PALETÓ

Até sexta-feira deve sair oficialmente quem vai ocupar as vagas dos deputados cassados Dr. Juliana e Manuel Marcos, o recálculo dos votos já foi determinado ao TRE-AC pela desembargadora Denise Bonfim. Os caminhos apontam para Pedro Longo (PV) na ALEAC, e Léo de Brito (PT), na Câmara Federal. Longo vai para a base do governo, e Léo para a oposição.

FRASE MARCANTE

“A vitória tem mil pais, mas a derrota é órfã”. John Kennedy.

Continuar lendo

Blog do Crica

O  jogo do Bittar para 2022

Publicado

em

O senador Márcio Bittar (MDB) pode ser criticado pelas suas pautas ambientais extremadas para a Amazônia, mas não se pode tirar dele ser um dos políticos mais hábeis do estado. Fala que a mulher Márcia Bittar será candidata a deputada federal pelo partido no qual o presidente Jair Bolsonaro estiver filiado. Na verdade, ele prepara a Márcia para disputar o Senado. E claro que no momento vai negar, mas é a sua meta. E para isso será o coordenador da campanha á reeleição do Bolsonaro no Acre. Ao mesmo tempo luta para aproximar o governador Gladson Cameli do MDB. O cenário dos seus sonhos é ver o Gladson disputando a reeleição; com um vice-governador indicado pelo MDB, e a chapa apoiando a candidatura da mulher Márcia Bittar para senadora. Neste cenário, só há lugar para o PSDB da deputada federal Mara Rocha, e para o PSD do senador Sérgio Petecão (PSD) como badecos. Só que, toda esta engenharia política pode ser mudada por completo, conforme for o resultado da eleição para a prefeitura da capital. E da prefeitura de Cruzeiro do Sul. Como dizia o velho e saudoso ex-senador Jorge Kalume (PDS): “no Acre, não se faz previsão com mais de 24 horas”. 

META PRÓPRIA

É amadorismo pensar que o senador Sérgio Petecão (PSD) vai aceitar ser badeco desta engenharia política, seus planos políticos também passam pelo governo em 2022. Portanto, vamos andar devagar com o andor que o santo é de barro. A política é dinâmica.

CRIATIVA E ATRAENTE

Disparada a peça publicitária mais criativa da campanha é a do candidato á PMRB, Daniel Zen (PT), e a única que apresenta uma proposta visual moderna. A estrela do PT virou um Emoji, a cartela de cores usadas é leve; enquanto que, o material dos demais candidatos é como uma viagem ao túnel do tempo. E fugiu da foto tradicional com o vice, aparece numa foto ao lado de um senhor com um sorriso contagiante, que humanizou o material. DNA do Davi Sento-Sé.

AQUELA COISA CHAPADA

As dos demais candidatos é aquela coisa chapada, antiga, pesada, do candidato a prefeito ao lado do vice. Em tempos de redes sociais é preciso se reinventar para chegar aos internautas. 

CARREATA DO BOCA

A Campanha do “Novo Boca” deve começar com uma carreata organizada pelo senador Sérgio Petecão (PSD) para recebê-lo amanhã no aeroporto. A meta traçada pelo Petecão (PSD) é já na quarta-feira cair de cabeça nos bairros junto com o Tião Bocalom e a vice Marfisa (PSD).

BOM DA CAMPANHA

O que motiva mais acompanhar esta eleição para a prefeitura é que o jogo começa sem um candidato favorito, com cinco num bolo disputando a polarização. Estar no poder é um plus na candidatura de um gestor, quando os adversários são fracos, não é o caso da disputa da PMRB.

BOM DIA, DR.GIORDANE!

É elogiável sua cruzada contra as fake news, tão importante como a iniciativa é se criar mecanismos para evitar que secretários estaduais e municipais pressionem os ocupantes de cargos de confiança ou ameacem servidores do quadro a votar no candidato do poder.

GRAVAR E JOGAR NA REDE

Em caso de pressão do poder por votos é gravar o ilícito, jogar nas redes que chega à justiça.

PRÁTICA COMUM

Cabe o alerta porque a máquina pública foi sempre usada de forma cínica ao longo dos últimos vinte anos para eleger prefeitos e governadores. E não me lembro de um caso de punição que tenha sido exemplar, mesmo várias gravações sendo vazadas durante a última campanha.

NÃO PODE

O SERVIDOR PÚBLICO não pode continuar sendo massa de manobra para eleger candidatos.

