Conecte-se agora

Comando da PM em Xapuri solicita reforços para período da Festa de São Sebastião

Publicado

em

Com apenas 12 policiais militares atuando nas ruas, o comando da 2ª Cia. da PM em Xapuri solicitou reforço ao Comando Geral da Polícia Militar do Acre para o policiamento na cidade durante os festejos de São Sebastião, que começam a se intensificar a partir do meio desta semana.

O contingente solicitado é de 15 policiais para reforçar o trabalho ostensivo, com uma guarnição do Batalhão de Operações Especiais (BOPE) e de trânsito, com uma equipe do Batalhão de Policiamento de Trânsito (BPTrans) e um agente da Coordenadoria Integrada de Fiscalização de Trânsito – CIFTRAN.

Atualmente, Xapuri conta com um total de 27 policiais militares, dos quais 5 estão de férias e 3 de licença especial (LE). Dos 19 restantes, três trabalham no serviço interno e 4 na guarda do quartel. Sobram 12 estão divididos em 4 guarnições que se revezam em turnos de 12 x 36 horas de serviço.

O quadro é considerado reduzido para um município que tem mais de 19 mil habitantes, segundo estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. Nos últimos anos, o efetivo da Polícia Militar em Xapuri sofreu uma drástica redução por conta da passagem de muitos militares para a reserva remunerada.

O período da Festa de São Sebastião é sempre um momento delicado para a segurança pública em Xapuri, pois a quantidade de pessoas na cidade nesses dias chega a triplicar com relação à população da zona urbana. No entanto, não têm sido registradas ocorrências graves, relacionadas à festa, nos últimos anos.

Anúncios

Cotidiano

Instituto abre inscrições para concurso de redação preparatório para o Enem

Publicado

em

Estão abertas as inscrições para o 45° Concurso de Redação desenvolvido pelo Instituto Aipi, em pareceria com a rede Sincroniza Educação, ambas instituições de iniciativa privada. Serão cerca de 18.500 vagas disponibilizadas aos jovens estudantes do 1º, 2º e 3º ano do ensino médio regular da rede pública estadual e municipal de todo o país.

O concurso incentiva a leitura, a produção de texto e o protagonismo dos jovens, além de melhor preparar os estudantes que irão participar do Exame Nacional de Nível Médio (Enem), que nesta edição de 2020 será aplicado no formato impresso e digital.

Serão disponibilizadas gratuitamente, aos participantes, 24 videoaulas online que estarão disponíveis na plataforma Redação Online. Além disso, as redações serão corrigidas por professores especialistas que utilizam os parâmetros do Enem. O tema da redação do concurso está relacionado aos objetivos de desenvolvimentos sustentáveis da Organização das Nações Unidas (ONU) e será: “Como cada pessoa pode ser um cidadão ativo para mudar a realidade à sua volta?”

A competição premiará com vale-compras para livros e materiais didáticos no valor de R$ 1.500 para o 1º, de R$ 1 mil para o 2° e de R$ 500 para o 3° colocado, além de contemplar os 100 melhores alunos com um plano de videoaulas e correções de textos pela plataforma Redação Online, com duração de doze meses a partir da entrega dos prêmios.

As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas até as 23h59 de 29 de outubro pelo site https://concursoaipi.redacaonline.com.br/. Logo após efetuar a inscrição no formulário, o aluno já pode acessar a plataforma e enviar sua redação, respeitando o prazo limite para envio do texto de acordo com o regulamento disponível no edital.

Além da premiação para os alunos, as três escolas com o maior número de inscritos receberão 10 caixas de A4 Chamex e doação de livros até o valor de R$ 5 mil por escola, bem como 1 curso online de treinamento para correção de redação no modelo Enem e duas caixas de papel A4 Chamex para os vinte professores com maior número de alunos inscritos no concurso.

Fonte: Agência de Notícias do Acre

Continuar lendo

Cotidiano

Apuração oficial confirma vitória avassaladora de Arce na eleição presidencial na Bolívia

Publicado

em

Foto: Reuters

A apuração oficial do resultado das urnas na eleição do fim de semana na Bolívia terminou nesta sexta-feira (23), confirmando a vitória por ampla vantagem de Luis Arce, do MAS (Movimento ao Socialismo). Com 55,1 % dos votos, o aliado de Evo Morales conquistou a Presidência já no primeiro turno, derrotando o ex-presidente Carlos Mesa, de centro-esquerda, que obteve 28,8%.