ALERTA FOI DADO

O governador Gladson Cameli já se posicionou que não vai usar a máquina estatal para beneficiar a candidata que apoia para a prefeitura da capital. Só este fato já é suficiente para o servidor público denunciar se estiver sendo assediado por secretário a votar em afilhado.

NÃO VÃO DESCANSAR

Pelos movimentos do senador Márcio Bittar (MDB) e do vice-governador Major Rocha, ambos só vão descansar quando a Serra do Divisor se transformar em grandes fazendas. A conversa que a estrada Pucallpa/Cruzeiro do Sul será a salvação econômica da região, é duvidosa.

JANES PETECA, EXEMPLO DE VIDA

Conheci quando criança na porta do mercado central pedindo para carregar sacolas das pessoas para ajudar com algum a sua família. Fazia questão de lhe dar prioridade. Cresceu, e hoje, Janes Peteca é Agente Penitenciário, candidato a vereador e, um exemplo de vida.

SABE O QUE É DIFICULDADE

Por tudo que passou, conhecendo o lado amargo da vida, Janes Peteca (AVANTE), surge como um bom nome entre os que disputam vagas de vereador na Câmara Municipal de Rio Branco.

FOI PARA O POVÃO

O candidato a prefeito de Rio Branco, Minoru Kinpara (PSDB), mostrou que não fará uma campanha elitista como alguns andam apregoando, começou com um arrastão no meio do povão. Candidato que quer ir para as cabeças, não pode esperar que os votos venham do céu.

BOTANDO FÉ NO FARAÓ

O deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) está botando fé de que o “Faraó” – Francimar Fernandes (MDB), candidato a prefeito de Feijó; vai para a disputa,  se não como favorito, mas com chance de vencer. Magalhães diz ser um grave erro querer menosprezar o Francimar.

TUDO PODE ACONTECER

Sobre a eleição para a prefeitura de Tarauacá, o deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) vê uma disputa equilibrada entre Abdias da Farmácia (DEM), Junior Feitoza (MDB), Chagas Batista (PCdoB) e Néia (PDT). Para ele, no momento, não há como apontar um favorito.

NÚMEROS DO JURUÁ

Prevista para amanhã a divulgação de uma pesquisa sobre a eleição para a prefeitura de Cruzeiro do Sul. Não vai decidir a eleição, mas dará um norte sobre o quadro atual.

VALE NO MOMENTO

Pesquisa eleitoral tem duração tão longa como a fumaça de um cigarro. Um resultado de hoje pode não valer nada daqui uma semana, as campanhas não são estáticas, mas oscilam.

PARA TODOS OS GOSTOS

Nesta eleição tem que se ter cuidado com a divulgação de pesquisas, porque os grandes partidos contrataram institutos, alguns de fora, para medir o movimento por bairro sobre a aceitação dos seus candidatos. E como são pesquisas internas, não pode se divulgar.

DUAS NA MESA

Estou com duas pesquisas de partidos diferentes na minha mesa, ambas realizadas em períodos próximos, e com números completamente diferentes, inclusive, em relação ao primeiro lugar. Vou guardando para que possa sentir a avaliação de cada candidatura.

APOIO IMPORTANTE

O presidente da FIEAC, José Adriano, que andou flertando com o MDB, fez pouso definitivo no PSDB e está na campanha do candidato à PMRB, Minoru Kinpara (PSD). Adriano virou um dos aliados mais próximos do vice-governador Major Rocha.

NÃO HÁ MAIS LIGA

Há situações na política que, por mais que se insista nunca vai dar liga. É o caso da relação entre o governador Gladson Cameli e o vice-governador Major Rocha, nunca vão se afinar.

NÃO LIDA COM AMADORES

Com o discurso de “Fora os Camelis!” e “Fora os Sales!”, o candidato a prefeito de Cruzeiro do Sul, Sargento Adonis (PSL), acha que pode se eleger atacando as oligarquias locais. Do discurso á prática vai uma boa distância, não lida com amadores, mas com profissionais da política.

CAUTELA É NECESSÁRIA

O ex-deputado Ney Amorim, que disputou o Senado pelo PT, está naquela fase do ninguém me ama, ninguém me quer. O melhor que faz é passar ao largo da eleição municipal, e se preparar para a disputa de Federal em 2022. Se for ser estafeta na eleição, não lhe acrescenta em nada.

SERÁ MONITORADO

E pelo que ouvi ontem de importante fonte política, é que, é o Ney Amorim colocando o pescoço de fora e a pancada comendo. E que, suas ações na Baixada serão monitoradas.