Na Bolívia, para ser eleito no primeiro turno, é preciso ter 50% mais um voto, ou alcançar 40% dos votos e ter dez pontos percentuais de diferença para o segundo colocado.

O ultradireitista Luis Fernando Camacho, do Creemos, ficou em terceiro lugar, com 14%.

O Tribunal Supremo Eleitoral da Bolívia ainda não chancelou publicamente a vitória de Arce, mas informou que nesta sexta às 18h locais (19h em Brasília) apresentará os resultados oficiais. A apuração avançou lentamente depois que a corte decidiu usar o método de contagem voto a voto.

A data da posse ainda será definida, mas deve ser na primeira ou na segunda semana de novembro.

Adversários políticos de Arce já haviam reconhecido sua vitória após a divulgação da pesquisa de boca de urna na madrugada de segunda-feira (19). O levantamento previa 52,4% dos votos para o candidato do MAS, contra 31,5% do segundo colocado.

“Dissemos que respeitaríamos o resultado da eleição, para a vitória ou para a derrota. Não é possível deixar de reconhecer que houve um claro vencedor nas eleições deste domingo, que foi Luis Arce”, disse Mesa na segunda.

O ex-presidente acrescentou que ele e o partido do qual faz parte, o Comunidade Cidadã, têm a esperança de conquistar bons resultados no pleito ao Parlamento.

Jeanine Añez, presidente interina da Bolívia, também reconheceu a vitória do MAS. “Parabenizo os vencedores e peço que governem pensando na Bolívia e na democracia”, disse

Há pouco mais de um mês, ela desistiu da corrida presidencial para evitar que a sigla do líder indígena acabasse ganhando.

A Organização dos Estados Americanos (OEA), uma das principais vozes responsáveis pela anulação da eleição presidencial de 2019, também reconheceu a vitória de Arce, por meio de seu secretário-geral, Luis Almagro.

O pleito do último domingo foi considerado um teste para a democracia boliviana, quase um ano depois de Evo Morales renunciar, pressionado por protestos e pelas Forças Armadas, após acusações de fraude na eleição de 20 de outubro.

Desta vez, o clima de incerteza se instalou na véspera, quando o presidente do Tribunal Supremo Eleitoral, Salvador Romero, anunciou a mudança de última hora no método de apuração: o sistema de contagem rápida, questionado no ano passado, foi substituído pela contagem voto a voto, segundo ele para aumentar a confiabilidade no resultado. Arce criticou duramente a decisão do tribunal.

A contagem rápida na última eleição presidencial foi o estopim do agravamento da tensão política na Bolívia. Na ocasião, a apuração de quase 80% dos votos indicava que o pleito seguiria para o segundo turno, disputado por Evo e Mesa.

A contagem, entretanto, foi interrompida durante três horas e, ao ser retomada com o método voto a voto, indicava uma vitória do líder indígena ainda no primeiro turno. Opositores e observadores internacionais acusaram Evo de fraude eleitoral e o país tornou-se palco de uma série de protestos violentos.

Neste ano, também gerou críticas o atraso na divulgação das pesquisas de boca de urna, previstas para as 20h do domingo (18), mas que só saiu à 0h da segunda-feira (19).

De acordo com o principal instituto de pesquisa do país, o Ciesmori, o atraso ocorreu porque, no prazo combinado para a divulgação da sondagem, a amostragem obtida não representava 95% dos votos válidos —muitos preferiram não revelar o voto. Com as horas a mais, foi possível concluir o processo.

QUEM É O NOVO PRESIDENTE

Arce, 57, entrou na política em 2006, quando foi nomeado por Evo como ministro da Economia e Finanças. Antes disso, atuou por anos em cargos técnicos no Banco Central boliviano.

Filho de professores, estudou economia na Bolívia e fez um mestrado na Universidade de Warwick, no Reino Unido. Depois, passou a lecionar na Universidade Franz Tamayo, além de ter sido professor convidado na Universidade de Buenos Aires, na Argentina, e em Harvard e Columbia, nos EUA.

Durante a campanha, levantou a bandeira do boom econômico que a Bolívia viveu durante o governo Evo, quando o índice de pobreza caiu de 59,9% para 34,6%, de acordo com dados do Banco Mundial.