BOLA DE CRISTAL

O presidente do PT, Cesário Braga, está convicto que há um indicativo que o candidato à PMRB, deputado Daniel Zen (PT), chegará ao segundo turno. É o que mostra sua bola de cristal.

ENTRADA NA CAMPANHA

O ex-senador Jorge Viana (PT) manda postagem ao BLOG para informar que, com a abertura oficial da campanha vai se engajar no mutirão para massificar a candidatura do deputado Daniel Zen (PT), participando mais diretamente das ações do candidato petista a prefeito.

 FRASE MARCANTE

“Imprensa é oposição. O resto é armazém de secos e molhados.” Millôr Fernandes, escritor.

Continuar lendo

Blog do Crica

Flaviano Melo: “o  MDB está de porta aberta ao Gladson”

Publicado

em

Nos últimos dias assessores mais próximos do governador Gladson Cameli têm ouvido que, passa pela sua cabeça ter uma conversa com o deputado federal Flaviano Melo (MDB), para discutir a sua entrada no partido. De posse desta informação, liguei ontem ao Flaviano, para saber o que achava desta hipótese. Foi pragmático na resposta: “Qual é o partido que não quer ter um governador? Todo partido não trabalha para chegar ao poder? Se for procurado, com prazer vou reunir o partido e colocar o assunto em discussão, porque no MDB se discute tudo, não vejo empecilho à sua entrada,” destacou ontem o presidente do MDB, Flaviano Melo, ao BLOG. Caso entre no MDB, o Gladson estará dando um passo seguro em relação á sua reeleição. O MDB é um partido estruturado, tem deputados federais, senador, deputados estaduais e prefeitos, e com a mexida desta pedra estaria tirando o MDB de uma eventual aliança com o PSDB e com o PSD, para disputa do governo em 2022, com a candidatura ao governo do senador Sérgio Petecão (PSD). Gladson ficou sem clima para permanecer no PROGRESSISTAS depois que a sigla avalizou a candidatura de Tião Bocalom (PROGRESSISTAS) a prefeito de Rio Branco, mesmo contra a sua vontade. E no PSDB também não há lugar para se filiar, porque tem desafetos como a deputada federal Mara Rocha (PSD). O MDB seria um porto seguro para 2022. Agora é esperar para saber ou não se vai de fato procurar o MDB.

ENTUSIASMO BATEU

INDO PARA A ELEIÇÃO a eleição municipal, o deputado federal Flaviano Melo (MDB) se mostra entusiasmado, com a chance do deputado Roberto Duarte (MDB) chegar ao segundo turno na disputa da prefeitura de Rio Branco. Crê que, depois que Duarte caiu em campo, só cresceu.

BISPA DE CABEÇA

A VICE ANTÔNIA LÚCIA (PL), entrou de cabeça na campanha do Roberto Duarte (MDB) á PMRB. Seu marido, deputado federal Silas Câmara (PL-AM), esteve por aqui ajudando na amarração de parcerias com lideranças evangélicas e na montagem de núcleos  nos bairros.

NÃO GOSTOU DA BRINCADEIRA

O BLOG tem informação de que o governador Gladson Cameli voltou descontente de Cruzeiro do Sul da reunião com ministros, onde nas falas pouco foi citado, como se a sua presença não fosse importante no evento. O problema do Gladson é que tem o poder e não sabe usar.

PODER É PARA USAR

OS AJUSTES que tem que fazer na sua administração, ele tem que fazer agora. Medidas duras devem ser tomadas de imediato e de uma vez, as bondades têm de ser aos poucos, já ensinava Maquiavel no seu livro “O Princípe”. Ou os seus problemas viram uma bola de neve.

A MISÉRIA CONTINUA

Dois ministros vieram ao Acre. Deixaram um dinheiro para arrumar uma estrada, e foram embora. Este tipo de ajuda merreca do governo federal vem se repetindo há décadas e a economia acreana continua miserável. E, a maioria da povo passando privação. Este tipo de ajuda é paliativa, o que o Acre precisa do governo federal e de um Plano de Desenvolvimento.

TRATADOS COMO HERÓIS

E SÃO TRATADOS como heróis, como se a merreca que deixaram vai resolver os problemas do estado, que continua na dependência da economia do contracheque e do FPE. Querem dar esta visita como um grande feito? Ora, bolas, vão arrumar uma lavagem de roupa.

NEM CAMELI E NEM SALES

“NEM COM os Camelis e nem com os Sales, Cruzeiro do Sul não tem dono”. É basicamente com este discurso para a população que o candidato a prefeito pelo PSL, sargento Adonis, vem crescendo na aceitação de sua candidatura. Se cair na simpatia popular pode decolar.

AONDE CHEGA DISCURSA

UM DEPUTADO do Juruá, que pediu para não ser citado seu nome, se disse ontem preocupado com a campanha do candidato Adonis (PSL). “Aonde ele chega e tem uma aglomeração faz  discurso pelo fim das oligarquias dos Cameli e dos Sales, na prefeitura de Cruzeiro do Sul, e está pegando”, comentou ao BLOG. É uma opinião de quem conhece bem a política do Juruá.

HÁ UM PROBLEMA

MAS TAMBÉM há uma ressalva a se fazer: não será fácil para um candidato sem base política derrotar um nome apoiado pelo governador Gladson Cameli, como o Zequinha (PROGRESSISTAS); nem um Fagner Sales (MDB), apoiado pelo ex-prefeito Vagner Sales. Mesmo em política não havendo o impossível. E a campanha está começando para valer agora.

CORRENDO OS BAIRROS

ERRA QUEM APOSTAR que, o candidato a prefeito da capital, professor Minoru Kinpara (PSDB), estagnou a sua campanha. A informação que tenho é que o Minoru está direto nos bairros, o que pode consolidar ainda mais o seu nome na corrida para a prefeitura de Rio Branco.

A DISCUSSÃO É A CIDADE

O TEMA CENTRAL da campanha será a discussão de como se encontra a cidade. Quais são as carências dos bairros? Por qual razão o poder público não chegou a uma grande parte da cidade? Este será o eixo de todos os candidatos a prefeito pela oposição, é inevitável o debate.

JINGLE ANIMADO

A MÚSICA de campanha do candidato a prefeito da capital, Tião Bocalom (PROGRESSISTAS), está pronta e bem animada. Tem como eixo central um “homem de palavra”. Vamos ver se vai virar moda, como foi a musiquinha do senador Sérgio Petecão (PSD), na última campanha.

USANDO BEM

Minoru Kinpara (PSDB), Jarbas Soster (AVANTE), Tião Bocalom (PROGRESSISTAS) e Roberto Duarte (MDB) estão usando bem as redes sociais. Esta é uma ferramenta que atinge milhares de pessoas, e pode ser uma ajuda importante numa campanha. Mas nada substitui a visita.

NOVIDADE NA ÁREA

NÃO SERÁ NENHUMA NOVIDADE se, além da ex-deputada Juliana Rodrigues (REPUBLICANOS),  outro deputado estadual venha a perder o mandato por causa do recálculo dos votos da última eleição, que pode mudar o quadro posto. É bom ficar de olho no movimento do TRE-AC.

FORÇA CONSIDERÁVEL

A PARTICIPAÇÃO efetiva do senador Sérgio Petecão (PSD) na campanha do Tião Bocalom (PROGRESSISTAS) para a prefeitura da capital é um fato relevante para o candidato. Nunca nas campanhas anteriores, Bocalom teve alguém do peso do Petecão engajado na sua candidatura.

GRANDE INTERROGAÇÃO

O PT, seja nas vitórias ou nas derrotas eleitorais, sempre mostrou ter um nicho de apoiadores fortes na capital. A grande interrogação é se após a fragorosa derrota no último pleito, o quadro mudará ou não. O candidato Daniel Zen é um petista de DNA e sempre fiel ao partido.

VAMOS AGUARDAR AS PESQUISAS

VAMOS AGUARDAR as pesquisas para ver como virá posicionado o candidato Daniel Zen (PT). Ver também qual é o poder de transferência de votos do ex-prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre, que deixou o poder e continua muito querido e respeitado pela população.

JÁ ERA RESPEITADO

NÃO CHEGA a ser muita surpresa o candidato a prefeito de Tarauacá, Abdias da Farmácia (DEM), aparecer bem posicionado na disputa da prefeitura do município. Abdias sempre foi uma figura muito respeitada na cidade, e isso ajuda muito uma candidatura.

FRASE MARCANTE

“Democracia é quando mando em você, ditadura é quando você manda em mim”. Millôr Fernandes

Continuar lendo

Blog do Crica

Fechando um ciclo sem escândalos

Publicado

em

ANTES DA PANDEMIA os números da popularidade do governador Gladson Cameli não eram bons, mas reverteu com suas ações no combate à proliferação da Covid-19, e hoje até a oposição reconhece que deu a volta por cima, cresceu a aceitação da sua administração, e sairá da pandemia melhor do que entrou; por ele saber aplicar bem, os recursos que recebeu do governo federal, como a construção de dois hospitais de campanha, que serão permanentes, não obras passageiras como em outros estados. O que pesou para aumentar a sua popularidade foram também as campanhas de esclarecimento á população pela sua equipe de comunicação, que deixou a população antenada sobre o que o governo vinha fazendo no combate ao vírus. Foi como uma prestação de contas, diariamente. O mapa da doença no Brasil está mostrando o Acre num patamar de queda no número de mortes e de contaminação, o que comprova que o governo se conduziu bem. E o mais elogiável de tudo isso é que, diferente de alguns estados, o governo do Acre vem caminhando para o fim deste terrível ciclo, sem um registro de escândalos sobre o uso do dinheiro público. Isso conta. 

APOSTANDO ALTO

AMIGO que conhece bem o colégio eleitoral de Mâncio Lima comentou ontem que, a grande surpresa na disputa da prefeitura do município será a candidata Wilsilene Gadelha, que na última eleição foi bem votada. Acha que será a ameaça á reeleição do prefeito Isaac Lima (PT).

NÃO TEM O IMPOSSÍVEL

NUMA ELEIÇÃO majoritária ninguém é dono dos votos, e não tem vaga carimbada. Agora, uma coisa é certa, disputar uma reeleição no cargo de prefeito num município pequeno como Mâncio Lima (PT), não deixa de ser um plus para o prefeito Isaac Lima (PT), que tem grupo.

NADA MAIS IMORAL

ALIÁS, nada mais imoral na atual legislação eleitoral, do que permitir a um prefeito disputar a reeleição no mandato, por deixar a disputa desequilibrada para o candidato da oposição. Para ser uma eleição justa, um prefeito que fosse disputar a reeleição teria de se afastar do cargo.

SITUAÇÕES CÔMICAS

NA POLÍTICA sempre surgem situações cômicas. Uma delas foi o projeto no governo do Tião Viana de combater a violência nos bairros distribuindo apitos aos moradores. Outro blefe foi no governo Binho, de dar como certo que o Acre sediaria uma chave da Copa do Mundo. Nos dois casos, a emenda saiu pior que o soneto, e acabou virando galhofa na população.

BEM POSICIONADO

ENTRE Bom e Ótimo na pesquisa do IBOPE o Bolsonaro apareceu folgado com 40% de aceitação. Numa pesquisa só se soma o Ótimo e o Bom, como índice de aceitação. É assim que contabilizam os grandes institutos. Somar o Regular, só usa no Acre para bajular o poder.

JABOTICABA ACREANA

ALIÁS, somar o Regular nas pesquisas foi uma jabuticaba criada no Acre nos governos do PT, que era usada para colocar o governador e o prefeito num patamar de mais aceitação. O uso do cachimbo deixou a boca torta, a jabuticaba contínua usada para avaliar o atual governo.

INDO PARA 2022

DEIXANDO o comentário de lado, os números vêm mostrando nas pesquisas do DATAFOLHA e do IBOPE que, o presidente Jair Bolsonaro vai para a disputa da reeleição muito forte, e tudo indicando que, num eventual segundo turno para a presidência, ele estará no jogo final.

NADA RADICAL

PARA MATAR a curiosidade, depois que o senador Márcio Bittar (MDB) criticou o discurso do vice-presidente Mourão sobre o meio ambiente, segundo ele, no estilo Marina Silva, fui escutar o que disse o vice. Disse ser contra a devastação da Amazônia, e nada além.

RESPEITO AO CONTRADITÓRIO

ASSIM como se deve respeitar a posição do senador Márcio Bittar (MDB) sobre o meio ambiente, para quem se dependesse dele a Amazônia estaria toda lajotada, o Márcio tem que respeitar também o discurso dos que são pela preservação da floresta amazônica. Ponto final.

CADA QUAL NO SEU QUADRADO

E CADA qual no seu quadrado, porque nunca vai prevalecer a tese do pensamento único.

POR ISSO FICO CABREIRO

TENHO me deparado com pesquisas de institutos diferentes sobre as eleições em alguns municípios do interior, cada um dando posições no primeiro lugar a candidatos de partidos diferentes. Por isso, fico muito cabreiro em aceitar os números, como uma verdade absoluta.

ENCORPOU AINDA MAIS

O CANDIDATO a prefeito de Capixaba, Manoel Maia (DEM), apoiado pelo deputado federal Alan  Rick (DEM), tem fortalecido a sua posição na disputa ao encorpar á sua chapa um arco de fortes aliados. Seu principal adversário, prefeito Joãozinho (MDB), não terá disputa fácil.

COLOCA BOA DIFERENÇA

SEMPRE ouço opiniões de lados diferentes, antes de fazer um comentário. Conversando ontem com um dirigente de um partido que apóia a candidatura do deputado Gerlen Diniz (PP), a prefeito de Sena Madureira, este me disse que, embora esteja do outro lado, não pode deixar de reconhecer ser muito difícil derrotar o prefeito Mazinho Serafim (MDB). Registrado.

ACRE REAL

O ACRE real é bem diferente daquele que costuma ser pintado pelo ex-senador Jorge Viana em seus comentários.  Dados de pesquisa do IBGE no biênio 2017/2018, feita em 234 mil domicílios pesquisados, mostram que 12,4% passaram por privação alimentar, ou seja, fome.

FALTOU PROJETO DE DESENVOLVIMENTO

O DADO acima foi pinçado de um brilhante comentário do ex-deputado federal Osmir Lima, na TV-RIO BRANCO, que colocou bem a situação de penúria do Acre. No Pará, o governo federal implantou um projeto grande como Carajás; em Manaus, a Zona Franca; em Rondônia, o Polonoroeste; e no Acre, nada que pudesse dar um plus na economia. Ficamos na mesmice.

MERRECAS QUE NÃO RESOLVEM

O ACRE continua num eterno sereno. Chega um Ministro do Governo Federal, deixa uma merreca, chega outro e deixa outra merreca, que em nada contribui para que o Acre se desenvolva, por o estado não ter um projeto de desenvolvimento eficaz. E assim vai a coisa.

NÃO FAZ SENTIDO

A TESE do candidato a prefeito pelo PSC, Jamil Asfury, de que é dele a vaga de deputado federal no lugar do cassado Manuel Marcos (REPUBLICANOS), carece de respaldo jurídico.

ELITE NÃO DECIDE

AS REDES sociais mostram três candidatos a prefeitos enfronhados nos bairros periféricos, de onde vêm os votos que decidem a eleição: Roberto Duarte (MDB), Jarbas Soster (AVANTE) e Tião Bocalom (PROGRESSISTAS). O voto da elite, o voto esclarecido, não decide a eleição.

GRANDE DISCUSSÃO

A GRANDE discussão que deve ser travada entre os candidatos a prefeito de Rio Branco é sobre a cidade e as suas carências. Não é sobre ideologia de A ou de B. Não é sobre quem é bolsonarista e quem não é. A eleição a ser disputa é para a prefeitura da capital. E somente.

ACERTOU O CAMINHO

QUEM acertou e está sabendo dialogar com as redes sociais é o candidato a prefeito pelo AVANTE, empresário Jarbas Soster. Está mostrando e discutindo o que deve ser discutido para levar melhorias aos bairros mais afastados. É preciso levar a gestão municipal para os grotões.

ENTRA COMO AZARÃO

O PSDB de Brasiléia se rebelou contra a direção regional e lançou candidato a prefeito o ex-vereador Manoel Prete. Ao não ser que seja uma grande zebra, a disputa deve ficar entre a prefeita Fernanda Hassem (PT) e a ex-deputada Leila Galvão (MDB). Não vejo outro cenário.

AINDA ACREDITAM

DIRIGENTES do MDB ainda acreditam que o prefeito Tião Flores vira o jogo em Epitaciolândia. 

COMEÇOU O JOGO

COM as candidaturas a prefeitos vereadores registradas começa a partir de agora as campanhas nos municípios. Quem não tiver estrutura será atropelado ao longo do jogo. É sempre assim.

COMEÇA ZERADO

NA CAPITAL, o jogo começa zerado para os candidatos, sem que se possa apontar um favorito para disparar. Não se consegue encontrar um dado que não leve ao segundo turno.

USO DA MÁQUINA

A POPULAÇÃO tem muito a que colaborar nesta eleição denunciando o abuso do poder econômico por parte dos candidatos a prefeito e a vereadores, principalmente, na capital, onde deverá ser travada uma verdadeira guerra pelos votos. O espaço estará aberto.

FRASE MARCANTE

“CHATO – indivíduo que tem mais interesse em nós do que nós temos nele”. Millôr Fernandes.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2020 ac24Horas.com - Todos os direitos reservados.