Como ministro, ele esteve à frente dos processos de nacionalização da exploração de petróleo e gás natural, os maiores responsáveis pelo crescimento do PIB boliviano —de US$ 11,45 bilhões (R$ 64,22 bi), em 2006, para US$ 40,89 bilhões (R$ 229,17 bi), em 2019.

Em entrevista à Folha na última terça-feira (20), ele disse que pretende renegociar os contratos de gás entre seu país e o Brasil.

A vitória de Arce pode reforçar a imagem de Evo Morales, que está exilado na Argentina desde dezembro sob status de refugiado e deve voltar à Bolívia.

Após a divulgação das pesquisas de boca de urna que indicavam o triunfo do MAS no primeiro turno, o líder indígena disse que “a vontade do povo foi imposta”.

“O grande triunfo do povo é histórico, inédito e único no mundo: um ano após o golpe, reconquistamos democraticamente o poder político com consciência e paciência do povo”, escreveu.

ANULAÇÃO QUESTIONADA

A OEA foi uma das principais vozes pela anulação da eleição passada. Em um relatório divulgado cerca de 45 dias após a votação, a organização concluiu que houve “ações deliberadas para manipular os resultados das eleições”, incluindo alteração e queima de atas de votação e falsificação de assinaturas.

Entretanto, artigo publicado pelo jornal americano The Washington Post, de autoria de dois pesquisadores do MIT (Massachusetts Institute of Technology), questionou a auditoria realizada pelo órgão. John Curiel e Jack R. Williams, membros do MIT Election Data and Science Lab (laboratório de ciência e dados de eleições), afirmaram não haver “evidência estatística de fraude”.

​Eles realizaram cálculos a partir das tendências de voto no momento em que a contagem rápida, o chamado TREP (que contabiliza atas das mesas), foi interrompida —foi retomada apenas dois dias depois.

O documento original da OEA relatou que o tempo para que o TREP fosse retomado foi suficiente para extravio e queima de atas, duplicação de nomes e outras irregularidades.

Os especialistas do MIT afirmaram que, ainda assim, pela quantidade de votos contabilizados (84%, pelo TREP) até o momento em que a contagem parou, já havia “uma diferença significativa do ponto de vista estatístico”, o que impediria que os resultados fossem diferentes dos anunciados pelo governo.

Continuar lendo

Cotidiano

WhatsApp agora permite silenciar conversas e grupos para sempre; veja como fazer

Publicado

em

O WhatsApp liberou na última quinta-feira (22) uma atualização do seu aplicativo para celulares Android e iPhones que permite silenciar conversas e grupos para sempre. (Veja como fazer abaixo).

Essa opção vinha sendo testada nos últimos meses na versão “beta”, que antecipa alguns recursos, mas pode ser instável. Agora, a novidade foi liberada para todos, com uma atualização.

Ao selecionar a opção de silenciar uma conversa, a opção de deixar as notificações no mudo por “1 ano” foi substituída para “Sempre” ou “Tempo indeterminado”.

As demais opções, de 8 horas ou 1 semana, continuam disponíveis.

Como silenciar conversas para sempre no WhatsApp

Para que a nova opção apareça é preciso estar com a atualização do aplicativo instalada – confira na Play Store (Android) ou na App Store (iPhone) se não há uma versão mais nova disponível.

Entre na conversa ou grupo que deseja silenciar;

Toque no nome da pessoa ou grupo, no topo do aplicativo;

Toque no botão “Silenciar notificações” (Android) ou “Silenciar” (iPhone);

Escolha “Sempre” (Android) ou “Tempo indeterminado” (iPhone).

Continuar lendo

Cotidiano

MEC cria grupo de trabalho para ampliar cursos à distância nas universidades federais

Publicado

em

Publicada nesta sexta-feira (23) no Diário Oficial da União, a portaria 434, de 22/10/2020, do Ministério da Educação, institui grupo de trabalho com a finalidade de subsidiar a discussão, a elaboração e a apresentação de estratégias para a ampliação da oferta dos cursos de nível superior, na modalidade de educação a distância (EaD) nas universidades federais.

Esse GT terá prazo de cento e oitenta dias para conclusão dos trabalhos e apresentação dos resultados.

O grupo se reunirá mensalmente por videoconferência, após convocação de sua coordenação, com quórum mínimo de sessenta por cento de sua composição.

Há representantes de todas as regiões do Brasil. Na região Norte o representante é José Miguel Martins Veloso.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas